05 - set
  

Dor Lombar – Hernia de disco lombar

Categoria(s): Fisioterapia, Ortopedia geriátrica, Reumatologia geriátrica




Dor Lombar – Como tratar hernia de disco lombar

Dor lombar é a segunda causa mais freqüente da incapacidade perdendo apenas para dores de cabeça. A dor lombar também conhecida como lombalgia ou lombociatalgia (porque acomete o nervo ciático). A maior parte deste distúrbio doloroso não é tratada por especialistas como reumatologistas, ortopedistas e apenas em 15% dos casos os diagnósticos estão corretos. “O que acontece geralmente é a auto-medicação que pode ter como principal consequência o mascaramento de alguma doença mais grave.”

Os discos vertebrais constituem cerca de 1/4 do comprimento da coluna vertebral. Cada disco é constituido por um disco fibroso periférico composto por tecido fibrocartilaginoso, chamado anel fibroso; e uma substância interna, elástica e macia, chamada núcleo pulposo. Os discos formam fortes articulações, permitem vários movimentos da coluna vertebral e absorvem os impactos.

Hernia de disco intervertebral – A base anatomopatológica da degeneração do disco intervertebral envolve a diminuição da porcentagem de água, proteoglicanos, e da resistência do ânulo fibroso e do núcleo pulposo. O rompimento do ânulo fibroso leva à formação da hérnia lombar, que pode ser contida, não contida, extrusa subligamentar ou transligamentar e seqüestrada. O processo inflamatório e o fragmento do disco intervertebral adjacente à raiz nervosa lombar resultam em lombociatalgia, que piora ao sentar ou após tosse, distribuída pelo dermátomo correspondente à raiz nervosa, sinal de Laseguè positivo – ou após a elevação da perna estendida – e, em alguns casos, com paresia ou plegia do músculo correspondente à raiz nervosa do nível neurológico comprometido.

Diagnóstico

Avaliação física – Na avaliação físic é muito importante a inspeção estática da coluna permite a visualização do alinhamento da coluna vertebral no plano ântero-posterior e lateral para detecção de possíveis cifoses, lordoses ou escolioses, que podem acentuar-se com a flexão anterior da coluna; e palpação da musculatura paravertebral nas posições ortostática e decúbito ventral podem revelar contraturas musculares, pontos dolorosos (tender points) ou pontos gatilhos (trigger points). Assim, como a inspeção da marcha pode demonstrar assimetria de comprimento de membros inferiores, enquanto a marcha na ponta dos pés e nos calcanhares testa a força da musculatura correspondente as raízes nervosas L5 e S1.

Manobras de avaliação da compressão das raizes nervosas –  Sinal de Laségue – Com o paciente em decúbito dorsal é realizado o teste de elevação dos membros inferiores pelos calcanhares com os joelhos estendidos, que provoca dor a determinado ângulo nas síndromes compressivas radiculares de L5 e S1. Teste de Ely – Com o paciente em decúbito ventral é realizado o teste de estiramento do nervo femoral , em que o joelho é flexionado com o quadril hiperestendido, provocando dor na presença das síndromes compressivas radiculares de L3 e L4.

A tomografia computadorizada é importante no diagnóstico das algias vertebrais de causas mecânicas ou degenerativas, como a estenose do canal vertebral, espondiloartrose, espondilolistese ou hérnias discais.

Tratamento – O tratamento das lombalgias pode envolver medidas gerais, recursos medicamentosos, fisiátricos e procedimentos intervencionistas ou cirúrgicos. Os melhores resultados no tratamento das lombalgias são obtidos por equipes médicas multidisciplinares (reumatologista, ortopedista, fisiatra, neurocirurgião etc.), associadas às equipes multiprofissionais de saúde (enfermeira, fisioterapeuta, educador físico, terapeuta ocupacional, psicólogo, assistente social, nutricionista etc.). Dessa interação multidisciplinar e multiprofissional surgiram as chamadas escolas de coluna, que se constituem em potenciais recursos educativos e preventivos nas lombalgias crônicas, principalmente quando realizadas no respectivo local de trabalho.

Assista o vídeo que ilustra o tratamento cirúrgico da hernia lombar.

Disco intervertebalTratamento cirúrgico – São cada vez mais raras as indicações cirúrgicas para os pacientes portadores de lombociatalgia ou ciatalgia. Somente a síndrome da cauda eqüina, independente da sua causa, se constitui em uma indicação cirúrgica de urgência.

A grande maioria dos pacientes com hérnia de disco da coluna lombar apresenta indicações relativas para qualquer forma de tratamento cirúrgico, como discectomia clássica, a microdiscectomia e a discectomia endoscópica minimamente invasiva. O resultado funcional a médio e longo prazo mostra que não existe diferença entre a microdiscectomia e a discectomia clássica posterior em relação à queixa de ciatalgia. Observa-se diferença quanto ao sangramento, tempo de hospitalização e lombalgia pósoperatória em favor da microdiscectomia, que podem não ter  relevância clínica para o paciente a médio e a longo prazo. A técnica minimamente invasiva percutânea endoscópica e a microdiscectomia levam a resultados similares
do ponto de vista funcional e da qualidade de vida do paciente. A técnica percutânea, contudo, envolve treinamento especial e tempo de aprendizado maior do cirurgião.

A cirurgia do paciente portador de lombociatalgia por hérnia discal lombar estaria indicada quando ocorresse:

1. Síndrome da cauda eqüina com alteração de esfíncter, potência sexual e paresia crural distal;
2. Déficit neurológico sensitivo e/ou motor grave e agudo, ou seja, com menos de três semanas, acompanhado ou não de dor;
3. Lombociatalgia que não melhora após três meses de tratamento conservador ou lombociatalgia hiperálgica que não melhora após três semanas de tratamento conservador, quando acompanhadas de significante incapacidade funcional;
4. Crises recidivantes de lombociatalgia com intensidade e freqüência que causem incapacidade para o trabalho.

Referências:

Meirelles ES, Pereira RMR, Mendonça LLF. Como diagnosticar e tratar dor lombar. Rev Bras Med; 1987; 44 (Edição especial):99-110.

Meirelles ES, Mendonça LLF. Dor lombar. Rev Bras Clín Terap; 1988; 6:171-6.

Tags: , , , , , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


1 Comentário »

  1. Fisio-M comenta:

    7 setembro, 2012 @ 11:32 PM

    Hérnia de Disco, nós tratamos sem cirurgia!!!
    http://www.colunasemdor.com.br

Deixe seu comentário aqui !