10 - dez
  

Lesão pré-cancerosa – Metaplasia intestinal

Categoria(s): Câncer - Oncogeriatria, Gastroenterologia




Lesão pré-cancerosa – Metaplasia intestinal

Célula Cancerosa – Uma célula normal pode sofrer alterações no ácido desoxirribonucleico (DNA) contido no núcleo. É o que chama-se mutação genética. É através do DNA que os cromossomas passam as informações para o funcionamento da célula. Assim, as células cujo material genético foi alterado passam a receber instruções erradas para as suas atividades. As alterações podem ocorrer em genes especiais, denominados protooncogenes, que a princípio são inativos em células normais. Quando ativados, os proto-oncogenes transformam-se em oncogenes, responsáveis pela malignização (cancerização) das células normais. Essas células diferentes são denominadas cancerosas. As células cancerosas são estruturalmente e funcionalmente anomalas, crescendo de forma desordena e de forma extremamente rápida, sem nenhum controle. Quando estudamos um tecido canceroso observamos que os núcleos das células são grandes e hipercorados ( seta A) em constante divisão celular(seta B) e com muitos núcleos (seta C). Totalmente diferente do tecido normal. A medicina estuda a muitos anos o comportamento das células cancerosas e procura determinar quando as células normais passaram a agir como célula cancerosa, são as chamadas lesões pré-cancerosas. Este fato é muito importante pois quando o tratamento é realizado nesta fase a cura para o câncer é muito mais eficaz e menos traumática para a pessoa. Dentre as lesões que podem evoluir para uma câncer a metaplasia intestinal que ocorre no estômago é uma das mais estudadas.

A Metaplasia intestinal é um processo caracterizado pela presença de epitélio com características morfológicas e bioquímicas do epitélio intestinal em uma região do estômago. A metaplasia intestinal é comum na mucosa gástrica e quase sempre consequência de uma gastrite crônica. Trata-se de uma doença com características diversas, apresentando vários padrões de diferenciação e maturação das glândulas metaplásicas, o que permite subclassificá-la de acordo com características morfológicas, bioquímicas e enzimáticas. Dentre as várias classificações, a que divide a metaplasia intestinal em tipos completo e incompleto, consoante ocorra “mudança” por completo do epitélio gástrico por epitélio intestinal ou a coexistencia das lesões características é das mais utilizadas.

Diversos estudos têm demonstrado uma relação etiopatogênica da metaplasia intestinal com o carcinoma gástrico e a do tipo incompleta parece estar mais ligada à morfogênese do câncer gástrico, constituindo uma lesão de risco. Porém, ainda o papel da metaplasia intestinal como lesão pré-cancerosa gástrica não está completamente esclarecido.

Referência:

Filipe, M.I. et al. Intestinal metaplasia types and the risk of gastric cancer: a cohort study in Slovenia. Int. J. Cancer, 57: 324-9, 1994.

Tags: , , , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


11 Comentários »

  1. jurani de souza comenta:

    18 agosto, 2013 @ 4:41 PM

    gostaria de saber mais o significa gastrite cronica leve com sinais indicativos e metaplasia intestinal completa focal quais o tratamento obrigado

  2. elis comenta:

    25 janeiro, 2014 @ 1:32 PM

    Fiz uma endoscopia: resultado gatrite crônica com metaplasia intestinal acentuada. Como uma célula gástrica se transforma em uma célula do intestino? Metraplasia acentuada??? me oriente por fvor.

  3. Gemma Galgani comenta:

    8 fevereiro, 2014 @ 12:46 PM

    gastrite cronica leve com metaplasia intestinal focal tem cura,o tratamento é doloroso?Obrigada.

  4. Maria da Conceição Peleteiro Marinho comenta:

    21 fevereiro, 2014 @ 9:16 AM

    Bom Dia,

    Realizei uma endoscópia digestivo alta, a concluão foi metaplasia intestinal. Gostaria de saber se tem cura.

  5. vanda comenta:

    6 março, 2014 @ 6:46 PM

    gostaria de saber o que significa gastrite cronica e metaplasia intestinal 2grau?

  6. angela comenta:

    2 abril, 2014 @ 1:54 PM

    Boa tarde ,tenho hpylori +3 e metaplazia intestinal incompleta ,tem vários casos de cancer na família (GARGANTA ,OUVIDO BOCA)corro risco de desenvolver cancer??aguardo resposta

  7. Pedro de Almeisa comenta:

    3 julho, 2014 @ 9:47 PM

    Tenho 76 anos, portador de enfizema Pulmonar em estado avançado com fibrose, e tambem gastrite. Quero saber como conciliar o meu dia-a-dia carregando essas enfermidades, que ora, me assusta.

  8. raimunda comenta:

    29 julho, 2014 @ 9:19 PM

    Deveria haver um bom esclarecimento nas interpretaçao nos exames de laboratorios,radiologicos toda inflamaçao no inicio tem cura,deveria ser um esclarecimento por escrito e o medico encaminhando para os procedimentos,outra existem locais que fazem exames de raiox qu a entra do exame é so com 30 dias haja vista ha carencia de radiologista medico p/dar a conclusao,PENSA!se uma pessoa tem,cancer para tratar??????esse descaso precisa mudar,o diagnostico alguns medicos nao se preocupam c/os diagnosticos,se tiver algum medico online tire minha duvida o que significa?METAPLASIA INTESTINAL????

  9. GERALDO CÉSAR NOLASCO DAS NEVES comenta:

    15 agosto, 2014 @ 9:35 AM

    Bom dia! Meu nome é GERALDO CÉSAR NOLASCO DAS NEVES, tenho 46 anos e tenho alguns problemas de saúde. Estou com um quadro de artrite reumatoide e artrose há mais de 08 anos. Faço tratamento para essas doenças desde então, com os medicamentos: Tecnomet, Reuquinol, Tenoxican, Glicosamina, reposição de vitamina D, omeprazol e um medicamento biológico HUMIRA. Este último, tomo há uns dois anos. Comecei a me sentir mal. Estômago pesado, mal digestão e alguns desconfortos estomacaism como refluxo. Suspendir a medicação por conta própria ha uns 9 meses, com excessão do HUMIRA, e fiz uma endoscopía. Tive como resultado: Gastrite Crônica, Edema no estômago, vasocongestão, metaplasia tipo I, H pylori. O meu médico passou um tratamento, á base de antibióticos, por 7 dias e omeprazol por mais 28. Já tem 15 dias q terminei o tratamento e continuo a sentir os mesmos sintomas. Perguntei ao médico se faria outra endoscopias após o tratamento, ele me disse que não era preciso. To muito preocupado. Pois essa metaplasia pode evoluir para um câncer. O que eu faço? Qual a alimentação que pode melhor me auxiliar no combate a este problema?

  10. Denize comenta:

    1 setembro, 2014 @ 8:36 PM

    Boa noite! Hoje levei o resultado da endoscopia/biópsia para minha gastro e ela me disse para não me apavorar que há tratamento para metaplasia…me passou alguns remédios..e repetirei o exame daqui 2 meses…Ela não falou da dieta, mas com certeza ajuda muito. E confiar em Deus!

  11. Denize comenta:

    1 setembro, 2014 @ 8:39 PM

    Agora o que estou procurando aqui na Internet, são mais informações a respeito de “dilatação cística eventual da luz” que também foi resultado do meu exame e ainda não entendi o que é..

Deixe seu comentário aqui !