Arquivo de 21/ago/2009





21 - ago

Câncer de Pulmão – Carcinoma brônquico

Categoria(s): Caso clínico, Câncer - Oncogeriatria, Pneumologia geriátrica

Câncer de pulmão

  • Mulher branca com 42 anos está internada com quadro penumônico na enfermaria geral há dois dias com queixa de tosse persistente nos últimos quatro meses. Ela era previamente saudável e seus sintomas iniciaram com uma pneumonia no lobo inferior direito (segmento Baso-lateral). Após sessão de antibioticoterapia os sintomas melhoraram. Um exame radiológico do tórax de controle realizado após seis semanas do início da pneumonia, mostrou clareamento parcial do infiltrado, com atelectasia adjacente.
  • Após três meses do quadro pneumônico apresenta tosse sem outros sinais físicos, exceto perda de aproximadamente 5 kg de peso.
  • A paciente casada, não bebe e não fuma, assim como nenhum dos familiares próximos e trabalha somente em casa, não estando exposta a agentes poluentes. Nega contatos com pessoas portadoras de doenças pulmonares, em especial tuberculose.
  • Foi realizada novo exame radiológico de tórax durante esta internação que mostrou as mesma características da radiografia de controle feita anteriormente.

Como elucidar o diagnóstico?

A anormalidade radiológica persistente no local de uma pneumonia prévia, deve-se pensar em uma doença endobrônquica (doença na luz do brônquio) que possa causar pneumonia persiste. O carcinoma brônquico é o mais comum dos tumores que pode levar a esse tipo de problema. A maioria desses tumores é benigna ou são tumores de baixa malignidade.

A presença de um corpo estranho é uma possibilidade, mesmo quando não há evidência na história clínica.

A broncoscopia com biópsia da parece brônquica é um bom exame para o diagnóstico, pois mesmo que, nenhuma lesão seja identificada durante a broncoscopia, a biópsia pode ser apropriada para identificação do carcinoma de células bronquioalveolares ou pneumonia organizante residual. A biópsia e cultura do material pode confirmar a existiencia de infecção localizada, devido a micobactérias ou fungos.

A tomografia computadorizada do tórax revelará o infiltrado já demonstrado na radiografia de tórax, eventualmente, pequeno derrame pleural ou adenomegalia, mas não é provável que auxilie na identifiação da causa específica da lesão pulmonar nesse caso.

Certamente, o tratamento dependerá do diagnóstico definitivo, porém uma terapia antimicrobiana empírica pode ser adequada até o esclarecimento do caso.

Referências:

Marrie TJ – Community-acquired pneumonia. Clin Infect Dis.1994;18:501-513.

Dewan NA, Shehan CJ, Reeb SD, Gobar LS, Scott WJ, Ryschon K – Likelihood or malignancy ina solitary pulmonar nodule: comparasion of bayesiananalysis and results of FDG-PET scan. Chest, 1997;112:416-422.

Tags: , , , ,

Veja Também:

Comments (1)    




" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "