10 - ago
  

Diabetes Mellitus – Crise de hipoglicemia

Categoria(s): DNT, Emergências, Endocrinologia geriátrica, Nutrição




Editorial

Colaboradora: Angela Terezinha Faveri Fornari *

* Nutricionista e pós-graduanda do curso Saúde e Medicina Geriátrica da Metrocamp

As complicações agudas do diabetes são aquelas que se instalam rapidamente, em horas ou dias e a hipoglicemia é uma delas. É grave e implica risco de vida, caso o paciente não seja tratado a tempo. As complicações agudas do diabetes em geral são dramáticas, pois os pacientes estão bem e, em pouco tempo, parecem estar gravemente enfermos.

A maioria dos casos de hipoglicemia ocorre em indivíduos diabéticos e está relacionada a medicamentos. A hipoglicemia não relacionada a medicamentos ainda pode ser subdividida em hipoglicemia de jejum, a qual ocorre após um período de jejum, e hipoglicemia reativa, a qual ocorre como uma reação à ingestão de alimentos, normalmente de carboidratos.

A hipoglicemia é um distúrbio em que a concentração de açúcar do sangue encontra-se anormalmente baixa. Endocrinologistas geralmente consideram os seguintes critérios para comprovar se os sintomas do indivíduo podem ser atribuídos à hipoglicemia:

1. Sintomas conhecidos como sendo causados por hipoglicemia.

2. Baixo nível de glicose no momento que os sintomas ocorrem.

3. Reversão ou melhora dos sintomas quando o nível de glicose volta ao normal.

Porém, nem todos aceitam esse critério sugerido de diagnóstico, e até o nível de glicose baixo o suficiente para definir hipoglicemia tem sido fonte de controvérsia. Para muitos propósitos, níveis de glicose no plasma abaixo de 70 mg/dl ou 3,9 mmol/L podem ser considerados hipoglicêmicos, mas esses valores são muito variáveis de um indivíduo para outro.

O nível preciso de glicose considerado baixo o suficiente para definir hipoglicemia depende de: (1) método de medição, (2) idade da pessoas, (3) presença ou falta de sintomas, e (4) o propósito da definição.

Em idosos a hipoglicemia pode ocasionar efeitos de derrame localizado.

O quadro é assustador: fome súbita, fadiga, tremores, tontura, batedeira, suores, pele fria, pálida e úmida, turvação da vista, dor de cabeça, dormência nos lábios e língua, irritabilidade, desorientação, mudança de comportamento, convulsões e até perda de consciência. Tais sintomas podem ser observados isoladamente ou em grupo, mas a conduta é sempre a mesma para melhorar a taxa de açúcar no sangue, isto é, elevar rapidamente o nível. Caso não corrigida rapidamente, a glicemia pode ficar cada vez mais baixa. Hipoglicemia noturnas podem se manifestar com pesadelos e gritos, além dos sintomas mencionados.

A hipoglicemia mais grave reduz o suprimento de glicose ao cérebro, provocando tontura, confusão mental, fadiga, cefaléias, comportamento inadequado que pode ser confundido com embriaguez, incapacidade de concentração, alterações visuais, convulsões epileptiformes e coma. O cérebro é particularmente sensível à concentração sérica baixa de glicose, pois a glicose é sua principal fonte energética

Tanto a ansiedade quanto o comprometimento da função cerebral são sintomas que podem iniciar de forma lenta ou abrupta, evoluindo de um desconforto discreto a uma confusão mental grave ou a uma crise de pânico em questão de minutos.

O consumo de álcool, normalmente em indivíduos que bebem muito sem consumir qualquer alimento durante um longo período (o que provoca a depleção dos carboidratos armazenados no fígado), pode causar uma hipoglicemia suficientemente grave para causar estupor, e os profissionais do serviço de emergência podem não se dar conta que um indivíduo em estado de estupor cujo hálito cheira a álcool encontra-se em hipoglicemia e não simplesmente embriagado.

No idoso, os sintomas adrenérgicos (suor, taquicardia e tremores), muitas vezes não são percebidos e a primeira manifestação da hipoglicemia é o estado confusional agudo, gerando um grande problema, pois a confusão faz com que o idoso busque solução para a reversão da hipoglicemia. A monitoração da glicemia capilar pode proporcionar um diagnóstico mais rápido e preciso , uma vez que a sintomatologia não é clássica.

A hipoglicemia, que é um distúrbio evitável, pode ocorrer nas seguintes situações:
1. quando o diabético omite refeições, atrasa suas refeições ou come muito pouco
2. quando apresenta vômitos e diarréia
3. quando pratica exercícios físicos excessivos (esportes ou trabalho pesado), principalmente não estando bem alimentado
4. por doses excessivas de insulina ou hipoglicemiantes orais
5. por excesso de bebidas alcoólicas, que impedem a liberação de glicose pelo fígado

Tratamento

O tratamento da hipoglicemia deve iniciar-se o mais prontamente possível. O objetivo imediato do tratamento é elevar o açúcar no sangue, que se encontra muito baixo, restaurando o bem estar. O açúcar sangüíneo pode subir ao valor normal em minutos da seguinte forma: consumindo por conta própria ou recebendo de outra pessoa 10-20 g de carboidrato. Pode ser em forma de alimento ou bebida caso a pessoa esteja consciente e seja capaz de engolir.

Oferecer balas, açúcar ou líquidos com duas colheres de sopa de açúcar em meio copo do líquido. Se a pessoa estiver em coma ou se recusar a colaborar, coloque um lenço entre as arcadas dentárias e introduza colheres de café com açúcar entre a bochecha e a gengiva, massageando-a por fora.

A quantidade necessária de carboidratos para refazimento na hipoglicemia, pode ser obtida de:
* 100-200 mL de suco de laranja, maçã ou uva
* 120-150 mL de refrigerante comum não dietético
* uma fatia de pão
* quatro biscoitos do tipo cracker
* uma porção de qualquer alimento derivado de amido

O amido é rapidamente transformado em glicose, mas a adição de gordura ou proteína retarda a digestão, com a finalidade de manter a absorção lenta e constante de carboidratos pelo trato gastrintestinal. Os sintomas começam a melhorar em 5 minutos, embora demore 10-20 min até a recuperação completa. O abuso de alimentos não acelera a recuperação e se a pessoa for diabética isto simplesmente causará uma hiperglicemia mais tarde.

Se a pessoa está sofrendo de efeitos severos de hipoglicemia de maneira que não possa ou não deva (devido a convulsões ou inconsciência) ser alimentada, pode-se dar a ela uma infusão intravenosa de glicose ou uma injeção de glucagon, a consciência retorna aproximadamente em cinco minutos, permitindo ingerir um lanche para se refazer.

Os indivíduos não diabéticos com tendência à hipoglicemia geralmente conseguem evitar os episódios, consumindo freqüentemente pequenos lanches ao invés das três refeições diárias habituais.

Os indivíduos com tendência à hipoglicemia devem carregar consigo um cartão ou uma pulseira para informar à equipe de emergência sobre a sua condição. É importante que os amigos e parentes da pessoa com diabetes saibam que ela está em uso de insulina ou de hipoglicemiante oral. Assim, já poderão fazer o diagnóstico de hipoglicemia.

Quanto melhor o controle do diabetes, maior o risco de hipoglicemia, daí a importância também da monitorização da glicemia mais vezes tanto para evitar a hipo, como também para que não se coma em excesso na correção dela, o que invalidaria os esforços para manter o controle. A monitorização permite que o paciente, individualmente, avalie sua resposta aos alimentos, aos medicamentos (especialmente à insulina) e à atividade física praticada.

Para isso, existem modernos aparelhos. A concentração de açúcar no sangue pode ser dosada em casa, utilizando uma gota de sangue, obtida através da punção do dedo no momento em que os sintomas ocorrem, e um dispositivo que controla a concentração sérica de glicose, os glicosímetros, de fácil utilização e que nos fornecem o resultado da glicemia em alguns segundos. Siga as orientações do seu médico quanto ao número de testes que deve ser realizado.

