27 - abr

Degeneração mixomatosa da valva mitral

Categoria(s): Cardiogeriatria, Caso clínico

Interpretação clínica

  • Homem de 68 anos. portador de miocardiopatia dilatada, está sendo avaliado pelo crescente quadro de insuficiência cardíaca congestiva. Ao exame físico, o pulso irregularé de 90 bpm e PA 110/70 mmHg. Estase jugular pulsátil bilateral à 45º; pulmões con estertores crepitantes nas bases; hepatomegalia (8 cm) dolorosa; edema leve nos tornozelos e região pré-tibial. Coração com ausculta arrítmica e presença de terceira e quarta bulhas. Sopro sistólico de regurgitação mitral 4+/6, com
  • Há 2 anos um exame ecocardiograma mostrou fração de ejeção estimada de 30% e dilatação significativa das quatro câmaras cardíacas especialmente do átrio e ventrículo esquerdo.  A valva mitral apresentava folhetos redundantes e com ampla mobilidade e fazendo prolapso para o interior do átrio esquerdo (Prolapso da valva mitral). A cintilogafia de perfusão realizada há 1 mês foi negativa para isquemia, porém confirmou a cardiomegalia e a baixa fração de ejeção (25%).
  • Os medicamentos em uso são: betabloqueador 0,625 mg diário; furosemida 40 mg diários; e digoxina 0,125 mg diários.
  • Na manhã seguinte a internação, após urinar 2 ,5 litros durante a noite com furosemida endovenoso, apresentava-se melhor.

Como entender o prolapso da valva mitral apresentado pelo paciente?

O prolapso da válva mitral é um distúrbio do tecido conjuntivo, hereditário, com herança autossômica dominante, que causa anormalidade morfológica do aparelho valvar mitral, incluindo o aumento do espessamento e uma redundância dos folhetos, alongamento das cordoalhas tendíneas e intrusão dos folhetos para dentro do átrio esquerdo.

Existem dois grupos de pacientes com prolapso da valva mitral: O primeiro grupo, consiste, predominantemente, de mulheres entre 20 e 50 anos, e é caracterizado por anormalidades leves do folheto e uma pequena insuficiência mitral, que pode ser observada no exame ecocardiográfico. Nesses casos pode existir associação com hipotensão arterial, hipotensão ortostática e palpitações. O prognóstico é bom. O segundo grupo, chamado de doença valvar mitral mixomatosa, ocorre, comumente em homens com idade entre 40 e 70 anos. Se caracteriza por grande espessamento do folheto e insuficiência mitral importante. Os paciente evoluem com insuficiência cardíaca, aumento das câmaras cardíacas e fibrilação atrial, como no caso apresentado.

Uma complicação grave que requer um intervenção de urgência é a rutura das cordas tendíneas, provocando edema agudo pulmonar de difícil controle. O tratamento é troca valvar mitral de urgência. Os portadores de insuficiência mitral severa, causada por doença mixomatosa, apresentam alto risco de morte súbita.

Veja mais:

Prolapso da valva mitral no idoso

Estudo de caso – prolapso da valva mitral

Referências:

Barlow JB, Pocock WA, Marchand P et al. The significance of late systolic murmurs. Am Heart J 1963;66:443-52.

Tomaru T, Uchida Y, Mohri N et al. Postinflammatory mitral and aortic valve prolapse: a clinical and pathological study. Circulation 1987;76:68-76.

Tamura K, Fukuda Y, Ishizaki M et al. Abnormalities in elastic fibers and other connective-tissue components of floppy mitral valve. Am Heart J 1995;129:1149-158.

Savage DD, Garrison RJ, Devereux RB et al. Mitral valve prolapse in the general population. I. Epidemiologic features: The Framingham Study. Am Heart J 1983;106: 571-5.

Tags: , ,

Veja Também:

Comments (16)    







08 - jul

Estudo de caso – Prolapso da valva mitral

Categoria(s): Cardiogeriatria, Caso clínico

Interpretação clínica

  • Mulher de 43 anos é avaliada por causa de dor não-anginosa no peito e fadiga crônica. O médico que a atendeu há 3 anos disse que ela possuía prolapso da valva mitral. Não toma nenhuma medicação. O exame físico e cardiológico normais. A paciente gostaria se de fato não precisa tomar nenhuma medicação e se o PVM pode piora com tempo causando doença cardíaca grave.
  • O Exame ecocardiográfico atual e praticamente igual ao antigo. Folhetos valvares mitrais finos, com leve prolapso (seta) em direção a átrio esquerdo. Observa-se uma pequena regurgitação (volta de sangue do ventrículo esquerdo para o átrio esquerdo) mitral. O tamanho das câmaras esquerdas (ventrículo e átrio) estavam normais.

Os fatores mais importantes para a previsão evolutiva dos pacientes com PVM são a extensão da anormalidade anatômica dos folhetos (espessamento e redundância e a gravidade da insuficiência mitral. Pelo fato de que essa paciente apresenta folhetos valvares finos e pequeno volume de regurgitação mitral (valor que pode ser considerado fisiológico), seu porgnóstico é excelente. Ela não apresenta grandes riscos de desenvolver doença valvar cardíaca, como endocardite infecciosa, arritmias, insuficiência mitral aguda por rutura das cordoalhas tendíneas. Essas três doenças costumam aparecer nos casos onde existe folhetos espessos e redundantes, porque ocorre anormalidades do colágeno que envolve tanto os folhetos como as cordoalhas tendíneas.

Veja mais sobre prolapso da valva mitral

Referências:

Nishimura RA, McGoon MD, Shub C ,e t al – Echocardiographically documented mitral-valve prolapse. Long-term follow-up of 237 patients. N Engl J Med. 1985;313:1305-1309.

Zuppiroli A, Rinaldi M, Kramer-Fox R, Favilli S, Roman MJ, Devereux RB – Natural history of mitral valve prolapse. Am J Cardiol. 1995;75:1028-1032.

Tags: , ,

Veja Também:

Comments (97)    




" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "