02 - ago
  

Aneurisma da aorta abdominal – Massa abdominal pulsátil

Categoria(s): Cardiogeriatria, Caso clínico




Interpretação clínica

  • Homem de 68 anos foi examinado por ter apresentado massa abdominal pulsátil, na linha mediana, em exame físico de rotina. O paciente apresenta história de hipertensão e diabetes há mais de 20 anos. Foi submetido a revascularização coronária há seis anos. Atualmente está tomando metformina, aspirina, beta bloqueador, inibidor da enzima conversora da angiotensina e doses baixas de diuréticos. Uma revisão sistemática mostra que o paciente está assintomático e hemodinamicamente estável.O exame ultrassonográfico abdominal mostrou aneurisma aórtico, que se estendia desde próximo à artéria renal até a bifurcação ilíaca, com diâmetro máximo de 52 mm.

Qual a melhor orientação para o caso?

O exame ultrassonográfico mostrou que o aneurisma aórtico atingiu um tamanho no qual a intervenção cirúrgica está indicada, mesmo na ausência de sintomas. Devemos lembrar que na fase mais precoce da doença, o controle da frequencia cardíaca e da pressão arterial, com um ß-bloqueador, é a medida mais apropriada. O exame ultrassonográfico anual é indicado para o acompanhamento da progressão da doença, o que parece não ter sido feito no presente caso.

Não existe nenhum dado que sugira limitações a prática das atividades físicas, no sentido de limitar a progressão da doença, embora as atividades intensas sejam contraindicadas.

O risco da ruptura do aneurisma aórtico abdominal está diretamente relacionado com o diâmetro do vaso. Os estudos epidemiológicos mostram que aneurismas com diâmetro igual ou superior a 50 mm, o risco de ruptura é de 22% ao ano.

Neste paciente, mesmo sendo portador de doença coronária, o risco cirúrgico é aceitável. A mortalidade operatória para uma correção eletiva de um aneurisma aórtico abdominal é de 4% a 6%, enquanto  nas cirurgias de emergência é de 19%, e quando rompido, de 50%.

As figuras abaixo mostram colocação de próteses vasculares na luz do vaso aneurismático, via transvascular, minimamente invasiva por cateterísmo arterial, para os casos cujo procedimento cirúrgico tenha um risco maior.

Veja mais sobre – Aneurisma da aorta abdominal

Referências:

Katz DJ, Stnaley JC, Zelenock GB – Operative mortalityrates for intact and ruptured abdominal aortic aneurysms in Michigan: aneleven-year statewide experience. J Vasc Surg 1994;19:804-815.

Limet R, Sakalihassan N , Albert A – Deermination of the expansion rate and incidence of ruture of abdominal aortic aneurysms. J Vasc Surg 1991;14:540-548.

Tags: , ,




Comentário integrado ao Facebook:


4 Comentários »

  1. marri comenta:

    10 novembro, 2008 @ 10:46 PM

    meu pai havia completdo 79 anos, com uma saude invejável, descobrimos que ele estava com um aneurisma abdominal na aorta com 11,05cm esperamos uma semana e meia para que eles chamassem meu pai pai para a cirurgia e ele veio á falecerfoi a demora pra arrumar lugar em ribeirão preto cidade vizinha de são carlos, eu tinha certeza se ele tivesse sido operado ia ser um sucesso , mas o encaminhamento foi é muito lento ,porisso morrem pessoas dia á dia infelizmente.é brasil a saude para as pessoas idosas deveria ser levada mais á sério ! ele queria viver mais uns trinta anos.. e podia………….por falta de niglegencia para com os idosos veio á falecer meu paizão

  2. Vanda comenta:

    14 maio, 2009 @ 12:10 PM

    Meu pai vai se operar hoje,espero que tudo corra bem.
    Ele tem 78 anos, está com aneurisma da aorta abdominal.
    Que Deus possa ajudar-nos.

  3. Maria de Fatima Cassemiro comenta:

    25 maio, 2010 @ 3:54 PM

    Prezado Dr. ,meu marido descobriu a um ano e meio que esta com 6 aneurisma abdominal, medindo no arco aórtico torácica (aneurisma saculares de arco aórtico e aorta descendente(arco distal:36,9×35,6mm/ aorta descendente 34,2x33mm). A aorta abdominal aneurisma com maior diâmetro 33,1×31,5mm, este resultado foi do dia 21/05/09 hoje nós não sabemos como esta se evoluiu ou não. Gostaria de saber se existe a possibilidade de o quadro piorar, pois em janeiro ele teve um A.V.C istemico . desde ja agradeço a atenção.

  4. Rodrigo comenta:

    20 janeiro, 2011 @ 2:24 PM

    Olá pessoal. tenho estudado sobre este assunto porque tem um caso na família que necessita de cirurgia.
    gostei muito das informações do blog. tambem gostei das informações de outro site
    http://www.drcardozo.com.br

Deixe seu comentário aqui !