25 - out
  

Timoma – Tumor do mediastino

Categoria(s): Câncer - Oncogeriatria, Fonoaudiologia, Imunologia, Pneumologia geriátrica




Timoma

Timomas são as neoplasias da região do mediastino (um espaço virtual compreendido entre os dois pulmões, delimitado pela pleura sobre os hilos pulmonares) mais comums em adultos, representando cerca de 20% de todas as neoplasias do mediastino. A maioria dos pacientes tem entre 40 e 60 anos. Em geral se apresentam como tumores lobulados e bem encapsulados, centrados na loja tímica, mesmo quando muito volumosos. Diferente de outras neoplasias, o diagnóstico de malignidade não é dado pela histologia e sim pelas características de invasão da cápsula e das estruturas próximas.

Timoma é um termo que designa apenas os tumores derivados do epitélio tímico, com alteração neoplásicas dessas células epiteliais (figura). Os timomas também contem linfócitos, mas como esses não apresentam alterações neoplásicas, não são considerados células tumorais. A proporção entre as células epiteliais e linfócitos pode variar de caso para caso, ou em diferentes partes de um mesmo tumor.

Os tumores tímicos com características histológicas malignas são classificados como carcinomas tímicos e não timomas. O timoma só é considerado maligno quando ultrapassa a barreira da cápsula, tornando-se microscopicamente ou macroscopicamente invasivo, mesmo mantendo características histológicas sem sinais de malignidades como, células com núcleos grandes, mitoses frequentes, células com tamanhos variados e núcleos hipercorados.

Sintomatologia – Em metade dos casos de timomas os pacientes não apresentam sintomas e constitui achados incidentais em exames radiológicos, como ilustrado pela figura acima (seta). Os pacientes sintomáticos podem referir queixas vagas relacionadas ao efeito de massa ou compressão como tosse, falta de ar e desconforto torácico, ou sinais de invasão como paralisia do músculo diafragma por comprometimento do nervo frênico, rouquidão por acometimento do nervo recorrente, falta de ar relacionada a derrame pleural ou síndrome de veia cava superior.

Os timomas podem estar associados a doenças sistêmicas e auto-imunes, provocadas pela regulação anormal de linfócitos ou secundários a reação cruzada de anticorpos timoma-associados com proteínas de outros tecidos. A Miastenia gravis é a doença auto-imune mais associada às doenças do timo, acometendo simultaneamente entre 30 a 65% dos portadores do timoma. Por outro lado de 10 a 15% dos pacientes com miastenia gravis têm timoma. Cerca de 30% dos pacientes com timoma podem apresentar alterações imunológicas que não a miastenia gravis, como aplasia de células vermelhas, lúpus eritematoso sistêmico e hipogamaglobulinemia.

Outras doenças do mediastino :
Linfomas
Tumores da linhagem germinativa
Bócio tireoideano mergulhante
Adenomas de paratireóide
Cistos tímicos

Tratamento
A ressecção cirúrgica é tratamento de escolha para os pacientes portadores de timoma, e a ressecção completa, mesmo nos casos de lesão extensa e invasiva é um fator determinante na sobrevida desses pacientes. Em casos de grande tumor mediastinal, o tratamento oncológico multidisciplinar é o mais apropriado, com indicação de radioterapia e quimioterapia, associada a ressecção cirúrgica da maior parate possível do tumor, o ftor limitante são as estruturas nobres do local, com veia cava superior e nervos.

Referências:

Morgenthaler TI, Brown LR, Colby TV, et al. Thymoma. Mayo Clin Proc 1993;68:1110-1123.
Souadjian JV, Enriquez P, Silverstein MN, et al. The spectrum of diseases associated with thymoma: coincidence or síndrome? Arch Intern Med 1974;134:374-379.
Pego-Fernandes PM, Ebaid GX, Galizia MS, et al. Timoma: discussão sobre tratmento e prognóstico. J Pneumol 2001; 27:289-294.

Tags: , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


2 Comentários »

  1. ana melo comenta:

    25 novembro, 2013 @ 11:17 PM

    fui portadora do timoma B1, graças a Deus hoje estou bem …fiz uma cirúrgica abençoada por Deus e ao Dr.Daniel Bomomi e sua equipe no hospital Barrero_Vitallis/BH-MG já se faz 02 anos faço controle e sigo os cuidados voltei minha vida ativa com algumas restrições mas estou bem! deixo o meu recado a todos no caso do timoma não brinquem e nem demore a se tratar quanto mais cedo cuidar melhor sera o resultado e principalmente Fé em Deus e siga também passo a passo o que seu medico disser, associar Deus+cirurgião torácico e sua equipe+oncologista e radioterapeutico+nutricionista+psicólogo=
    uma boa recuperação, um ótimo resultado.bjs a todos e fiquem com Deus.

    Ana Beatriz G.L.de Melo-Ipatinga/MG

  2. Marailce Lopes Luiz de Freitas comenta:

    23 agosto, 2014 @ 11:42 PM

    Fui portadora do Timoma,no ano de 2010 comecei meu tratamento na cidade de Foz do Iguaçu-Pr com Neurologista Dr Marcos Roble.. Foi muita luta…orações..Deus em primeiro plano…No dia 01/02/2011 No Hospital Costa Cavalcante..fui submetida a TImectomia.Com o Dr Paulo Henrique Dondoni..Esses dois medicos guiado por Deus e sua equipe..consegui vencer..Depois da Cirurgia seguia meu tratamento com o Neuro Dr Marcos Roble..ele veu a falescer..interrompendo meu tratamento…HOJE MORO NO ESTADO DO PARÁ uma região muito quente…mais venho lutando muito..Pois a minha luta é muito grande ea minha vontade de viver é maior ainda..Pois não podemos nunca perder a esperança..Desejo que todos que tiver algo parecido.. tenha a mesma sorte que tive de encontrar medicos tão especiais..Boa sorte! Que Deus ilumine a todos! Novo Progresso-Pa.Marailce Lopes Luiz de Freitas

Deixe seu comentário aqui !