09 - dez.
  

Dor de cabeça – Cefaléia: Neuralgia do trigêmeo

Categoria(s): Caso clínico, Emergências, Fisioterapia, Neurologia geriátrica




Interpretação clínica

  • Homem de 63 anos, fumante, apresenta-se no consultório com história de dor na face, lado direito, de forte intensidade há 5 dias. Nega alcoolísmo, diabetes, hipertensão. Tem tomado calmantes nos últimos 2 anos, após estresse com a morte súbita da esposa, por infarto do miocárdio. A dor iniciou-se com o tempo frio, no final de semana, durante um passeio nas montanhas. A dor ora aparece de forma intensa, ora desaparece expontaneamente, após alguns minutos. O ato de tocar a região próxima da orelha, e escovar o dente usando água fria, desencadeia a dor na forma  de um choque elétrico, deixando todo lado direito da cabeça dolorido e em seguida “anestesiado”.

Qual o diagnóstico e como tratar?

As queixas de cefaléia e dores faciais são bastante constantes, principalmente em pacientes de idade avançada. Os sintomas e sinais estão relacionados aos acometimentos do distúrbio que as produzem, como afecções oculares (irites, glaucoma, astigmatismo), afecções otorrinolaringológicas (otites, sinusites, mastoidites), cefalalgia de origem osteocraniocervicais (doença de Paget, artroses cervicais), neuralgias (trigeminal, glossofaríngeas) e artrites (artrites temporal de células gigantes).

A International Headache Society (IHS) as dividiu consoante critérios diagnósticos, baseados inteiramente em atributos clínicos em cefaléia ou dor facial associada a distúrbio de crânio, pescoço, olhos, ouvidos, nariz, seios paranasais, dentes, boca ou outras estruturas da face ou crânio e neuralgias cranianas, dor de tronco nervoso e dor da deaferentação.

A descrição fornecida pelo paciente faz direcionar na dor facial para uma neuralgia do trigêmio.

A neuralgia do trigêmeo é uma neuralgia facial unilateral dolorosa que incide mais nas pessoas na sexta e sétima década da vida. É caracterizada por dor tipo intensa, breve (segundos), em facada ou agulhada. Os pacientes descrevem a dor como se fosse um choque elétrico. A dor pode ser provocada por estímulos táteis (pressão digital), geralmente na chamada zona-gatilho, que localiza-se em torno das narinas e da boca. Ato de escovar os dentes, mastigar, falar ou mesmo um golpe de vento frio na face, podem desencadear um crise dolorosa.

A dor da neuralgia do trigêmeo é recorrente e assintomática entre as crises que duram alguns segundos, geralmente se localiza nas divisões do nervo trigêmeo, preferencialmente na segunda e na terceira, e tendo a divisão mandibular como a principal região acometida.

Dada a grande malha de nervos na região facial (figura) a dor acaba por irradiar-se ou espalhar-se por outras áreas do rosto, colocando em dúvida o diagnóstico.

nervo trigêmeo

Diagnóstico – O diagnóstico da neuralgia do trigêmio é fundamentalmente clínico e deve ser diferenciado de outras causas de dor facial, como: carcinoma nasofaríngeo, arterite de células gigantes, linfoma intracraniano, sinusite etmoidal ou esfenoidal, esclerose múltipla, trauma, neuralgia pós-herpética, cáries dos ossos da mandibula ou maxilar.

Neuvralgina dentária, do glossofaríngeo (nono par craniano), do geniculado (sétimo para craniano) podem dar clínicas semelhantes.

Tratamento – O tratamento da neuralgia do trigêmeo é bem sucedido na maioria dos casos. Os medicamentos mais utilizados são: carbamazepina, baclofeno, fenitoína, ácido valpróico, gabapentina e clonazepam. O tratamento clínico pode falhar em 30% dos pacientes, por falta de eficácia ou por efeitos colaterais dos medicamentos. Havendo falha neste tipo de procedimento, deve-se recorrer a tratamentos cirúrgicos como: injeções gasserianas (no gânglio de Gasser – veja figura) ou retrogasserianas de álcool ou glicerol, gangliose por radiofreqüência e descompressão microvascular por craniotomias, principalmente, occipital.

Referência:

Headache Classification Committee of the International Headache Society. Proposed classification and diagnostic criteria for headache disorders, cranial neuralgias and facial pain. Cephalalgia 1988; 8:10-73.

