15 - fev

Desnutrição – Psicose de Korsakoff

Categoria(s): Câncer - Oncogeriatria, Conceitos, Nefrogeriatria, Neurologia geriátrica, Nutrição, Psicologia geriátrica

Desnutrição – Psicose de Korsakoff

A psicose de Korsakoff é uma desordem mental na qual a memória de retenção está seriamente comprometida em um paciente até então sadio. Esta desordem
está também associada ao alcoolismo e à deficiência nutricional. A doença tem sido descrita em pacientes com anorexia nervosa, com caquexia secundária a um câncer subjacente, como um complicação de gastrectomia (cirurgia bariátrica) e pacientes em programa de diálise renal crônica.

Os distúrbios de consciência e de estado mental ocorrem principalmente como um estado confusional global, no qual o paciente está apático, desatento e com mínima expressão verbal espontânea. Com a administração de tiamina o paciente recobra rapidamente o estado de alerta.

O estado amnésico característico da psicose de Korsakoff é marcado por uma lacuna permanente na memória do paciente. O principal aspecto da desordem
amnésica é o defeito do aprendizado (amnésia anterógrada) e perda da memória passada (amnésia retrógrada). A memória imediata está intacta, mas a memória de curto prazo está comprometida.

Além da desnutrição a psicose de Korsakoff pode ocorrer nos casos de tumores do terceiro ventrículo cerebral, infarto ou ressecção cirúrgica do lobo temporal ou como seqüela de encefalite por herpes simples.

 

Tratamento de emergência

Uma vez suspeitado o diagnóstico deve-se iniciar rapidamente a tiamina endovenosa. Os pacientes devem ser hospitalizados e tiamina 50-100 mg deve ser administrada por via endovenosa diariamente por vários dias, em função da comprometida
absorção intestinal. É importante administrar a tiamina (Vitamina B1) antes ou durante a administração de glicose em todos pacientes malnutridos, pois a exacerbação da encefalopatia  pode ocorrer se a tiamina não for administrada em primeiro lugar. A taxa de mortalidade é alta, variando de 10 a 20%, principalmente devido a agravantes como infecção pulmonar, septicemia, doença hepática descompensada e a um estado irreversível de deficiência de tiamina.

Tiamina – A tiamina é sintetizada pela bactérias da microbiota intestinal, são hidrossolúveis e se perde com o cozimento. A quantidade de tiamina diminui com a utilização exagerada de açúcar, café, chá preto, nicotina e álcool. A forma ativa da tiamina é a tiamina pirifosfato.
Fontes de tiamina  – Levedura de cerveja, cereais e grãos integrais, castanha do Pará, gema de ovo, carne, nozes, farinha de trigo, germe de trigo.

Referências:

Butterworth R F. Pathophysiology of cerebelar dysfunction in the Wernicke – Korsakoff syndrome. Can. J. Neurol. Sci., 20: 123-6, 1993.

Wernicke C., ed. Die äkute hamorrhagische Polioencephalitis superior. In: Lehrbuch der Gehirnkrankheiten fär Ärzte und Studierende. Kassel, Fischer, 1981, Band 2, p. 229-42.

Blansjaar, B A. The localization of memory. Clin. Neurol. Neurosurg., 94: 36-8, 1992.

Tags: , , ,

Veja Também:

Comentários    







14 - fev

Desnutrição – Doença de Wernicke

Categoria(s): Neurologia geriátrica, Nutrição, Psicologia geriátrica

Desnutrição – Doença de Wernicke

 

O quadro de confusão mental, ataxia e anormalidades nos movimentos oculares (nistagmo)  é característa clássica da encefalopatia de Wernicke, descrita por esse médico em 1881. Entretanto, a tríade completa é dificilmente observada. Apesar da doença estar usualmente associada com alcoolismo crônico, a encefalopatia de Wernicke pode ocorre nas pessoas malnutidas. A síndrome foi descrita em pacientes com anorexia nervosa, com caquexia secundária a um processo maligno subjacente, como um complicação de gastrectomia (cirurgia bariátrica) e pacientes em programa de diálise renal crônica.

Os distúrbios de consciência e de estado mental ocorrem principalmente como um estado confusional global, no qual o paciente está apático, desatento e com mínima expressão verbal espontânea. Com a administração de tiamina o paciente recobra rapidamente o estado de alerta.

 A doença de Wernicke causa confusão mental, movimentos oculares anormais e alterações na marcha e equlíbrio. Esta doenças está associada com deficiência nutricional, ocorrendo especialmente em alcoolistas.

 

Tratamento de emergência

Uma vez suspeitado o diagnóstico deve-se iniciar rapidamente a tiamina endovenosa. É importante administrar a tiamina (Vitamina B1) antes ou durante a administração de glicose em todos pacientes malnutridos, pois a exacerbação da encefalopatia de Wernicke pode ocorrer se a tiamina não for administrada em primeiro lugar. A taxa de mortalidade é alta, variando de 10 a 20%, principalmente devido a agravantes como infecção pulmonar, septicemia, doença hepática descompensada e a um estado irreversível de deficiência de tiamina

A pronta instituição do tratamento pode modificar o prognóstico da síndrome de Wernicke-Korsakoff. A oftalmoplegia inicial pode melhorar dentro de horas a dias, e o nistagmo, a ataxia e a confusão mental, dentro de dias a semanas. Em torno de 60% dos pacientes apresentam nistagmo residual ou ataxia como seqüelas a longo prazo.

 Referências:

Butterworth  R F. Pathophysiology of cerebelar dysfunction in the Wernicke – Korsakoff syndrome. Can. J. Neurol. Sci., 20: 123-6, 1993. 

Wernicke C., ed. Die äkute hamorrhagische Polioencephalitis superior. In: Lehrbuch der Gehirnkrankheiten fär Ärzte und Studierende. Kassel, Fischer, 1981, Band 2, p. 229-42. 

Tags: , , , , , , ,

Veja Também:

Comentários    







24 - out

Síndrome de Korsakoff

Categoria(s): Emergências, Gerontologia, Neurologia geriátrica, Nutrição, Psicologia geriátrica, Semiologia Médica

Semiologia médica

frutas

A síndrome de Korsakoff caracteriza-se pela associação de amnésia, desorientação e fabulação (relatar fatos fantasiosos). Dessa tríade de sintomas, a amnésia é o elemento mais notável e pode ser vista como amnésia de fixação  (o paciente, colocado diante de uma situação, é capaz de perceber e reagir normalmente, porém alguns minutos depois já não se lembra de mais nada) e amnésica retrógrada (não se lembra de fatos do passado).

Fabulação -Em virtude desse distúrbio da memorização, o paciente não faz novas aquisições, situação que o obriga a viver de fatos anteriores ao início do problema. O déficit de memória leva a fabulações (o paciente inventa história quando lhe perguntamos como passou o dia anterior), um mecanismo que permite ao paciente preencher a lacuna da memória.

Desorientação – Frequentemente, o paciente apresenta desorientação no tempo e no  espaço, chegando até à confusão mental.

 Etiologia – A Síndrome de Korsakoff é causada pela deficiência de tiamina (Vitamina B1) que está associada ao alcoolísmo. A tiamina é conhecida como “vitamina da moral’ ou ‘vitamina do humor” pelos efeitos benéficos sobre o sistema nervoso e a disposição mental, possivelmente porque favorece o metabolismo dos carboidratos, liberando ATP (fonte de energia para o cérebro). A tiamina é sintetizada pela bactérias da microbiota intestinal, são hidrossolúveis e se perde com o cozimento. A quantidade de tiamina diminui com a utilização exagerada de açúcar, café, chá preto, nicotina e álcool. A forma ativa da tiamina é a tiamina pirifosfato.
Fontes de tiamina – Levedura de cerveja, cereais e grãos integrais, castanha do Pará, gema de ovo, carne, nozes, farinha de trigo, germe de trigo.

Referências:

Global Aging on Action [on line]

Mayo Clinic – Drugs & Supplements – Thiamin (thiamine), vitamin B1 [on line]

Marchini JS, Ferriolli E, Moriguti JC. Suporte nutricional no paciente idoso: definição, avaliação e intervenção. Medicina, Ribeirão Preto jan/mar 1998;31:54-61.

 

Tags: , , , ,

Veja Também:

Comentários    







18 - jul

Alimentos funcionais – Maçã

Categoria(s): Gerontologia

Alimento funcional: Maçã



A maçã é o fruto pomáceo da macieira, árvore da família Rosaceae. Existem mais de 7.500 espécies e variedades de maçãs. As diferentes espécies encontram-se em climas temperados e subtropicais, já que macieiras não florescem em áreas tropicais, pois necessitam de um número considerável de horas de frio, que é variável em função da variedade cultivada. As variedades da família da Gala, por exemplo, necessitam de um inverno com cerca de 700 horas de frio (temperatura abaixo de 7,2 °C) para terem o rendimento ideal na colheita. Assim, a maçã sempre foi uma importante fonte alimentícia em regiões de clima frio.

