14 - jun

Lesões eritematosas da pele: Urticária

Categoria(s): Dermatologia geriátrica, Imunologia, Inflamação

Resenha

A urticária e o angioedema são enfermidades comuns que acometem 20% das pessoas em alguma fase da vida, sendo facilmente reconhecidas pelos pacientes e pelos médicos. Entretanto é altamente complexa quanto as manifestações clínicas e a terapia empregada.

urticáriaA urticária consiste em lesões eritemato-papulosas, isoladas ou agrupadas, fugazes, geralmente circulares, podendo variar em forma e tamanho. As lesões são conseqüentes à vasodilatação e ao edema (inchaço) da derme, estando geralmente associadas com prurido intenso (figura ao lado).

Na forma aguda, os episódios duram de poucos dias até seis semanas, sendo o fator causal identificado nas maiorias das vezes. Pode ocorre outros sintomas como falta de ar (dispnéia), chiado no peito (sibilância), edema de laringe ou hipotensão arterial. Na forma crônica, as lesões estão presentes diariamente ou quase diariamente, permanecem menos de 24 horas, durando mais de 6 semanas. O agente causal não é encontrado.

Baseado no aspecto da lesão, surgem alguns diagnósticos diferenciais, como as lesões causadas por picadas de insetos, a urticária-vasculite*, os eczemas (dermatites espongióticas) e sobre tudo a forma aguda da dermatite de contato.

* urticária-vasculite é uma condição associada a colagenose, cuja diferenciação clínica com as urticárias se faz pela persistência das lesões e aspecto hipercrômico quando crônica.

Patogênese

A urticária é uma condição heterogênea, cuja patogênese envolve uma grande variedade de mediadores bioquímicos, que são liberados a partir da ativação de diferentes células e vias enzimáticas.

mastócitosOs pacientes com urticária apresentam um grande aumento de mastócitos na pele, sugerindo um papel de destaque na fisiopatogênese da doença. Diversos mecanismos imunológicos e não imunológicos podem provomer a ativação dos mastócitos, causando a degranulação e o aumento da histamina sangüinea, observado nos vários tipos de urticária.

Este fenômeno bioquímico ocasiona vasodilatação local, com aumento da permeabilidade capilar e aparecimento de eritema e edema. O edema acomete a derme superior, havendo dilatação vascular e linfática, com infiltrado celular, predominantemente perivascular, na derme.

Soter identificou cinco possíveis mecanismos patogênicos da urticária: 1. mediada por IgE, 2. por ativação do sistema de complemento, 3. por degranulação inespecífica dos mastócitos, 4. por formação de metabólitos do ácido araquidônico e 5. as denominadas idiopáticas.

Tratamento:

O tratamento envolve: 1. afastar os agentes lesivos encontrados; 2. uso de anti-histamínicos, que são eficazes por impedirem a liberação de histamina, bloquearem seus receptores ou mesmo agirem em outras vias na mesma célula-alvo; 3. uso de glicocorticóides. Em casos crônicos, rebelde aos tratamentos acima, pode se utilizar ciclosporina-A, metotrexato, hidroxicloroquina, nifedipina, dapsona, sulfasalazina, cinetidina e moduladores de leucotrienos.

Referências:

França AT – Urticária e Angioedema: Diagnóstico e Tratamento; Rio de Janeiro,Editora Revinter 2000.p.117

Azulay RD, Azulay DR – Dermatologia; Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan SA 2 ed. 1999.

Sabroe RA, Greaves MW – The pathogenesis of chronic idiopatic urticaria. Arch Dermatol, 1997;133:1003-1008.

Tags: , , , , ,

Veja Também:

Comentários    







29 - jul

Urticária – Prevenção

Categoria(s): Dermatologia geriátrica, Emergências

Urticária

 

Prevenção

 

A primeira crise é difícil de prever, mas assim que ocorre, a pessoa deve ficar atenta aos fatores que a desencadearam e informar aos médicos que a atenderem sobre quais produtos têm alergia. Evitando, assim, a administração indevida destes produtos, como exemplo determinados antibióticos, contraste iodado e alguns produtos antisépticos.

<< Tratamento
   

Tags:

Veja Também:

Comentários    







28 - jul

Urticária – Tratamento

Categoria(s): Dermatologia geriátrica, Emergências

Urticária

 

Tratamento

 

O tratamento envolve:

1. afastar os agentes lesivos encontrados;

2. uso de anti-histamínicos, que são eficazes por impedirem a liberação de histamina, bloquearem seus receptores ou mesmo agirem em outras vias na mesma célula-alvo;

3. uso de glicocorticóides.

Em casos crônicos, rebelde aos tratamentos acima, pode se utilizar ciclosporina-A, metotrexato, hidroxicloroquina, nifedipina, dapsona, sulfasalazina, cinetidina e moduladores de leucotrienos.

<< Fator de risco
 

Prevenção >>

Tags:

Veja Também:

Comentários    







27 - jul

Urticária – Fatores de risco

Categoria(s): Dermatologia geriátrica, Emergências

Urticária

 

Fatores de risco

A reação inflamatória da urticária é desencadeada por inúmeros fatores que causam alergia, tais como: alimentos, produtos químicos de higiene pessoal (sabonetes, talcos, cosméticos, desodorantes, shampoo, condicionadores, maquiagem, etc), produtos de limpeza doméstica, sobretudo medicamentos. As urticárias crônicas podem ter um fundo emocional importante e é denominada urticária psicogênica. Os pesquisadores consideram, esta última, com uma doença resultante da expressão de conflitos inconscientes, resultantes da não exteriorização adequada dos mesmos.

Apesar de existir uma forte tendência a considerar fatores genéticos que se expressem de forma intensa nos casos de alergia, como na urticária, mais precocemente e mais vezes o ser humano está entrando em contato com produtos químicos prejudicias a saúde como ilustra a página a respeito da sulfonamida incorporada a ração animal que passa ao leite e derivados – Antibióticos no gado leiteiro e suínos. Podendo causar a terrível Síndrome de Stevens-Johnson.

 

<< Causas
  Tratamento >>

Tags: , ,

Veja Também:

Comentários    







26 - jul

Urticária – Causas

Categoria(s): Dermatologia geriátrica, Emergências, Imunologia, Inflamação

Urticária

 

Causas

A urticária é uma condição heterogênea, cuja patogênese envolve uma grande variedade de mediadores bioquímicos, que são liberados a partir da ativação de diferentes células e vias enzimáticas. Esta reação inflamatória é desencadeada por inúmeros fatores que causem alergia, tais como: alimentos, produtos químicos de higiene pessoal (sabonetes, talcos, cosméticos, desodorantes, shampoo, condicionadores, maquiagem, etc), produtos de limpeza doméstica, sobretudo medicamentos. As urticárias crônicas podem ter um fundo emocional importante e é denominada urticária psicogênica. Os pesquisadores consideram, esta última, com uma doença resultante da expressão de conflitos inconscientes, resultantes da não exteriorização adequada dos mesmos.

Diversos mecanísmos imunológicos e não imunológicos podem provomer a ativação dos mastócitos, causando a degranulação e o aumento da histamina sangüinea, observado nos vários tipos de urticária.

Existem cinco possíveis mecanismos patogênicos da urticária: 1. mediada por IgE, 2. por ativação do sistema de complemento, 3. por degranulação inespecífica dos mastócitos, 4. por formação de metabólitos do ácido araquidônico e 5. as denominadas idiopáticas.

 

 

<< Sintomas
  Fatores de risco >>

Tags:

Veja Também:

Comentários    



Page 1 of 3123

" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "