//*** MARCEL => "pub-4189979764094081"; //*** ANA => "pub-2835477731727458"; /*** INDEX ***/ function AdSense_Topo_Index() { } /*** INDEX SEGUNDO POST ***/ function AdSense_Index_Segundo_Post() { } /*** PAGE / SINGLE ***/ function AdSense_Topo_PageSingle() { } /*** LINK ***/ function AdSense_SideBar_Link() { } /*** 404 NOT FOUND ***/ function AdSense_404_Topo() { } /*** 500 ERROR ***/ function AdSense_500_Topo() { //*** EDITE O ARQUIVO 500.shtml } /*** FRAME ***/ function AdSense_Frame_Topo() { //*** EDITE O ARQUIVO frame.htm } /*** SINGLE TOPO ***/ function AdSense_Single_Topo() { } /*** SINGLE RODAPE ***/ function AdSense_Single_Rodape() { } /*** PAGE TOPO ***/ /*** PAGE RODAPE ***/ /*** INDEX SEGUNDO POST ***/ function AdSense_Sidebar_Busca() { echo ( '
Google
' ); } ?> 2007 outubro 17

Arquivo de 17/out/2007





17 - out

Balanopostite

Categoria(s): Caso clínico, Dermatologia geriátrica, DNT, Endocrinologia geriátrica, Infectologia

Interpretação clínica

Sr Rodolpho 76 anos, viúvo, internado em uma instituição de longa permanência há 3 anos, com quadro de demência, por microinfartos cerebrais, conseqüência de diabetes tipo II e hipertensão arterial sistêmica com 20 anos de evolução. Apresentou quadro de inflamação na região púbica e pênis, há 3 dias, com edema e eritema pruriginoso apesar dos cuidados de assepsia dos enfermeiros (Figura) . O diabetes encontra-se controlado.

balanopostite

Qual o diagnóstico?

A hipótese mais provável é de balanopostite.

É uma inflamação conjunta da glande e prepúcio (balanite é inflamação da glande, postite; inflamação do prepúcio) desencadeada por diversos fatores.

Os mais comuns são conseqüências de fenômenos irritativos como hábitos higiênicos inadequados dos genitais – principalmente quando o paciente for portador de fimose – e excesso do prepúcio (a pele que envolve a glande). Neste caso, há depósitos de restos de descamação celular, chamado de esmegma, o qual promove a irritação. Ainda dentro desta causa, está o uso de agentes irritativos para limpeza do pênis, sendo aconselhável o uso de produtos neutros para higiene do pênis (como sabão neutro).

Outras causas importantes são as infecciosas como um fungo chamado Cândida Albicans. Assim como os outros fungos, ele se aproveita do local quente e úmido existente entre a glande e o prepúcio. Esta doença é mais comum em algumas situações como obesidade, diabetes, idosos acamados, uso prévio de antibióticos e indivíduos com a imunidade rebaixada.

Cândida

As candidas (figura – candidas no exame de urina) possuem 4 características patogênico: 1. Crescer a 37oC; 2. Formar estruturas filamentosas – Hifas ou pseudohifas com mais de 200 μm de comprimento; 3. Produção de metabólitos: manifestações alérgicas; 4. Produção de mananas circulantes – Depressão da resposta imune celular.

Manifestação clínica no genital masculino:

• Região da glande e sulco balanoprepucial;

• Discreto eritema pruriginoso ou lesões vesiculares com conteúdo branco
cremoso (diabético);

Diagnóstico laboratorial:

• Coleta: Lesões mucocutâneas – “Swabs” estéreis – Não deixar secar
• Processamento: 2 etapas:

• 1- Exame direto (lâmina-lamínula com KOH 10-40% ou Gram) – Observar: Estruturas blastoconidiadas, associadas ou não a pseudo-hifas e pseudomicélios
• Podem aparecer hifas verdadeiras – (C. albicans ou C. tropicalis)
• 2 – Semeadura: Meios de cultura convencionais
• Sabouraud, Sabouraud + cloranfenicol, Sabouraud + cloranfenicol + icloeximida

Conclusão: O caso em estudo reflete a importância do exame da região pudenda dos idosos acamados em especial dos diabéticos, pois a presença de balanopostite por candida é freqüente, refletindo no quadro clínico geral, em especial no diabético.

Tratamento:
Derivados imidazólicos (Fluconazol, clotrimazol, itraconazol) tópico e oral

Referências:

McClellan KJ, Wiseman LR. Markham A – Terbinafine – an update of its use in superficial mycoses. Drugs. 58:179-202,1999.

Eggimann P, Francioli P, BilleJ, Schmeider R, Wu MM, et al – Fluconazole prophylaxis prevents intra-abdominal candidiasis im hight-risk surgical patients. Crit Care Med,27:1066-1072,1999.

Tags: ,

Veja Também:

Comments (253)    




" A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança "
do_action('wp_footer'); ?>