16 - jan
  

Choque cardiogênico – Aspectos clínicos

Categoria(s): Cardiogeriatria, Emergências




 Entendendo

O choque cardiogênico é uma das entidades hemodinâmicas mais temidas nas urgências cardiológicas. A despeito dos inúmeros avanços na compreensão da fisiopatologia do choque, e os novos recursos terapêuticos clínicos e cirúrgicos, o choque, principalmente o conseqüente ao infarto do miocárdio, continua ditando um prognóstico bem reservado.

Definição

Classicamente define-se choque cardiogênico o distúrbio hemodinâmico agudo que apresenta hipotensão arterial sistêmica e pressão venosa central alta. Atualmente no sentido de instituir-se precocemente a terapêutica adequada defini-se choque cardiogênico com os seguintes parâmetros:

Diagnóstico clínico
a) pressão arterial sistólica inferior a 100 mmHg, na ausência de hipovolemia, aliada à oligúria (débito urinário < 20 ml/h).
b) rebaixamento do nível de consciência
c) confusão mental
d) sinais periféricos de hipoperfusão (extremidades frias e cianóticas)

Diagnóstico laboratorial
a) lactato sérico > 2,0 mM/l

Diagnóstico hemodinâmico
a) índice cardíaco = 1,8 litro/min/m2 de superfície corporal

A incidência de choque cardiogênico nos infartos agudos varia entre 5 e 15% e a mortalidade intra-hospitalar chega a atingir 90%. O prognóstico a longo prazo dos pacientes que superam o choque cardiogênico não é bom pois o índice de sobrevida pós-choque em 1 ano e inferior a 10%.

O choque cardiogênico assume particularidades de acordo com o ventrículo ou estrutura acometida, assumindo aspectos fisiopatológicos próprios, que orientam os passos propedêuticos e terapêuticos adequados.

Classificação

Fisiopatológicamente e anatomicamente podemos classificar o choque cardiogênico como: a) predominantemente do ventrículo direito; b) do ventrículo esquerdo e, c) mecânico.

Choque por acometimento predominantemente do ventrículo direito – Desde a caracterização desta forma de choque em 1974, por Cohn e col (“pressão média do átrio direito igual ou superior a pressão capilar pulmonar”), vários pesquisadores analisaram o tema sem chegar um consenso definitivo.

Tudo indica que a participação do comprometimento do VE, sobretudo nos infarto que acometem a parede ínfero-látero-dorsal, é a responsável pela síndrome de baixo débito existente. Além deste fator superpõem-se a bradicardia sinusal, os bloqueios átrio-ventriculares de grau variados. Em alguns casos pode ocorrer grave insuficiência tricúspide perpetuando o choque. Estes fatores devem ser detectados precocemente antes que o choque se torne irreversível.

Fisiopatológicamente o choque por comprometimento do VD pode ocorrer por disfunção do VD comprometendo o parede livre ou septo interventricular causando o movimento paradoxal. Esta disfunção promove a dilatação da cavidade ventricular e conseqüente elevação da pressão inter-pericárdica.

O movimento paradoxal agrava a disfunção do VE, também elevando a pressão inter-pericárdica.

A determinação do estado anatômico do coração é fundamental e o ecodopplercardiograma é exame auxiliar indispensável.

Choque por acometimento do ventrículo esquerdo – Ao contrário do choque causado pelo VD, a fisiopatologia do choque pelo VE é melhor entendida. Existe uma relação direta entre a massa ventricular afetada e o aparecimento e o grau do choque, onde a necrose de 40% da massa ventricular, independente da localização já é suficiente para causar o choque.

Este tipo de choque instala-se após 36 horas do início do infarto. ao passo que o do VD após 24 horas.

Choque por comprometimento mecânico – As causas mecânicas que surgem no infarto do miocárdio são extremamente graves e letais. Podendo ser dos seguintes tipos, cujo tratamento depende do rápido diagnóstico :
a) Insuficiência mitral aguda
a1. rotura do músculo papilar
a2. disfunção do músculo papilar
b) rotura do septo interventricular
c) rotura da parede ventricular no saco pericárdico e tamponamento cardíaco.

