13 - mar.
  

Compressão medular

Categoria(s): Caso clínico, Reumatologia geriátrica




Interpretação clínica

Senhora de 73 anos, há mais ou menos 6 meses começou a sentir algumas dores e formigamentos nas pernas. Foi aumentando gradativamente ao ponto de deixa-la acamada, passamos por inúmeros hospitais e médicos. Todos os exames que foram realizados entre eles (sangue, urina, tomografia computadorizada, endoscopia, ultra-som etc..) porém há uns 15 dias atrás havia realizado uma tomografia computadorizada e seu resultado foi que ela está com uma compressão de medula espinhal, na região lombar. O diagnóstico da tomografia foi de Mielopatia Compressiva.

Como entender o caso?

A medula espinhal está localizada no canal medular com ilustra a figura menor. Através dos foramens (orifícios) laterais da coluna vertebral entram e saem os nervos que transmitem os sinais nervosos do corpo para o cérebro e desse para o corpo.

Estenose canal medularAs degenerações ósseas (osteoartrose), com ilustra a figura maior, podem causar aumento dos apófises vertebrais para o interior do canal medular, levando a compressão dos nervos e da espinha (coloração vermelha), gerando dores e perda da sensibilidade (formigamento, parestesias) quando comprimem os nervos sensitivos, e perda da mobilidade quando comprimem os nervos motores.

Essa compressão pode ocorre em qualquer altura da coluna, quando acomete as vértebras lombares causa problemas nas pernas, quando acomete as vértebras cervicais causa problemas nos braços e mãos. A área inervada por cada nervo recebe o nome de metâmero e seu estudo permite entender qual vértebra ou vértebras estão lesadas.

O tratamento depende do estudo de cada caso, considerando-se o tipo de lesão de a pessoa apresenta na coluna. Pode ser tratamento clínico ou cirúrgico.

Referências:

Cossemerlli, W – Reumatologia Básica. Ed. Sarvier – São Paulo,SP, 1992.
Novaes, A – Osteoartrose – Conceitos e Aspectos Epidemiológicos [on line]
Marques AP, Kondo A – A fisioterapia na osteoartrose: uma revisão da literatura. Rev. Bras Reumatologia 38(2)Mar/Abr:83-90,1998 [on line]

Tags: , ,




Comentário integrado ao Facebook:


54 Comments »

  1. flaviano comenta:

    18 fevereiro, 2014 @ 9:14 PM

    oi gente boa noite minha mãe fez uma cirurgia da medula estava com muita compressão tirarão 4 aneies colocou 4 piuns andes da cirurgia tinha dificuldades de andar depois que fez perdeu todos os movimento agora estar fazendo fisioterapia no hospital paulo de tarso em BH a cirurgia foi feita no dia 10-01-2014 começou a fisioterapia no dia 17-02-2014.si alquiem conhece alguma pessoa que passou pelo mesmo problema e se recuperou e voltou a andar deixe um comentário para fortalecer meu coração
    obrigado

  2. Lucas ricardo comenta:

    28 julho, 2014 @ 6:12 PM

    Ola sou o Lucas boa noite pessoal eu sofri um acidente de carro dia 23/072014 faz 5 dias e eu fraturei a c2 num entendo muito bem mas alguem pode me ajudar por que eu estou em desespero por que consigo mover meu corpo todo mas meu pescoço não eu estou com um colar alguém pode me dize em quanto tempo posso ta conseguindo movimentar

  3. Clara Renata comenta:

    11 março, 2015 @ 11:01 AM

    Bom, meu irmaõ teve que operar de Hernia de Disco na Cervical C3 e C4 ele saiu da cirurgia sem movimento nenhum, desenvolveu a Tetraplegia. ele realizou a cirrurgia em Maio de 2014 e até hoje só voltaram os movimentos do lado direiro. Hoje ele é acamado na cosegue se levantar e nem se sentar sozinho estou assustada com essa cirurgia não sei se foi erro médico só sei que esta muito dificíl ele tem muito espasmos e não tem controle na unira e para evacuar. Gostaria de saber se a recuperação é lenta se ele tem possibilidades de andar (como ele não se movimentava agora ele só tem os movimentos do lado direito) ele faz fisioterapia todos os dias o médico informou que ele teve que realizar a cirurgia pois a Hernia estava comprimindo a médula e realizou o descomprimento medular,estamos rezando tanto pois isso é um sofrimento. Obrigada pela atenção. Clara

  4. Kelly Mary comenta:

    30 março, 2015 @ 11:59 PM

    Minha fez um cirurgia na C6 e C7 ( artrodese) no dia 15/01/15 logo após retornar do centro cirurgia ela apresentou um quadro de tetraplegia no dia 17/01/15 o medico fez uma reabordagem pois segundo ele tinha um edema que estava comprimindo a medula e dias após a segunda cirurgia e algumas sessões de fisioterapia no proria hospital mantém agora paraplegia e e pouco movimentos com os dedos ( não consegue segurar nenhum objeto). Segundo o medico houve uma isquemia medular acima da local da cirurgia, ou seja, na C3 e C4, ela tomou um medicamento chamado Sygen durante 60 dias, ela tem muitas contrações na região do abdômen e movimentos involuntários nas pernas, não anda e não possui sensibilidade alguma. Ela fez essa cirurgia pois tinha hernia de disco forte dores nos braços, entrou andando no hospital para fazer a cirurgia e até hoje estamos lutando para tentar revertar esse quadro. Sou filha dela estou deseperada, não sei o que fazer e nem por onde começar para poder ajudar minha mãe pois ela estar começando a ficar depressiva, ela trabalhava tinha um vida muito ativa e hoje se ver numa cama dependendo das pessoas para comer, trocar fralda, tomar banho, etc. O medico dela não informa nada só passa informações superficiais, nada concreto e sempre pessimista, sempre penso : Será que não foi erro dele? Espero que leiam e me deem uma luz . Tenho fé que tudo vai se resolver Deus não desampara seus servos.
    Obrigado pela atenção. Kelly. ( uma filha desesperada)

Deixe seu comentário aqui !