04 - maio

Leucoaraiose e a demência – Qual o significado?

Categoria(s): Cardiogeriatria, Neurologia geriátrica, Psicologia geriátrica

Dicionário

Leucoaraiose

A leucoaraiose é um distúrbio no cérebro provocado pela falta de oxigenação que tem como conseqüência graves problemas motores e cognitivos. Deixa inválidos 10% dos doentes. Seu nome vem de “leuco” em grego, que significa “branco”, e “araiós”, “estranho”.  Assim se identifica a mancha extensa, difusa, opaca e pouco identificável que caracteriza o problema em uma radiografia do cérebro.

Existem vários tipos de leucoaraiose, mas a vascular é a mais comum, caracterizada por edema (ou inchaço) cerebral provocado pela perda de líquido nos capilares sangüíneos. Suas causas em geral são hipertensão arterial e lesões ateroescleróticas da parede dos vasos, que provocam isquemia cerebral.

Pacientes apresentam lapsos mentais caracterizados por distúrbios de memória, déficits neurológicos focais (paralisia parcial de partes motoras do corpo, como dificuldade para elevar o braço, dificuldade de equilíbrio, etc), emoções lábeis, sonambulismo e pequenos AVCs (acidentes vasculares cerebrais) repetidos.

As alterações da substância branca, ou leucoaraiose, são visíveis em imagens de tomografia computadorizada (TC) como áreas de baixa atenuação (Figura acima) e em imagens de ressonância magnética (RM) como áreas de sinal de alta intensidade ponderadas em T2 e imagens FLAIR . A etiologia precisa e o significado clínico das alterações da substância branca ainda estão indeterminados.

A Encefalopatia arteriosclerótica subcortical (Doença de Binswanger) é, provavelmente, uma forma multi-infarto, com alterações arterioscleróticas induzidas pela hipertensão, em artérias penetrantes medulares longas, induzindo a lesões isquêmicas secundárias, na substância branca periventricular.

Tags: , , ,

Veja Também:

Comments (8)    







03 - abr

Ressonância magnética no diagnóstico de demência

Categoria(s): Neurologia geriátrica

Resenha

A ressonância magnética (RM) é utilizada com fonte de avaliação diagnóstica de tumores cerebrais ou infartos cerebrais causadores de casos de demência. A distribuição topográfica de áreas atróficas, alterações da substância branca e possíveis dilatações ventriculares indicam a etiologia do déficit cognitivo ou da demiencia apresentada pelo paciente.

Doença de Creutzfeldt-Jakob

Na RM a doença de Creutzfeldt-Jakobapresenta-se com intensidade aumentada ao longo da camada cortical posterior.

A doença de Creutzfeldt-Jakob é um distúrbio causado por um príon, uma partícula proteica pequena, com capacidade de se reproduzir e causar uma demência rapidamente progressiva muitos anos após o contato com pessoa doente. O príon é responsável pela “Doença da Vaca Louca” . Os parâmetros do exame do líquido cefalorraquidiano geralmente estão normais, um pequeno aumento das proteinas pode estar presente. A enolase neurônio-específica, uma enzima encontrada em neurônios e células neuroendócrinas, encontra-se bastante elevada no líquido cefalorraquidiano dos pacientes com doença de Creutzfeldt-Jakob.

A doença de Creutzfeldt-Jakob, também é conhecida como encefalopatia espongiforme por seu aspecto “buracos” no corte histológico do cérebro.

Veja – Estudo de caso: Demência súbita, doença de Creutzfeldt-Jakob

Demência vascular

Alterações na substância branca periventricular confluente representada por uma intensidade diminuída de sinal na imagem coronal e intensidade aumentada na imagem axial é típica de demência vascular.

Uma variante de demência vascular é a doença de Binswanger. A Encefalopatia arteriosclerótica subcortical (Doença de Binswanger) é, provavelmente, uma forma de demência multi-infarto, com alterações arterioscleróticas induzidas pela hipertensão, em artérias penetrantes medulares longas, induzindo a lesões isquêmicas secundárias, na substância branca periventricular. Em casos mais graves há demielinazação também da substância branca central e infartos múltiplos nos núcleos basais, tálamos, ponte e núcleos relacionados ao cerebelo, mas com envolvimento limitado do córtex.

Veja – Demência Subcortical Aterosclerótica

Hidrocefalia com pressão normal

A RM de um paciente com hidrocefalia com pressão normal apresenta dilatação dos ventrículos cerebrais. Nesses casos a demiencia melhora com colocação de uma vâlvula de drenagem liquórica.

A tríade clínica, incontinência urinária, distúrbio da marcha e déficit cognitivo é típica da hidrocefalia com pressão normal. Além disso, lentificação dos movimentos (bradicinesia) e lentificação do pensamento (bradifrenia) estão presentes nesses pacientes. Os pés do paciente parecem “grudar no chão”, como se fossem controlados por um imã (por isso a chamada “marcha magnética” ou “apráxica”).

Veja – Estudo de caso: Hidrocefalia com pressão normal

Doença de Alzheimer

O aspecto típico da doença de Alzheimer na RM é a atrofia hipocampal bilateral, assim como uma atrofia cortial difusa leve.

A doença de Alzheimer é definida clinicamente como progressiva perda das funções, cognitivas (memória) em duas ou mais áreas não associadas a outros tipos de demência, atingindo entre 10 a 15 % da população com mais de 65 anos e 50 % após os 80 anos.

Perda recente da memória e redução gradativa das atividades habituais são características marcantes do início da doença. Pequenos esquecimentos se acentuam não se recordam com clareza da conversa de ontem, erram caminhos que faziam com facilidade. Não se lembram do que comeram ontem. No início, o diagnóstico correto é muito difícil.

Veja – Doença de Alzheimer: Clínica e histopatologia

Demência frontotemporal

Os paciente com demência frontotemporal apresentam como o próprio nome diz uma atrofia hipocampal bilateral leve e uma atrofia cortical temporal e frontal mais intensa.

Em 1892 Arnold Pick descreveu a demência associada à atrofia circunscrita no lobo temporal esquerdo acompanhada de depósitos argentofílicos intranucleares (inclusões ou corpos de Pick). Na atualidade a demência frontal ou frontotemporal é constituida de varias formas demenciais. Apesar de rara, o quadro clínico da demência frontal e frontotemporal, chama atenção pelas suas caracteristicas como: distúrbios afetivos; distúrbios do comportamento; distúrbios da fala e preservação da orientação espacial e das praxias.

A instalação dessa demência se dá de forma insidiosa e progressiva. Precocemente ocorre declínio das condutas sociais interpessoais, dificuldade do controle da conduta pessoal, indiferença emocional e perda do insight.

Veja – Memória: Dúvidas a respeito

Referência:

Bennett DA, Wilson RS, Gilley DW, Fox JH – Clinical diagnosis of Binswanger’s disease. J neurol Neurosurg Psychiatry 1990;53:961-965.

Graff-Radford NR – Normal pressure hydrocephalus. The Neurologist 1999;5:194-204.

Tags: , , , ,

Veja Também:

Comments (1)    




" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "