03 - mai
  

Hanseníase – Parte 3. Reações Hansênicas

Categoria(s): Dermatologia geriátrica, Programa de saúde pública




Hanseníase

O fim da marca do preconceito

Colaboradora: Larissa Regina Alves de Carli Zanca *

* Médica e pós-graduada do curso Saúde e Medicina Geriátrica da Metrocamp

REAÇÕES HANSÊNICAS

Concomitante, ao curso natural da hanseníase, sobrepondo-se a uma evolução usualmente lenta e indolente e, relacionando-se ao espectro clínico, imunológico e histopatológico da doença, impõem-se os estados reacionais, produzidos por diferentes mecanismos imunológicos e responsáveis por importante componente de dano tecidual. As reações hansênicas podem corresponder à exacerbação da imunidade celular, ou demonstrar efeitos de acentuada formação de imunocomplexos, que foram denominadas por Jopling de reação hansênica tipo 1 e tipo 2, respectivamente.

Reação Reversa

A reação hansênica tipo 1, ou reversa, estaria associada à imunidade mediada por célula, classicamente representada pela reação tipo IV de Coombs e Gell, sendo, possivelmente, desencadeada por reação aos antígenos bacilares fragmentados, e súbito aumento da imunidade mediada por células. Comumente, observada em pacientes borderline, após o início da terapêutica, é, em geral, mais precoce nos pacientes bordeline tuberculóide e bordeline-borderline, do que nos borderline lipromatoso.

Na reação reversa, as lesões preexistentes tornam- se eritematovioláceas, sensíveis, intumescidas, elevadas, e máculas tornam-se placas. Ocorre, também, elevação e melhor definição dos limites das lesões.
Evoluem com descamação e, por vezes, sobrevém ulceração. Novas lesões tendem a surgir, em áreas adjacentes, assemelhando-se às lesões preexistentes, e podem ser numerosas, pequenas e esparsas. Nos pacientes BL, edema acrofacial pode estar presente, assim como sintomas sistêmicos, como febre e mal-estar, que não são usuais.

O comprometimento neural é comum, por vezes, acentuado e grave, resultando, ocasionalmente,em marcante perda de função e paralisia súbita. Nervos comprometidos tornam-se intumescidos, com graus variáveis de dor, e exacerbação da sensibilidade, local e/ou territorial, destacando-se o comprometimento dos sítios de predileção, como nervos ulnar, mediano, radial, peroneiro comum, tibial posterior e supra-orbitário.

Reação Tipo Eritema Nodoso

MH - lepromatosa

A reação hansênica tipo 2, ou tipo eritema nodoso, relaciona-se à deposição de imunocomplexos, semelhante à reação tipo III de Coombs e Gell. Assim, como mecanismos humorais, aqueles mediados por célula, podem estar envolvidos na patogênese da reação tipo eritema nodoso.
As lesões cutâneas da reação hansênica tipo 2, o eritema nodoso hansênico, representam parte das manifestações de um comprometimento multissistêmico. A reação tipo 2 ocorre em pacientes multibacilares, e reflete um processo inflamatório agudo, envolvendo qualquer órgão ou tecido em que o bacilo ou seus antígenos estejam presentes. Manifesta-se com queda do estado geral, prostração pela dor, anorexia, febre, insônia e depressão. A face, mãos e pés tornam- se edemaciados, assim como o fígado, baço, e gânglios podem ter seu volume aumentado.

O freqüente comprometimento de nervos, olhos e testículos, torna importante a reavaliação rotineira destes, nos episódios reacionais, já que a precoce intervenção terapêutica auxilia na prevenção de seqüelas tardias.

No episódio de reação tipo eritema nodoso, quando há erupção cutânea, a pele, aparentemente normal, é acometida com surgimento súbito, de pápulas, nódulos e placas, dolorosos e tensos, ao toque, de coloração rósea a eritematoviolácea, com margens não definidas, que evoluem com descamação central, e podem tornar-se hemorrágicas e vesicobolhosas, chegando a se ulcerar. O surgimento de lesões obedece a uma distribuição simétrica, bilateral, mais difusa, quando comparada ao eritema nodoso de outras etiologias, e freqüentemente atinge face, tronco, áreas extensoras de membros, mas poupa couro cabeludo, virilhas e axilas. As lesões hansênicas preexistentes não sofrem alterações. Surgem em surtos, e novas lesões coexistem com antigas, duram cerca de 7 a 10 dias, embora não sejam infreqüentes surtos recorrentes, após semanas, meses ou anos.

A reação tipo eritema nodoso hansênico, pode ocorrer em pacientes multibacilares, não tratados, embora seja mais freqüente, após o início da terapêutica, e, por vezes, persiste, em alguns pacientes, durante um período posterior ao término do tratamento com poliquimioterapia. Fatores, como infecções intercorrentes, gravidez, vacinação, estresse emocional, alguns fármacos, têm sido associados à precipitação da reação hansênica tipo eritema nodoso3/5, porém, estão ainda por ser esclarecidos, os mecanismos envolvidos na etiopatogenia desta reação hanseníca, possivelmente, há coexistência de alta carga bacilar e baixa eficácia na eliminação de restos bacilares, entre outros.

Fenômeno de Lúcio

Reconhecido como o terceiro tipo de reação hansênica, caracteriza-se por necrose de arteríolas, quando o endotélio é maciçamente invadido por M. leprae. Lúcio & Alvarado (1852) descreveram reação necrotizante da pele, particularmente na forma clínica difusa e sem nódulos da hanseníase. Posteriormente, esta reação, foi denominada fenômeno de Lúcio, por Latapi et al. 1948, que reconheceram alterações histopatológicas de vascularite múltipla, aguda, necrosante, associada à esta forma pura, primitiva e difusa da hanseníase.
No pólo de baixa resistência ao bacilo, no espectro da doença, a hanseníase de Lúcio – Latapi e o fenômeno de Lúcio são comuns no México e América Central, mas infreqüentes em outras partes do mundo.
Apesar de descrito quadro clínico e histopatológico do fenômeno de Lúcio, a patogênese desta reação ainda permanece obscura. Claramente, a bacilemia, em células endoteliais, associada a fenômenos trombóticos, é importante; entretanto, prováveis fatores imunológicos, como depósito de complexo imune em vasos da derme, genéticos, regionais, e próprios do M. leprae, considerados como envolvidos na etiopatogenia desta manifestação clínica, necessitam de um substancial investimento de pesquisa.

Referências:

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Área Técnica de Dermatologia Sanitária. – Saúde para a vida treinamento para prevenção de incapacidades em hanseníase.Brasília: Ministério da Saúde e American Leprosy Mission; 1998

Jopling WH & Mc Dougall A.C. A doença. In: Manual de hanseníase, 4º ed, Atheneu .Editora, São Paulo, 1991.

Harry, A. J. Lepra. In Beenson, Paul McDemott, Wash. Tratado de medicina. Rio de Janeiro: Guanabara Koogans, 1973.

Hatano K, Matsuki T, Makino M. The trend of leprosy treatment in which the prevention of peripheral nerve damage being as its main theme. Nihon HansenbyoGakkai Zasshi 1998; 67:353-60.

Van Brakel WH, Khawas IB. Nerve function impairment in leprosy: an epidemiological and clinical study. Part 2: Results of steroid treatment. Lepr Rev 1996.

Tags: ,




Comentário integrado ao Facebook:


16 Comentários »

  1. wilson borges comenta:

    12 junho, 2009 @ 8:08 PM

    dr larissa , a3 anos fis biopicia costatol hanseniase a dr minha tirol a predinisona a um mes sera que estol curado.

  2. jean cavallari comenta:

    3 novembro, 2009 @ 11:29 AM

    olá gostaria de saber se a hanseniase e as contraçoes pode prejudicar o sistema neurologico ?

  3. Ivone Valeria Terencio comenta:

    7 janeiro, 2011 @ 4:28 PM

    Meu terminou o tratamento de hanseniase a dois meses, mas continua com a predinisona. Ele tem reações, enormes manchas pelo corpo principalmente nas áreas das axilas, espalhando-se pela barriga, braços, virilhas, costas e o pior é o inchaço nas pernas e pés. O que quero saber é se o inchaço tem a haver com o uso da predinisona ou seja se é uma reação hansenica.

