07 - jun

Câncer de pâncreas – Insulinoma

Categoria(s): Câncer - Oncogeriatria, Emergências, Endocrinologia geriátrica, Gastroenterologia

Câncer de pâncreas – Insulinoma

 

Tumor das ilhotas de Langerhans

 Neuroendocrinos

Dentre os hormônios, o mais importante é, sem dúvida nenhuma, a insulina. A insulina é produzida pelas células beta, localizadas nas ilhotas de Langerhans, no interior do pâncreas, e tem a função de regular a quantidade de glicose existente no organismo.

 O corte histólico de um pâncreas normal (abaixo), corado pela hematoxilina-eosina (HE), mostra a região avermelhada os ácinos do pâncreas exócrino e na parte mais clara as ilhotas de Langerhans do pâncreas endócrino (produtora de insulina e glucagon). A imagem ao lado mostra o corte histólico de um insulinoma.

insulinoma

 

Os tumores das ilhotas de Langherans podem ocorrer em qualquer região do pâncreas e podem ser únicas ou múltiplas. Os dois carcinomas pancreáticos de células das ilhotas mais comuns são insulinomas e gastrinomas.

Sintomatologia

Desde as primeiras descrições da doença, em 1902, até os trabalhos mais recentes, chamam a atenção os sintomas neuropsiquiátricos, bem como a inespecificidade dos sintomas gastrointestinais. Muitas vezes os pacientes portadores de insulinoma, antes de terem diagnosticada a doença neuroendócrina, haviam sido submetidos a tratamento neuropsiquiátrico. O marco histórico no diagnóstico desta doença é a descrição da tríade de Whipple (descrita em 1935), caracterizada por sintomas neuroglicopênicos, hipoglicemia inferior a 50 mg/dL e reversão dos sintomas com a administração de glicose.

Tumores Neuroendócrinos

Gastrinomas, insulinomas, glucagonomas, somastostatinomas e VIPomas são tumores raros secretantes de hormônios que podem ocorrer no pâncreas endócrino. Eles podem ser benignos ou malignos, e o curso clínico pode ser o fator diferenciador. Freqüentemente se apresentam com as seqüelas sistêmicas do produto do hormônio secretado. Se o tumor é localizado, ressecção cirúrgica é curativa. Porém, a quimioterapia e octreotida para inibir os efeitos hormonais são geralmente necessários como terapia paliativa.

Referências:

Stark DD, Moss AA, Goldberg HI, Deveney CW, Way L. Computed tomography and nuclear magnetic resonance imaging of pancreatic islet cell tumors. Surgery 1983;94:1024-7.

Yau Lo Ch, Lam KY, Kung AWC, Lam KSLL, Tung PHM, Fan ST. Pancreatic insulinomas. A 15 year experience. Arch Surg 1997;132:926-30.

Menegaux F, Schmitt G, Mercadier M et al – Pancreatic Insulinomas. Am J Surg 1992; 165: 243-8.

 

<< Pâncreas – Unidade funcional
  Tumores pancreáticos>>

 

Tags: , , , ,

Veja Também:

Comentários    








04 - jun

Câncer de pâncreas – Glucagonoma

Categoria(s): Câncer - Oncogeriatria, Gastroenterologia

Câncer de pâncreas – Glucagonoma

 

Tumor das ilhotas de Langerhans

Neuroendocrinos

Glucagonoma é um tumor muito raro de células das ilhotas de Langerhans do pâncreas, o que leva a um excesso de hormônio glucagon no sangue.

O glucagonoma é um tumor neuroendócrino raro que causa a produção excessiva de hormônio glucagon pelas células alfa das ilhotas de Langherans. Além da superprodução de glucagon, observa-se nesta patologia a presença de aumento dos níveis de glicose sanguínea, devido à ativação de processos anabólicos e catabólicos, incluindo os processos de gliconeogênese e lipólise, respectivamente. Também ocorre um aumento de lipídios na corrente sanguínea, em consequência da lipólise (quebra de gordura). Em resultado à alta produção de glucagon, ocorre diminuição dos níveis de aminoácidos sanguíneos, anemia, diarréia e perda de peso.

Sintomas

O excesso de glucagon produz uma aumento exagerado de glicose no sangue causando sintomas semelhantes aos do diabetes mellitus descompensado, ou seja: hiperglicemia, intolerância à glicose (o organismo tem dificuldade em quebrar os açúcares), sede excessiva, micção freqüente e volumosa, boca inflamada e seca, língua saburrosa, diarréia, perda de peso não intencional, erupção cutânea no abdômen, rosto, nádegas, pés. O diagnóstico pode ser suspeitado pelo nível alto de glicemia, e confirmado com ressonância magnética do pâncreas. Na maioria dos casos, o câncer já se espalhou para o fígado, quando é feito o diagnóstico.

O tumor secretor de glucagon pelas células alfa pancreáticas podem ser associados com  eritema necrolítico migratório, diarréia, diabetes, glossite. perda de peso, má absorção, e anemia.

Tratamento

A cirurgia para remover o tumor é o tratamento preferido, pois este tipo de tumor, geralmente, não responde bem à quimioterapia. Se o tumor está localizado apenas no pâncreas e a cirurgia para removê-lo é bem-sucedida, os pacientes têm uma sobrevida de 85%, em 5 anos.

Referência:
Dal Coleto, Cassio C. et al. Eritema necrolítico migratório associado à síndrome glucagonoma: descrição de um caso. Rev. Hosp. Clin. [online]. 2001, vol.56, n.6, pp. 183-188.

<< Pâncreas – Unidade funcional
  Tumores pancreáticos>>

 

Tags: , , , , ,

Veja Também:

Comentários    








31 - maio

Câncer de pâncreas – Tumores neuroendócrinos do pâncreas

Categoria(s): Câncer - Oncogeriatria, Emergências, Endocrinologia geriátrica, Gastroenterologia

Câncer de pâncreas

 

Tumores das ilhotas de Langerhans

A maioria dos tumores encontrados no pâncreas são adenocarcinomas. O adenocarcinoma ductal representa 75% a 90% das malignidades primárias do pâncreas. É a quinta causa de morte por câncer em todo o mundo e representa 5% de todas as mortes por câncer. Tem um prognóstico extremamente ruim, com taxa de sobrevida de 5 anos, menos que 5%.

Outros tipos de tumores do pâncreas são os NeuroendocrinosTumores Neuroendócrinos,  também conhecido como o carcinoma de células das ilhotas de Langerhans, que representam apenas cinco por cento dos tumores pancreáticos.

Alguns tumores neuroendócrinos pancreáticos são funcionais, o que significa que eles produzem hormônios adicionais que podem conduzir a uma variedade de sintomas relacionados com o hormônio. (Tumores não-funcionais não produzem hormônios.)

Existem vários tipos de tumores pancreáticos neuroendócrinos funcionais.

Glucaganomas
Estes tumores podem interferir com a produção de glicose no sangue, causando uma elevação do açúcar no sangue e diabetes.

Veja – mais

Insulinomas
Este tipo de tumor produz insulina – hormônio que regula o açúcar no sangue (glicose). Insulinomas pode causar hipoglicemia, que leva a sintomas como tonturas e sensação de desmaio.

Veja – mais

Gastrinomas
Este tipo de tumor aumenta a produção de gastrina, a acidez do estômago, que ajuda na digestão e pode conduzir à formação de úlceras no estômago.

Veja – mais

VIPomas
Este tipo de tumor interrompe a produção do peptídeo intestinal vasoativo (VIP), o que ajuda a controlar a secreção e absorção de água nos intestinos. VIPomas pode causar diarréia grave.

