18 - ago
  

Erupção cutânea – Líquen plano

Categoria(s): Dermatologia geriátrica, Doença de causa desconhecida, Inflamação




Doenças raras

O Líquen Plano é uma doença inflamatória e pruriginosa, que pode afetar pele, mucosas, unhas e cabelos. Sua etiologia desconhecida, e foi descrita pela primeira vez por Erasmus Wilson em 1869. A maior incidência é na vida adulta entre 65 e 74. As lesões em pele têm sido classificadas como pápulas poligonais pruríticas e purpúreas. Elas normalmente afetam as superfícies do flexor das extremidades. Escoriações podem não estar visíveis, apesar do fato de que as lesões dão uma sensação de irritação, pois doem quando o paciente coça. O exame cuidadoso da superfície das pápulas de pele revela uma fina rede em forma de laço de linhas brancas (estrias de Wickham). Outros locais de envolvimento  incluem as unhas, couro cabeludo, glande peniana e mucosa esofágica. Uma área importante de manifestação do líquen plano é a região oral com características peculiares (veja a página sobre líquen plano oral).

Apesar da causa não ser conhecida, sabe-se que é complexa e multifatorial. Alguns fatores podem estar associados: deficiência de G6PD (glicose-6-fosfato-desidrogenase); infecções virais (vírus B e C); traumas emocionais graves e doenças autoimunes. Há evidências de que modificações nos ceratinócitos basais desencadeiam resposta imune com recrutamento e ativação de linfócitos T5. Isso parece contribuir com as características inflamatórias da doença. Em muitos casos, essa condição é exacerbada ou até mesmo provocada por algumas drogas como: tetraciclina, ouro, arsênico, estreptomicina e ácido paraminosalicílico.

Diagnóstico – A suspeita clínica é confirmada pela histopatologia. Os achados característicos são: hiperceratose com graus variados de acantose em dente de serra, vacuolização celular, destruição da interface epitélio-tecidoconjuntivo, com intenso infiltrado inflamatório em faixa na lâmina própria paralela à superfície. Também podem ser encontrados corpos de Civatte na camada basal ou no infiltrado inflamatório, que correspondem a ceratinócitos degenerados (figua). O diagnóstico diferencial do LP inclui: líquen nítido, acrodermatite papulosa da infância, pitiríase liquenoide e molusco contagioso. Além de outras dermatoses lineares como: nevo epidérmico verrucoso linear, líquen estriado, poroceratose linear e erupção liquenoide a drogas.

Tratamento – O tratamento é feito com anti-histamínico oral e corticoide tópico. Para casos de acometimento extenso esteroides orais podem ser usados nas doses de 1 a 2 mg/kg/dia e os efeitos colaterais devem ser observados cuidadosamente. Nas crianças pode-se utilizar no tratamento a Dapsona, griseofulvina e psoraleno e radiação ultravioleta A (Puva) .

Referência:

Cribier B, Frances C, Chosidow O. Treatment of lichen planus. An evidencebased medicine analysis of efficacy. Arch Dermatol 1998;134(12):1521-31.

Tags: ,




Comentário integrado ao Facebook:


1 Comentário »

  1. Moacyr da Silva Rocha comenta:

    19 março, 2013 @ 8:40 PM

    Apareceu em meu tornozelo, duas pequenas manchas vermelhas(rosas) saliente na pele com um biquinho, um pontinho no centro, doia para coçar, fiz biópsia,(o cirurgião tirou as duas manchas) resultado líquen plano.Gostaria de saber se no meu caso pode sair em outra parte do corpo?

Deixe seu comentário aqui !