Referências:

Giraldez RRCV, Ramires JAF – Choque cardiogênico: sugestão para o racional da terapêutica do infarto agudo do miocardio . RSCESP,1993;3(2):79-85.

Creamer JE, Edwards JD, Nightingale P – Mechanism of shock associated with right ventricular infarction. Br Heart J, 1991;65:63-67.

Cohn JM, Guihar NH, Broder MI – Right ventricular infarction: clinical and hemodynamic features. Am J Cardiol, 1973;33:209-215.

Gunnar RM – Cardiogenic shock complicating acute myocardial infartion. Circulation, 1988;78:1508-1510.

Goldberg RJ, Gore JM, Alpert JS, et al – Cardiogenic shock after myocardial infarction. N Engl J Med, 1991;3325:1117-1122.

Galiano N, Macruz R, Arie S et al – Infarto agudo do miocárdio e choque – tratamento por recanalização arteriaal através do cateterismo cardíaco. Arq Bras Cardiol,1972;25:197-204.

Tags: ,




Comentário integrado ao Facebook:


29 Comentários »

  1. MARINHO comenta:

    11 fevereiro, 2008 @ 12:53 PM

    MINHA SOGRA TEVE UM INFARTO CARDIOGÊNICO, O QUAL FOI VERIFICADO COM ATRASO E POR CONTA DISTO, HOUVE MORTE DE 70% DO CORAÇÃO…ESTA INTERNADA A 12 DIAS NA UTI, E RESPIRANDO POR APARELHOS…OS MÉDICOS DIZEM QUE É POSSÍVEL UMA PESSOA VIVER COM 30% DO CORAÇÃO COM ALGUMAS LIMITAÇÕES…ALGUÉM ESPECIALIZADO PODERIA ME REPASSAR ALGUMA INFORMAÇÃO, QUAIS SÃO GERALMENTE AS COMPLICAÇÕES? HÁ REALMENTE CHANCE DE SOBREVIVER A ESTE QUADRO, ETC ….FAVOR ME RESPONDEREM POR E-MAIL.
    GRANDE ABRAÇO E OBRIGADO PELA ATENÇÃO.

  2. ivone comenta:

    20 março, 2008 @ 12:31 AM

    meu sogro morreu dormindo segundo o laudo médico foi infarto cardioênico se ele fosse socorrido a tempo teria possibilidade de ter sobrevivido? obrigado ivone

  3. orlando rabelo pessoa comenta:

    14 junho, 2008 @ 6:34 AM

    Levei meu pai para ser atendido ,por queixa de dor ¨epigastrica¨, no setor de emergência de um hospital. Entrou comigo andando, foi medida pressão arteial; feito um eletrocardiograma, posteriormente foi verificado na sua configuração que acusava IAM. Entretanto a médica prescreveu e mandou aplicar via endovenosa ,os medicamentos: Ranidolin: Antak e Buscopam Composto. Este último medicamento ,em sua BULA , costa contra indicação no caso de Infarto do Miocardio e contra indicação absoluta em pacientes com idade avançada. Logo apos ser aplicado tais medicamentos ,meu pai teve parada cardíaca, teve que ser reanimado e levado as pressas para UTI , e tres dias após faleceu, segundo o laudo médico, de choque cardiogenico. Pergunto se os farmacos aplicados , no caso Buscopam causou piora na cardiopatia de meu pai .

  4. kelly comenta:

    7 julho, 2008 @ 10:23 AM

    O meu pai foi internado para fazer exames sentia muita falta de ar, pernas enchadas, no dia sequinte a internação as pernas estavão desenchadas e o cansaço era maior de noite ele começou a passar mal e utilizaram de um procedimento para tirar água do pulmão, foi o que alegaram usaram anestesia, a anestesia pode ter influenciado o choque cardiogênico?
    No óbito consta como causas da morte: choque cardiogênico, infarto do miorcádio, doença pulmonar obstrutiva crônica, tabagismo e etilismo crônico.
    Sendo que o único sintoma que tinha era falta de ar.

  5. Erlangia Barbosa comenta:

    7 julho, 2008 @ 2:40 PM

    Meu pai faleceu, e foi constatado IAM e choque cardiogenico. Se o estivesse feito um cateterismo logo nas 12 primeiras horas, o quadro teria revestido?Ele tinha 78a e sua doença de base era apenas hipertenção, não era tabagista e não era etilista.
    Desde de já agradeço a resposta.

  6. José Júnior Avila Pinto comenta:

    22 julho, 2008 @ 2:27 AM

    Minha mãe dera entrada em hospital dotado de sala de hemodinâmica, oriunda de um outro hospital para realizar cateterismo de urgência, em face de evidentes sinais de IAM, fora encaminhada a UTI coronariana e submetida ao procedimento após 30:00hs depois, já em estado cardiogênico. Ela teria chances de sobrevivência , se o exame tivesse sido realizado de imediato, como solicitou o hospital que a encaminhou. Ou seja, a paciente dera entrada em 18 dez 07 as 11:30 e o cateterismo somente fora realizado no dia seguinte as 17:00hs. Passadas duas horas veio a óbito. DH: I A M .

    Por favor quem puder me esclarecer, desde já agradeço.
    Atenciosamente, Júnior Ávila

  7. ANA MARIA comenta:

    25 julho, 2008 @ 10:38 AM

    MEU SOGRO,FOI ENCONTRADO MORTO HA MAIS OU MENOS 4 HORAS.NO LAUDO A CAUSA DA MORTE ESTAVA DESCRITO COMO CHOQUE CARDIOGÊNICO E TAMPONAMENTO CARDÍACO,PRECISO DE MAIS ESCLARECIMENTO,SE ERA POSSÌVEL ELE TER SOBREVIVIDO A ESSE QUADRO ,SE TIVESSE SIDO ATENDIDO PELO MÉDICO NO MOMENTO DO ENFARTO? ELE ERA TABAGISTA VETERANO E AS VEZES BEBIA CERVEJA,COMIA SEM REGRA ALIMENTAR.ME RESPONDA POR FAVOR, FICAREI MUITO GRATA.

  8. Simone Alves de Oliveira comenta:

    3 dezembro, 2008 @ 10:43 PM

    Gostaria de saber um pouco sobre Endocardite bacteriana e choque cardiogênico e Atrioventricularis comunis Parcial…..Agradeço desde já….
    Grato pela atenção…
    Simone Alves.

  9. luciangela nascimento comenta:

    5 janeiro, 2009 @ 12:53 PM

    Meu irmão tinha 3 safenas e teve morte por choque cardiogênico gostaria de esclarecer uma dúvida? eles os médicos podem ter usado desfibrilador e ter estourado a veia de safena à qual já estava fazando sangue para os pulmões ou não eles não poderiam usar o mesmo ou não se usa o desfibrilador nesse caso?

  10. maria Aparecida Ferreira Marques comenta:

    16 janeiro, 2009 @ 9:40 PM

    Meu marido tinha 43 anos, ficou sentindo dor no peito durante 07 dias, mas dizia que era dor no estômago, pois tinha ezofagite e gastrite, por isso procurou vários médicos (clínico geral e especialista em estômago) só depois procurou um cardiologista, este fez eletrocardiograma e teste de resistencia, diagnosticaram angina instável. Ele foi internado no dia 13/06/08, fez cateterismo dia 17/06/08, foi detectado 1 artéria com 25%, 1 artéria com 70% e 1coronária com 70% de obstrução. os médicos disseram que o indicado para ele era processo cirurgico (1 safena e 1 mamária), mas só no dia 24/06/08 ele foi submetido à cirurgia, disseram que a cirugia correu tudo bem, ele foi levado para o CTI, após 2 horas, ele faleceu. O médico me disse que ele sofreu uma arritimia. No laudo a causa da morte estava descrito choque cardiogênico. Por que será que isso aconteceu? Se tivessem feito uma angioplastia ele correria o risco de falecer do mesmo jeito? Ele parecia muito bem, durante os 11 dias que permaneceu internado, ele andava normalmente pelos corredores do hospital, até minutos antes de ir para o bloco cirurgico. Ele não tinha nenhum outro problema de saúde, pressão arterial, glicose alta, nada , mas foi fumante durante 24 anos, tinha parado de fumar 5 meses antes. Gostaria de um esclarecimento.
    Obrigada.
    Aparecida

  11. fernanda monica furtado comenta:

    27 janeiro, 2009 @ 2:56 PM

    perdi minha filha com 2 meses e 7 dias, hoje faz 6 dias do falecimento, ela tinha uma civ de 8mm e sindrome de edwards no obito tinha choque cardiogenico, sophia sofreu muitoe lutou muito pra viver e permaneçer comigo… hoje minha filha esta no coração de Deus… eu já sabia das poucas possibilidades de sobrevivência devido a sindrome… eu posso assemelhar uma coisa com outra?

    MARIA SOPHIA FLOR DO CÉU

  12. Fátima comenta:

    28 janeiro, 2009 @ 8:48 AM

    Bom dia. Minha filha era diabética (mellitus tipo I), desde os 12 anos. Com 26 anos apresentou poliradiculite e 03 anos após, foi detectado lupus.Há 08 meses ela foi internada na UTI, onde ficou por 02 meses e veio a falecer. A causa morte foi dada por arritmia cardíaca, choque cardiogênico, insuficiência renal e insuficiência cardíaca congestiva. Ela morreu com 29 anos.Sei que nenhuma resposta vai modificar a situação, mas gostaria de entender o que realmente aconteceu. Ela só perdeu a consciência 03 dias antes de seu óbito. Por favor, tendo em vista ser pessoa leiga no assunto, gostaria de informações a respeito. Uma pergunta que não cala dentro de mim…ela teve coma induzido, no dia de seu falecimento, tendo em vista ter sido entubada.Ela pode ter sentido muitas dores? Isso me incomoda muito e eu gostaria de saber algo mais. ATT.Fátima

  13. aline godois comenta:

    13 fevereiro, 2009 @ 4:11 PM

    Ola.
    Gostaria de tirar uma duvida q tem q me assombrado, meu pai faleceu no dia 09/02/09
    qndo foi para uma cirurgia “cardioplastia com troca de valvula e troca de artéria aórtica”.
    Entrou na sala de cirurgia as 7:30 da manha, e por volta das 13:50 o medico disse q a cirurgia tinha terminado, e q o coraçao nao estava respondendo, ou seja nao reagia,
    tentaram ate as 15:55 e nao deu certo.
    E uma coisa tem me incomodado disseram q essa cirurgia seria muito demorada e q poderia passar do dia, e cerca de meio dia fizeram todo o procedimento.Meu pai faleceu e foi atestado no óbito: CHOQUE CARDIOGENICO, PÓS OPERATORIO IMEDIATO DE TROCA DE VALVULA AORTICA, DUPLA LESAO AORTICA COM ECTASIA DA AORTA.
    Eu nao consigo entender se o meu pai entrou tao bem na sala de cirurgia nao tinha nenhuma dor, se alimentava muito bem, nao tinha aparencia de uma pessoa q estava tao doente, por favor me oriente sobre esse caso, nao consiguimos marcar com o medico para nos esclarecer, moramos longe de onde foi feita a cirurgia.
    Aguardo retorno.
    Obrigada

  14. Hélida comenta:

    28 fevereiro, 2009 @ 12:14 AM

    Boa Noite.
    Meu pai teve um infarto em 06 de janeiro de 09, indo para UTI, após +- 06 dias ele fez um cateteismo que dizia da necessidade de fazer uma angioplastia pois havia três veias comprometidas, mas o convênio do meu pai não cobria (nem o cateterismo que tivemos que pagar, nem a angioplastia que nos pediram 17 mil) eles disseram que iam tentar pelo SUS, após 25 dias de UTI, ele foi para o quarto aguardar vaga para angioplastia ficando mais 08 dias, após esse período transferiram ele para um hospital municipal ficando lá mais 03 dias e só após esse período foi transferido ao hospital para fazer a angioplastia, ficando lá mais 06 dias até aguardar toda a marcação.
    Bem ele já estava muito fraco após tanto tempo internado, quando chegou o dia dele fazer a angioplastia nós ficamos até felizes, pois achamos que seria tranquilo e ele logo iria embora.
    Mas não foi o que aconteceu… Ele saiu da sala de cirurgia com o rosto roxo, mais precisamente próximo ao nariz direito, minha mãe ainda conversou com ele, deu um pouco de sopa para ele comer, ela perguntou a ele se estava com dor ele respondeu que sim, que o peito doía muito e ele respirava de um jeito estranho, não com o peito e sim com o abdomem, minha mãe chamou a atenção do médico para isso que pediu para ele parar de alimenta-lo e saísse da sala pois ele teria que intubá-lo, minha mãe tentou argumentar o porque mas ele disse que ele precisava fazer esse procedimento, ela saiu da sala, e quando o médico voltou a falar com ela, disse que o stend que foi colocado em meu pai não havia cicatrizado, e ele não havia resistido.
    O que deve ter acontecido… No atestado de óbito diz: Choque cardiogênico – infarto e insuficiencia respiratória.
    O que será que houve… após 42 dias de internamento ele já estava bem debilitado….
    Será que se tivesse feito a angioplastia 30 dias antes o organismo dele estava mais resistente e poderia aguentar o procedimento…
    Por favor me de um esclarecimento.

    Grata

    Hélida

  15. Anita comenta:

    6 março, 2009 @ 7:22 PM

    Meu irmão faleceu e no óbito colocaram: Tromboembolismo pulmonar;P.O angioplastia+colocação de stente MI esquerdo; Diabetes mellitus; hipertensão arterial; vasculopatia periferica, ele tinha o membro inferior esquerdo amputado. Gostaria que me explicassem atraves de email se não tivesse colocado o stent…

  16. Noemi comenta:

    6 março, 2009 @ 11:45 PM

    No dia 02/02/2009 meu pai foi hospitalizado com dor precordial, a PA estava normal, depois começou a se queixar de dor epigástrica, foi medicado com analgésico e ranitidina, já que tinha gastrite, após foi diagnosticado infarto em grande área cardíaca, passou a noite na UTI e no dia seguinte foi realizado o cateterismo e a angioplastia, o médico informou que se tudo desse certo em 3 dias ele estaria em casa, porém evoluiu para uma trombose onde o membro inferior direito foi afetado e não circulava, não houve perda de memória, não foi entubado e se alimenta via oral, estava muito agitado e a PA muito baixa, no dia 04/02 ele faleceu, causa mortis no óbito era choque cardiogênico, IAM e trombose, se ele não morresse teria que amputar o membro inferior direito e passaria por uma cirurgia cardíaca, segundo informação médica. Gostaria de saber se é normal a evolução desse quadro para a morte ou se havia algo a ser feito para ter evitado seu óbito. Grata.

  17. Noemi comenta:

    6 março, 2009 @ 11:48 PM

    Correção: lê-se angioplastia e não angiografia no comentário anterior.

  18. aline comenta:

    12 março, 2009 @ 9:14 PM

    Deixei minha duvida so q nao me responderam.
    Estou aguardando.
    Obrigada

  19. marceli filardi comenta:

    17 março, 2009 @ 9:51 PM

    meu querido paizinho morreu em 06/07/08, faleceu em casa após ter sentido falta de ar, era hipertenso severo desde os 18 anos. Foi atestado como pcr,mas por ter sentido imensa falta de ar e ter expelido grande quantidade de espuma rosea pela boca e nariz, acredito que tenha sido edema agudo de pulmão. Na época e mesmo hoje nós filhos não questionamos qual a real causa, pois isso não fará a menor diferença. Só quem perde um ente querido sabe a imensa dor que isso causa e independente do que nos possa ser respondido ela jamais passará. Meus siceros sentimos a todos aqueles que sofrem como nós.

  20. marcia comenta:

    25 março, 2009 @ 4:04 PM

    meu bebê foi fazer uma cirurgia cardíaca e foi um sucesso!
    a cirurgia durou cerca de 7 horas. 10 horas depois teve 3
    paradas cardíacas! voltou e depois de 2 horas teve mais 2 não resistiu
    e foi morar com papai do céu!
    a causa morte foi choque cardiogênico!
    ela era linda! tinha 11 meses e era downzinha!
    um anjinho q eu tive o privilégio de cuidar com muito amor e carinho!
    estou arrasada! eu e minha familia inteira pois ela era muito amada por todos!
    carol meu anjo onde vc estiver não se esqueça q a mamãe ama vc viu?
    obrigada!

  21. claudia comenta:

    29 abril, 2009 @ 8:34 AM

    meu filho paulo junior teve um choque neurogenico segundo o laudo medico è resultado de poblemas no sistema nervoso central que provocam vasodilatação,
    com redução do volume sanguineo que chega ao coração.
    hoje a dor de uma mãe que sofre com perda do filho vai ficar marcado esta dor para sempre …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

  22. valdirene dias comenta:

    2 maio, 2009 @ 4:01 PM

    esse site é um maximo cada vez que proucuro alguma patologia fico mais surpresa pelo fato que aprendo mais a cada pesquisa,meus cinseros elogios pelo site.

  23. lilian comenta:

    21 maio, 2009 @ 9:25 PM

    cheguei de outro pais pra socorrer minha avó. estava a mais de 20 dias internada no hospital. antes devido ao fato de que estava bastante angustiada foi tratada por depressao com um medicamento chamado lexapro. sofrendo todos os efeitos colaterais , no hospital um neurologista lhe diagnosticou alzheimer. ela estava entupida de medicamentos quando chegeui e comecei a tirar todos. ela melhorou bastante , mas apresentava um quadro de bastante aflicao que nem ela sabia o porque e acompanhada de dor no estomago, enjoo, vontade vomitar. mais a frente comecou sentir falta de ar, e sua barriga ficava quente e todo o restante do corpo frio. eu falava com todo tipo de médico e nenhum encontrava a causa da dor no estomago tb pq ela estava muito fraca pra fazer endoscopia. sentia as vezes imenso calor e falta de ar com aflicoes e impaciencia. deu-se alta pra ela por pedido da familia pensando que podia ser mais um trauma do hospital. 1 dia depois eu lhe enternei novamente pois a dor no estomago , os calores e falta de ar persistiam. tb sentia tanta fraquesa que estava acamada desde que entrou no hospital, até usando fraldas.nessa mesma manha no hospital ( isso foi ontem), ela comecou a sentir uma fraqueza imensa , nem se mexia mais. os exames foram pedidos de urgencia ,mas antes de sairem ela teve um cheque emocional muito forte com meu avô que saiu da sala ao inves de ficar com ela. um minuto depois olhei pra ela e vi que tava com dificuldade de respirar, suando friu e palida. chegou na emergencia com 0 de pressao, 150 de arritimia e pouca oxigenacao. foi entubada e ta por aparelhos. agora na UTI esta diagnosticada como choque cardiogenico. o que necessito urgente saber pq nao confio inteiramente nos médicos , sobretudo pq nao descobriram nada antes pelos sintomas dela (e tantos erros de medicamentos),´é se todos os sintomas estao ligados ou nao. pq os médicos tem um quandro extamente assim: ELA ESTA COM GASTRITE E TEVE UM CHOQUE CARDIOGENICO. eu lhes pergunto se a dor no estomago nao teria relacao com o problema do coraçao. eles dizem que nao. to pensando se nao corre o perigo de ela sofrer um enfarto, pq soube que as vezes na mulher os enjoos de estomago podem ser anuncio de enfarto. queria tirar a duvida para evitar erros médicos. ela agora esta entubada e ja saiu da sedacao. vcs podem tentar esclarecer- me melhor. muito obrigada, lilian