  4. Carla lopes comenta:

    17 agosto, 2011 @ 6:01 PM

    comecei meu tratamento em fevereiro de 2011,descobri atrves de duas manchas na pele!antes de começar o tratamento apareceram as reaçoes no meu corpo bastante manchas vermelhas e groças!!!a medica entrou com prednisona e talidomida, quando essas manchas desaparecerao?????

  5. telma comenta:

    28 dezembro, 2011 @ 5:55 PM

    a varios meses veio tomando a prednisona seguindo direitinho as dosagens, quando chega na prednisona de 5 meu médico me da alta, alguns dias depois os sitromas voltam tudo novamente pq será?

  6. quezia comenta:

    29 fevereiro, 2012 @ 10:59 PM

    meu irmao teve hansianse a mais ou menos terminou o tratamento a um ano e esta tendo muitas dores nas pernas e pes,ficando avermelhados,e muito sensiveis,dormentes e esse sait me ajudou um pouco a entender essa doenca que apesar de muito ”comum”, ainda nao se sabe quase nada.

  7. tiago comenta:

    14 abril, 2012 @ 11:19 AM

    ola , so tiago fiz tratamento de hanseniase a 5anos blz ,tinha manchas em todo corpo mas com tratamento sumiu mas que depois de 5anos elas voltarão ñ são iguais são bem deferente as que eu tinha antigamente erão domente e as de agora são descreta e ñ são dormente parecer uma alergia so que em vez em quamdo elas escameia e são muitas espalhadas pelos corpo mim preucupo já fiz dois exame de hanseniase e ñ deu nada e tbm fiz uma biopsia tbm mas ñ deu nada e o medico mim recomendo que eu fizesser hidrataçaõ de pele e ursasir sabonete neutro , mas so que continua o msm ,oq quero saber tem alguma possibilidade deu fazer tratamento de novo e ou se é apenas uma reação oq realmente eu tenho ?

  8. jose paulo comenta:

    4 junho, 2012 @ 5:29 PM

    Existe um slog que diz: HANSENIASE TEM CURA! agora digo eu: QUE CURA? se após o tratamento surgem reaçoes com DORES. Reaçao tipo 1, reaçao tipo 2,ertema nodoso, neurite, sim neurite é a pior das reaçoes pois causam dores insuportáveis, já usei : Gaba pentina, carbamazepina,oxicarbazepina, citoneurin,amitpritilina, diclofenaco de potássio,ibuprofen. Conclusão: após um ano de tratamento pelo método paucibacilar que são 6 meses. recindiu agora multibacilar vou fazer um retratamento de um ano, sem falar na mononeuropatia fibular que me deixou no beneficio até agora e na segunda Eletroneuromigrafia que fiz acusou polineuropatia, com acometimento de vário nervos das duas pernas me deixando com dificuldade de caminhar normalmente pois doi muito ao andar. peço muito a meu Deus que me ajude,nesse segundo tratamento pois as reaçoes são horriveis.fiquem com Deus. mas, a cura está muito longe, por ser uma doênça de mais de 4000 mil anos não vai ser curada em um ano, correto?

  9. tiago pereira comenta:

    18 julho, 2012 @ 1:28 PM

    obviamente seria mais fácil dizer qi não tem cura………… só Deus pode curar. tratamento da resultado somente durante após aparece tudo di novo

  10. alexsandro comenta:

    12 dezembro, 2012 @ 7:56 PM

    oi, gostaria de saber se posso tomar prednisona?
    porque estou fazendo tratamento da hanseniase (MB)
    e tomando o prednisona porque to com a reação.
    quando passo 5 dias sem tomar o prednisona volta
    a reaçao dores nas juntas hipersensibilidade e as manchas volta aparecer.
    desde de ja agradeço

  11. Maricelia N. de Sousa comenta:

    24 janeiro, 2013 @ 6:12 PM

    olá , fiz tratamento da hanseniase ha 6 anos atraz, e assim q terminei o tratamento apareceu fortes dores nas juntas já fui em vários médicos e eles só dizem q a doença não deixa sequelas; fui em dermatologista, clinico geral e o q eles passam são relaxante muscular e remédio p dores como artrite , os dias de tempo frio são os dias em q sofro mais e se usar ar condicionado então nem se fala; O q devo fazer pois as dores são diárias. Gostaria de saber se há um tratamento eficaz p essas dores e se é devido a doença .

  12. Adilson comenta:

    13 fevereiro, 2013 @ 1:11 AM

    Olá estou sofrendo com isso já a muito tempo recebi alta a 2 anos e meio mais desde lá eu venho sofrendo coma as reações não posso ficar muitos dias sem tomar talidomida e Prednisona faço uso disso todos os dias e não aguento mais engordei quase 10 quilos. E hoje as dores quando os eritema volta ainda sinto muitas dores nos joelhos, eu queira saber se alguém já fez uso de algum remédio natural para os eritema nodoso? Tipo um já de tal planta é são os remédios fitoterápicos. Por favor, me informe que eu não aguento mais tomar remédios farmacêuticos.
    Fortes abraços a todo e não deixe de responder, por favor.

  13. Ronaldo Sales comenta:

    19 março, 2013 @ 4:29 PM

    Ola,tenho 28 anos,diz que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar,mas cai sim,ah 20 anos atraz fiz tramento de hanseníase,agora fiz novamente,dei nivel 3 e duas reações do tipo 1e2,nunca dei nem uma mancaha,o que deixa os medicos intrigados,fiquei sem andar,fui enternado,caiu todo meu cabelo,mas nunca me entreguei e nem me lamentei,fiqufi numa situação critica,já voltei a andar,hoje estar com 5 dias que recebir alta,estou com pouco de medo da doença voltar,mas estou pronto pra enfrentar novamente se for preciso,cura já não sei se existe pra uma doença que tem mas 4.000 mil anos,hoje tomo 3 comprimido de talidomida e 2 de prenidisona ao dia por um tempo indeterminado,a luta é grande,mas a minha fé em Deus é maior do quê qualquer dia ruim,creio que uma hora tudo isso passa,enquanto isso vou vivendo apenas um dia de cada vez,um abraço a todos do Sales.

  14. Ronaldo Sales comenta:

    19 março, 2013 @ 4:47 PM

    Ola,tenho 28 anos,diz que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar,mas cai sim,ah 20 anos atraz fiz tramento de hanseníase,agora fiz novamente,dei nivel 3 e duas reações do tipo 1e2,nunca dei nem uma mancaha,o que deixa os medicos intrigados,fiquei sem andar,fui enternado,caiu todo meu cabelo,mas nunca me entreguei e nem me lamentei,fiquei numa situação critica,já voltei a andar,hoje estar com 5 dias que recebir alta,estou com pouco de medo da doença voltar,mas estou pronto pra enfrentar novamente se for preciso,cura já não sei se existe pra uma doença que tem mas 4.000 mil anos,hoje tomo 3 comprimido de talidomida e 2 de prenidisona ao dia por um tempo indeterminado,a luta é grande,mas a minha fé em Deus é maior do quê qualquer dia ruim,creio que uma hora tudo isso passa,enquanto isso vou vivendo apenas um dia de cada vez,um abraço a todos do Sales.

  15. Neidmar ferreira Cajaiba comenta:

    3 dezembro, 2013 @ 4:10 PM

    meu nome é Neide,fiz tratamento de hanseniase 2 anos mas agora depois e um tempo me apareceu dores e um sintoma alergico mordida parecico com mordida de inseto na pele que me deixa com febre e sem forças para nada e tomo doariamente predilona isso já dura mais de um ano.Estou desesperada me ajudem o que faço?

  16. Elisangela Maria de Oliveira comenta:

    18 maio, 2014 @ 9:32 PM

    meu nome e Elisangela tomei a medicação de hanseníase durante um ano terminei em outubro de 2012, mais ainda sai em mim uns caroços foi na medica e fez todos os enxame e não deu nada graças a Deus mais eu sinto dor a medica falou que era reação, queria saber ate quando eu vou ter dor.

Deixe seu comentário aqui !