Arquivo de 26/nov/2007





26 - nov

Boro – Papel nas doenças

Categoria(s): Bioquímica, Medicina ortomolecular, Nutrição, Saúde Geriátrica

Ortomolecular

O boro é essencial ao crescimento e desenvolvimento das plantas. Ainda não foi comprovada sua importância nos seres humanos, mas seus efeitos estimulantes da saúde em humanos estão se tornando cada vez mais aparentes.

Fontes naturais – vegetais, grãos integrais e os frutos do mar. Os alimentos animais, exceto a pele de galinha, são fontes pobres de boro. A maior concentração está na cerveja.

Propriedades funcionais –
O boro influencia no metabolismo de cálcio, fósforo, magnésio, vitamina D, e tem papel importante na regulação do paratormônio.

Relação com as doenças

Cardiopatia Isquêmica
– A descoberta da redução da excreção de magnésio pela suplementação de boro é interessante porque aparentemente, níveis de magnésio inferiores ao ideal é comum nos usuários de diuréticos e digitálicos. O nível reduzido de magnésio pode ser um fator importante na doença cardíaca isquêmica e em outras formas de doenças cardiovasculares. O efeito moderado de magnésio exercido pelo boro poderia ser de grande importância nestes casos.

Menopausa – Estudo realizados em Dakota, EUA por Nielsen demonstraram a existência de alterações dos níveis de boro em mulheres após a menopausa. Tudo indica que o boro possui atividade ginecomimética, por aumentar a quantidade de estradiol e agindo como precursores hormonais pela sua união com complexos orgânicos portadores de grupos OH. Assim, como participa na formação do DHEA, e tem efeitos fisiológicos na prevenção do câncer da mama nas doses de 2 a 4 mg/dia.

Osteoartrite – Estudos tem demonstrado que a falta do íon boro na dieta causa aumento da incidência de pacientes portadores de osteoartrites e osteoporose. O boro nutricional ou seu suplemento pode aumentar a síntese de corticosteróides, com isso beneficiando os pacientes. Dose recomendada: 1 a 2 mg/dia.

Osteoporose – O boro atua prevenindo a osteoporose em mulheres na fase pós menopausa. Após 8 dias de suplementação de boro, a excreção de cálcio e magnésio ficou reduzida observando-se aumento de 2 vezes na produção de uma forma ativa de estrogênio e de testosterona. Este fato foi comprovado por Nielsen que observou que a suplementação de boro, proporcionou a diminuição da taxa de perda de cálcio pela urina em 40%.

Terapia : Indicação, apresentação e dosagem:

A forma mais comum é o borato de sódio.

A dose sugerida para prevenção da osteoporose é de 3mg/dia – Se tiver uma alimentação variada incluindo frutas e vegetais, obterá de 1,5 a 3 miligramas de boro diário.

Doenças causadas pela Toxicidade:
O excesso de boro pode provocar náuseas, vômitos, diarréia, dermatose e letargia.

Orientações higieno-dietéticas

A melhor administração do boro é com uma suplementação bem balanceada de vitamina e minerais, incluindo manganês, cálcio e riboflavina.

Boro e Vitamina B2 – boro seqüestra a vitamina B2, obrigando a reposição da mesma na dosagem de 10 a 20 mg/dia.

Referências:

Newnham RE. Essentiality of boron for healthy bones and joints. Environ Health Perspect 102(7):65-72,1994.

Okigami H – Boro-Revisão. Revista de Oxidologia Nov/Dez 13-16,1998

Massie HR. Effect od dietary boron on the aging process. 102(7):45-48,1994.

Nielsen FH – Nutritional requirements for boron, silicon, vanadium, nickel and arsenic: current knowledge ans speculation. FASEB 5:2661-2667,1991.

Nielsen FH Hunt CD, Mullen LM, Hunt JR – Effects of dietary boron on mineral, estrogen and testosterone metabolism in postmenopausal women. FASEB 1:394-397,1987.

Nielsen FH. Facts and fallacies about boron. Nutrition Today, May/June 6-12,1992.

Tags: , ,

Veja Também:

Comments (3)    




" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "