13 - nov
  

Histórias da Eneida – Quem me dera!

Categoria(s): Contos e Poemas




Poesia

Colaboradora: Eneida Tagliolatto *

* Poetisa Paulista

Quem me dera ser uma borboleta!
Poder voar sem me preocupar com a vida.
Sem ter medo, sem receio, apenas sentindo a brisa,
no bater de minhas asas.
Gozando de tudo que tenho direito;
Liberdade, amor e respeito.

Liberdade de me expressar,
da forma que quiser.
Seja falando, escrevendo, dançando,
rindo, ou até mesmo chorando.
Mas chorando alto, sem precisar abafar o meu pranto,
sem ter medo de que escutem,
que me interpelem e me recriminem.

Quero amor! Não somente amor de desejos.
Quero um amor sem cobrança,
que me traga esperança,
que me faça feliz, sem que eu precise,
deixar de lado, tudo o que sempre quis.

Ah! E o respeito?

Quem respeita, dá a liberdade necessária.
Dá o amor pleno na sua consistência.
Consistência essa, que gera: Cumplicidade,
igualdade, tranquilidade e felicidade. Borboleta; quem me dera!




Comentário integrado ao Facebook:


2 Comentários »

  1. Gabriel Araújo dos Santos comenta:

    13 novembro, 2007 @ 5:02 AM

    Ela, a Eneida, não quer muito, conforma-se em ser apenas e tão somente uma Borboleta. A princípio, quando a conheci retraída e encolhida no seu cantinho, e reparava nas suas tiradas poéticas, divisei logo alguns projetos de penugens a caminho de formar as asas que a levariam ao espaço à procura de sua sonhada libertação. Mas achou melhor enfeitar o mundo infantil, optando pela sedução do voar de uma borboleta, talvez azul, ou rosa ou vermelha. Não importa a cor, desde que encante as crianças, mundo do qual ainda não se apartou.

  2. Silvia Trevisani comenta:

    16 novembro, 2007 @ 11:23 AM

    Eneida, minha amiga poetisa…
    Tem no peito um coração enorme… uma poetisa que se emociona e emociona a todos com as poesias maravilhosas que escreve. Já é uma borboleta que voa em todos os cantinhos tristes para levar a sua alegria.
    Parabéns Eneida… como disse o Bié, você pode ser o que quiser…
    Uma borboleta colorida, um sol radiante, uma lua enebriada ou até o orvalho que tateiam as rosas do nosso jardim mágico. ” Aquele” que só se descortina com os olhos do coração. Bjs

Deixe seu comentário aqui !