17 - ago
  

Dor Lombar – Espondilite Anquilosante

Categoria(s): Fisioterapia, Reumatologia geriátrica




Resenha

espondiliteA Espondilite Anquilosante (EM) é uma doença inflamatória crônica que acomete  preferencialmente o esqueleto axial, evoluindo para limitação funcional progressiva e anquilose da coluna vertebral. Tem início da segunda a quarta década da vida, preferencialmente do sexo masculino, da raça caucasóide. A forma juvenil, que se inicia antes dos 16 anos de idade, costuma cursar inicialmente com artrite periférica (predominante em grandes articulações de membros inferiores) e entesopatias periféricas (notadamente em inserção de tendão aquilino e fáscia plantar), evoluindo somente após alguns anos com lombalgia de ritmo inflamatório; costuma ter curso evolutivo mais agressivo, necessitando com maior freqüência de próteses de quadril.

A EA que se inicia no adulto entre 17 e 45 anos de idade costuma ter como primeiro sintoma à característica lombalgia de ritmo inflamatório, com predomínio de sintomas axiais. A EA é mais freqüente no sexo masculino, numa proporção de 5:1. O predomínio da doença em homens jovens (a partir da fase de maturidade sexual) suscita questões sobre a importância dos hormônios sexuais na gênese da EA.

A frequente associação com o antígeno de histocompatibilidade HLA‑B 27 faz com que a EA seja mais comum em populações caucasóides, onde sua prevalência pode chegar de 0,1 a 0,2% da população. Por sua vez, a positividade do HLA‑B 27 nos pacientes espondilíticos pode variar de 80 a 98%.

Quadro Clínico – O sintoma inicial mais característico do paciente espondilítico costuma ser a dor lombar baixa de ritmo inflamatório, que melhora como movimento e piora com o repouso, apresentando rigidez matinal prolongada. Por vezes, o paciente também refere dor de ritmo inflamatório nas nádegas e face posterior da raiz da coxa, suscitando diagnóstico diferencial com dor ciática. A evolução costuma ser ascendente, acometendo posterior e progressivamente as colunas dorsal e cervical.

No início do quadro, predomina a dor axial intensa; na evolução, também aparecem o espasmo muscular paravertebral e as limitações funcionais, que contribuem para o desenvolvimento ela, “postura de esquiador”, caracterizada pela retificação da coluna lombar, acentuação da cifose dorsal e retificação da coluna cervical projetada para frente. No exame físico do paciente espondilítico podem ser observadas inúmeras alterações. Na coluna lombar, a inspeção revela retificação e a palpação mostra espasmo muscular paravertebral. Na coluna dorsal, a inspeção revela acentuação da cifose e a palpação mostra espasmo muscular paravertebral. Com relação ao acometimento articular periférico, é característica a presença de oligoartrite (predominando em grandes articulações, principal mente de membros inferiores).

Quanto as manifestações extra‑articulares, a mais freqüente é a uveíte anterior, aguda, unilateral, recorrente, que pode ser observada em até 25% dos pacientes num seguimento prolongado, estando associada ao HLA‑B 27 positivo, raramente cursando com seqüelas.

Quanto as manifestações cardíacas, também associadas ao HLA‑B 27 positivo, pode ocorrer aortíte e arritmia cardíaca, bloqueio cardíaco, requerendo marcapasso.

As alterações pulmonares são caracterizadas por um distúrbio da função pulmonar (defeito ventilatório restritivo leve, em pacientes com acentuada limitação do diâmetro respiratório, devido à restrição da caixa torácica) e por uma fibrose pulmonar apical (presente em 1 a 2% dos pacientes).

Quanto as manifestações renais, destacam‑se a nefropatia por IgA (hematúria e proteinúria geralmente leves, com biópsia renal revelando depósitos mesangiais de lgA) e a amiloidose secundária (pode acometer até 5 a 10% dos pacientes espondilíticos num seguimento prolongado, evoluindo com insuficiência renal, causa freqüente de óbito na EA);
As manifestações neurológicas, bastante raras, são caracterizadas pela subluxação atlantoaxial, síndrome da cauda eqüina ou fraturas vertebrais traumáticas.

Diagnóstico

A radiografia simples de bacia é indispensável na EA porque a sacroileíte radiológica é critério obrigatório para o diagnóstico da doença. O acometimento da articulação sacrilíaca, na avaliação radiológica, pode ser subdividido em: grau zero = normal; grau 1 = sacroileíte suspeita ou duvidosa; grau 2 = esclerose óssea de sacro e de ilíaco, irregularidade de contornos articulares e erosões ósseas; grau 3 = alterações verificadas no grau 2, associadas ao pseudoalargamento articular; grau 4 = anquilose total (fusão ela articulação). Em alguns pacientes com doença bastante insidiosa, pode demorar até mais de três anos para o aparecimento de uma sacroileite radiológica.

Exames Laboratoriais: O laboratório na EA resume‑se à elevação das provas de atividade inflamatória inespecíficas (velocidade de hemossedimentação, mucoproteínas, proteína C reativa), associadas à atividade da doença. A pesquisa do fator reumatóide e do fator antinuclear revela‑se negativa (daí o nome soronegativa). A presença do HLA‑B 27 restringe‑se ao aconselhamento genético familiar (a agregação familiar na EA é, em média, de 10% nos pacientes H LA‑B 27 positivos). É importante salientar que a ausência do HLA-B 27 não exclui o diagnóstico de EA, já que até 20% dos pacientes espondilíticos caucasóides são HLA‑B 27 negativos.

Para a confirmação do diagnóstico de EA, pode‑se utilizar os critérios de Nova York modificados, que combinam critérios clínicos e radiológicos. Os critérios clínicos são: 1) dor lombar de mais de três meses de duração, que melhora com o exercício e não é aliviada pelo repouso; 2) limitação da coluna lombar nos planos frontal e sagital; 3) expansibilidade torácica diminuída (corrigida para idade e sexo). Os critérios radiológicos são: 1) sacroileite bilateral, grau 2, 3 ou 4; 2) sacroileite unilateral, grau 3 ou 4. Para o diagnóstico de EA é necessária a presença de um critério clínico e um critério radiológico.

Tratamento – O tratamento da EA, na maioria dos casos, é constituído por antiinflamatórios, miorelaxantes e fisioterapia. Devido à intensa reação inflamatória da doença, o antiflamatório não‑hormonal mais utilizado na EA é a indometacina, na dose de 50 a 150 mg/dia; outros AINH também utilizados são o dicioferraco sódico (100 a 200 mg/dia), o naproxeno (500 a 1.500 mg/dia), o piroxicam (20 a 40 mg/dia) e o aceclofenaco (100 a 200 mg/dia). O paciente espondilítico apresenta geralmente um intenso espasmo muscular paravertebral, necessitando do uso de relaxantes musculares diversos.

Além do tratamento medicamentoso, a fisioterapia, notadamente tias modalidades da hidroterapia e da cinesioterapia, auxilia de maneira importante no controle da dor e do espasmo muscular.
Fatores reumatóides
Os fatores reumatóides são auto-anticorpos dirigidos contra a IgG autóloga. Costumam ser classificados de acordo com seu peso molecular em 19S (IgM) e 7S (IgG e IgA). A prova do látex e a reação de Waaler-Rose detectam os fatores reumatóides 19S. A presença ou não do fator reumatóide no soro de pacientes com poliartrite permite a sua classificação em seropositiva ou seronegativa, contribuindo para o diagnóstico e auxiliando no prognóstico no caso da artrite reumatóide. Assim, a doença reumatóide do adulto cursa com fator reumatóide presente no soro em cerca de 90% dos casos. Outras doenças como a espondilite anquilosante, a síndrome de Reiter e a artrite psoriásica são seronegativas.

Referências:

1. Brooks PM:NSAIDS. In Klippel’s: Rheumatology, 2th ed, London, Mosby, 1998, p.5.1-5.6 (sec.3).

2. Clegg DO: Sulfassalazine. In Koopman WJ: Arthritis and Allied Conditions- A Textbook of Rheumatology, 13th ed, Baltimore, Willians & Wilkins, 1996, p.699-707.

3. Koopman WJ: Arthritis and Allied Conditions- A Textbook of Rheumatology, 13th ed, Baltimore, Willians & Wilkins, 1996, p.679-698.

4. Creemers MCW, Franssen MJAM, van de Putte LBA, Gribnau FWJ, van Riel PLCM: Methotrexate in severe ankylosing spondylitis: an open study. J Rhematol 22: 1104-1107, 1995.

5. Dalyan M, Guner A, Safiye T et al: Disability in ankylosing spondylitis. Disability and Rehabilitation 21(2):74-79, 1999.

Tags: , , , , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


421 Comments »

  1. Fabio Bittencourt Silveira comenta:

    11 maio, 2012 @ 2:54 PM

    Estou com EA a alguns anos ja tomei varios antiflamatorios e a dor vem e vai, chegandoa ter ate hepatite medicamentosa , entrei com pedido de remedios junto a governo mais sempre vem negativo, tenhoa receita para comprar sufasalazina gostria de saber se isso atacara meu figado e se atacar qual o melhor procedimento?

    Atenciosamente

  2. Olenir comenta:

    11 maio, 2012 @ 7:14 PM

    Dr. Armando Miguel Jr , apesar de ter uma vida cheia de trabalho, sua visita aqui no site é de muita importancia para nós, apesar de que cada paciênte precisa ter seu próprio Médico. Suas poucas palavras, ou apenas a indicação de algum site como mensionou logo acima, ajuda e muito os que estão aqui desorientados, porque é um profissional na saúde, sua resenha la no topo me ajudou muito a descobrir o que eu tinha.
    Muito obrigado
    Olenir

  3. claudineide b silva comenta:

    6 junho, 2012 @ 5:51 PM

    comecei o tratamento com humira há 2 mese .por enquanto continuo sentindo muita dor principalmente nos 3 primeiros dias após a aplicação.fiz uma ressonãcia no mes passado e no laudo diz que estou com edema medular e entesites ,eu achei que logo que iniciasse o tratamento estaria livre das dores.estava fazendo hidroginastica para melhorar as dores mas não tenho condições para pagar todo mes,faço caminhada quando aguento e todos os dias faço alongamento.sera que eu tenho direito á isenção do imposto de renda para tratar da doença já que ela é para toda vida?há quanto tempo será que leva para minha ressonãcia voltar ao normal.responda por favor.

  4. Jose Rinaldi comenta:

    28 junho, 2012 @ 10:18 AM

    olaa hj tenho 33anos de idade e a 3anos e meio fui diagnosticado como portador de E.A. com danos estruturais devido ao diagnostico tardio… comecei um tratamento no hospital estadual de bauru com a dra Juliane Waidemam reumato… 2anos fiquei em tratamento com cetoprofeno 100mg de 8em 8 hrs metratoxisato 15mg semanais acido folico 20mg semanais e omeprazol diariamente.. mas nao estava adiantando vhs meu nao abaixava dava sempre acima de 60 e creatina c sempre positivo… ai dra Juliane decidiu entrar com medicamento biologico dizendo q era o melhor tratamento na visao da medicina p controlar avanço da E.A fiz um processo de auto custo e foi aprovado iniciei o tratamento com HUMIRA em 17dezembro de 2010 e 3meses depois estava me sentindo muito melhor nao travava como antes e as dores diminuiram em 80%,estava tudo indo bem ate 3meses atras, quando dra Juliane Waidemam se afastou do hospital por licença maternidade q Deus ilumine sua gravides…no hospital estadual de bauru tinha outro reumato por nome de CARLOS BETTING q decidiu fazer acompanhamento nos pacientes da dra Juliane, ate ai tudo bem se foce p ajudar ne, mas infelismente nao foi isto q aconteceu o dr CARLOS BETTING decidiu mexer em todos os processos da dr Juliane o meu por exemplo estava na 3retirada e o processo normalmente se renova na sexta retirada,bloqueou os processos e pediu novos exames… atendi o pedido dele pescrito no auto custo, fiz todos exames pedidos mas consultar com ele eu ate hj nao consultei,, os exames estao feitos a 2meses e ate hj estou sem o medicamento e ja sentindo fortes dores, ligando sempre no SAU eles me pedindo p esperar q todos os processos estavam atrasados, e hj me disseram q foi aberto auditoria q o dr CARLOS BETTING decidiu nao mais tratar dos pacientes da dr juliane e q todos portadores de ea tem q esperar a chegada de um novo reumato!!! eu axei um absurdo oque este medico fez dr CARLOS BETTING… nesta vida aprendi uma coisa se vc nao pode ajudar, peça a Deus q ajude a quem esta precisando, mas nao vai se meter no meio so para atrapalhar… fiquem com deus amigos

  5. Ivanilson Alexandre comenta:

    10 julho, 2012 @ 9:30 PM

    É extremamente lamentável existirem médicos que não se preocupam com o paciente, o paciente deve estar sempre acima de tudo, custo financeiro?? O Estado é obrigado a garantir a saúde do ser humano, saúde é um direito constitucional, ser médico é além de tudo, agir com humanidade para com os seus pacientes, médicos como esse tal Dr. CARLOS BETTING deveriam rasgar os seus diplomas, são verdadeiros monstros que não se importam com a vida humana, que DEUS tenha misericórdia dele. Muita Fé em DEUS e saúde a todos, não desistam continuem lutando.

  6. Ivanilson Alexandre comenta:

    11 julho, 2012 @ 7:14 PM

    A LEI 7.713/88 EM SEU ARTIGO 6º , XIV – PREVÊ O SEGUINTE:
    OBS: JÁ É CONSENSO QUE ESPONDILOARTROSE E ESPONDILITE SÃO SINÔNIMOS E SE EQUIVALEM
    Os portadores de doenças graves são isentos do Imposto de Renda desde que se enquadrem cumulativamente nas seguintes situações:
    a) os rendimentos sejam relativos a aposentadoria, pensão ou reforma, incluindo a complementação recebida de entidade privada e a pensão alimentícia; e
    b) seja portador de uma das seguintes doenças:
    b.1) Aids;
    b.2) alienação mental;
    b.3) cardiopatia grave;
    b.4) cegueira;
    b.5) contaminação por radiação;
    b.6) doença de Paget em estados avançados (osteíte deformante);
    b.7) doença de Parkinson;
    b.8) esclerose múltipla;
    b.9) espondiloartrose anquilosante;
    b.10) fibrose cística (mucoviscidose);
    b.11) hanseníase;
    b.12) nefropatia grave;
    b.13) hepatopatia grave (nesse caso, somente serão isentos os rendimentos auferidos a partir de 1º.01.2005);
    b.14) neoplasia maligna;
    b.15) paralisia irreversível e incapacitante;
    b.16) tuberculose ativa.

  7. Ivanilson Alexandre comenta:

    11 julho, 2012 @ 7:15 PM

    SEGUE MODELO PARA REQUERER ISENÇÃO JUNTO AO INSS, QUALQUER DÚVIDA PROCUREM A DEFENSORIA PÚBLICA DO SEU ESTADO E FAÇAM VALER OS SEUS DIREITOS

    EXMO. SR.(autoridade máxima do órgão pagador da aposentadoria)
    [NOME], aposentado, matrícula ou número do INSS nº [NÚMERO], residente e domiciliado à [ENDEREÇO], na cidade de [CIDADE], vem expor e requerer o que segue:

    1. O Laudo Oficial de Médico da União (Estado ou Município) comprova ser portador da [DOENÇA], CID [CID DA DOENÇA] (doc. nº 01).

    2. Em data de [DIA] de [MÊS] de [ANO], foi submetido a cirurgia descrita no Relatório Médico incluso (doc.nº 02).

    3. Exame laboratorial confirma a existência de doença descrita no Laudo Médico (doc. nº 03).

    4. A Lei nº 7.713/88 em seu artigo 6º, XIV e XXI, a Lei nº 8.541/92 em seu artigo 47, a Lei nº 9.250/95 em seu artigo 30 e a Instrução Normativa SRF nº 15/01 em seu artigo 5º, XII, prevêem, expressamente, os casos de rendimentos isentos e não tributáveis.

    5. Assim, por força dos citados diplomas legais, o(a) Requerente não está sujeito ao recolhimento do Imposto de Renda relativo à sua aposentadoria.

    Diante do exposto requer a V.Sa. seja determinado ao órgão competente desta (repartição que paga a aposentadoria) a imediata cessação do desconto do Imposto de Renda em sua aposentadoria.

