23 - nov.
  

Necrose avascular do fêmur

Categoria(s): Caso clínico, Reumatologia geriátrica




Interpretação clínica

  • Mulher branca de 45 anos, em tratamento de lúpus eritematoso sistêmico (LES) há 5 anos, apresenta-se com queixa de dorna articulação coxo-femural esquerda que se irradia para a face anterior da coxa. Diz que essa dor ocorre tanto durante o dia quanto à noite. Descreve a dor como profunda, e diz que piora ao caminhar. Nos úlimos 3 anos apresentou Nefrite Lúpica *, necessitando de tratamento com prednisona.
  • Ao exame físico, não há déficits motores ou sensitivos na perna. Caminha mancando discretamente, e a rotação interna do quadril esquerdo em flexão é dolorosa.

Como atuar nesse caso?

Diagnóstico

Dentro da sintomatologia do LES é comum a presença de poliartralgia e de poliartrite em distribuição semelhante à da artrite reumatóide. Entretanto, somente em apenas 10% dos casos ocorre a artrite erosiva e deformante. Dentre as manifestações articulares do LES encontra-se o reumatismo de Jaccoud, que é caracterizado por um quadro de deformidade reversível das articulações interfalangiana proximal e metacarpofalangiana. No presente caso a articulação afetada é a coxo-femural esquerda, o que foge dos padrões habituais do LES.

O quadro clínico de dor e limitação ao movimento passívo da articulação do quadril, sugere que esta articulação é o foco da dor. Os pacientes que fazem uso por longo período de corticóide podem apresentar necrose avascular da cabeça do fêmur. O exame de ressonância magnética permite a detecção precoce dessa lesão. Na radiografia simples a articulação só se apresenta alterada quando houver infarto e colapso do osso, e as cintilografias ósseas mostram captação aumentada nos locais de infarto. A tomografia computadorizada melhora ainda mais a sensibilidade diagnóstica, mas como referimos acima o padrão ouro em estudo de imagem usados para detectar alterações isquêmicas precoces é ressonância magnética.

Dentre as outras causas de necrose avascular da cabeça do fêmur, destaca-se a anemia falciforme, pouco provável nesta paciente, que é branca. A figura ilustra duas radiografias: em A) cabeça do femur totalmente destruída pela necrose avascular, em  B) articulação coxo-femural normal, com cabeça do fêmur com início da lesão, entre as marcas.

Observe na figura abaixo  o tipo de circulação terminal que irriga a cabeça do fêmur, expondo-a a necrose.

* Nefrite Lúpica – A nefrite lúpica ocorre em 50% dos pacientes com LES e é mais comum em negros. Um exame de urina alterado, apresentando proteinúria, hematúria ou cilindros hemáticos leva a forte suspeita de diagnóstico de glomerulonefrite lúpica. Através da biópsia renal, o estudo histopatológico demonstra qual classe de lesão o rim do paciente está: Classe I – normal; classe II – mesangial; classe III -proliferativa focal; classe IV – proliferativa difusa; classe V- glomerulonefrite membranosa.

Referências:

Bluemke DA, Zerhouni EA – MRI of avascular necrosis of bone. Top Magn Reson Imaging. 1996;8:231-246.

Fordyce MJ, Solomon L – Early detection of avascular necrosis of the femural head by MRI. J Bone Joint Surg Br. 1993;75:365-367.

Tags: , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


114 Comments »

  1. jairo comenta:

    5 março, 2013 @ 11:09 AM

    olá amigos! eu tenh necrose do femur direito e já faz 18 anos que eu convivo com esse problema. ja sofri d mais. muitos preconceitos, vcs nao tem noção do quanto ainda sofro, só o Senhor que tem me ajudado mesmo… peço ajuda e telefone de contato de alguem que queira trocar umas idéias sobre o caso. obrigado!

  2. jairo comenta:

    5 março, 2013 @ 11:16 AM

    olá galera, meu telefone é 88 36778500 ou 88 92332285 liguem,preciso trocar esperiencia sobre necrose avascular do femur

  3. Everton comenta:

    11 março, 2013 @ 6:51 PM

    E ai Camila, como estao as coisas.
    Ja sentiu alguma melhora?

  4. Everton comenta:

    11 março, 2013 @ 6:51 PM

    Carlos,
    Conseguiu fazer a cirurgia?
    Como voce esta?

  5. ana paula comenta:

    28 maio, 2013 @ 9:04 PM

    Olá meu nome e Ana Paula tenho 27 anos, e há 3 anos sofri um acidente e fraturei o fêmur. Ando mancando, e ainda não superei isso. Queria saber se tem como melhorar o meu andar com algum tratamento.
    Aguardo respostas.

  6. Murilo comenta:

    18 julho, 2013 @ 2:29 PM

    Olá,

    tenho 35 anos e a 6 meses descobri oesteonecrose bilateral. alguem saberia me dizer por quanto tempo consigo levar sem operar e se caso opere o procedimento será de PRP quanto leva a recuperação de cada perna?

  7. Murilo comenta:

    18 julho, 2013 @ 2:30 PM

    caso alguem queira torcar experiencia, segue meu email
    murilo.coelho.jr@uol.com.br

  8. Everton comenta:

    15 agosto, 2013 @ 9:33 PM

    Ola pessoal,
    Fiz a cirurgia de descompressão da cabeça femoral na perna esquerda aliada a aplicação de células mesenquimais no dia 02/07/13.
    Fiquei 40 dias de muletas e agora estou voltando a andar normalmente.
    As dores reduziram significativamente.
    Estou fazendo fisioterapia e a qualidade de vida melhorou.
    Ainda é cedo para qualquer certeza, pois meu médico pediu pelo menos 6 meses para avaliarmos o resultado da cirurgia.

    Abraço a todos e força, sei o que passamos com este problema
    Everton

  9. nkiama ndombe comenta:

    13 outubro, 2013 @ 11:14 AM

    ola pessoal,chamo-me nkiama tenho 25 anos de idade sou angolana e vivo em luanda.tenho este problema desde 4 anos de idade,coxo porque a minha perna direita perdeu 3,5cm.vivo com muitas dores e fiz consulta em tres ortopedista e um dos doctores me disse que estou com o problema na cabeça do fermur direito,e disse-me pra acabar com as dores tenho que fazer uma cirugia.aqui em Africa a saude nao e muito bom,por isso preciso de ajada de voces.qual a cidade melhor a fazer esta cirogia?em que hospital realizar esta cirogia?e quanto custa esta cirugia?sera que posso voltar ao normal?amigos quem queres me ajudarem entre em contacto comigo apartir do meu mail que e billyjuniorkab@yahoo.fr agradeceria com voça ajuda.

  10. Daniely almeida comenta:

    13 novembro, 2013 @ 2:23 AM

    oi gostaria de saber das pessoas que fizeram artroplastia(protese) como ficaram depois, se pararam de mancar, sentir dor.. com quais limitações ficaram

  11. Aldair (BH) comenta:

    9 abril, 2014 @ 3:15 PM

    Prezados. Estou com um problema parecido (Necrose da Cabeça do Femur) lado direito em grau 3, descoberto em Nov2013. Fui submetido a uma cirurgia de descompreção na cabeça do femur, e hoje já se passaram 2 meses e 17 dias. Minha pergunta: – caso nao apresente melhora no tratamento eu terei somente a opção de ato cirúrgico para remoçao da cabeça do femur e implante de prótese, ou tenho outras possibilidades. E o tratamento com injeção de PST,é uma possibilidade?

  12. marcos comenta:

    17 dezembro, 2014 @ 12:41 PM

    Everton vou fazer a cirurgia igualmente a sua como você está na sua recuperação? Aldair você quis dizer prp? Esse e uma técnica que aplica injeções agora PST é outra coisa é por sinais eletromagneticos eu fiz as minhas dores melhoraram mais vou ter que fazer a cirurgia mais aguardo outro exame se mostrar redução na necrose vou fazer um reforço de 4 seções… a primeira vez São 12 seções e custa 5 mil reais.

  13. sergioluiz costa comenta:

    26 janeiro, 2015 @ 3:57 PM

    minha mulher colocou as duas depois pode fazer academia procure um personal bom e vai luta natação hidro muito bom boa sorte a vcs

  14. fabio comenta:

    29 maio, 2015 @ 2:20 PM

    Ola pessoal meu nome e fabio tenhi 32 anos ..
    bom de 3 mases pra car venho sentindo dores na virilha fui em varios ortopedista eles nao sabia o que era fiz utra som tirei raio x quando eu tirei a ressonância magnética que descobriu que to com necrosea femural isso ontem o medico descobriu e uma dor insuportável ..
    se yiver algum medico nesses comentario que podesse me ajuda falando algim tratamento sem gazer a cirurgia eu agradesso

Deixe seu comentário aqui !