20 - set
  

Glândula Adrenal – Hiperaldosteronísmo primário

Categoria(s): Bioquímica, Cardiogeriatria, Endocrinologia geriátrica




Resenha

O córtex da glândula suprarenal (adrenal) secreta três categorias de hormônios: glicocorticóides (cortisol), mineralocorticóides (aldosterona) e androgênos(testosterona).

A produção do cortisol é regulada pela liberação do hormônio liberador da corticotropina (CRH) do hipotálamo e do hormônio adrenocorticotrópico (ACTH) da glândula pituitária, enquanto que a secreção de aldosterona é primariamente regulada pelo sistema renina-angiotensina e pelas concentrações séricas de potássio.

O hiperaldosteronismo primário caracteriza-se pela hipersecreção de aldosterona, na ausência de estímulo definido, não acompanha de aumento da renina e que se manifesta, como hipertensão arterial secundária. Sua incidência nos hipertensos com idade entre 30 e 50 anos e de 0.5 a 1.0%, sendo mais freqüente nas mulheres.

tumor de adrenalO adenoma da glândula supra-renal é encontrado em 60 a 90% dos casos, entretanto, o hiperaldosteronismo idiopático, o carcinoma da córtex adrenal, o hiperaldosteronismo suprimível com dexametasona, podem também ser responsável pela doença.

No quadro clínico clássico ocorre hipertensão arterial, hipocalemia (paresia, fraqueza, cefaléia, câimbras, poliúria) e alcalose metabólica (parestesias, tonturas), descrito inicialmente por Conn em 1955. Este quadro recebeu o nome de Síndrome de Conn.

A baixa incidência diagnóstica pode ser explicada pela pouca especificidade das manifestações clínicas e principalmente porque os pacientes geralmente usam diuréticos espoliadores e potássio no tratamento, mascarando o quadro clínico.

A dosagem de potássio em duas ocasiões – no momento do diagnóstico da hipertensão arterial e 10 a 14 dias após a retirada de diuréticos em pacientes com manifestações de hipocalemia clínica ou eletrocardiográfica – pode ser um pista acessível para futuras investigações.

A remoção do tumor leva, na maioria das vezes (90%) a cura, sendo que os demais casos fica mais fácil o controle medicamentoso da HAS.

Referências:

Maestrello MCA, Goncalves MC, Caniello CA, Nakazone S, Franca HH – Hiperaldosteronismo primário com angina e arritmia. Arq Bras Cardiol, 1991;56(2):143-145.

Cohn JW – Primary aldosteronism : a new clínical syndrom. Clin Lab Med, 1955;45:3-15.

Tags: , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


10 Comentários »

  1. Delair Marquardt Pereira comenta:

    24 fevereiro, 2008 @ 11:11 AM

    Sou portadora de adenoma na supra renal esquerda,a direita não tem nenhum problema,só que perdi o rim(DIREITO) mas foi preservada a glandula.Estou tendo acompanhamento medico.(Onco)Obrigado.

  2. Delair Marquardt Pereira comenta:

    24 fevereiro, 2008 @ 11:20 AM

    Fique plenamente satisfeita ,consegui com as informações que encontrei no Google ficar um pouco mais calma.Mui grata.

  3. Lilian comenta:

    26 dezembro, 2008 @ 9:03 PM

    Descobri recentemente ser portadora de hiperaldosteronismo. Sou hipertensa desde os 27 anos iniciando na minha segunda gravidez. Atualmente estou com 48 anos e após períodos de muito sofrimento devido ao potássio muito baixo causando crises intensas de parestesia e pressão arterial de difícil controle, somente a poucos meses o meu endócrino suspeitou do problema e pediu os exames de praxe para o diagnóstico. Estou prestes a operar o adenoma e provavelmente a cirurgia será por laparoscopia. Gostaria de obter informações sobre a cirugia, em que casos pode ter que passar para a cirurgia convencional e da possibilidade de ter que ser retirada a supra renal.
    Obrigada pelos esclarecimentos.

  4. tania comenta:

    3 fevereiro, 2010 @ 5:26 PM

    Fiz um exame e o resultado foi aumento da atividade neuroendocrina na adrenal direita
    e nodulo medindo 45 mm pode me explicar o que e isso

  5. carlos comenta:

    4 maio, 2010 @ 5:03 PM

    Tenho 25 anos e já retirei as duas supra renais… sou dependente de medicamento… tomo cortisona todos os dias, varias vezes ao dia

  6. Valéria comenta:

    6 dezembro, 2010 @ 9:31 AM

    Eu vou fazer a cirurgiapara retirada de um adenoma na adrenal esquerda , gostaria de saber mais com quem já fez..obrigada

  7. carlos comenta:

    6 dezembro, 2010 @ 10:09 AM

    valeria:: eu ja retirei a esquerda e a direita!

  8. valeria comenta:

    30 dezembro, 2010 @ 8:02 PM

    eita carlos..retirou as duas? como foi a recuperaçao?

  9. carlos comenta:

    3 janeiro, 2011 @ 10:13 AM

    valeria: demorou 3 meses, em ke o 1 mês foi mt dificil.

  10. Valderez comenta:

    26 junho, 2012 @ 11:16 AM

    Bom dia,
    Fiz uma TC e constou: Nódulo ovalado na adrenal direita medindo 22 mm, com atenuação pré-contraste de 25 UH, indeterminado ao estudo tomográfico, o que significa? Pode ser maligno?
    Obrigada

Deixe seu comentário aqui !