11 - abr
  

Lesões de pele pré-cancerígenas – Criocirurgia

Categoria(s): Dermatologia geriátrica




Lesões de pele pré-cancerígenas


Dermatoses no idoso – parte 3

Tratamento de excelência – Criocirurgia

capeleinsituAs lesões pré-cancerígenas da pele, representam o resultado da displasia (células alteradas) dos queratinócitos (células da camada inferior da epiderme ou basal ou de outras camadas), resultando em lesões morfológicas, tipo pápulas ou placas ásperas, conhecidas clinicamente como “queratoses “ Figura A.

Tratamento

 O tratamento de escolha ou padrão ouro, nestes casos ou até em casos de carcinoma espinocelular (CEC) in situ localizado de até 1,0 cm, é a criocirugia ou seja a destruição por aplicação de nitrogênio liquido. O importante é o tempo de congelamento da lesão (60 segundos ou para mais ou para menos) e a experiência do especialista executante.

Observem as imagens da evolução da lesão pós aplicação (que causam um processo inflamatório, até com bolha) e após 10 a 15 dias, há a formação de crosta, que se desprende naturalmente nos banhos e a completa restitutio ad integrum ( a normalidade) da pele.

crioterapia

Modo de ação da terapêutica

A criocirugia age através da introdução de cristais de gelo dentro das células alteradas da pele, causando a apoptose ou morte das mesmas. Melhor dezendo, atua só por ação ou princípio físico ou seja destruição pelo frio (180 graus celsius negativo).

Contra-indicação

Não há nenhuma contra-indicação; não há perigo de reações alérgicas e nem necessidade de anestesia local (apenas leve dor ou incômodo local, perfeitamente suportável). Só nos casos em que se exige a aplicação por 2 minutos, é que faz-se necessário a infiltração de anestésico local.

Imagem A –  Lesão pré-câncer de pele, úlcerada e sangrante na região dorsal do paciente.
Imagem B  –  Após aplicação do nitrogênio líquido, com inflamação e formação de bolha.
Imagem C  – Após 10 dias completa involução da lesão com cura clínica.

Concluindo, a criocirugia é realmente um grande método de eleição para cura das “queratoses”; a realizamos quase diariamente na clínica privada e com excelentes resultados de cura, daí considerarmos tratamento “padrão ouro”.

Referências:

– Sampaio & Rivitti – Dermatologia , 3ª Edição. Artes Médicas.
– Dermatologia de Fitzpatrick – 6ª Edição . Artmed.
– Anais Brasileiros de Dermatologia, vol. 70, nº 6

Colaborador : Dr Edilson Pinheiro do Egito *


* Médico Dermatologista

Tags: , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


Deixe seu comentário aqui !