  24. rafael comenta:

    23 setembro, 2009 @ 10:16 PM

    minha mae teve um choque cardiogenico,ficou 21 dias na uti,ela teve que fazer uma angioplastia de emergencia, colocou 2 stents,pois duas arterias estavao comprometidas 90%.Agora ela esta tomando n remedios e fazendo dieta, ñ fazendo mto esforço.Existe algum tempo de vida em relação a isso?

  25. sueli tuzi comenta:

    12 novembro, 2009 @ 2:42 PM

    FAZ UMA SEMANA QUE MINHA MÃE FALECEU,ENFARTO FULMINANTE DO MIOCARDIO,POREM FOI PROCURAR UM GERIATRA APOS UNS QUATRO DIAS APOS TER SOFRIDO O ENFARTO EM CASA,SEUA SINTOMAS ERAM:DOR NO PEITO ,FALTA DE AR,ANSIEDADE,AO SER INTERNADA TOMOU :LASIX 20MG,SUSTRATE 10MG,CARDILOL 3,125 MG,AAS 100MG,PLAVIX,DRENALIN 1MG,ALDACTONE 50MG ,ATROPINA,ABBOCATH 22G,MICROPORE 50X 10MT.ENFIM,LEIGA COMO SOU DESCONHEÇO TUDOS ESSES NOMES E PRA QUE SERVEM,MAIS O MAIS ESTRANHO É QUE POR DUAS VEZES ELA SENTIU FORTES DORES NO PESCOÇO E DERAM VOLTAREN 75 MG.ELA ERA UMA SENHORA DE 80 ANOS LUCIDA E FAZIA TRATAMENTO COM DIGOXINA 0,25 CORTADO AO MEIO DIAS ALTERNADOS.NÃO FOI MONITORADA CONSTANTEMENTE COM ELETR.AO MEU VER HOUVE FALHA QTO SE TEVE DOR NO PESCOÇO POIS HJ SEI QUE ESTAVA ENFARTANDO NOVAMENTE.
    FICARIA MUITO GRATA SE ME RESPONDESSE ATE POR E-MAIL ,POIS TENHO RECEIO DE NÃO ENCONTRA NOVAMENTE ESTE SITE E SANAR MINHAS DUVIDAS,FICO GRATA E DEUS LHE PAGUE SUA ATENÇÃO.

  26. Sandra comenta:

    21 dezembro, 2009 @ 7:22 AM

    Meu marido a mais de sete anos passou por uma cirurgia cardiaca para troca de válvula aórtica foi uma cirurgia que deu certo apesar das sequelas, de certa formas mínimas diante da gravidade. Ele viveu bem até o mês de julho de 2009. Embora tenhamos realizado uma longa caminhada por vários médicos iniciando pelo cardiologista que o acompanhava não sendo este quem o operou, diagnosticou problemas na coluna entre outros diagnósticos, depressão, aneurisma da poplitea . Dois dias depois deste último diagnóstico, meu marido sofreu uma parada cardíaca,sendo levado ao hospital e internado na UTI ele veio a falecer em seu óbito estava escrito choque cardiogenico, síndrome coronariana aguda e valvopatia aórtica. A pergunta é o que houve, que os médicos embora eu tenha pedido insensantemente exames cardiácos nenhum deles me ouviu. Foi a válvula que precisava ser trocada? Obs: Motivo da troca de válvula foi endocardite bacteriana ( Cirurgia realizada a sete anos) . Ele esteve a menos de um mês antes do acontecido internado por dois dias com uma suposta isquemia transitória.