A maçã contém as seguintes vitaminas: B1, B2 e Niacina, além de sais minerais, como fósforo e ferro. É rica em compostos fenólicos como quercetina, epicatequina e procianidina B2, substâncias atuam como antioxidante e antiinflamatório ajudando a evitar a formação de coágulos sanguíneos capazes de provocar problemas cardiovasculares e cerebrais. A maçã é recomendada para pessoas com problemas de intestino, obesidade, reumatismo, gota, diabetes, enfermidades da pele e do sistema nervoso. A sua casca seca é empregada como chá para purificar o sangue e como diurético.

Consumo – Para melhor aproveitamento das suas vitaminas, o ideal é consumi-la ao natural com casca, pois é junto dela que estão a maior parte das suas vitaminas e os sais minerais.

Tags: , , , ,

Veja Também:

Comentários    







09 - jun

Memória – Uso de vitaminas do complexo B

Categoria(s): Bioquímica, Neurologia geriátrica, Saúde Geriátrica, Terapeuta ocupacional

Terapia Ortomolecular

VITAMINAS DO COMPLEXO B

Há doze tipos diferentes de vitamina B, dos quais cinco têm demonstrado efeitos positivos no sistema nervoso:

Vitamina B1 (Tiamina) - considerado um poderoso antioxidante, com importante função no metabolismo energético, por participar na conversão da glicose em energia, atuando na fase de piruvato à acetil Co A. A dose recomendada varia de 25 a 300 mg por dia. Considerando que a vitamina B1 desempenha papel essencial no metabolismo dos carbohidratos, a maior fonte de energia para as células, a sua deficiência nutricional pode ser observada quando encontramos falhas no metabolismo cerebral, como desnutridos e alcoólatras. Devemos observar que dietas ricas em carbohidratos depletam a tiamina. As fontes de vitamina B1 são: carnes vermelhas, soja, arroz integral, grãos integrais, ovos e peixes.

Vitamina B3 (niacina) – ajuda a desenvolver a memória e combater o stress. Doses recomendadas: 1 00 a 200 mg diariamente. Doses elevadas, inclusive quando superior a 100 mg pode ocorrer ‘flushing’, cujos sintomas são prurido, vermelhidão nas extremidades, ondas de calor e parestesia, principalmente no rosto, pescoço, braços e tórax. Este efeito é consequência da dilatação arterial, determinada pela síntese da histamina.

Vitamina B5 (Ácido pantotênico) – O ácido pantotênico faz parte da molécula da Coenzima A, e como a conversão da colina em acetilcolina (importante para a memória) necessita da acetilação da colina que é dependente da acetil Co A, esta é a fase de ação do ácido pantotênico. Nesta etapa também participa a lecitina. O ácido pantotênico é indispensável para síntese de lipídios e hormônios esteróides. Nas situações de estresse ocorre um grande consumo desta vitamina (chamada de anti-stress). Dosagem de 50 a 200 mg/dia.

Vitamina B6 (Piridoxina) – uma das mais importante para o sistema nervoso central, porque é uma coenzima na transaminação, e descarboxilação de aminoácidos, ajudando o cérebro a produzir neurotransmissores vitais ao seu funcionamento. Tem demonstrado aumentar o tempo de vida e diminuir o stress. As doses recomendadas são de 50 a 1 00 mg por dia. Possui interação medicamentosa com a Levodopa, inativando-a no intestino. Devemos considerar que a forma ativa é o fosfato de piridoxal, portanto devemos evitar megas dose de piridoxina, devido a grande dificuldade de conversão em piridoxal, e a parte que não for convertida pode exercer forte competição com a forma ativa, à nível de receptores e, clinicamente manifestar-se como neuropatias periféricas. Se quisermos melhora a sua eficácia devemos associar magnésio na sua formulação.

Vitamina B12 (Cianocobalamina) – está relacionada no tratamento de deficiências cerebrais por lesões a nível de SNC, processos degenerativos, principalmente desmielinizantes do sistema nervoso periférico. Doses de 100 a 200 mcg são sugeridas em associação com 400 mcg de ácido fólico. A vitamina B12 praticamente inexiste nos vegetais, portanto os vegetarianos, geralmente tem deficiência de vitamina B12, que é encontrada nos alimentos de origem animal. A vitamina B12 está vinculada ao metabolismo dos lípides, participando na eleboração da porção lipídica da lipoproteína da bainha de mielina, por atuar promovendo a transferência de hidrogênio e isometerização , na conversão do metilmalonato em succinato.

A síntese diária do SAME (S-adenosil metionina) substância importantíssima na regeneração e prevenção ao envelhecimento do SNC está na dependência do ácido fólico e da vitamina B12.

Tags: , , , , ,

Veja Também:

Comments (15)    



Page 1 of 212

" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "