04 - abr
  

Demência – Parte 5. Tipos de doenças

Categoria(s): Conceitos, Neurologia geriátrica, Terapeuta ocupacional




Conceitos

Existem inúmeras doenças neurológicas ou não, que podem se manifestar com quadro demencial. Apesar da forma mais comum ser a doença de Alzheimer, cabe ao geriatra avaliar todas as possíveis doenças, potencialmente curáveis, que causam a demência. A seguir lembramos alguns tipos, mais freqüentes.

Comprometimento cognitivo leve

O Comprometimento cognitivo leve (CCL) ou também chamado de declínio cognitivo leve, deve ser considerado quando existe um comprometimento de uma área cognitiva, como a memória, porém sem os critérios para diagnóstico de demência.

Segundo alguns trabalhos o diagnóstico de CCL pode significar um quadro inicial de demência, ou indicar o aumento na possibilidade de desenvolver o quadro de demência de 12% a 15% neste idoso, diferente do idoso saudável que tem de 1% a 2% de chance de ter um quadro demencial, por exemplo a D. Alzheimer.

Nem todo paciente com declínio cognitivo leve vai desenvolver um quadro de demência, alguns simplesmente ficam estáveis e outros se recuperam.

Encefalopatias tóxicas exógenas

Entre as inúmeras formas de doenças que podem causar demência devemos destacar as encefalopatias tóxicas exógenas que podem ocorrer com danos em múltiplas áreas cerebrais. O alcoolismo crônico é uma grande fonte de vários graus de amnésia, culminando com o complexo Wernicke-Korsakoff, com a conhecida síndrome de Korsakoff. As drogas ilícitas como cocaína, ecstasy e outras estão ganhando espaço da vez mais neste terrível cenário.

O uso de drogas lícitas, como no caso de medicamentos prescritos por médicos ou não, também, deve ser lembrado como origem freqüente de distúrbios amnésticos das mais variadas intensidades. No entanto, de longe, uma das maiores causas de alegadas dificuldades com a memória, especialmente no que tange à retenção de eventos e informações, é a causada em indivíduos que estão recebendo medicamentos que têm ação depressora no sistema nervoso central. Nesta categoria de medicamentos, encontramos os tranqüilizantes, os antidepressivos, os antipsicóticos, hipotensores, relaxantes musculares, drogas utilizadas como sedativos labirínticos, alguns vasodilatadores, entre outros.

Freqüentemente encontrarmos pacientes, especialmente idosos, recebendo vários medicamentos destas qualidades simultaneamente, dados por médicos diversos que acompanham o paciente. Todos estes medicamentos, por sua ação maior ou menor, e dependendo também de tolerância individual induzem uma diminuição da alerta, da atenção ou mesmo sonolência, fatores que interferem muito na consolidação e aquisição da memória.

Demência Vascular

A segunda causa de demência é a chamada Demência Vascular (20% dos casos). Nela, os pacientes com aterosclerose das carótidas e artérias cerebrais podem apresentar demência por múltiplos infartos cerebrais.

Quando os exames de imagens cerebrais mostram aumento dos ventrículos cerebrais deve pensar em demência por hidrocefalia com pressão normal, que tipicamente apresenta-se com a tríade clínica de demência, apraxia da marcha e incontinência urinária.

Demencias de causa neurodegenerativas

Apesar da Doença de Alzheimer ser a causa mais comum, os quadros demenciais devem ser investigados. Nas últimas décadas, os exames neuropatológicos utilizando técnicas de imunocitoquímica têm modificado nossa compreensão das bases etiológicas das doenças demenciais de causa degenerativas, exemplo, a doença de corpúsculo de Lewy é a segunda causa, após a Doença de Alzheimer. Outras formas de demência degenerativa são: Doença de Pick e Doença de Parkinson.

Veja mais sobre Doença de Alzheimer

Demência concomitantes à doenças sistêmicas

Outra forma de demência que sempre deve ser investigada é a causada pelas neoplasias primárias ou metastáticas no cérebro. O hipotireoidísmo com nível elevado de TSH (hormônio estimulante da tireoide).

Doença de Creutzfeldt-Jakob

Prion

A doença de Creutzfeldt-Jakob tem incidência rara, 1 caso por milhão de habitantes,e é um distúrbio causado por um príon, uma partícula proteica pequena, com capacidade de se reproduzir e causar uma demência rapidamente progressiva muitos anos após o contato com pessoa doente. O príon é responsável pela “Doença da Vaca Louca” . Os parâmetros do exame do líquido cefalorraquidiano geralmente estão normais, um pequeno aumento das proteinas pode estar presente. A enolase neurônio-específica, uma enzima encontrada em neurônios e células neuroendócrinas, encontra-se bastante elevada no líquido cefalorraquidiano dos pacientes com doença de Creutzfeldt-Jakob. Veja imagem acima

A doença de Creutzfeldt-Jakob, também é conhecida como encefalopatia espongiforme por seu aspecto “buracos” no corte histológico do cérebro.

Ver mais sobre encefalopatia espongiforme

Referências:

Petersen RC, Smith GE, Waring SC, Ivanik Rj, et al – Mild cognitive impairment: clinical characterization and outcome. Arch Neurol. 1999,56:303-308.

Roman GC, Tatemichi TK, Erkinjunti T et al – Vascular dementia: diagnostic criteria for research studies. Report of the NINDS-AIREN international Workshop. Neurology. 1993;43:250-260.

Hanninen T, Hallikainen M., Koivisto K. e cols. A follow-up study of age associated memory impairment: neuropsychological predictors of dementia. J Am Geriatr Soc 43: 1007-1015, 1995.

Flicker C., Ferris S., Reisberg B. Mild cognitive impairment in the elderly: predictors of dementia. Neurology 41: 1006-1009, 1991.

Petersen RC, Doody R, Kurz A, Mohs RC, Morris JC, Rabins PV, et al. Current concepts in mild cognitive impairment. Arch Neurol; 2001; 58(12):1985-92.

McLoughlin DM, Levy R. The differential diagnosis of dementia. Acta Neurol Scand, 1996; suppl.165:92-100.

Tags: , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


5 Comentários »

  1. cleide comenta:

    28 agosto, 2008 @ 10:03 AM

    gostaria que por gentileza me enviasse uma materia falando sobre a demencia de lewy pois meu marido com 84 anos fez todos os exames e o medico diagnosticou que ele estava com essa demencia. Preciso entender sobre o assunto para poder dar mais assistencia do que já damos para ele.

    obrigado!
    ,

  2. AVE comenta:

    2 abril, 2009 @ 11:15 AM

    QUERO SABER TUDO SOBRE ESSA DOENÇA

  3. cintia ferreirqa comenta:

    28 agosto, 2009 @ 1:07 PM

    eu quero te falar q

  4. vera leao comenta:

    18 novembro, 2009 @ 4:13 PM

    meu pai tem 71 anos ele apresenta insonia, alucinaçao, agressividade, nao tem coordenaçao motora, , ja levamos ao neurologista, a psiquiatra ele no momento esta medicado com prometazina, aloptidol, mas nada faz ele sairo e nenhum medico da um diagnostico, me ajudem. nao sabemos mais o que fazer.

  5. Edna santana comenta:

    22 junho, 2010 @ 10:51 PM

    cuido de uma paciente que está apresentando esta demencia,ela tem 85 anos,e gostaria de ter mais conhecimento sobre este caso,muito obrigada e ate mais.

Deixe seu comentário aqui !