Veja – mais

Somatostatinomas
Estes tumores perturbam a produção de uma variedade de hormônios, levando a diabetes, cálculos biliares, e uma incapacidade para digerir gorduras. Estes tumores produzem quantidades excessivas do hormônio crescimento (GHRH), o que pode levar a um crescimento repentino das mãos e dos pés (acromegalia).

 

 Steve Jobs

steve-jobs Steve Jobs morreu no dia 5 de outubro de 2011 na sequência de um câncer pancreático, contra o qual lutava desde 2004.

_______ ” O brilho de Steve, sua paixão e força foram as fontes de inúmeras inovações que enriquecem e melhoram todas as nossas vidas. O mundo é incomensuravelmente melhor por causa de Steve.”

 

<< Pâncreas – Unidade funcional
  Tumores pancreáticos>>

 

Tags: , , , , , , , ,

Veja Também:

Comentários    








28 - maio

Câncer de pâncreas – Tipos de neoplasias

Categoria(s): Câncer - Oncogeriatria, Gastroenterologia, Nutrição

Câncer de pâncreas

 

Entendendo os tipos de câncer de pâncreas

 Cancer Pancreas

 O pâncreas é composto de unidades funcionais que regulam a duas importantes processos fisiológicos: a digestão e o metabolísmo da glicose.

Pâncreas exócrino – O pâncreas exócrino consiste de células acinares e do ducto. As células acinares produzem enzimas e pró-enzimas digestivas (tripsina, amilase, lipases, endopeptidases, carboxipeptidases, fosfolipases) e constituem a maior parte do tecido pancreático. Eles estão organizados em agrupamentos, como uva, que são mais pequenos em términos do sistema de ramificação adesiva. As condutas, que adicionam muco e bicarbonato para a mistura de enzimas, formação de uma rede de tamanho crescente, culminando com ductos pancreáticos principais e acessórias que desembocam no duodeno.

Pâncreas endócrino – O pâncreas endócrino, constituído por quatro tipos de células especializadas que são organizados em ilhotas de Langherans inseridas no tecido acinar, secreta hormônios na corrente sanguínea. As células alfa produzem glucagon e as células beta secretam insulina. Esses hormônios regulam o uso de glicose no organismo. Polipéptido pancreático são produzidos no PP e a somatostatina pelas células delta-células.

Os cânceres do pâncreas evoluem silenciosamente por anos, não fazendo supor sua existência quando os sintomas são muito vagos e inespecíficos. Quando sintomas de dor em epigástrio e abdome, vômitos, emagrecimento, anorexia, adinamia e diarréias, surgem, o médico passa a investigar patologias digestivas e incluindo a ressonância magnética do pâncreas tem maior possibilidade de diagnóstico.

CEA, CA19-9 esta alterado em 90% dos casos de câncer de pâncreas.

Carcinomas

Os carcinomas de pâncreas são tumores malignos originário de células transformadas provenientes de tecidos que formam o pâncreas. O tipo mais comum de câncer no pâncreas é o adenocarcinoma ductal, responsável por 75% a 90% destes tumores. Uma minoria de tumores surgem a partir de células das ilhotas de Langerhans, e são classificados como tumores neuroendócrinos.

1. Adenocarcinoma ductal

O adenocarcinoma ductal representa 5% de todas as mortes por câncer no mundo, e seu prognóstico é bastante ruim, com taxa de sobrevida em 5 anos, menos que 5%. O adenocarcinoma pancreático é relativamente menos vascularizado que  o tecido pancreático normal. Anatomicamente o adenocarcinoma ductal caracteriza-se por ser de um tecido com cor amarelo-esbranquiçado, mal delimitado, endurecido, localizado na cabeça pancreática em 2/3 dos casos. Microscopicamente, expressa aspecto glandular/ductal. Quando invasivo apresenta variações histológicas como células em anel de sinete, adenoescamoso, ductal colóide, anaplásico, indiferenciado de células gigantes.

Tratamento – O carater da neoplasia e seu difícil acesso resulta em uma cirurgia de grande porte, onde muitas variáveis devem ser observadas pela equipe médica e paciente. Assim, o porte da cirurgia, seus riscos e complicações possíveis deverão ser explicados aos pacientes e seus familiares, assim como alternativas terapêuticas, como derivações caso a lesão seja irressecável, ou as condições clínicas não permitam cirurgia de grande porte, ou caso o paciente e familiares não concordem com a cirurgia de grande porte.

Contra indicação à ressecção cirúrgica – O tratamento cirúrgico não pode ser realizado nos casos em que o tumor tem extensão extra-pancreática; metástases hepáticas; envolvimento da veia mesentérica superior ou confluência da veia porta, e encarceramento/trombose do eixo celíaco ou artéria mesentérica. O exame de ressonância magnética permite a caracteização dessas situações.

2. Adenoma microcístico seroso

Os adenomas microcístico serosos ocorrem mais frequentemente em mulheres de meia idade e idosas (média de 62 anos). São compostos por numerosos cístos pequenos, variando de 1 a 20 mm de diâmetro, estreitamente relacionados entre si. A massa total varia de 4 a 25 cm. Geralmente, tem caráter benigno. O exame radiográfico pela ressonância magnética permite um definição de tumor maligno quando se encontram lesões metastáticas.

3. Adenoma cístico mucinoso

Os adenomas císticos mucionosos tem predominância pelo sexo feminino, com idade média de 50 anos. Tem cistos uniloculares ou multiloculares. As paredes dos cistos costumam ser espessas e podem apresentar projeções papilares. Os adenomas císticos mucinosos podem ser muito dificil de caracterizar histologicamente como benigno ou maligno

4. Ectasia ductal mucinosa

Esse tipo de tumor se manisfesta como dilatação cística dos ramos laterais do ducto pancreático principal. A dilatação do ramo lateral pode produzir o apareceimento  de cistos multiloculados.

5. Carcinoma epitelial sólido papilar

Este tipo de tumor é muito raro e com baixo potencial de malignidade, tipicamente observado em mulheres jovens. A lesão é uma massa grande, bem capsulada, que exibe  graus variados de degeneração cística e hemorrágica.

 

<< Pâncreas – Unidade funcional
  Tumores neuroendócrinos>>

 

Tags: , , , , ,

Veja Também:

Comentários    








24 - maio

Menopausa – Uso dos Fitoestrógenos

Categoria(s): Farmacologia e Farmácia, Nutrição, Plantas medicinais

Menopausa – Uso dos Fitoestrógenos

 

Orientação dietética


O controle dietético da síndrome do climatério e da menopausa tem por objetivo evitar o descontrole do sistema endócrino causado pela oscilação dos níveis hormonais dos estrógenos. Neste sentido é muito importante o uso de alimentos que contém os fitoestrógenos.

Os fitoestrógenos são compostos naturais que fazem parte de inúmeros alimentos. Existem diversos tipos de fitoestógenos, como os lignanos presentes nos cereais integrais, as isoflavonas encontradas na soja, os cumestanos, contidos na alfafa e na couve, e as lactoses do ácido resocílico, que são produzidas por alguns fungos que contaminam os cereais.

Os mais potentes fitoestógenos são: isoflavonas, genisteína, a daidzína e a gliciteína, os demais sõa considerados microestrógenos.

As dietas ricas em fitoestrógenos reduz a incidência dos sintomas do climatério, sobretudo das ondas de calores, diminui os riscos das doenças cardiovasculares por modificar o perfil lipídico, por sua função antioxidante e inibição plaquetária. Estes alimentos não trazem os riscos da terapia de reposição hormonal, principamente em relação ao câncer de mama.

Referência:

López Luenco MT Fitoestrógenos. Fitoterapia Offarm 200.vol.21(8):136-140.

Tags: , , , , , , ,

Veja Também:

Comentários    



Page 4 of 440« First...23456...102030...Last »

" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "