Arquivo de 16/jun/2012





16 - jun

Visão – Projeto Olhar Brasil

Categoria(s): Gerontologia, Oftalmologia geriátrica, Programa de saúde pública, Sociologia, Terapeuta ocupacional

Notícias – Projeto Olhar Brasil

São conhecidos os altos percentuais de problemas oftalmológicos que afetam a população brasileira e a desigual distribuição dos recursos humanos e financeiros para a sua abordagem. Os problemas visuais respondem  por grandes limitações na qualidade de vida, mesmo quando não se trata ainda de cegueira.

Os dados epidemiológicos disponíveis para o Brasil mostram que 100% dos adultos com mais de 40 anos apresentam problemas de refração que interferem em seu desempenho diário e, conseqüentemente na sua auto-estima, na sua inserção social e em sua qualidade de vida.

A estatística mundial de prevalência de miopia e astigmatismo estima que 30% dos indivíduos com menos de 40 anos de idade necessitam ou necessitarão de óculos, além de parte dos casos de hipermetropia. Após os 40 anos de idade 100% da população mundial apresentam o processo de vista cansada ou presbiopia, interferindo na visão para perto, com conseqüente piora da leitura, escrita e outras atividades que exijam boa visão a curta distância.

Alguns problemas simples e que não são considerados com a ênfase devida podem responder por dificuldades na desejável inclusão social de pessoas com problemas visuais. É o caso dos erros de refração, na maioria das vezes passíveis de solução através do uso de óculos.

Buscando dar respostas a esses problemas e, reconhecendo as dificuldades de acesso da população brasileira não só à consulta oftalmológica, mas também à aquisição dos óculos, os Ministérios da Saúde e da Educação lançaram o Projeto Olhar Brasil, através da Portaria Interministerial nº. 15 de 24 de abril de 2007.

Referência:

Tags: , ,

Veja Também:

Comentários    







16 - jun

Lesões da pálpebra – Entrópio

Categoria(s): Oftalmologia geriátrica

Lesões oculares

Entrópios
Entrópio é uma condição caracterizada pela inversão da margem palpebral inferior (Figura) ou superior, ficando os cílios  em contato com a conjuntiva ocular causando irritação e lacrimejamento nos olhos. Os entrópios são classificados nas seguintes formas clínicas:
a) congênito, b) espástico, c) senil ou involutivo, d) cicatricial e e) mecânico.

O entrópio congênito é bastante raro.  O entrópio espástico
acomete os adultos, sendo, caracteristicamente, transitório e recorrente. O entrópio senil é um dos mais comuns. Na sua etiologia, imbricam-se, em graus variáveis, três fatores: frouxidão ligamentar, atenuação ou desinserção dos retratores e hiperação do orbicular pré-septal. O entrópio cicatricial pode acometer tanto a pálpebra superior como a inferior, a grande maioria dos casos de entrópio cicatricial é de origem tracomatosa.  Finalmente, o exemplo típico de entrópio mecânico é dado pela má adaptação de próteses oculares que provocam a inversão da margem.

Tratamento – O tratamento da maioria das formas de entrópio é cirúrgico.

Tags: ,

Veja Também:

Comentários    




" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "