05 - set
  

Cirrose Hepática – Encefalopatia Hepática

Categoria(s): Caso clínico, Emergências, Gastroenterologia, Neurologia geriátrica




Interpretação clínica: Encefalopatia Hepática

  • Padreiro de 45 anos. com alcoolismo crônico,  apresenta quadro de confusão na última semana. Nega traumatismo, apesar de ter ingerido grande quantidade de álcool no final de semana.
  • Ao exame físico a temperatura de 37ºC, pulso radial de 100 bpm, respiração ofegante com 24 incursões por minuto e pressão arterial de 100/55 mmHg. Icterícia, aranhas vasculares e ascite presentes. Não há asterixe. Ao exame neurológico desta-se apraxia constitucional e desorientação temporoespacial.
  • Exames laboratoriais – Hemograma normal; aspartato aminotransferase sérica de 82 U/l; amônia sérica de 92 µd/dl; sódio de 126 mEq/l. TC do cérebro sem contraste mostrou atrofia generalizada.

Qual o possível diagnóstico e conduta?

O paciente apresenta a forma típica da encefalopatia hepática, com a apraxia constitucional, asterixis e hiperamonemia. A fisiopatologia exata da encefalopatia hepática é desconhecida, mas os pacientes respondem a medidas que conduzem à redução da hiperamonemia, como restrição de proteínas na dieta e administração de lactulose.

Este quadro pode se desencadeado por sangramento gastrointestinal e sua presença deve ser afastada com um endoscopia digestiva alta.

No paciente alcoólata, geralmente, malnutrido, deve-se administrar tiamina, para evitar a precipitação de uma encefalopatia de Wernicke. Uma solução salina hipertônica não deve ser administrada a pacientes com doença hepática crônica e hiponatremia devido ao risco de mielinóse pontina central nesses pacientes.

Encefalopatia hepática

Quando ocorre a encefalopatia hepática, observamos progressiva lentificação da atividade neuronal. Nos últimos anos várias teorias procuraram explicar esse processo: deficiência de substâncias neuroestimuladoras (uréia, falsos neurotransmissores); excesso de substâncias depressoras da atividade cerebral (teoria do GABA). No entanto, nenhuma delas isoladamente conseguiu explicar satisfatoriamente a gênese da encefalopatia.

A encefalopatia hepática é classificada em quatro estágios:
Estágio 1. Alteração do comportamento e do ritmo sono-vigília. pode haver sonolência ou euforia.
Estágio 2. Idem estágio anterior com maior predomínio da sonolência e aparecimento do “Flapping” ou “Asterixis”.
Estágio 3. Paciente dorme a maior parte do tempo, mas responde a estímulos verbais. Confuso, voz arrastada. “Asterixis” evidente.
Estágio 4. Doente em coma podendo ou não responder a estímulos dolorosos.

Veja – Insuficiência hepática aguda – Encefalopatia hepática

Referências:

Jalan R, Hayes PC -Hepatic encephalopathy and ascites. Lancet, 1997;350:1309-1315.

Tags: , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


2 Comentários »

  1. luciana maria comenta:

    3 março, 2010 @ 2:30 PM

    Decobrimos que minha mae esta com hepatite c cronica,ela esta com um quadro de encefalopatia hepatica gostaria de um cardapio para variar sua dieta.

  2. marcia maria comenta:

    18 agosto, 2010 @ 11:51 PM

    TENHO UM PARENTE HOSPITALIZADO JÁ HÁ DIAS, COM CIRROSE (ALCOOLICA), TEM ASCITES E APRESENTA QUADRO DE ENCEFALOPATIA!
    QUAL O PROGNÓSTICO PARA O CASO? PODEMOS TER ESPERANÇA? TEMOS MUITA FÉ!
    ATENCIOSAMENTE, FICO NO AGUARDO DOS VOSSOS COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário aqui !