30 - dez

Polipose Intestinal – Pólipos Gástricos

Categoria(s): Câncer - Oncogeriatria, Gastroenterologia

Polipose intestinal – Pólipos Gástricos

Pólipos gástricos podem ser neoplásico ou não neoplásico.  Mais de 90%, não são neoplásicos. Podem ser múltiplos ou solitários ou relacionados a síndromes de polipose Familiar (FAP (Familial Adenomatous Polyposis).

Os pólipos gástricos podem ser tanto de glândulas fúndicas quanto adenomatosos.

1. Pólipos gástricos de glândulas fúndicas – Os pólipos gástricos de glândulas fúndicas são hamartomatosos* e ocorrem em aproximadamente metade dos pacientes com FAP (Familial Adenomatous Polyposis), sendo localizados no fundo e corpo do estômago. Embora esses pólipos sejam considerados como tendo baixo potencial de malignidade, mas já foram descritos casos com alto grau de displasia (alterações morfológicas das células com características pré-malignas).

2. Pólipos adenomatosos – Os pólipos adenomatosos, tambêm chamados de adenomas tubulares são projeções polipóides de epitélio glandular neoplásico.  A sua frequência é de 7% a 10% de pólipos do estômago. Eles são predominantemente no antro. O tamanho variável. Quando são maiores do que 2 cm exibem necrose e ulceração estão associados com carcinoma gástrico de 2,5% a mais de 50%.

Pode ser de até 3 tipos.

1: células de Paneth do intestino ou caliciformes. São maiores, mais frequentes em antro. Eles estão associados com gastrite crônica atrófica ou gastrite auto-imune ou ambiental também. É freqüentemente associada com alto grau de displasia e adenocarcinoma.

2: gástrica. Tem células foveolar com mucinas neutras. A maior parte deste tipo de pólipo está associada com FAP. Eles são geralmente múltiplos. A maioria são pequenas, com menos de 1 cm até 84%. São comuns no corpo do estômago. Mostrar só displasia de baixo grau. A mucosa adjacente quase nenhuma mudança significativa tem pouca inflamação.

3: Um terceiro tipo chamado adenoma determinado. Poucos são associados com alto grau de displasia e adenocarcinoma.

 

 

* Os pólipos hamartomatosos, normalmente, são formados de uma mistura de tecidos, crescem à taxa normal do tecido e raramente causam problemas.

Referências:

Marshack RH, Feldman F. Gastric polyps. Am J Dig Dis. 1995-10:909-935.

Stolte M. Clinical consequences of the endoscopic diagnosis of gastric polyps. Endoscopy 1995;24:32-7.

Tags: , , , , , , ,

Veja Também:

Comentários    




" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "