24 - ago

Desnutrição nos Idosos: Causas e conseqüencias

Categoria(s): Cuidador de idosos, Nutrição, Saúde Geriátrica

Resenha

A nutrição depende de fatores sócio-econômico culturais, fisiopatológicos, psicológicos e cognitivos. O idoso necessita adaptar seu hábito alimentar a sua nova condição imposta pela idade, ou seja, ele deve se alimentar, não de mesma forma que o fazia quando moço, porém, modificando o seu cardápio para alimentos funcionais, que contenham substâncias com propriedades nutritivas e mesmo terapêuticas e, pouco para alimentos hipercalóricos (chocolates, bolos, refrigerantes, etc).

A terapia contra a desnutrição não passa somente na orientação do que comer, mas sim determinar os possíveis agentes causais dessa desnutrição. Abaixo, estão enumeradas as principais causas que levam a desnutrição no idoso.

1- Alterações gastrointestinais
1.1- Gastrite atrófica, hipocloridria e diminuição do fator intrínseco, que pode ocorrer em 20% dos casos, resultando em má absorção de cálcio, vitamina B12 e ferro
1.2- Fibrose e atrofia das glandulas salivares.
1.3- Perda de dentes.
1.4- Diminuição da atividade da lactase e outras dissacaridases.
1.5- Atrofia de papilas gustatórias.
1.6- Diminuição da sensibilidade de receptores associados ao controle da sede e consequentemente , menor ingestão de água, hipodipsia e desidratação.
1.7- Diminuição de absorção de micronutrientes, em especial do zinco e do cobre.

2- Doenças e outros fatores relacionados
2.1- Diminuição da qualidade de vida com piora da capacidade funcional em geral, o que pode causar dificuldades na aquisição, preparo e consumo de alimentos.
2.2- Depressão associada a anorexia, geralmente relacionada a perda de do conjuge.
2.3- Deterioração da função cognitiva, o que resulta em inabilidade para obter alimento,esquecimento ou incapacidade de se alimentar.
2.4- Doenças gastrointestinais associadas a menor digestão e absorção de alimentos.
2.5- Alcoolismo associado ao isolamento,causando outras deficiências de tiamina, folato e magnésio.
2.6- Caquexia cardíaca e a perda de minerais pelo uso indiscriminado de diuréticos.
2.7- Hospitalizações prolongadas, recebendo ofertas nutricionais inferiores as recomendações estabelecidas.
2.8- Diabete mellitus com má nutrição secundaria a gastroparesia, incontinência fecal e ingestão pobre de nutrientes com as fibras por ex.
2.9- Neoplasias

3- Alterações sócio-econômicas
3.1- A aposentadoria e o declínio da sociabilização do idoso, gerando isolamento e redução de seus rendimentos.
3.2- Declínio da capacidade psicológica,que pode desistimular a ingestão e a preparação dos alimentos.
3.3- A composição familiar pode prejudicar o acesso a aquisição de medimentos e a alimentação, com a distribuição dos rendimentos do idoso para manter despesas diversas da família.

4-Interação droga-nutrientes
4.1- O uso de múltiplos medicamentos podem influenciar a ingestão, a digestão, a absorção, o metabolismo e a excreção de nutrientes.
4.2- Compromentimentos nos requerimentos nutricionais com a competição de minerais entre si com por ex. zinco e ferro, cálcio e ferro.
4.3- Anticoagulantes e antibióticos podem induzir a deficiência de vitamina K
4.4- Resinas ligadoras de colesterol ou óleo mineral podem induzir a má absorção de vitamina A, D, E e K.
4.5- Uso de antiácidos podem diminuir a absorção de ferro, cálcio e vit B 12.
4.6- Barbitúricos, colestiramina, dilantim, trimetoprim e álcool podem resultar em deficiência de folato.
4.7- O uso de colchicina, álcool, neomicina, clindamicina e colestiramina podem acarretar deficiência de vitamina B 12.
4.8- O uso contínuo de isoniazida e hidralazina aumentão as recomendações de piridoxina no idoso.
4.9- O uso de dilantim pode dificultar a hidroxilação hepática de vitamina D
4.10- Dietas ricas em proteínas para pacientes com doença de Parkinson podem diminuir a atividade de agentes dopaminérgicos do tratamento.

