30 - jun
  

Doença Sexualmente Transmitida – Proctite

Categoria(s): Gastroenterologia, Infectologia, Sexualidade e DST




Doença venérea – Proctite

A proctite é a inflamação do revestimento interno do reto (mucosa retal). Na proctite ulcerativa, uma forma comum de proctite, ocorre a formação de úlceras no revestimento retal inflamado. O distúrbio pode afetar 2,5 a 10 cm da porção inferior do reto. Alguns casos respondem prontamente ao tratamento, enquanto outros persistem ou recorrem, exigindo um tratamento prolongado. Alguns casos acabam evoluindo para uma colite ulcerativa. A proctite, a qual vem se tornando cada vez mais comum, possui várias causas, podendo ser  também  resultante de uma doença sexualmente transmitida, especialmente nos homossexuais masculinos (p.ex.  Infecção por Gonococos, Tricomona, Chlamydia, Herpes simples ou por Citomegalovírus).

Sintomatologia – Tipicamente, a proctite causa um sangramento indolor ou a eliminação de muco através do reto. Quando a causa é a blenorragia, o herpes simples ou o citomegalovírus, o ânus e o reto podem ser intensamente dolorosos.

Diagnóstico – Para estabelecer o diagnóstico, o médico proctologista examina o interior do reto com o auxílio de um proctoscópio ou de um sigmoidoscópio e coleta uma amostra de tecido do revestimento interno do reto para exame. O laboratório pode identificar bactérias, fungos ou vírus que podem estar causando a proctite. O médico também pode examinar outras áreas do intestino utilizando um colonoscópio ou estudos radiográficos contrastados com bário.

Tratamento – No tratamento da proctite são utilizados antibióticos, pois a proctite é causada por uma infecção bacteriana específica. Quando a doença é causada pelo uso de um antibiótico que destrói as bactérias intestinais normais, o metronidazol ou a vancomicina deve destruir as bactérias nocivas que substituíram as normais. Quando a causa é a radioterapia ou quando sua causa é desconhecida, o alívio pode ser obtido com a administração de um corticosteróide (p.ex., hidrocortisona) e de mesalamina, um outro medicamento antiinflamatório.

Esses dois medicamentos podem ser administrados sob a forma de enema ou de supositório. A cortisona, um tipo de corticosteróide, encontra-se disponível sob a forma de uma espuma que pode ser introduzida no reto com o auxílio de uma seringa especial. Concomitantemente, a sulfasalazina ou uma droga similar pode ser administrada pela via oral. Quando esses tipos de terapia não reduzem a inflamação, a administração de corticosteróides pela via oral pode ser útil.

Qualquer pessoa com um comprometimento do sistema imune também apresenta maior risco de proctite, especialmente devido a infecções causadas pelo vírus do herpes simples ou pelo citomegalovírus. A proctite pode ser causada por uma bactéria específica (p.ex., Salmonella) ou pelo uso de um antibiótico que destrói as bactérias intestinais normais, permitindo que outras bactérias crescam em seu lugar. Outras causas de proctite são a radioterapia sobre o reto ou em suas adjacências, Doença de Crohn e colite ulcerativa.

Referências:
Belda Jr W, Siqueira LFG. Cancro Mole. In: Doenças sexualmente transmissíveis. Belda Jr W, ed. São Paulo: Atheneu; 1999. p.47-51
Olmos L, Vázquez JA. Infecciones gonocócicas. In: Vilata JJ, ed. Enfermedades de transmission sexual. Barcelona: JR Prous Editores; 1993.

Tags: , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


Deixe seu comentário aqui !