Rabello GD. Cefaléia no idoso. RBM – Rev Bras Med 1998; 55:660-680.

Gloth FM. Pain management in older adults: prevention and treatment. J Am Geriatrics Society 2001; 49 (2): 188-199.

Montagnini M; Dor no doente idoso. In: Teixeira MJ, Figueiró JAB (editores). Dor: Epidemiologia, Fisiopatologia, Avaliação, Síndromes dolorosas e tratamento. Grupo Editorial Moreira Jr., São Paulo, 2001; 32: 397-399.

Kondziolka D, Perez B, Flickinger JC, Habeck M, Lunsford LD – Gamma knife radiosurgery for trigeminal neuralgia: results and expectations. Arch Neurol, 1998; 55:1524-1529.

Tags: , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


657 Comments »

  1. fernanda comenta:

    29 outubro, 2013 @ 8:33 PM

    ola td bem estou muito nervosa meu pai esta com muita dor na cabeça e ja fez a cirurgia da agulha mas agora nem um neuro sabe o que e esta dor nevlalgia do trigemeas e nao sei como ele sofre meu deus tem que ter alguma soluçao se alguem de voceis souberem de algum medico que resoveram a sua dor por favor me diz pq ele esta com dor muito forte obrigado

  2. fernanda comenta:

    29 outubro, 2013 @ 8:39 PM

    meu pai sofre desta dor da novlalgia de trigemeas mas ja fez a cirurgia da agulha mas nao resolveu nada agora preciso saber de algum medico copetente pq meu pai esta com uma dor muito forte mas eles nao sabe de onde vem esta dor olhae tao dificil pq eles nao descobre de onde vem ele tem esta dor ja tem 22 anos e nos nao sabe mais o que fazer se alguem fez alguma cirurgia me diga obrigado

  3. adilson comenta:

    12 março, 2014 @ 9:31 PM

    ola quem conhece alguem que ja tratou com algum doutor e que ja melhorou temho uma amiga que esta muito doente de neuralgia trigemeas

  4. Mayara Barreto comenta:

    20 agosto, 2014 @ 2:49 PM

    Há muito tempo venho sentindo fortes dores na arcaria dentaria. de 03 meses para cá essas dores passaram para a cabeça. no incia achei que o problema fosse odontológico, a dentista me deu encaminhamento para o bucomaxilofacial, esses sintomas que eu e algum de vocês descreveram a cima são parecidos com a disfunção da ATM. Fiz os exames necessários e nada, agora estou com uma consulta marcada com o Neuro. as dores são intensas e sem hora pra chegar, principalmente quando eu mastigo algo, líquidos quentes ou gelados… E eu sinceramente não sei mas o que fazer porque a dor é quase que insuportável.

  5. Mayara Barreto comenta:

    20 agosto, 2014 @ 3:04 PM

    DENISE T. me identifico muito com o seu caso.. não comentei meu caso. por completo pq essa dor ta comigo a todo momento. falta de paciente e desconforto emocional porque nada faz essa dor parar… me ajuda? como vc esta hoje? quase 1 ano depois?

  6. Marcial de Oliveira comenta:

    8 fevereiro, 2015 @ 8:45 PM

    dica para quem sofre a considerada pior e mais forte dor que há, a temida nevralgia do nervo trigêmio, tem um medicamento homeopático de nome aconitum napellus na dinamização de 30 CH e que pode ser adquirido em qualquer boa farmácia de homeopatia . Tome 10 gts em meio copo com água 3 vezes ao dia por uns seis a oito meses seguido que você sentirá uma agradável surpresa.Sou farmaceutico e gostaria de ter o retorno do uso deste medicamento para trocarmos mais informações por e-mail : marcial.oliveira@bol.com.br

  7. Vania comenta:

    21 abril, 2015 @ 6:49 PM

    Estou com ardência no rosto já à 4 meses.Pega do nariz passa pelas maçãs do rosto e acima da boca.É apavorante Tem dias que arde mais, outros menos.Passei com a dermatologista e nada achou.Me apavarou mais ainda.Agora marquei com um alergista e um neurologista e estou ansiosa pra ir logo, pois a gente meio que se afasta dos outros e é nessas horas que a gente vê que a única coisa que importa é a saúde. Não quero mais nada .Só quero que essa ardência passe!!!E o pior é o medico te falar que não sabe o que pode ser….É bom a gente ler o que vocês escrevem, pois a gente não se sente a única. Obrigada e melhoras a todos.

Deixe seu comentário aqui !