    Termos em que,

    P. Deferimento.

    [LOCAL], [DATA]

    [ASSINATURA]
    Texto retirado da cartilha: “Saúde – Faça Valer os Seus Direitos” de Maria Cecília Mazzariol Volpe

  8. silvia comenta:

    17 julho, 2012 @ 5:14 PM

    Tenho espondiloartrose, gostaria de saber como peço junto ao INSS pedido de aposentadoria por invalidez. Tenho exames que conprovem meu probelma de coluna mas não diz exatamente espondiloartrose, foi meu médico que me falou, como devo proceder junto ao INSS.

  9. Marcos Martins comenta:

    22 agosto, 2012 @ 11:29 AM

    Ola! eu sou portador de E.A. diagnosticada a mais de 20 anos. desde então fiz varios tratamentos e venho tentando levar a vida o mais normal possível, porém a um ano atraz, venho sentindo que estou perdendo o resto da mobilidade que tinha, adiei ao máximo a protese, mas acho que agora já não poderei esperar mais tempo, pois agora ando praticamente arrastando a perna além de ter dificuldade em fazer certos movimentos. Gostaria de saber a opinião do Doutor. Oque aconselha que seja feito, Atenciosamente Marcos Martins

  10. wellington comenta:

    10 outubro, 2012 @ 1:16 PM

    ola! sou portado de espondiloartropatia soronegativo (espondilite anquilozante, estou muito triste sou novo fui saber disso a pouco tempo 1meses atras ja sintia essas dor a mais de 4 anos atras nunca imaginava que seria isso estou de beneficio mais tenho medo deles me pota para trabalha muitas das vezes nem consigo anda nem abaixa sinto dor dia enteiro o que eu devo fazer me ajuda… e que Deus te abeçoa….

  11. Ivanilson Alexandre comenta:

    20 novembro, 2012 @ 10:38 PM

    Para Wellington.

    Calma Wellington, é possível se viver com EA e com razoável qualidade de vida, você necessita ser acompanhado por um Reumatologista que possa te medicar e fazer o melhor tratamento para o seu caso, já existem muitos medicamentos modernos imunobiológicos que devolvem ao portador de EA o prazer de viver, converse com seu reumatologista e tenha fá em DEUS que você irá vencer a doença.

  12. Ivanilson Alexandre comenta:

    16 fevereiro, 2013 @ 8:33 PM

    Porque esse canal caiu no esquecimento? que pena!

  13. Ana comenta:

    28 abril, 2013 @ 8:05 PM

    Meu irmão descobriu espondilite aquilosante há algumas semanas e o seu médico lhe receitou Humira. Vocês não acham o médico deveria lhe receitar um medicamento menos forte ? Eu li que Humira é só usada como segunda linha de tratamento, apenas quando a primeira não funciona.

  14. Ivanilson Alexandre comenta:

    24 maio, 2013 @ 8:49 PM

    Para Ana, pede para teu irmão acessar o nosso grupo fechado no face, ele se cadastra lá e passaremos as informações que ele necessitar, grupo no face fechado para portadores de EA.

  15. THEOGENES CYRO DE ILIVEIRA ARAUJO comenta:

    6 fevereiro, 2014 @ 4:59 PM

    e preciso que todo o paciente de EA esteja confiante e procure tambem ajuda espiritual
    acredito que a vida tem muito lados e favorencendo e fortalecendo os aspectos da vida que
    sao negligneciados pelo portador da deficiencia , podera ter um conforto seja qual for a religião
    e preciso diciplina espiritual e preciso entender que deus existe e se existe e preciso entende-lo
    vc que passa como eu pelo mesmo problema acomcelho ler o livro de DE NUNO COBRA
    A SEMENTE DA VITORIA. voce vai entender porque ficamos doentes e o derespeito que fazemos com o nosso propio corpo . assim se voce entender que preciso dormir melhor comer bem e movimenta-se com naturalidade e constancia vai melhorar todo o sitema de sua vida
    e a parte espiritual deve ser senpre lembrada . estou no processo de cura sei que nao sera facil
    mais ja melhorei muito
    para dormir melhor e preciso um remedio relaxante desconbri o rivotril e o doflex e antes de ir par cama nado 30 minutos respeito as horas de sono nao e facil mais e preciso tentar
    minha religiao E MUITO BOA TEM A IMPOSIÇAODAS MAOS ME AJUDA MUITO sei que nao temos cura a vida nao tem cura mas ja me sinto melhor espero que entenda que tudo pode melhorar
    faço relaxamento sujestivo repetindo frases positivas . assim melhorei e estou na luta cada dia
    melhorando as vezes uma alimentaçao melhor e primcipalmente a FE QUE TENHO EM DEUS.
    PAZ NA TERRA AOS HOMENS DE BOA VANTADE.

  16. moisesdacunhasanches comenta:

    15 fevereiro, 2014 @ 1:58 PM

    Fui diagnosticado pelo meu médico, dr leandro por sinal um ótimo medico, com sindrome espondilitica + HLA-B27 positivo nao é brincadeira nao é muita dor no corpo, fiquei contente por ter acessado este sait, e compartilhar informaçoes com todos voces e assim ter um pouco mais de conhecimento sobre esse problema que nos incomoda tanto. E que a medicina evolua cada vez mais para que possamos termos uma qualidade de vida cada vez maior, parabens ao criador deste sait.

  17. nelson de oliveira comenta:

    2 março, 2014 @ 3:49 PM

    tenho a doença e.a tomo uma injeçao que se chama ETANERCEPTIL e encotrada nas redes publicas OBS:consulte um reumatologista

  18. raimundo ferreira dos santos filho comenta:

    7 abril, 2014 @ 9:36 PM

    sou portador da espondeliti desde osdesesete
    anos

  19. joseneide ferreira comenta:

    25 maio, 2014 @ 12:28 AM

    Boa noite a todos. Há 2 anos comecei a sentir muitas dores,canssaço e fadiga,fiz alguns exames e deu alterações muito altas na vhs,pcr. depois de muita medicação e de repetir exames laboratoriais a cada 3 meses fui diagnosticada com fibromialgia. Há 1 ano atrás tive uma crise muito forte e muitas dores na lombar,recentemente(6 meses tive outra crise mais forte ainda acompanhada de febre baixa) fiz uma RM da sacro onde o diagnostico foi sacroileite bilateral crônica, sendo que HLA-27 deu negativo e o fator reumatoide também,porem os exames VHS e PCR continuam muito acima do valor de referencia. Tomo as medicações: LYRICA(pregabalina 75mg),TRAMAL e PARACETAMOL(50mg e 500mg respectivamente),gostaria de saber se estou me encaminhando para a espondelite anquilosante.Tenho 33 anos estou em tratamento com a reumatologista há 2 anos e a mesma me diz que posso ficar tranquila porque não tenho nada sério.Por favor me ajudem. Pode mandar qualquer ajuda pelo meu e-mail:josineide-ferreira@hotmail.com OBRIGADA

  20. marcus frederico comenta:

    30 janeiro, 2015 @ 11:24 AM

    Olá Dr Armando Miguel, Bom dia, sofro com dor lombar a 6 anos ,(sou trabalhador braçal) desde então não sei o que é ter uma boa noite de sono, a dor não dá trégua, durante dia melhora um pouco, em movimento ,porém doi bastante quando me assento , não consigo ficar ereto,sinto também fortes dores nos ombros,e no coxi, procurei um ortopedista e ele diagnosticou lumbago com ciatica, ( lombalgia) já tomei varios antinflamátórios e nada resolve, procurei um neurocirurgião , que diagnosticou espondiloartrose, em junho de 2014 ,consultei com reumato,fiz exame de ressonancia magnética e constatou artrose incipiente na região sacro iliaca, o exame de HLA-27 deu negativo, então a médica descartou a possibilidade de existir uma EA , indicou somente piroxican e finaliza ai.
    pergunto, o exame de HLA-27 é o fator determinante para existencia ou não de EA, ou existe sim a possibilidade de uma EA,mesmo que no início, por favor me tire essa dúvida,pois gostaria de tratar corretamente a fonte da dor, se puder responder desde já agradeço.

  21. olenir mariano comenta:

    6 abril, 2015 @ 8:26 PM

    ola pessoal não sei porque motivo nunca mais recebi os emais desse site

Deixe seu comentário aqui !