13 - maio
  

Dor crônica – Dor neuropática: Distrofia simpaticorreflexa

Categoria(s): Doença de causa desconhecida, Enfermagem, Fisioterapia, Neurologia geriátrica




dor

Dor crônica – Dor neuropática: Distrofia simpaticorreflexa

 

A dor neuropática é freqüentemente intrigante e frustante, tanto para os pacientes como para os médicos. A distrofia simpaticorreflexa apresenta-se com dor, adodínea, hiperalgesia e hiperestesia associadas a alterações da vasoatividade e da sudorese e de lesões tróficas em uma determina parte do corpo. A distrofia simpaticorreflexa pode ser causada por lesões acidentais, iatrogenia cirúrgica e doenças ocupacionais. A dor aparece semanas ou meses após a lesão desencadeante e torna-se mais intensa com o passar do tempo. Não é causada por lesão nervosa marcante e há uma grande desproporção entre o que o paciente sente e o que se apresenta de lesão. A dor não ocorre nas áreas de segmentação do nervo (metâmero) e tende a migrar em direção ao tronco, atingindo todo o membro ou quadrante do corpo.

  • Evolui segundo três fases.
  • 1. Primeiro estágio ou fase aguda – manifesta-se dias ou semanas após a lesão e dura até seis meses. Caracteriza-se pela ocorrência da dor, edema e anormalidades neurovegetativas e anormalidades tróficas, como perda de pêlos no local.
  • 2. Segundo estágio ou fase distrófica – inicia-se de 3 a 6 meses após a lesão e tem as mesmas característica da fase anterior, porém mais pronunciada.
  • 3. Terceiro estágio ou fase atrófica – esta fase é marcada por intensa atrofia dos tecidos, a dor é menos intensa, as anormalidades psíquicas e emocionais são marcantes.

Tags: , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


2 Comments »

  1. Claudia Konte comenta:

    2 junho, 2013 @ 3:02 PM

    Operei três neuromas de morton, dois no pé esquerdo e um no direito. Minha vida acabou, já tomei todas as medicações e li nesse site que existe uma pomada que pode amenizar a dor neuropática, (provocada pela lesão dos nervos na cirurgia).^

    Em alguns casos o uso tópico de creme de capsaicina (ingrediente picante da pimenta-malaqueta) promove a libração local de substância P do C-PMN e, se usada 3 a 4 vezes ao dia, pode suprimir a substância P e limitar a transmissão dolorosa.

    Como posso entrar em contato com vcs e obter essa pomada, pois até implante de eletrodos na medula eu já fiz sem resultado. Muito obrigaqda Claudia Konte

  2. Vanilda Nascimento comenta:

    24 janeiro, 2015 @ 3:57 PM

    como e onde posso adquirir essse creme de capsaina.
    obrigada
    vanilda

Deixe seu comentário aqui !