    Obrigada, Sandra Helena Coelho Molina.

  27. ÉRIKA ROUSVANIA REBOUÇAS comenta:

    19 março, 2010 @ 11:15 AM

    MINHA MÃE TEVE UM INFARTO E FEZ UM CATETERISMO,ONDE FOI COLOCADO DOIS STENTES,RECEBEU ALTA VEIO PARA CASA E APÓS 15 DIAS,SENTIU-SE MAL FOI PARAR NA UTI E MORREU APÓS TRE DIAS.ERA DIABETICA MAS TINHA PROBLEMA DE PRESSÃO ALTA,NÃO FUMA NUN CA BEBEU,SÓ TRABALHAVA MUIOQUE PODE TER ACONTECIDO?GOSTARIA DE RECEBER ALGO QUE ME EXPLICASSE.

  28. Tatiana comenta:

    5 novembro, 2010 @ 11:55 AM

    Minha mãe tinha apenas 36 anos e no dia 10.10.10 ela estava normal em casa e de noite foi para igreja junto com meu pai e minha irmã
    estava normal, assistiu o culto não reclamou de nada, foi louvar e derrepente caiu morta, meu pai socorreu ela levou para um pronto
    socorro mais não teve tempo de fazer nada a médica e as equipe dela tentarão reanimar minha mae durante 40 minutos mais ela não
    voltou, a médica disse que não ia liberar minha mãe sem fazer autopsia, disse que não entendeu porq ela morreu assim ela até choro
    fico meio que inconformada, foi feita a autopsia e a causa da morte foi CHOQUE CARDIOGENICO, INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.
    O que eu não entendo é´porque minha mãe morreu assim tão nova e tão derrepente ela nunca se queixo de nada nunca, a morte dela
    foi muito rapida nem mesmo deu tempo para a medica a salva, eu não me conformo com isso.

    Poderia me ajudar me esclarecer o porque ela morreu assim se nunca teve problema do coração e nunca se queixo de nada

    Mãe se eu podesse daria minha vida por você, a cada dia que passa a saudade só aumenta eu te amo mãe, e espero um dia poder te
    encontrar sei que a senhora estar com Deus no Céu, mais ai na terra sentimos muito sua Falta, Você foi é e sempre sera tudo em nossas
    Vidas Saudades Beijos da sua familia que te ama Tati, Thiago, Thalita e Mizael

  29. MARIA DO SOCORRO DE SOUSA comenta:

    21 junho, 2012 @ 2:12 PM

    MINHA IRMÃ TINHA HIPERTENÇÃO E ERA DIABETE. CAIO QUEBRO O PÉ ( SEM FRATURAS EXPOSTA). LEVEI AO UM HOSPITAL, AONDE FICOU INTERNADA POR UM DIA. RECEBI A NOTICIA QUE AVIA FALECIDO. NO HOSPITAL ME INFOMARÃO QUE NÃO SABIA A CAUSA DA MORTE. O CORPO FOI PARA O IML, NO LAUDO VEIO, CAUSA DA MORTE: CHOQUE CARDIOGÊNICO, ARRITMIA VENTRICULAR, IAM.
    PEÇO POR FAVOR QUE ALGUE, ME RESPONDECE, OQUE REALMENTE ACONTECEU COM ELA?
    UM PORTUGUES MAIS CLARO. QUERIA ENTENDER PORQUE MINHA AMADA IRMÃ SE FOI TÃO RAPIDO.
    ELA TINHA 40 ANOS ERA SOLTEIRA E DEIXOU UM FILHO DE 5 ANOS QUE MORA COMIGO. AGRADEÇO MUITO SE ALGUE ME RESPONDE.

Deixe seu comentário aqui !