12 - dez

Queimaduras nos idosos – cuidados

Categoria(s): Dermatologia geriátrica, Emergências, Gerontologia

Editorial

A queimadura é uma lesão desencadeada por um agente físico e que pode ser classificada como térmica, elétrica, química, radioativa e de atrito. As térmicas (causadas pelo calor) são as mais comuns e freqüentes e geralmente são causadas pela falta de atenção e cuidado.

O manuseio descuidado de produtos em altas temperaturas (líquidos quentes e objetos incandescentes) e atividades de crianças em ambientes perigosos, como a cozinha, por exemplo, são consideradas as principais causa de queimaduras. Além disso, a utilização de álcool para acender churrasqueira e o descuido no manuseio de foguetes e objetos explosivos também pode ser considerada as grandes causas de queimaduras e destruição de vulto, como as mãos e a face.

As soluções caseiras para diminuir a dor e a ardência das queimaduras podem piorar e acabar por irritar ainda mais o local ferido. Borra de café, manteiga e pasta de dente são os produtos mais comuns que as pessoas passam nas queimaduras sem saber que estão cometendo um engano e piorando o machucado. Não devemos passar nenhum tipo de produto e sempre lavar muito bem com água corrente até que passe o ardor, e, logo em seguida, procurar socorro médico.

Na maioria das vezes, o primeiro procedimento é remover possíveis produtos colocados no local da queimadura. Em seguida é costume classificar as queimaduras de acordo com a profundidade da pele lesada (primeiro, segundo ou terceiro grau). Esta classificação é importante para se avaliar o prognóstico da queimadura.

A queimadura de primeiro grau é aquela mais superficial e caracteriza-se por deixar a pele avermelhada (hiperemiada) inchada (edemaciada), e extremamente dolorida. Uma exposição prolongada ao Sol pode desencadear este tipo de lesão. A de segundo grau caracteriza-se pelo aparecimento da bolha (flictena) que é a manifestação externa de um descolamento dermo-epidérmico e tem uma profundidade intermediária. Já a de terceiro grau caracteriza-se pelo aparecimento de uma zona de morte tecidual (necrose) e é a mais profunda e a mais grave.

Geralmente as queimaduras de primeiro grau são tratadas com pomada e na maioria dos casos evoluem bem ao tratamento. Já as queimaduras mais profundas, além do tratamento feito com pomada logo de início, freqüentemente são necessárias o procedimento cirúrgico para enxerto de pele na zona lesada. Nesses casos a cicatriz pode ficar mais evidente. No entanto, em todo caso de queimadura há uma cicatriz mais ou menos evidente.

Nos casos de emergência domiciliar a orientação é jogar um jato fraco de água levemente morna, demoradamente usado na zona queimada. Esse é o melhor tipo de tratamento imediato para a queimadura. Em seguida um creme que pode ser usado, e que deve fazer parte da farmácia caseira, é o creme de sulfadiazina de prata a 1,00 %. Trata-se de um genérico de baixo custo, que pode ser usado tópicamente em muitas outras pequenas lesões. Existe, entretanto, a restrição para um pequeno grupo de pessoas que são alérgicas à sulfa.

A zona lesada deve permanecer, se possível, exposta sem ataduras ou outro envoltórios. Analgésicos também podem ser usados para aliviar a dor.

Tags: ,

Veja Também:

Comments (2)    




" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "