28 - maio
  

Câncer de pâncreas – Tipos de neoplasias

Categoria(s): Câncer - Oncogeriatria, Gastroenterologia, Nutrição




Câncer de pâncreas

 

Entendendo os tipos de câncer de pâncreas

 Cancer Pancreas

 O pâncreas é composto de unidades funcionais que regulam a duas importantes processos fisiológicos: a digestão e o metabolísmo da glicose.

Pâncreas exócrino – O pâncreas exócrino consiste de células acinares e do ducto. As células acinares produzem enzimas e pró-enzimas digestivas (tripsina, amilase, lipases, endopeptidases, carboxipeptidases, fosfolipases) e constituem a maior parte do tecido pancreático. Eles estão organizados em agrupamentos, como uva, que são mais pequenos em términos do sistema de ramificação adesiva. As condutas, que adicionam muco e bicarbonato para a mistura de enzimas, formação de uma rede de tamanho crescente, culminando com ductos pancreáticos principais e acessórias que desembocam no duodeno.

Pâncreas endócrino – O pâncreas endócrino, constituído por quatro tipos de células especializadas que são organizados em ilhotas de Langherans inseridas no tecido acinar, secreta hormônios na corrente sanguínea. As células alfa produzem glucagon e as células beta secretam insulina. Esses hormônios regulam o uso de glicose no organismo. Polipéptido pancreático são produzidos no PP e a somatostatina pelas células delta-células.

Os cânceres do pâncreas evoluem silenciosamente por anos, não fazendo supor sua existência quando os sintomas são muito vagos e inespecíficos. Quando sintomas de dor em epigástrio e abdome, vômitos, emagrecimento, anorexia, adinamia e diarréias, surgem, o médico passa a investigar patologias digestivas e incluindo a ressonância magnética do pâncreas tem maior possibilidade de diagnóstico.

CEA, CA19-9 esta alterado em 90% dos casos de câncer de pâncreas.

Carcinomas

Os carcinomas de pâncreas são tumores malignos originário de células transformadas provenientes de tecidos que formam o pâncreas. O tipo mais comum de câncer no pâncreas é o adenocarcinoma ductal, responsável por 75% a 90% destes tumores. Uma minoria de tumores surgem a partir de células das ilhotas de Langerhans, e são classificados como tumores neuroendócrinos.

1. Adenocarcinoma ductal

O adenocarcinoma ductal representa 5% de todas as mortes por câncer no mundo, e seu prognóstico é bastante ruim, com taxa de sobrevida em 5 anos, menos que 5%. O adenocarcinoma pancreático é relativamente menos vascularizado que  o tecido pancreático normal. Anatomicamente o adenocarcinoma ductal caracteriza-se por ser de um tecido com cor amarelo-esbranquiçado, mal delimitado, endurecido, localizado na cabeça pancreática em 2/3 dos casos. Microscopicamente, expressa aspecto glandular/ductal. Quando invasivo apresenta variações histológicas como células em anel de sinete, adenoescamoso, ductal colóide, anaplásico, indiferenciado de células gigantes.

Tratamento – O carater da neoplasia e seu difícil acesso resulta em uma cirurgia de grande porte, onde muitas variáveis devem ser observadas pela equipe médica e paciente. Assim, o porte da cirurgia, seus riscos e complicações possíveis deverão ser explicados aos pacientes e seus familiares, assim como alternativas terapêuticas, como derivações caso a lesão seja irressecável, ou as condições clínicas não permitam cirurgia de grande porte, ou caso o paciente e familiares não concordem com a cirurgia de grande porte.

Contra indicação à ressecção cirúrgica – O tratamento cirúrgico não pode ser realizado nos casos em que o tumor tem extensão extra-pancreática; metástases hepáticas; envolvimento da veia mesentérica superior ou confluência da veia porta, e encarceramento/trombose do eixo celíaco ou artéria mesentérica. O exame de ressonância magnética permite a caracteização dessas situações.

2. Adenoma microcístico seroso

Os adenomas microcístico serosos ocorrem mais frequentemente em mulheres de meia idade e idosas (média de 62 anos). São compostos por numerosos cístos pequenos, variando de 1 a 20 mm de diâmetro, estreitamente relacionados entre si. A massa total varia de 4 a 25 cm. Geralmente, tem caráter benigno. O exame radiográfico pela ressonância magnética permite um definição de tumor maligno quando se encontram lesões metastáticas.

3. Adenoma cístico mucinoso

Os adenomas císticos mucionosos tem predominância pelo sexo feminino, com idade média de 50 anos. Tem cistos uniloculares ou multiloculares. As paredes dos cistos costumam ser espessas e podem apresentar projeções papilares. Os adenomas císticos mucinosos podem ser muito dificil de caracterizar histologicamente como benigno ou maligno

4. Ectasia ductal mucinosa

Esse tipo de tumor se manisfesta como dilatação cística dos ramos laterais do ducto pancreático principal. A dilatação do ramo lateral pode produzir o apareceimento  de cistos multiloculados.

5. Carcinoma epitelial sólido papilar

Este tipo de tumor é muito raro e com baixo potencial de malignidade, tipicamente observado em mulheres jovens. A lesão é uma massa grande, bem capsulada, que exibe  graus variados de degeneração cística e hemorrágica.

 

<< Pâncreas – Unidade funcional
  Tumores neuroendócrinos>>

 

Tags: , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


Deixe seu comentário aqui !