01 - set
  

Ritmo Circadiano e Ciclo Sono-Vigília

Categoria(s): Conceitos, Endocrinologia geriátrica, Neurologia geriátrica




Dicionário

Ritmo circadiano e ciclo sono-vigília

Colaboradora: Astrid de Arruda Celidonio Florentino *

* Enfermeiral e pós-graduanda do curso Saúde e Medicina Geriátrica da Metrocamp

Ritmo circadiano ou ciclo circadiano designa aproximadamente o período de 24 horas, sob o qual se baseia todo o ciclo biológico do corpo humano e qualquer outro ser vivo influenciado pela luz. É um ciclo metabólico que envolve o ciclo de sono e vigília, atividade digestiva, produção de hormônios, regulação térmica e  outros processos que se repetem diariamente nos seres vivos. Este ritmo dura cerca de 24 horas e cada um dos processos regulados pelo relógio biológico se repete diariamente aproximadamente nos mesmos horários.

O sono é um processo ativo, ligado funcionalmente à vigília, constituindo o ciclo vigília sono. Para se compreender o sono é necessário que se compreenda a vigília e a alternância rítmica entre esses dois estados.

Esta distribuição de atividade cíclica de aproximadamente 24 h, é controlado pelo sistema nervoso central (SNC), os núcleos supraquiasmáticos do hipotálamo, localizados na base do cérebro. Por este, passam o cruzamento das fibras nervosas, que originam-se nos olhos, o quiasma óptico sofrendo influência de fatores ambientais e sociais. Os mecanismos cerebrais apresentam dois sistemas neuroanatômicos que se inter-relacionam em sincronia na manutenção do ciclo sono-vigília: Sistema indutor do sono e Sistema indutor da vigília .

A necessidade fisiológica do sono é controlada pela arquitetura intrínseca e pelo ritmo circadiano do sono e vigília. Para um estado ótimo de vigília, um adulto requer 7-8 h de sono num período de 24 h, com despertares noturnos de até 5% do tempo total na cama.

Neste adulto, o padrão do sono deverá ser ; 30% sonhando , 20% em sono profundo e 50% em sono leve. Estes ciclos do sono são observados em traçados eletroencefalográficos, sendo que as características elétricas, comportamentais e funcionais permite classifiar o sono em duas fases: REM (Rapid moviment eyes) o sono paradoxal e NREM (No Rapid Moviment Eyes), ondas lentas. O SRAA (Sistema reticular ativador ascendente), é formados por  neurônios noradrenérgicos, catecolaminérgicos,serotonérgicos, glutamatérgicos , e gabaérgicos, estando ativos durante o estado de vigília. Conecta-se com o diencéfalo ativando o córtex cerebral. Esse mecanismo  funciona de acordo com o ritmo circadiano; quando aumenta a temperatura corporal, aumenta a atividade metabólica aumentando a produção de catecolaminas, que induzem à vigília. A queda da temperatura, diminui a liberação de catecolaminas .

Glândula Pineal – O Ciclo claro-escuro é o mais importante fator ambiental sincronizador dos ritmos biológicos. A informação da claridade–escuridão, é transmitida via trato retino-hipotalâmico da retina para o núcleo supraquiasmático (NSQ) e deste para a Glândula Pineal ou Epífise, que regula a secreção de melatonina (N-acetil-5-metoxitriptamina), que se traduz em Mela=Melatonina e Tonina=derivado quimicamente da Serotonina.

A glândula pineal situa-se entre dois hemisférios cerebrais à frente do cerebelo em posição postero-dorsal do diencéfalo, sua forma lembra a pinha do pinheiro e por isto o nome de glândula pineal. Num adulto pesa de 100 a 150 mg e está relacionado com a atividade funcional. Sua histologia mostra que é formada por células específicas (Pinealócito) e embriologicamente são do mesmo tecido que origina a retina. Em algumas classes, suas células tem a característica funcional de fotorreceptores associada a funcão endócrina, tornando-se um órgão endócrino, onde a produção do hormônio é controlada pela iluminação ambiental (ciclo dia-noite).

Melatonina – A produção da melatonina é exclusivamente noturna, seu perfil plasmático varia de acordo com as noites mais longas ou mais curtas frente às diversas estações do ano.
Desse modo, o papel fisiológico da GP (glândula pineal) é sinalizar para o meio interno se é noite, ou se é dia (pela presença ou ausência da melatonina na circulação e nos líquidos corpóreos) e qual a estação do ano atravéz de seu perfil plasmático noturno (pela duração da secreção da melatonina).

A temperatura também é forte marcador do ritmo circadiano. Controlada pelo hipotálamo
anterior,  está relacionada com a melatonina, no ciclo claro-escuro.

Com o envelhecimento, ocorre um declínio natural da melatonina no organismo e que pela
ação também dos medicamentos,  levam à alterações nos despertares do idoso.

Referências:

Tufik, S. Medicina e Biologia do Sono;  Instituto do sono SP:cap.20-26; pag.240-305: ed. Manole, 2008

I CONSENSO BRASILEIRO DE RONCO E APNEIA DO SONO,2000. In:Sociedade Brasileira do Sono.[on line]

Alfredo, C. Neto, L. T. Consulta Geib; Sono e Envelhecimento. Ver. Psiquiatria. RS, 25(3):453-465, set/dez.2003

Tags: ,




Comentário integrado ao Facebook:


2 Comentários »

  1. allissom comenta:

    31 outubro, 2011 @ 9:08 AM

    gostei muito desse site de pesquisa

  2. Sw. comenta:

    22 abril, 2012 @ 9:05 PM

    MUITO BOM. AJUDOU-ME BASTANTE.

Deixe seu comentário aqui !