28 - mar
  

Coarctação da aorta

Categoria(s): Angiologia Geriátrica, Cardiogeriatria, Caso clínico, História da medicina, Semiologia Médica




Interpretação clínica

Mulher de 35 ano, foi encaminhada pela médica ginecologista para avaliação de hipertensão arterial. Paciente casou-se recentemente e gostaria de engravidar. Sempre teve vida saudável e não tem queixas referentes ao sistema cardiovascular. Nega cirurgias, internações ou doenças renais. Ao exame físico, PA 16O/105 mmHg, nos braços e 110/70 mmHg nas pernas. Os braços e as mãos da paciente são maiores que o habitual. Pulsos diminuídos nas pernas. Exame cardiológico com hiperfonese da segunda bulha em foco aórtico. Não se ouviu sopros cardíacos. Eletrocardiograma sobrecarga ventricular esquerdo.

Qual o possível diagnóstico? 

A coarctação da aorta geralmente é detectada na infância, mas deve ser suspeitada quando um adulto jovem apresenta hipertensão e pulsos femurais diminuídos ou retardo entre os pulsos radial e femural.
A primeira descrição da coarctação da aorta foi feita por Hamernj em 1848, segundo Hamilton & Abbott (1928), representa aproximadamente 6% das cardiopatias congênitas e caracteriza-se por estreitamento situado na aorta descendente, logo após o arco aórtico, podendo ser classificada em pré-ductal (tipo infantil), justa ductal e pós-ductal (tipo adulto), conforme a posição em relação ao canal arterial.

A história natural da coarctação da aorta revela que a expectativa da vida para esses pacientes e, em média 32 anos. A morte pode ocorrer por insuficiência cardíaca (25%), endocardite (18%), hemorragia cerebral (12%), rotura “aórtica” (21%) e outras causas (24%). A morte conseqüente ao aneurisma que se forma resulta em 57% dos casos.

O diagnóstico é essencialmente clínico, caracterizando-se a diminuição da amplitude até ausência de pulsos nos membros inferiores, contrapondo a presença de pulsos amplos e hipertensão arterial nos membros inferiores. A ausculta cardíaca revela sopro mesotelessitólico e estalido protossistólico na região da axila e dorsal esquerdas. Sopro contínuo pode ser audível no dorso do tórax, representando o fluxo através de artérias colaterais em crianças maiores e adultos.

Eletrocardiograficamente vê-se sobrecarga biventricular nas crianças menores e ventricular esquerda nas crianças maiores e adultos.

Coarctação da aortaRadiologicamente pode ter-se área cardíaca normal até aumento do contorno ventricular esquerdo com acentuada cardiomegalia. Imagem do número “3”, indica dilatação pré e pós coarctação e, em crianças maiores e adultos, corrosão das costelas pelas artérias intercostais dilatadas (sinal descrito por Rosler em necropsia e sinal de Odman em radiologia). A imagem radiológica acima foi feita durante a cineangiocardiografia com catéter arterial (seta grossa) atingindo a raiz da aorta e mostrando o ponto de coarctação (seta fina).

O estudo ecodopplercar-diográfico confirma o diagnóstico e fornece informações sobre a valva aórtica e morfologia das câmaras esquerdas. Em alguns centros dispensa-se o cateterismo cardíaco. A coarctação da aorta é facilmente visualizada na incidência supra esternal. O uso do doppler permite estimar a sua gravidade; há elevação das velocidades sistólicas e diastólicas. O estudo da aorta abdominal pode mostrar hipopulsatilidade e fluxo diastólico elevado.

A opção cirúrgica para o tratamento da coarctação da aorta é incontestável e tendência atual e para que os casos eletivos sejam operados entre o primeiro e o terceiro ano de vida. Existem inúmeras técnicas cirúrgicas para a correção da coarctação, como cirurgia de Ross, cirurgia de Dietl & Torres; cirurgia Crafoord e cirurgia de Gross. Porém os resultados tardios tem mostrado alta morbidade (33%), correção da recoarctação em 7,5% dos casos. Sendo que a recoarctação incidiu principalmente nos casos operados precocemente (antes do 1º ano de vida).

Os pacientes operados tardiamente pode apresentam complicações durante o seguimento pós-operatório, sendo a hipertensão arterial sistêmica persistente a mais freqüente e a crise hipertensiva no pós-operatório imediato uma emergência hipertensiva. Um complicação freqüente esquecida é a formação de aneurismas.

Uma outra opção é a dilatação do local de coarctação por cateter balão. Dilatação da coarctação da aorta por cateter balão: As crianças com coarctação da aorta podem ter esta patologia corrigida através da técnica de dilatação por balão, que é executada através da introdução de um cateter tipo balão pela punção da artéria femural ou no braço. Com o progredir da utilização desta técnica seu sucesso será substancialmente melhor.

Referências:

Campbell M – Natural history of coarctation of the aorta. Br Heart J, 1970;32:633-40.

Gross RE – Coarctation of the aorta. Circulation,1953;757-68. Odman P – The appearence of the internal mammary arteries in coarctation of the aorta. Acta Radiol (stockh).

Hamilton WF, Abbott ME – Coarctation of the aorta of the adult type. Am Heart J. 1928;3:381.

Jacob JLB, Garzon SAC, Machado NCS et al – Coarctação da aorta. Aspectos clínicos, hemodinâmicos e resultados cirúrgicos. Arq Bras Cardiol.1988;50(6):391-395.

Amaral FTV, Granzotti JA, Nunes MD, Sgarbieri RN, Somerville J – Seguimento tardio após correção da aorta. Reintervenção cirúrgica subseqüente. Arq Bras Cardiol,1993;61(5):272-278.

Look JE, Bass JL, Amplatz K et al – Balloon dilatation angioplasty for aortic coarctations in infants and children. Circulation,1983;68:109-16.

Finley JP, Beaulien RG, Nauton MA et al – Balloon catheter dilatation of coarctation of the aorta in going infants. Br Heart J,1983;50:411-5.

Tags: , ,




Comentário integrado ao Facebook:


70 Comments »

  1. TANIA BUSO comenta:

    7 setembro, 2011 @ 12:25 AM

    Oi, pessoal, venho de novo aqui dizer que já faz quase um ano que meu filho operou a coarctação (gravissima) e continua super bem.
    CONFIEM EM DEUS QUE TUDO DARÁ CERTO.

  2. TANIA BUSO comenta:

    7 setembro, 2011 @ 12:27 AM

    Vinicius não sei se voce já reoperou a aorta ou não, mas se voce por acaso mora em são paulo, procure uma equipe hemodinamicista, que talvez voce consiga resolver seu problema apenas com cateterismo. Fale com seus pais que estou a disposição para qualquer coisa que eles precisarem, meu email é tanica_9295@hotmail.com

  3. TANIA BUSO comenta:

    7 setembro, 2011 @ 12:29 AM

    Oi Vinicius, peça para os seus pais conversarem com uma equipe hemodinamica , e se voce mora em São Paulo, procure o HCor ou o DAnte Pazzanese, lá existem equipes maravilhosas que provavelmente poderão tratar seu caso com um cateter e um stent.
    qualquer dduvida entre em contato atraves do email tanica_9295@hotmail.com

  4. Lili comenta:

    23 dezembro, 2011 @ 4:58 PM

    Olá, boa tarde, há um mês foi diagnosticada coactção na aorta da minha filha, estou aflita pois, ela vai ser submetida a cirugia, estou sem chão. Gostarai de trocar experiêncas com que passou ou estar passando por esse problema.Entre em contato comigo por favor livicespz2009@hotmail.com

  5. adriana comenta:

    27 janeiro, 2012 @ 10:13 PM

    boa noite me chamo adriana
    Tenho um filha jhulyana victoria de 1 ano e 7 meses de idade que submeteu-se a cirurgia de coarctação na aorta e CIV e CIA com 20 dias de vida. Ela continua sob uso de furosemida e captopril , será que ele vai submeter-se a outra cirurgia para corrigir esta coarctação os medicos dizem que um cateterismo resolve quero saber se realmente resolve ou não quando ela operou foi muito dificio para mim pois demorou 6 horas e meia e ela so tira 2 kilos e 700 gramas e teve alta 9 dias depois e perdeu muito sangue mas hoje ela tem uma vida muito boa e nomal nem parece que passou por isso tudo e que tem coarctação mais sei que so tenho uma espricação foi deus na vida dela a te hoje e creio em deus para todo sempre amém

  6. adriano aparecido de mello comenta:

    5 fevereiro, 2012 @ 12:53 PM

    eu tenho coartação tenho stend coloquei a3anos mas vou ter que fazer , novamente mas tenho muita fé em deus , por isso falo a todos vc que tem tenha fé que deus está com nós 10000 abçs

  7. Suzi comenta:

    19 fevereiro, 2012 @ 1:31 AM

    Boa sorte Adriano.
    Boa sorte a todos. Boa sorte a mim também.
    Corro o risco de operar novemente após cirurgia em 2008. Deu o mesmo diagnóstico em 2011 e agora em 2012.
    Estou aguardando a resposta. Mas tenho certeza de estar curada.
    Que Deus abençoe a todos nós.
    Amém.

  8. Ivone comenta:

    5 abril, 2012 @ 10:22 PM

    Meu filho fez a cirurgia aos 2 anos. Hoje ele ta com 19 e temo pelos relatos de aneurismas, coágulos. Alguém conhece ou já foi vitima deste tipo de complicações ? Preciso de 1 bom medico para acompanha-lo no Rio, visto q o medico dele – de Brasília – faleceu há 3 anos.

  9. Eliane comenta:

    12 abril, 2012 @ 12:23 PM

    Bom dia
    Meu nome é Eliane e fiz a cirugia da coartação á 15 anos, na epóca tinha 17 anos mas ñ tinha nenhum sintoma de coartacão, apenas fazia um acompanhamento desde a infância com diagnóstico de sopro. Aos 17 fiz os exames de rotina e diagnosticou coartacão, meu drama então começou, pois além do meu convênio ñ cobrir esse tipo de cirurgia, a médica do convênio me aconcelhou a ir para o hospital do coração pois os médicos do convênio ñ tinham tanta experiência para fz essa operação, o problema é que o meu caso já estava muito grave, ñ podia ir para a fila do hospital do coração! Então minha família optou por um médico particular, fomos então para uma consulta com o Dr. João Voino ele nos enformou que a cirurgia tinha que ser feita o mais rápido possível! Então ñ tivemos alternativa a ñ ser partir para a cirurgia particular, foi uma cirurgia muito cara, todos na família tiveram que ajudar, sou muito grata por todos os meus queridos familiares por ter me ajudado tanto! Hoje levo uma vida basicamente normal, mas gostaria de perguntar a todos que fizeram a cirurgia se ficou alguma sequela, sinto muito cansaço, fraqueza, ñ consigo ter uma rotina diária como as outras pessoas ex: acordar as 9H e só ir dormir as 9H da noite, tenho que descansar durante o dia, alguns anos depois da cirurgia tive um quadro grave de depressão e algumas pessoas me informaram que pós cirurgico cardiáco sempre tem algum tipo de depressão! Alguém de vcs tem algum sintoma pós cirurgico? Obrigado.

  10. Adriana comenta:

    15 abril, 2012 @ 1:39 PM

    Eu me chamo Adriana, conforme meus depoimentos acima me submeti a cirugia em 2009.Repondendo a amiga Eliane.
    Bem eu tenho uma vida bem melhor.
    Me canço muito, minha resistencia é menor que das outras pessoas.tive depressão mais graças a Deus consegui sair dela, amiga Eliane a vontade de viver me levou a superar, não foi facil, mais venho conseguindo.Tem horas que bate aquele desespero, pq todos nos olham e acham que pode ser manha, corpo mole.
    bem linda , eu tive um agravante algum tempo depois, mais este foi superado.
    Se vc quizer me passa um email que trocamos informações.
    Adrianabispobh@gmail.com
    Peço desculpas por demorar a responder.

  11. Josiane comenta:

    10 outubro, 2012 @ 11:26 PM

    Gostaria de saber se alguem sabe o valor de uma cirurgia de coarctação da aorta?

  12. EIDEMARA comenta:

    28 janeiro, 2013 @ 11:38 AM

    olá. tenho muitas duvidas minha irmã fez essa cirurgia e ainda esta na uti ja tem 4dias, ela não consegue movimentar as pernas dela, ela só sente que toca mas não levanta, isso é normal ou não, algu´me me ajuda to tão nervosa, agora ela teve uma infecção pulmonar, to morrendo de medo, mas sei que Deus é maior…agradeço se puderem responder

  13. EIDEMARA comenta:

    28 janeiro, 2013 @ 11:39 AM

    a cirugia dela foi de coarctação na aorta do coração

  14. EIDEMARA comenta:

    28 janeiro, 2013 @ 11:41 AM

    meu e-mail é eidemaracortez@hotmail.com
    a cirurgia realizada foi coarctação na aorta do coração

  15. Washington Bernardes comenta:

    18 fevereiro, 2013 @ 9:58 AM

    Bom dia,

    Realizei duas cirurgias de coartação de aorta, uma com um ano e oito meses e outra com doze anos de idade, hoje tenho 30 anos e Graças a DEUS recebi a aproximadamente três anos um diagnostico do meu médico que não tenho ABSOLUTAMENTE NADA, nem as outras patologias como sopro e aritimia, que são consequencia desta doença existem mais, inclusive jogo futebol e prático outros esportes por receita médica, no dia em que ele (médico) viu o resultado do exame se assustou, chamou a equipe dele, e no linguajar médico explicou o que havai ocorrido, os demais membros da equipe ficaram assustados com o resultado, hoje sou curado para honra e Glória de DEUS…então primeiramente DEUS, e acima de tudo ele, e depois a medicina.
    Quem tiver que passar por esse problema não se preocupe pois DEUS estarão com vocês, eu posso dizer, vi a morte diversas vezes mas DEUS me livrou dela.
    Se alguém quiser falar sobre, estou a disposição.

    Grato.

    Grato.

  16. Leonardo R Maccagnano comenta:

    13 julho, 2013 @ 11:17 PM

    Boa noite êh bom ver que não estamos sozinhos nesse mundo com esse problema. Fui diagnosticado com coarctação de aorta com 4 anos de idade em um exame de rotina numa escola de natação. Isso foi em 1985. Após passar por vários médicos decidiram junto com meus pais que a cirurgia podia esperar, pois eu não tinha sintomas. Entao com 13 anos em 1994 fiz minha cirurgia no hospital São Paulo. Até hoje faço acompanhamento com meu cardiologista anualmente. Fiquei 15 anos sem tomar remédio nenhum e com a pressão normal. Hoje estou com 32 anos e tomo atenolol pra pressão e sinvastatina. Para quem quiser tirar duvidas sobre a cirurgia ou sobre a doença coloco meu email a disposição. Até breve e boa sorte a todos nos com muita fé em Deus.

  17. Leonardo R Maccagnano comenta:

    13 julho, 2013 @ 11:19 PM

    Desculpem segue meu email: leorimacc@hotmail.com

  18. Raquel comenta:

    4 dezembro, 2013 @ 9:50 AM

    Oi meu nome é Raquel, descobri a coarctação da aorta aos 30 anos . Desde os 17 minha pressão oscilava era 18 por 8 ,sentia dores de cabeça e taquicardia , problemas digestivos e sempre me diagnosticaram com sindrome do panico , ansiedade, gastrite nervosa e refluxo. Passei muitos momentos desesperadores e o pior todos achavam que meu problema era psicologico.Até que com 30 anos minha pressao estava muito alta , 18/10 , 19/12 , então resolvi ir a Goiania procurar um cardiologista , pois em minha cidade , os medicos acreditavam que era tudo ansiedade. Graças a Deus no primeiro ecocardiograma o Dr. Silvano cardiologista descobriu a coarctação, fiquei com coração cheio de gratidão a Deus por ELE ter me guardado durante esses 30 anos .Meu estreitamento , era muito extenso e do grau mais acentuado . Minha circulação dos membros inferiores era 10 % , sempre fiz atividade fisica , passava mal ,mas os medicos diziam que era ansiedade , para eu fazer mais atividades.Cresci achando que todos os meus problemas eram ocasionados por mim, por isso continuava a fazer todas as atividades e pedia muita força pra Deus par conseguir termina-las. Operei dia 18 de setembro de 2013 , em Goiania, com Dr. Paulo Couto, excelente pessoa , um anjo em minha vida junto com Dr. Rodrigo,colocaram um tubo artificial e fizeram um desvio , graças a Deus não fiquei com nenhuma sequela, estou com dois meses de operada , minha familia e eu estamos muito felizes , hoje muitos que achavam que era coisa da minha cabeça me pediram desculpa . Eu só tenho a agradecer a Deus por ter nascido de novo.Coloco-me a disposição meu email é wagnermanin@gmail.com. Que Deus os abençõe muito.

  19. Raquel comenta:

    4 dezembro, 2013 @ 11:28 AM

    Oi, sou a Raquel . Descobri aos 30 anos que tinha coarctação aorta e operei há dois meses. Estou a disposição sobre a doença e cirurgia ,meu email, wagnermanin@gmail.com , através do email,conversaremos com liberdade, grata.

  20. valeria Ferreira martins comenta:

    20 agosto, 2014 @ 11:42 PM

    Oi me chamo valeria tenho uma filha que nasceu com problema congênito de coartação da Orta e foi submetida a uma cirurgia de recenacida e logo quando fez 1ano fez outra passei muita angustia muito medo els operou no hospital do Incor em são Paulo faço acompanhamento de ano a ano mas agora em dezembro de 2014 ela vai fazer o ecocardiograma pra ver como anda ;mas estou com muito medo porque sr queixa de chok nos braços onde foi colocado o cateter e fala que ta com dor por favor tire esse medo de mim gostaria de saber se ela corri o risco de ter que fazer outra na pela 3vez obrigado

Deixe seu comentário aqui !