Referência:

Marchini JS, Ferriolli E, Moriguti JC – Suporte nutricional ao paciente idoso: Definição, Diagnóstico, Avaliação e Intervenção. Medicina, Ribeirão Preto, 31:54-61 Jan-Mar 1998. [on line]

Tags: , , , ,

Veja Também:

Comments (5)    







29 - mar

Desnutrição no Idoso

Categoria(s): Gerontologia, Nutrição, Programa de saúde pública, Sociologia

Resenha


Colaboradora : Dra Beatriz Carvalho Vida da Silva

* Nutricionista

A desnutrição no idoso é causa e conseqüência de inúmeros fatores, que funcionam como um círculo vicioso. Exemplo, a perda de dentes leva a desnutrição e, a desnutrição causa mais cáries e mais perda de dentes.

desnu

A nutrição depende de fatores sócio-econômico culturais, fisiopatológicos, psicológicos e cognitivos. O idoso necessita adaptar seu hábito alimentar a sua nova condição imposta pela idade, ou seja, ele deve se alimentar, não de mesma forma que o fazia quando moço, porém, modificando o seu cardápio para alimentos funcionais, que contenham substâncias com propriedades nutritivas e mesmo terapêuticas e, pouco para alimentos hipercalóricos (chocolates, bolos, refrigerantes, etc).

Entende-se como fatores sócio-econômicas e culturais, a aposentadoria com o declínio da sociabilização, gerando o isolamento que prejudica o acesso a obtenção de alimentos e, a nova composição familiar (familias menores, e muitas vezes com filhos desempregados) onde o idoso é o provedor financeiro que vê os seus parcos rendimentos sendo usados para manter despesas diversas da família, em prejuízo da aquisição de alimentos e até medicamentos necessários para a sua saúde.

A desnutrição pode ser decorrente de fatores fisiopatológicas causados pela idade ou por doenças devem ser rapidamente reconhecidos e tratados revertendo o quadro de desnutrição do idoso. Fazem parte desse descontrole as alterações gastrointestinais; como a gastrite atrófica, a hipocloridria (diminuição do ácido clorídrico) e diminuição do fator intrínseco, que pode ocorrer em 20% dos casos, resultando em má absorção de cálcio, vitamina B12 e ferro; a fibrose e atrofia das glândulas salivares, a perda de dentes, atrofia de papilas gustatórias, a diminuição da sensibilidade de receptores associados ao controle da sede e conseqüentemente, menor ingestão de água (hipodipsia) que leva á desidratação.

Um classe especial de fatores fisiopatológicos é a provocada pela iatrogenia, onde diversos fármacos interferem negativamente na nutrição das pessoas, em especial dos idosos. O uso de múltiplos medicamentos podem influenciar a ingestão, a digestão, a absorção, o metabolismo e a excreção de nutrientes. Inúmeros são os exemplos das interferências medicamentos na nutrição, como, os antiácidos diminuindo a absorção de ferro, cálcio e vitamina B 12, as resinas ligadoras de colesterol ou óleo mineral podem induzir a má absorção de vitamina A, D, E e K.

Os fatores psicológicos aparecem de forma insidiosa até atingir proporções, cuja único tratamento é mediante internações e alimentação enteral. A perda do conjuge pode causar a anorexia relacionada com a depressão. O alcoolismo associado ao isolamento, leva a desnutrição inaparente, onde desta as deficiências de tiamina, folato e magnésio. Alguns autores, chamam a este estado metabólico de desnutrição oculta.

Os fatores cognitivos, são representados pela deterioração da função cognitiva, como acontece no mal de Alzheimer e doença de Parkinson, resultando em inabilidade para obtenção do alimento, esquecimento ou incapacidade de se alimentar.

A má nutrição no idoso causa repercussões em muitos orgãos e sistemas do corpo humano, levando a um declínio da capacidade funcional, causado pela atrofia muscular (sarcopenia) e disfunção em orgãos vitais como os pulmões, coração e rins.

A baixa taxa de metabolísmo, diminui a produção de proteínas especialmente albumina, globulinas, enzimas, neurotransmissores, hormônios. Com isso, pode ocorrer insuficiência cardíaca (Beri-beri cardíaco), diabetes, deficiência imunológica e hematológica, expondo o idoso a infecções graves e até fatais.

Referência:

Marchini JS, Ferriolli E, Moriguti JC – Suporte nutricional ao paciente idoso: Definição, Diagnóstico, Avaliação e Intervenção. Medicina, Ribeirão Preto, 31:54-61 Jan-Mar 1998. [on line]

Tags: , , , ,

Veja Também:

Comments (4)    




" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "