20 - jan
  

Dissecção da aorta – aneurisma dissecante da aorta

Categoria(s): Angiologia Geriátrica, Cardiogeriatria, Emergências




 

Resenha

Dissecção da aorta

A dissecção aórtica ocorre quando o sangue penetra na parede da artéria a partir da camada íntima do vaso, criando um falso trajeto, como ilustra a figura acima. Este trajeto tem uma extensão variável de sua circunferência e ao longo da artéria.

Esta doença tem alta mortalidade, cêrca de 21% nas primeiras 24 horas, 50% nos quatro primeiros dias; e 90% nos três primeiros meses.

Para que ocorra a dissecção aórtica é necessário uma série de fatores predisponentes, sobretudo, a existência prévia de degeneração da túnica média, que consiste de deterioração do colageno e tecido elástico, freqüentemente com alterações císticas. O processo denominado de médio-necrose cística da aorta e o resultado do “stress” crônico, na parede aórtica, como na hipertensão arterial sistêmica, que é um fator importante encontrado em mais de metade dos casos.

A degeneração cística da média ocorre principalmente na Síndrome de Marfan, na Síndrome de Ehler-Danlos, na Doença de Erdheim e na Síndrome de Turner.

Doenças como coarctação da aorta e valva aórtica bicúspide parecem predispor a dissecção. Na gravidez há infiltração de mucopolissacarides na parede aórtica, o que aliado a outros fatores desconhecidos, predispõe a dissecção da aorta, bem como de artéria coronária, sobretudo no último trimestre.

Quadro clínico

Na dissecção proximal da aorta a dor geralmente é intensa na instalação, localizando-se na região anterior do tórax, podendo irradiar-se amplamente. E uma dor excruciante que atinge pico máximo na sua instalação, estando presente em 90% dos casos. Pode se acompanhar de manifestações vasovagais como sudorese, náuseas, vômitos e desfalecimento. A insuficiência aórtica esta presente em 50% dos casos ou mais, e é decorrente de: a) dilatação da raiz aórtica, com alargamento do anel, de modo que os folhetos não se coaptam na diastole; b) quando a dissecção é assimétrica, a pressão do hematoma deprime o folheto abaixo da linha de fechamento; c) o suporte dos folhetos é alterado ou os próprios folhetos sofrem rotura.

Diferença acentuada de pulsos arteriais ou da pressão sangüínea de um lado em relação ao outro e sugestiva de dissecção. Pode haver manifestações neurológicas com síncope, a qual freqüentemente se associa com tamponamento cardíaco e sinais focais. O atrito pericárdico, quando presente, constitui sinal de alarme, pois implica em rotura para dentro do pericárdio, mecanismo comum de morte na dissecção proximal.

Dentre as manifestações neurológicas pode haver também neuropatia periférica, paraparesia isquêmica (mais comum na dissecção proximal) e déficit nos membros inferiores. Pode haver também, síndrome de Horner (devido a compressão do gânglio simpático cervical superior) paralisia da corda vocal com rouquidão e massas pulsáteis. Pode também ocorrer compressão da arvore traqueobrônquica com sibilos, hemoptise e, finalmente, a dissecção pode atingir o septo interatrial e o NÓ AV resultando em bloqueio AV total.

Diagnóstico

O eletrocardiograma pode ser normal ou exibir sinais decorrente de patologia prévia como a hipertensão arterial sistêmica.

ECO O ecodopplercardiograma mostra o duplo lumem aórtico e o fluxo sangüíneo nos dois sentidos dentro da luz da aorta e na parede, sendo possível distingir o ponto de início da dissecção e quantificar a lesão.

A ecocardiografia transtorácica tem a grande sensibilidade para detectar as delaminações proximais, especialmente com o uso do doppler color. pode-se perceber um “flap” que se movimenta anarquicamente no interior do lumem verdadeiro e que representa o segmento parietal roto.

O ecotransesofágico tem alta sensibilidade e especificidade na definição diagnóstica e do grau de extensão da delaminação aórtica.

A aortografia é o exame mais positivo, podendo mostrar o falso lumem separado do verdadeiro pela íntima. Pode também quantificar o grau de lesão e a anatomia coronária.

Classificação

Segundo De Bakey, podemos classificar a dissecção da aorta da seguinte maneira: tipo I – quando ocorre dissecção total da aorta, desde a porção ascendente; tipo II – quando a dissecção envolve apenas a porção ascendente (arco aórtico); tipo III – que se origina na aorta descendente, imediatamente após a origem da artéria subclávia esquerda (IIIa – com acome-imento do arco aórtico, e IIIb – sem este comprometimento); tipo IV – com dissecção retrograda iatrogênica devido a cateterização arterial e canulação em cirurgia cardíaca.

Utiliza-se mais comumente a classificação em dois tipos: 1. proximal (tipo A); e 2. tipo dissecção distal (tipo B).

Diagnóstico diferencial

O diagnóstico diferencial é feito com infarto agudo do miocárdio, embolia pulmonar, acidente vascular cerebral, rotura de aneurisma do seio de Valsalva e abdome agudo cirúrgico.

Tratamento – O tratamento inicial se faz pela redução da pressão arterial, normalmente elevada, e reparo cirúrgico com reestabelecimento do trajeto sangüíneo para a luz verdadeira da aorta.

Referências:

Roberts WC – Aortic dissection: anatomy, consequences and causes. Am Heart J. 1981;101:195.

Slater EE, De Sanctis RW – The clinical recognition of dissection aortic aneurysm. Am J Med. 1976;60:625.

Tags: , , , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


56 Comentários »

  1. Adriana comenta:

    16 março, 2008 @ 3:32 PM

    Olá boa tarde! Bem tenho 35 anos e Dissecção de aorta com aneurisma.Tipo B. OS médicos, me falaram que no momento era muito perigoso fazer a cirurgia,q era apenas para cuidar da pressão arterial. E tb disseram que eles não tinham uma bola de cristal, isso realmente me assustou.Tomo vários medicamentos,para controlar a pressão. Gostaria de saber a opinião de vcs. Devo correr atrás para fazer a cirurgia,ou devo esperar a morte chegar como eles me falaram.
    Atenciosamente

    Adriana*

  2. Dr. Armando Miguel Jr comenta:

    27 março, 2008 @ 9:55 PM

    Adriana,
    Consulte outros especialista em cirurgia cardiovascular. Especialmente na cidade de São Paulo.

  3. santicleia comenta:

    21 abril, 2008 @ 8:29 PM

    oi,
    sou de porto velho rondonia, aqui não tem cirurgia para este caso, por causa disso meu esposo de 34 anos faleceu, ficou internado 5 dias e quando foi pra sair daqui não resistiu no avião. A doutora desde o principio soube que dissecação na aorta e não providencio e nem nos alertou pra tirá-lo quanto antes. Ele tinha pelo o que entendi o tipo 1. E pergunto ele poderia resistir se fosse operado logo.

  4. brninha_nolasco.voss@hotmail.com comenta:

    12 agosto, 2008 @ 10:19 PM

    oii

    moro em itapema santa catarina…meu pai fex uma cirugia de 12 horas devido o aneurisma desecante de aorta ele fez a cirugia no hospital santaiasabel me BLUMENAU SC.. meu pai tem somente 47 anos… e ele ficou um mes na u.t.i ele fez a cirugia a 15gRAUS a temperatura… e trocou tudo por material sintetico…
    ele teve 48 h de recuperaçao… nessas 48 horas n podia dar febre nem emoragia e nem parada respiratoria ele teve yudo isso.. e fez nessas 48 h mais 2 cirugia uma de 5 e outra de 3 h…
    agora ele ta 2 semanas nu quartoo.. o medico disse q foi um milagre ele esta vivo..
    so q agora ele entrou em coma vigio devido a temperatura ter sido muito baixa.. e ter dado afetanil para ele…
    eu queria saber como q ele aguento tudo isso.. e u q pode acontecer daqui pra frente…queria tbm entra em contato com vcs.. pois aqui é muito ruim de explica tudooo
    obrigado epal atençaooo

  5. lucia comenta:

    12 novembro, 2008 @ 1:04 PM

    Fiz uma ablação a 4 meses para correção de arritimia TPSV, fiz um ecocardiograma e o resultado foi de um pequeno aneurisma septo interatrial, isso é proveniente da ablação? ou é um quadro novo e se for o caso é cirúrgico ou existe tratamento?
    Agradeço desde já a atenção

  6. lucia comenta:

    12 novembro, 2008 @ 1:05 PM

    Fiz uma ablação a 4 meses para correção de arritimia TPSV, fiz um ecocardiograma recentemente e o resultado foi de um pequeno aneurisma septo interatrial, isso é proveniente da ablação? ou é um quadro novo e se for o caso é cirúrgico ou existe tratamento?
    Agradeço desde já a atenção

  7. Ângela Maria comenta:

    16 novembro, 2008 @ 1:16 PM

    Olá, meu marido tem 49 anos e já foi diagnosticado uma dissecção da aorta tipo l, os médicos aconselharam ele não fazer a cirurgia, pois ele não sente nenhuam dor, toma medicação e está tendo uma vida normal. Ele é portador da síndrome de Marfhan. Eu queria saber se ele pode ter uma morte súbita?

  8. lucilene comenta:

    2 janeiro, 2009 @ 3:06 PM

    Olá!!!Boa tarde!!!
    Sou Lucilene meu tinha 68 anos e morreu com aneurisma da aorta dissecante, foi terrível teve muita dor…não levou duas horas para chegar em óbito, no dia 28/12/2008.Gostaria de saber se este problema é hereditário…
    Lucilene

  9. ag comenta:

    5 janeiro, 2009 @ 2:16 PM

    Boa tarde a todo mundo!

    Em 30 de dezembro de 2008 a partir das 16:00 minha mamae (68 anos bem vividos, que Deus a tenha) começou a sentir fortissimas dores na parte de trás das costas suando demais e vomitando e veio a falecer aas 18:30 apesar de meia hora de tentativas de ressussitação. Ateh o momento da parada cardiaca somente uma injeção foi aplicada nela, provavelmente morfina o que a fez a dor parar.

    Não foi feita autópsia, mas acredita-se ter sido um aneurisma dissecante. A dor realmente era muito muito forte e em menos de duas horas, tal como no caso mencionado pela Lucilene (comentario acima) ela veio a falecer. Os médicos (HC/UFMG Belo Horizonte/MG) foram pegos de surpresa e não puderam fazer muito. Tratava-se de um quadro gravíssimo que evoluiu muito rápido acompanhei tudo de perto. As massagens cardíacas a atencao de todos nao foi suficiente, mas tambem não foi e nem será esquecida.

    Minha mãe era hipertensa o que certamente agravou o caso… Para nós fica o alerta: dor muito forte nas costas (MAS MUITO FORTE MESMO) pode ser mortal. Quando o serviço de transporte foi levah-la ao hospital nao havia motivos aparentes para se enviar um veiculo todo equipado e com médico… depois do ocorrido eles foram informados que em casos semelhantes (idoso com dores muito fortes nas costas) um veiculo equipado e um medico deve ser designado e não somente um veiculo de transporte já que um desfibrilador e massagens cardíacas poderíam vir a ser necessárias tal como foram no hospital.

    É raro e mortal, minha mãe nunca quiz ficar acamada, não ficou felizmente. É incrivel como em duas horas nossa vida pode mudar tanto, demora-se para entender o que estah acontecendo, ainda estamos tentando. Obrigado a todos.

    Um abraço a todos.

  10. Joanice comenta:

    22 abril, 2009 @ 12:35 AM

    Boa noite, tem 1 mês que descobrimos que minha mãe tem aneurisma dissecante do tipo 1, não
    sabemos o que fazer, ela tem 53 anos, não é hipertensa, pelo contrário a pressão arterial dela é
    baixa, não tem nenhum vício, enfim, a primeira médica em que fomos disse que era melhor fazer
    o tratamento pois o risco de cirurgia é muito alto, mas ela vai acabar entrando em depressão se continuar nesta vida parada, de ficar deitada o dia todo, logo ela que tinha uma vida super ativa,
    caminhava pela manhã todos os dias, sempre fez os afazeres de casa, então está muito incômodo pra ela, parece que está esperando a morte chegar uma coisa horrível. Gostaria de uma opinião seria melhor a cirurgia ou não?
    Obrigada, e boa noite.

  11. Silvana comenta:

    16 maio, 2009 @ 6:29 PM

    Oi, Boa Noite,
    Descobri há quase 1 mês que meu marido tem aneurisma dissecante da aorta tipo B e estou desesperada. Já sei da complexidade da cirurgia e gostaria de mais informação sobre o tratamento clinico/conservador, já que com a cirurgia o risco de óbito e muito grande. Meu marido tem apenas 46 anos e muito ativo. No momento, está hospitalizado e a sua presão está controlada, a fase aguda ja passou, mas até os médicos estão inseguros em fazer a cirurgia pois sua dissecção é muito grande , algo em torno de +ou- 44cm. No momento ele está estável, com pouca dor, controlada através de remédios. Como disse, gostaria de saber mais sobre o tratamento clinico, como é a vida do paciente, durante esse periodo.

  12. Franciele comenta:

    5 outubro, 2009 @ 8:43 AM

    Bom dia!

    Ha 2 semanas atras corri levar meu pai no PS cm se fosse uma colica de rim; ele sentia muita dor nas costas perto da cintura no lado esquerdo; ficamos das 15:00 ate as 19:00 o medico dando remedios pra dor e nd qdo fomos encaminhados ao Hospital ele foi medicado e nd de passar a dor entao fiquei sabendo que deram morfina e foi entao que a dor foi embora…o deixei la pra no outro dia fazer uma ecografia de abdomem pra saber o “Tamanho da Pedra” no outro dia por volta de umas 10:30 consegui dar uma fugida e entrei no quarto pra ve-lo pois estavamos no SUS e n era horario da visita…ele estava parecendo bem ja tinha feito a eco e estava aparentemente sem dor! Na parte da tarde no horario da visita minha mae foi ve-lo conversaram entao veio o medico e disse a ela que ele estava sendo transferido pro CTI pra ficar em obs. pois pela eco eles tinham detectado um aneurisma de abdomem minha mae entao comentou: nunca ouvi isso somente cerebral…mas saiu de la um pouco reciosa mas veio pra casa pois o medico disse que eles iriam fazer uma tomografia pra saber a expansao do caso e supostamente poder fazer uma cirurgia…nos nao caimos na real do problema pois o unico sintoma que ele tinha era a dor mas cm estava medicado nem isso ele tinha naquele momento ate indo ao banheiro sozinho ele estava! Qdo foi por volta das 19:00 fui ao hospital pra saber do resultado da Tomo e nisso foi bem o momento que vi os medicos correndo com ele pois ja havia tido 2 paradas e AVC depois disso os medicos ficaram 1h fazendo massagem cardiaca mas ele nao resisiu…Eh dificil acreditar pois estava vendendo saude era caminhoneiro viajava 2.400km td semana sem sintomas algum! O medico disse que alguns dos fatores eh pressao alta (ele nao tinha pelo contrario era baixa) e arterosclerose (ele tinha) mas vivia uma vida normal! Estamos muito muito tristes mas saliento que ate onde eu acompanhei nao faltou assistencia nenhuma da parte dos medicos…mas infelizmente esta doenca chega de repente cm se fosse um assalto!!!

  13. Joanice comenta:

    5 outubro, 2009 @ 12:54 PM

    Boa Tarde, Estou novamente aqui pra relatar, atualizar e talvez dá esperança as pessoas que precisam e passam por um momento deste tipo de doença como eu passei com a minha mãe. Pois bem no dia 22/04/09, estive aqui realatando o problema da minha mãe, então hoje digo que minha mãe já operou tem 3 meses de aneurisma dissecante da aorta tipo A, e está muito bem na sua vida normal, graças a Deus primeiramente e ao médico que operou ela, por sinal um dos melhores cirurgiões cardíacos do Brasil, essa doença é hereditária, e tem cirurgia sim, e a pessoa tem como ficar curada. No dia em que escrevi aqui no dia 22/04/09, eu estava completamente sem rumo e sem o que pensar, hoje, estamos muito felizes, e só quem tem uma pessoa na família com este problema, é que sabe o que passou. Quem precisar de alguma ajuda, eu ajudarei.
    Obrigada e um abraço a todos.

  14. Lili comenta:

    6 novembro, 2009 @ 8:52 AM

    Joanice, poderia me dizer qual o nome do cirurgião cardiaco que operou sua mãe?
    Obrigada.

  15. vilson zillmer comenta:

    23 novembro, 2009 @ 3:55 PM

    Ola tenho 44 anos tive dissecção de aorta tipo 1 no dia 27 06 2009 o medico dise que tinha que fazer cirurgia não me deran nen tempo de pensar, pois senti uma dor muito forte no peito ao fazer un gande esforço para retirar um parafuso com uma chave de fenda, fui imediatamente para o hospital onde apos um raio xis e uma tomografia foi diagnosticado o aneurisma isto as 10,30 horas. as 13,00 horas fui levado para um hospital a 40 kilometros da minha cidade com ambulancia tipo uti movel, as 16,00 horas ja estava em cirurgia que durou por volta de 5,00 horas como o indice de mortalidade e alto gostaria de conhecer mais pessoas que sobreviveram a dissecção de aorta tipo 1 com troca de aorta acendente

  16. deoclydes comenta:

    7 dezembro, 2009 @ 5:30 PM

    Boa noite, tenho 40 anos e tenho diolatação na aorta ascedente de 5.7mm gostaria de saber se posso fazer esforço fisico pois trabalho levantando peso e meu cardiologista me avastou pois com o esforço fisico pode romper a aorta, mais os medicos do INSS não me avastou alegando que eu posso fazer qualquer tipo de esforço, gostaria de saber a opinão de alquem pois os medicos peritos do INSS sao todos clinicos gerais estou com medo pois entrei em contato com dois cardiologista e tive a mesma opinão do meu medico alegando que eu não posso fazer no momento nenhum esforço fisico em excesso gostaria de saber o q

  17. deoclydes comenta:

    7 dezembro, 2009 @ 5:32 PM

    Boa noite, tenho 40 anos e tenho diolatação na aorta ascedente de 5.7mm gostaria de saber se posso fazer esforço fisico pois trabalho levantando peso e meu cardiologista me avastou pois com o esforço fisico pode romper a aorta, mais os medicos do INSS não me avastou alegando que eu posso fazer qualquer tipo de esforço, gostaria de saber a opinão de alquem pois os medicos peritos do INSS sao todos clinicos gerais estou com medo pois entrei em contato com dois cardiologista e tive a mesma opinão do meu medico alegando que eu não posso fazer no momento nenhum esforço fisico em excesso gostaria de saber o que eu posso fazer gostaria de ajuda pois não aguento mais

  18. Joanice comenta:

    7 dezembro, 2009 @ 8:39 PM

    Boa noite, Lili, o nome do cirurgião é Edson Nunes, por sinal um grande cirurgião, boa sorte.

  19. Joanice comenta:

    7 dezembro, 2009 @ 8:42 PM

    Boa noite, Deoclydes, você não deve fazer esforço algum, quanto menos esforço melhor, e procure um cirurgião cardíaco, não vá atrás de médico do INSS, que eles não estão nem aí para o paciente, espero ter ajudado.

  20. deoclydes comenta:

    10 dezembro, 2009 @ 12:04 PM

    Joanice obrigado pela dica, mais como trabalho numa firma onde requer que eu use o meu corpo estou com medo que o medico do INSS cancele o meu auxilio doença e faça eu voltar a trabalhar, no meu caso o meu cardiologista me informou que no momento não e hora de cirurgia pois fiz uma cineangiocoronariografia e uma angioplastia para aliviar a carga na aorta, o que me entristese é o modo que alguns medicos trata o caso, pois carrego comigo um problema silencioso, fico sem respostas para alguma coisa, pois em varios sites que eu entro não tenho respostas afirmativas, em algum sites medicos dizem que a aorta não pode ultrapassar 5.0mm em outros dizem que a aorta pode chegar a 6.0mm ai tendo a cirurgia como correção estou com medo pois a minha vida parou desde que descobri o problema, penso ate procurar um piscologo para ajudar eu superar um novo desafio que a vida me deu, fico assustado pois o mundo continua e eu fico parado esperando respostas de medicos e especialistas para que alguem chega até mim e fale que eu posso ou não posso fazer.

  21. Joanice comenta:

    13 dezembro, 2009 @ 7:09 PM

    Deoclydes, te compreendo pq passei isso com a minha mãe e ela estava com o psicológico pior até que vc já não fazia mais nada e ficava o dia todo deitada, mas ficou assim, por causa dos médicos pelo qual ela havia passado, que por sinal só a deixou mais confusa, andamos muito, passamos por vários médicos até chegar ao profissional que falou a verdade pra ela e resolveu o problema, a aorta dela estava com 8 cm, e estava quase rompendo, e se romper já era, pelo que sei a aorta mede 3 cm. O que te aconselho é ir procurar opiniões de outros médico pra vc esclarecer melhor e resolver o seu problema, até pq a tendência da aorta é só aumentar, principalmente se fizer esforço. Realmente é um problema silencioso e existem tipos I, II, III desta doença, vc tem que saber qual é o tipo que vc tem, sei que a tipo I é a pior que foi a que a minha mãe teve. Não fique com medo pelo fato de os médicos do INSS querer cancelar seu auxílio doença, até pq muita das vezes eles querem é manter a pessoa no auxílio para o INSS pagar menos as pessoas tenho um cunhado numa situação desta que está encostado há 5 anos pelo INSS por causa de Erisipele e feridas no pé, e ele melhora mas nunca liberam ele a voltar a trabalhar. Espero ter ajudado, te desejo boa sorte na sua luta com este problema, e se eu puder te ajudar em alguma dúvida, estarei aqui.

  22. Lili comenta:

    17 dezembro, 2009 @ 2:45 PM

    Joanice, agradeço sua atençao!
    Quando descobrimos que minha mãe estava com aneurisma na aorta ascendente de quase 7 cm ficamos desesperados, mas Graças a Deus os médicos que cuidaram dela foram maravilhosos! E em apenas 10 dias depois do diagnóstico ela já estava fazendo cirurgia. A cirurgia é complexa mas se realizada por especialistas o índice de sucesso é grande. A recuperação dela foi muito rápida e agora é vida normal, Cuidando sempre da pressão arterial.
    O meu conselho é procurar sempre bons médicos. E os melhores geralmente estão vinculados às Universidades, ou seja, também atendem pelo SUS. Em São Paulo indicaria o INCOR e o Instituto DAnte Pazzanese de Cardiologia que são mantidos pelo governo Estadual.

  23. Lili comenta:

    17 dezembro, 2009 @ 2:53 PM

    Deoclydes, a Joanice está certíssima, você não deve fazer esforço. Quando minha mãe foi diagnosticada com aneurisma, até que ela fizesse a cirurgia, foi receitado um betabloqueador para reduzir a pressão e a frequencia cardíaca e recomedado que ela não subisse rampa, escada, só que o aneurisma dela estava bem maior, com quase 7 cm.

  24. Joanice comenta:

    17 dezembro, 2009 @ 7:51 PM

    É isso mesmo Lili, foi receitado o mesmo procedimento à minha mãe até a cirurgia, exatamente isso.

  25. neto comenta:

    16 janeiro, 2010 @ 11:22 AM

    bom pessoal eu tenho 48 anos e a minha luta começou em 2008, primeiro tive que colocar dois stent na coronaria e nos cateterismo o médico descobriu a minha aorta com uma dilatação, a mesma está com 5,5 mm, tenho sentido muitas dores e nenhum médico pediu mudança de comportamento de vida e nem de trabalho, estou muito preocupado, gosto muito de viver e daminha familia, moro em porto velho rondonia, eu sou de são josé do rio preto SP e lendo aqui os comentarios sobre o problema vi que tem cirugia e sendo feita com bons profissionais o sucesso é grande, peço a LILI e Joanice se possivel estarem me passando o nome e como posso conseguir entrar em contato com os médicos na qual os seus familiares foram atendidos e feito a cirurgia, desde já agradeço a todos.
    Obrigado

  26. Joanice comenta:

    17 janeiro, 2010 @ 7:52 PM

    Boa noite Neto, minha mãe foi avaliada e operada pelo médico Dr. Edson Nunes que tem uma equipe no Hospital São Lucas que fica no bairro de Copacabana no Rio de Janeiro, fica no setor de hemoterapia se não me engano no 4ºandar deste hospital citado anteriormente. A primeira consulta de avaliação deverá ser feita por uma de suas assistentes chamada Dra. Patrícia Barbieri, esta equipe é excelente. Qualquer dúvida pode perguntar que eu te respondo.

  27. Lili II comenta:

    18 janeiro, 2010 @ 8:20 AM

    Bom dia a todos!
    Estou aqui para fazer o meu relato e dar um toque animador para as pessoas que passam por problemas cardiovasculares considerados graves:
    No dia 26 de maio de 2008 estava no trabalho ás 15:30hs comecei a sentir dores fortes no peito, perdi completamente o jogo da perna esquerda e fui imediatamente para o hospital e diagnosticada pelo meu irmão cardiologista que resultou:dissecção da aorta ascendente tipo A.
    O mesmo contactou com o médico cirurgião, também um dos melhores cirurgiões cardiovasculares do país e com cinco horas eu já estava no bloco cirúrgico.Abaixo de Deus fui salva pelo meu irmão e óbvio por este médico. Sou funcionária pública , exerço cargo de gestão, fiquei licenciada 3 meses e voltei para as minhas funções levando uma vida normal, agora em maio vai fazer 2 anos, basta ter fé e acreditar…

  28. Efraim dos Reis comenta:

    26 janeiro, 2010 @ 8:07 AM

    oi, Informo que em julho de 2009, tive uma crise hipertensiva seguida de uma agina e fui medicado e encaminhado a clinica cardiologica
    do HGP-hospital geral de Palmas to, tive alta no dia seguinte, mas a pressÃO não baixava, consultei e o medico disse que era assim mesmo.
    Desconfiado procurei outro e fiz duas tomografia descobriram que precisaria fazer uma discequissão da aorta tipo B o mais breve possi
    vel, hoje faz 60 dias de operado, graças a Deus ele guiou e abençou a equipe ciriurgica que tudo ocorreu bem, da internação a alta fiquei
    7 dias internado. estes procedimentos foi realizado aqui em Palmas to, graças a Deus descobrir a tempo, pois perdi um irmão com
    este mesmo problema. Tenho 51 anos. Conheça e fique atento as anormalidades que ocorrem em nosso corpo, pois não sentia nada
    nunca tinha ficado internado e não me queixava de nada.

  29. Carlos Alberto Guimarães de Sá comenta:

    6 julho, 2010 @ 2:45 PM

    O que me deixa intrigadó, é que aciência tem avançado e, não tem uma solução para um problema de condução, isso significa, uma ponte que não é de safena, mas não difere tanto. Não é cancer, mas nada se pode fazer? Fica feio se administrar tantas doenças e não administrar tantas outras. Então para que tanta pesquisa e estudo?

  30. Ana Paula comenta:

    5 agosto, 2010 @ 3:58 PM

    Meu pai tinha aneurisma de aorta abdominal, os médicos disseram que estava com 7cm eu acho que o medico que o operou no hospital das clinicas em goiania-GO não era realmente bom ele teve parada cardiaca e hemorragia veio a óbto durantea cirurgia no dia 14 de julho de 2010. hoje eu sinto uma dor quase que insuportavel. Ele era forte, brincalhao e não sentia dores e eu o amo muito porque ele ainda esta vivo em meu coração. Ele tinha 65 anos, faria 66 dia 23 de agosto.

  31. efraim dos Reis comenta:

    16 agosto, 2010 @ 11:15 AM

    oi, hoje fez 8 meses e 20 dias que fui operado de uma cirurgia dissecção de aorta tipo B, graças a Deus estou bem, cumpro todos os resguardo feito pelo medico; controle de pressão, não fazer muita força e pegar peso e evitar emoçoes fortes, questionando com o medico descobrir que ainda existe uma dissecção logitudinal sem perigo eminente, é caso cirurgico caso venha sentir fortes dores, para que issonão ocorra tenho que obedecer as recomendações. Sou servidor publico em recepções e ele não me deu um atestado com estas restrinçoes, como posso evitar estas coisas pois vivemos em uma população nervosa?. Mas graças a Deus ele tem me dado paciencia e livramento.

    Mas os que confia no senhor são como os montes de Sião que não se abala mas permanece para sempre – Sl.125.1. Só o Senho pode nos propocionar um tão grande livramento; entrega o teu caminho ao Senhor confia nele e ele tudo fará.

  32. monique comenta:

    29 agosto, 2010 @ 12:03 PM

    olá gente,sou monique eu perdi meu pai na minha frente morreu de infarto,e logo em 2 dias eu começei a ter dor no peito essa dor ela muda de luga e não passa nenhum minuto,faz um ano já que eu tenho ela,e agora ta aparecendo uma dor que é começa debaixo du suvaco e entra la dentro,eu não sei aonde que é começa ferruar que eu começo ate suar,eu não sei da onde ela vem e também tenho dores muito nas costas,parece qe eu vo morrer,o meu maior medo é a morte,por que qualquer dor que eu tenho eu vo morrer,e eu não aguento mais,ja fui em 5 cardiologistas,passarão ixámes pra mim eu fiz e não deu nada,mandarão eu pra uma psiquiatra tomei remédio também não adianto,as vezes tenho vontade de pegar uma faca e me matar,é assim eu so sei chorar,as vezes saio na rua,tenho medo,acho que alguém vai me bater,ai quero ir embora,esses dias eu tava vendo uma mancha roxa no meu peito,sinto dores no braço e eu preciso de uma ajuda,por que não aguento mais essa dor nas costas,parece que eu vo morrer,ME AJUDEM MANDA PELO EMAIL :obrigado.

  33. LUCIANA CAMPOS comenta:

    29 novembro, 2010 @ 4:06 PM

    OI,Efrain, gostaria de saber um meio de contato contigo, pois meu marido tinha dissecçao tipo B, e fez a cirurgia
    em 01/10/2010, mas infelismente nao teve a mesma sorte sua e veio a falecer em 05/10/2010 e ele so tinha
    37 anos, gostaria de saber sobre como foi o seu procedimento cirurgico e pós cirurgico, poIs desconfio que no
    caso de meu marido houve imprudencia medica . De preferencia, gostaria de um telefone para entrar em contato,
    pois nao tenho internet em casa, só no serviço e no serviço é meio complicado pra eu ficar enviando email.
    Mesmo assim, pode me mandar seu telefone no meu email, que era do meu marido. O email é:
    rogeri.francisco@itelefonica.com.br. Agradeço a compreensão.

  34. Jessica castro comenta:

    1 dezembro, 2010 @ 9:07 PM

    Dr Armando meu pai 39 anos ele tem sindrome de marfan isso quem disse foi o cardiologista dele assim que ele deu entrada no pronto socorro devido a estatura dele que e muito alto e possui membros longos teve aneurisma dessecante de aorta ascendente essa foi corrigida com sucesso ,há possibilidades de ele desenvolver outra aneurisma?

  35. leninha comenta:

    25 abril, 2011 @ 10:47 PM

    oi a pouco tempo minha mãe descobriu quem tem aneurisma dissecante
    e no exame du 3cm mas estou muito preocupada pq alem disso ainda
    deu também orta crossa 5,2 cm o que é isso me ajudem ela corre risco de morte
    ela ja fez exame de ultrasonografia e agora fez o computdorizado que confirmou tudo isso

  36. leninha comenta:

    9 maio, 2011 @ 9:02 PM

    si alguém souber de algum jeito para amenizar este problema
    eu iria agradeçer pois estou com muito medo de algo aconteçer derrepente com ela pq ela é muito nervosa
    e alem desses problema ainda tem pedra na visicula aneurisma da orta é do tipo b

  37. Ana Paula comenta:

    26 agosto, 2011 @ 5:00 PM

    Eu tenho 34 anos e fiz a cirurgia de aneurisma dissecante da aorta tipo B e graças a Deus e aos médicos estou num processo de recuperação pós-cirurgica. Depois de 8 meses voltei a trabalhar e rezo todos os dias para que essa cura seja definitiva

  38. Andréia Carvalho comenta:

    29 agosto, 2011 @ 4:54 PM

    Perdi meu pai dia 22 de agosto de 2011 ele teve aneurisma da aorta abdominal. Foi cadastrado no SUS Fácil,mas de fácil não teve
    nada. Fiquei impressionada com a frieza do médico que o atendeu, a falta de comunicação dele com a famíla. Acho que os médicos precisavam de treinamento para aprender a tratar o ser humano, o médico veterinário tem mais carinho com os animais, que o médico que eu tive a infelicidade de tratar do meu amado pai. A minha oração é: que este médico um dia seja tratado da mesma maneira que ele tratou meu pai.

  39. Rosana comenta:

    1 outubro, 2011 @ 9:51 PM

    Meu marido foi diagnosticado no Incor -SP em 07/2011 através de uma angiotomografia, que tinha dissecação da aorta cronica Tipo B. Toma medicamento para controlar a pressão e está sendo acompanhado anualmente. Através da angiotomografia, verificou também que ele tem bócio multinodular benigno, sendo que o maior tem 4cm. Queria saber se uma doença pode ter feito aparecer a outra.

  40. Liliam Bernabé comenta:

    5 outubro, 2011 @ 10:29 PM

    Perdi meu irmão dia 19 de agosto pp devido a um aneurisma dissecante de aorta.
    Ele tinha 48 anos, não bebia, não fumava, apenas se excedeu na alimentação por ansiedade nos últimos meses.
    A doença deu aviso (dor nas costas).
    Nem imaginávamos a gravidade do que estava para acontecer.
    Meus pais o encontraram morto no seu quarto. Ele teve hemorragia interna pelo rompimento da veia.

  41. Sandra comenta:

    12 outubro, 2011 @ 9:33 PM

    perdi meu pai no ultima dia 11/10/2011 que sabiamos ele só tinha pressão alta moerreu em casa sozinho encontramos ele depois de mais ou menos duas horas como se tivese dormindo foi um choque para n,os meu papai querido morreu sozinho,
    e o laudo do iml estava que morreu de aneorisma aoto roto ascendente um problema que nunca foi disgnosticado antes apesar das visitas medica será que ele tinha esse problema a muito tempo e um assasino silencioso como estamos sofrendo sua perda

  42. Ligia comenta:

    16 novembro, 2011 @ 5:12 PM

    Tenho um filho de 45 anos que já fez duas cirurgias grandes porque ele tem dissecção da aorta. As cirurgias foram feitas em SP por médicos do Incor, HC, Hcor: equipes do Dr. Aun-cirurgião vascular e Dr.Jatene cirurgião cardiovascular. A 1a. cirurugia durou 5 horas e foi trocada a vávula aórtica e trocada a aorta ascendente, foi a 18 meses e ele ficou 20 dias no hospital. A 2a. foi no dia 05/11/2011, uma cirurgia de 9 horas em que foi trocada parte da aorta descendente e início das duas ilíacas e ele teve alta no dia 14/11 pp e já está em casa . Os médicos foram maravilhosos e graças a eles e a maneira positiva e alegre do meu filho de encarar os problemas (inclusive estes que são tremendos) a operação foi bem sucedida. /esperamos que ele se recupere tã bem como da 1a. Ele tem problema de pressão alta e tudo isso foi descoberto porque ele foi colocar um stent e o médico desconfiou de algo que não estava normal e resolveu fazer uma tomografia computaadorizada e outra com contraste e ai descobriu o problema.
    Espero que com esse depoimento possa dar uma esperança as pessoas que necessitem de informações.

  43. adriana comenta:

    2 fevereiro, 2012 @ 9:40 PM

    Ol!gosaria muito de saber como me cuidar,sendo q tenho aneurisma dessepto interatrial.Obigada.

  44. verônica motta comenta:

    14 fevereiro, 2012 @ 7:33 PM

    BOA NOITE A TODOS,
    MEU NAMORADO ESTÁ INTERNADO NO HOSPITAL DA LAGOA – RIO DE JANEIRO DESDE DIA 09.12.2011- HÁ MAIS DE 2 MESES. VINHA SENTINDO UMAS DORES NAS COSTAS QUE NÃO ERAM TÃO FORTES ASSIM E NA TERCEIRA VEZ QUE A DOR APARECEU ELE FOI CAINDO LENTAMENTE AO CHÃO, A DOR ERA FORTÍSSIMA E ELE SUAVA FRIO E VOMITAVA APENAS ÁGUA POR VÁRIAS VEZES, JUNTO COM ISSO ELE NÃO SENTIA MAIS AS PERNAS, FICOU UMA HORA SENTINDO AS DORES ATÉ QUE A AMBULÂNCIA CHEGOU, NO HOSPITAL ACHARAM QUE ELE TINHA A DOENÇA DO CARAMUJO, DEPOIS A SÍNDROME DE GUILAN BARRET E DEPOIS VÁRIAS OUTRAS SUSPEITAS ATÉ CHEGAREM AO DIAGNÓSTICO DE MIELITE ISQUÊMICA ASSOCIADA A DISSECÇÃO DA AORTA DESCENDENTE. ELE NÃO SENTE NADA DO PEITO PARA BAIXO, ESTÁ TOTALMENTE PARALIZADO A PARTIR DO PEITO ATÉ AS PERNAS, TEVE A BEXIGA COLADA, FEZ UM MÊS DE HEMODIÁLISE, TEVE FEBRE QUASE TODOS OS DIAS, ELE TEM 50 ANOS E É HIPERTENSO, OS MÉDICOS NÃO QUEREM OPERAR POIS DIZEM QUE É UMA CIRURGIA DE ALTO RISCO. GOSTARIA DE OBTER INFORMAÇÕES SOBRE O TEMPO DE VIDA DE UMA PESSOA COM DISSECÇÃO DA AORTA DESCENDENTE, QUE ESTÁ COM MIELITE E QUE NÃO SERÁ OPERADA, SABER TAMBÉM SE ALGUÉM CONHECE UM BOM CARDIOLOGISTA NO RIO DE JANEIRO QUE PODERIA FAZER ESSA CIRURGIA APÓS O QUADRO DA MIELITE MELHORAR E SABER TAMBÉM SE ELE VAI VOLTAR A ANDAR POIS ESTÁ PARAPLÉGICO. SE A FISIOTERAPIA PODE PREJUDICAR A DISSECÇÃO DA AORTA POIS ESTÁ TOMANDO MEDICAMENTOS PARA BAIXAR PULSO E PRESSÃO.

  45. Fredson Ferreira comenta:

    5 março, 2012 @ 11:32 PM

    Olá, boa noite.

    Para ANA PAULA: também tenho 34 anos e fiz a implantação de uma endoprotese na arteria aorta em função de uma aneurisma. Hoje estou com mese de cirurgia e graças a Deus tudo bem até aqui. Assim como vc espero que seja definitivo.

    Aos demais: digo que busquem tratamento rápido e se possivel cirurgico logo, o caso não é de brincadeira. Caso seu médico ache que isso é algo que pode se aguardar algum sintoma mais grave para se fazer um tratamento mais sério procure outro. É a sua vida que está em jogo.

    E nunca esqueçam que para Deus nada é impossível, logo nada está perdido. Alguns médicos também não acreditavam que eu sobreviveria mas graças a DEUS estou aqui.

    sou da cidade de Itabuna/Ba.

    Grande abraço

  46. SOLANGE comenta:

    17 março, 2012 @ 3:40 PM

    MEU PAI QUERIDO teve essa doença DISSECÇÃO DA HORTA , primeiro ele sentiu um aforte dor nas osta e depois começou a perder o movimento em uma das pernas, foi levado ao hospital e disseram que era hernia de disco, passou us 3 dias ele começou a cospir sangue, foi para o hospital novamente com suspeita de tuberculose, ficou em observação por uns 4 dias ,e nada de diagnosticarem a doença, exama atraz de exame e nada. Após esses 4 dias ele piorou muitissimo, foi entubado, levado pa UTI e ai sim foi diagnosticado a DISSECÇÃO DA HORTA , ele foi operado no outro dia com urgencia, fez 4 cirurgias, aapós a mais complicada ele esta se recuperando bem, masmo entubado esta falando e se mexendo, porém teve complicaçoes e dia 28/01/2012 veio a falecer infelizmente , após tanto sofrimento de exames, agulhadas, cirurgias.. Creio que se naquele hospital tivessem diagnosticado logo ele teria sido salvo.Então quem tiver algum sintoma de dor váao médico, rapidamente. Pois vc ver uma pessoa que você ama sofrer tanto e depois falacer é uma dor infinita…..mais JESUS CRISto sabe de todas coisas.

  47. Camila comenta:

    21 março, 2012 @ 10:36 PM

    Boa Noite,
    Gostaria de receber ajuda. Minha sogra foi diagnosticada a mais de uma semana com Dissecção na Aorta, esta internada na UTI de um hospital a uma semana, esperando por uma cirurgia (Implante de endoprótese na aorta torácica). O médico disse que é urgente, na UTI não deixam ela se mexer, tivemos um problema com plano de saúde que já foi resolvido, o médico nos explicou que a cirurgia não é invasiva, vai ocorrer em uma sala de hemodinâmica através da virilha. A cirurgia já foi adiada 2 vezes, primeira vez devido o funcionamento dos rins, como foi utilizado contraste na tomografia e na cirurgia será usada uma dose muito maior, segundo motivo um fungo na região da virilha, fungo esse adquirido na UTI, segundo o médico devido corte no local o fungo seria levado ao coração e isso seria fatal. Bom o fato é que o me preocupo com o doença e tenho medo de a qualquer momento perder minha sogra, já que a mesma já esta na UTI a nove dias. Por favor, me deem uma opinião.
    Grata. Camila.

  48. Aparecido Girardi comenta:

    9 abril, 2012 @ 12:48 AM

    No dia 06/11/2003 fui submetido a uma cirurgia de dissecção da aorta ascedente onde foi colocado um tubo, trocado a valvula e uma safena, pela equipe do Dr. Ardito no IMC de São José do Rio Preto-SP e no dia 06/10/2007 efetuei novamente outra cirurgia no INCOR em São Paulo para correção de aneurisma descendente pela equipe do Professor Dr. Noedir e Ricardo Dias onde foi colocado um tubo e um stend até a região do embigo isto devo agradecer a essas equipes médica e a luz divina de Deus, porém efetuei novos exames no mês de março/2012 através da tomografia com contraste e foi diagnosticado que a região onde irriga a coluna, rins, intestino e demais orgãos esta com 5,1 cm de abertura, não sinto dor e vou retornar em Dezembro/2012 para novos exames, mas tenho fé em Deus que vai manter na mesma medida, estou tomando remédio para a pressão e batimentos não subir.

  49. Renata Magalhães comenta:

    20 abril, 2012 @ 1:25 AM

    Minha mãe faleceu de repente no dia 31 de outubro de 2010,ela acordou bem ,conversamos,rimos e em seguida ela foi por uma roupa na máquina,passados poucos minutos,ela se deitou no chão e morreu na hora,foi a dissecção da aorta ascendente.Essa morte chocou muito todo mundo porque foi muito repentina,a única coisa q ela tinha,era pressão alta ,mas tomava remédio. Hoje sofro demais com sua ausência…

  50. Lika comenta:

    30 maio, 2012 @ 3:48 PM

    Meu irmão aos 41 anos sentiu dores fortíssimas nas costas e foi ao Hospital. Não fizeram nenhum tipo de exame, a médica disse que era uma dor muscular, receitou um remedinho o mandou para casa (6 meses antes deste ocorrido fez tds os exames que possam imaginar e estava tudo ok.) . Dois dias das fortes dores que não passavam retornou ao mmo hospital com as dores insuportáveis nas costas e por Deus, resolveram fazer um eletro. No mmo momento indicou dissecção na aorta e já foi transportado para outro Hospital com mais recursos. Na realidade, os médicos não sabiam o que fazer, pois operar era um risco e não operar tb, ele era uma bomba que à qq momento poderia explodir. O diâmetro da Aorta ultrapassava mais de 7cm. O Deixaram por 15 dias na UTI do hospital, fazendo inúmeros exames, sofrendo…e esta doença têm uma evolução absurda, absurda, tto que até resolveram o que iram fazer ele havia comentado que os movimentos de seu braço não correspondiam qdo ele colocava o garfo a boca. Veja como deixaram evoluir a situação. Após 15 dias resolveram fazer a cirurgia, enfim o resultado foi ótimo somente a extensão do aneurisma era mto além do que aparecia no exame de um ou dois dias antes, então no momento a prótese que tinham precisou ser estendida com um recurso tipo “fibra animal”, fizeram o que podiam no momento. Enfim, como disse o médico falou aos meus pais disto ele não morreria mais. A cirurgia parecia ter sido um sucesso, mas ele pegou uma infecção pulmonar, óbvio no próprio hospital, que o infectologista dizia estar “controlada”. Na semana da Páscoa estava previsto a sua alta para ir p casa. Um dia depois da Páscoa ele obteve duas paradas cardíacas, na primeira resistiu, pq era muito forte, mas na segunda logo depois não aguentou. Muito triste, é uma doença que qdo aparece o seu grau já é bem elevado, diferente das outras doenças cardíacas que estão tão evoluídas e ng morre mais por isto. Mas “esta” ainda precisa de muita evolução. Desde o DIAGNÓSTICO “errado” até a decisão de 15 médicos especialistas para fazer uma cirurgia após 15 dias…. foi tudo mto lento para um caso muito, muito grave! Não os culpo, mas algumas “coisas” são evidentes! Pois recursos no hospital não faltavam! Difícil como toda perda, principalmente qdo a pessoa não está doente e assim, de repente, acontece algo como este! Desejo sorte para casos como este, que Deus ilumine o médico que irá assessorar este paciente!

  51. Silvia Thome comenta:

    10 julho, 2012 @ 9:14 PM

    Meu marido, com 47 anos, teve um aneurisma dissecante da aorta ascendente. Foi diagnosticado e indicada uma cirurgia de emergência. Quiz transferi-lo para o hospital do Coração ou Sírio Libanes, o hospital em questão,para onde o SAMU o levou, disse não ser possível. Porém, após 8 hs do diagnóstico, a equipe cirurgica não havia chegado e quando chegou, houve um bate cabeças, pois não haviam as próteses. Doze hs após o diagnóstico meu marido faleceu, sem ao menos ir para o centro cirúrgico. Pasmem estou em São Paulo e tínhamos direito ao melhores hospitais. Deixaram meu marido falecer, sem os procedimentos cirúrgicos indicados. Falha de quem? Do hospital que não tinha a estrutura sufuciente para operá-lo e não deixou transferí-lo ou do médico que não se preocupou com as próteses necessárias nas primeiras horas? A morbidade e mortalidade aumenta 1% a cada hora que passa, e se passaram 12 hs, até ele desestabilizar e falecer, sem o atendimento adequado a situação. Lamentável…………..

  52. Renata comenta:

    18 julho, 2012 @ 6:04 PM

    O site http://www.drcardozo.com.br, tem animações em vídeo de como são feitas as cirurgias para quem está procurando saber mais.
    Espero ter ajudado.

  53. Luciana Mendes comenta:

    21 novembro, 2012 @ 11:47 AM

    Meu pai realizou, em novembro de 2011, cirurgia para correção de dissecção da aorta tipo 1. Foram 14 horas de cirurgia e ele recebeu mais de 60 transfusões de sangue (esse é o número mesmo: sessenta). A cirurgia, embora complicadíssima (trocou válvula, colocou stents, fez reconstrução de tudo o que vocês possam imaginar) correu bem e, hoje, após 1 anos de cirurgia, ele está vivo. Aconselho, aos que puderem, que se consultem com o Dr. Jeferson Chaves, do Hospital Ordem Terceira da Penitência, na Tijuca, Rio de Janeiro. A parte cardíaca do hospital, sob direção do cardiologista Mohamed, é excelente e o Dr. Jeferson já realizou essa cirurgia de dissecção da aorta dezenas de vezes. Esse é o tipo de cirurgia que precisa ser realizada com alguém que tenha experiência, especificamente, em cirurgia de dissecção da aorta. Não pode ser qq cirurgião cardíaco. Segundo o que os próprios médicos nos disseram, o caso do meu pai foi o que de mais grave pode ocorrer em termos de dissecção tipo 1, e ele, graças a deus, sobreviveu, graças tb, e sem dúvida, à competência da equipe médica. Na época, naquele desespero pós diagnóstico, chegamos a cogitar de realizar a cirurgia do Pró-Cardíaco, em Botafogo, Rio de Janeiro, com o cirurgião Edson Nunes, que acho que também possui experiência nessa area. Mas a cirurgia + recuperação, sairia em torno de 1 milhão de reais, já que o plano do meu pai não é aceito no pro-cardíaco. Obviamente optamos por realizar a cirurgia na Ordem Terceira, até porque recebemos ótimas referência do Dr Jeferson na ocasião. E valeu a pena: esse cirurgião é espetacular. Espero que a indicação possa ajudar. Nesse hospital eles aceitam o plano da Unimed Alfa, q é o plano de saúde do meu pai.

  54. Flaviane comenta:

    7 dezembro, 2012 @ 11:46 PM

    Luciana Mendes, gostaria de falar com vce, meu pai esta passando por isso tambem, poderia me passar seu email?
    Obrigada

  55. eliza costa comenta:

    11 janeiro, 2013 @ 11:29 PM

    oi….meu pai tambem passou por essa cirurgia e infelizmente morreu poucas horas depois…
    no hospital Madre Tereza em Belo Horizonte com o Dr Carlos Bernardes o melhor da america latina…DIZEM…ele deu 99% de chance para meu pai,so que lamentavelmente ele estava no 1% .
    meu pai sofreu de hemorragia,foi entubado mas nao conseguiu co apenas 57 anos…a dor eh intensa,a saudade a revolta eh um misto de sentimento mas DEUS sabe o que faz…

  56. Cremilda gomes comenta:

    24 janeiro, 2013 @ 12:49 PM

    Meu genro passou por essa cirurgia tambem, ele tem apenas 28 anos, é piloto, está muito deprimido, pois teve que colocar stent na veia aorta, ele teve dessecção da aorta tipo b, não sabe se poderá voltar a exercer a profissão que tanto ama, apesar de tudo ,estamos muito feliz pois ele o mais importante é ele está vivo. O Resto entregamos na mão de Deus, pois para Ele nada é impossivel.
    Ele foi operado no COPADOR, pelo Dr. Arno.

Deixe seu comentário aqui !