Referências

ALBUQUERQUE Reginaldo. Hipoglicemia. Sociedade Brasileira de Diabetes.[on line]

Diabetes Mellitus. [on line]

FAJANS, Stefan S. Diabetes Mellitus; Hipoglicemias. Manual Merck, Seção 13 – Distúrbios Hormonais, Capítulo 148 – Hipoglicemia. [on line]

FELDMAN Jane. COMPLICAÇÕES AGUDAS DO DIABETES.[on line]

Folha Online. Seção equilíbrio. Intolerância a frutas pode causar hipoglicemia. [on line]

GOMES Mário C.O. Hipoglicemia – a queda de açúcar no sangue. [on line]

LIMA Josivan; MENDONÇA Deise R.B. Como Cuidar de uma Hipoglicemia? [on line]

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Seção Conteúdo Público. O que é Diabetes? [on line]

Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Diabetes Mellitus. [on line]

Tags: ,




Comentário integrado ao Facebook:


43 Comentários »

  1. Flavia Cibele comenta:

    14 setembro, 2007 @ 2:03 AM

    Li o comentario sobre hipoglicimia. Eu tenho mais nao sei a porcentagem. Descobri com um furo no dedo e nao faço tratamento.Tenho medo de que isso piore.Gostaria de uma indicação se deveria fazer um tratamento ???
    Pois muitas pessoas falam que o tratamento e minha mudança de comportamento (horarios pra alimentação e comer coisas fortes) Gostaria de uma ajuda pois realmente estou preocupada.
    Espero que me responda!!!!
    Obrigada

  2. giovanni comenta:

    7 outubro, 2007 @ 2:51 PM

    ola
    gostei de saber sbre este assunto

    sofro diso a 2 anos

    espero que isso sirva de ensinamento pra muitoa gent

    abraços

  3. rodrigo comenta:

    4 dezembro, 2007 @ 4:02 PM

    Gostaria muito de obter a explicação da diferença de hipo e hiperglicemia no que diz respeita ao procedimento de socorro adotado nos dois casos, sempre leio sobre mais confesso não conseguir distinguir com precisão o procedimento tomado e os cintomas nos dois caos.
    Grato…

  4. Eleusa comenta:

    10 dezembro, 2007 @ 5:47 PM

    Minha filha teve hipoglicemia severa por injetar 30ml de insulina em26/12/2006 teve uma lesão cerebral cognitiva aos 16 anos hoje e totalmente depedente de mim. Sofro muito vendo-a como esta. Por isto, alerto a quem toma insulina para que tome cuidado e procure sempre estar com acompanhamento médico. E a quem não toma e pensa em tomar por outro motivo que não seja a diabete não faça isso. Não brinca com a vida, porque o resultado pode ser muito triste. Deborah era cheia de vida alegre tem dois bebes gêmeos e hoje vive sem pespectiva já melhorou muito, mas se vê que ela também sofre por estar assim. Mas confio em Deus que um dia ela fique boa de tudo volta a ter uma vida normal.
    Grato

  5. Prof. Armando comenta:

    11 dezembro, 2007 @ 11:55 AM

    Os dois quadros (hiperglicemia ou hipoglicemia) podem dar quadros emergenciais semelhantes, perda da conciência, sudorese, queda da pressão, taquicardia, respiração superficial.
    As crises de hipoglicemia são mais graves, podendo ocasionar lesão importantes e até irreversíveis no cérebro. Na hipoglicemia se não agimos imediatamente podemos perder o paciente.
    As crises de hiperglicemia são graves, mas permitem um controle em um tempo um pouco mais longo.
    Em vista disso, quando estamos diante de uma caso emergencial e não temos o exame da glicemia de imediato, o melhor é dar um pouco de açucar (água açucarada), que o paciente em crise de hipoglicemia se recupera e sai logo estado emergencial. Se o paciente esta em crise de hiperglicemia e nós dermos um pouco de açucar, não melhora o estado clínico e altera pouco a hiperglicemia.

  6. neide sá comenta:

    13 dezembro, 2007 @ 10:19 AM

    Meu marido (78 anos) é diabético desde os 45 anos, sempre tratado com hiperglicemiante oral. Porém, há seis meses sua glicemia começou a ficar muito elevada, apesar dos exercícios e da dieta, começou a emagrecer muito e foi-lhe receitado o uso da insulina.Estava indo tudo bem, mas ontem ele teve uma crise de hipoglicemia. Foi muito assustador, ele estava dirigindo. Fiz tudo o que se recomenda e ele melhorou logo. Mas, foi um susto! Agora, acho que saberei enfrentar melhor se outra crise aparecer. Espero que não!

  7. Flávia comenta:

    31 dezembro, 2007 @ 12:29 AM

    Tenho Hipoglicemia à muito tempo… mas fazem poucos meses que descobri… Ainda estou um pouco confusa!… Pois a minha pressão abaixa bruscamente quando tenho uma crise hipoglicêmica.Às vezes melhoro dos sintomas com açúcar, outras vezes, melhoro com sal, pois a minha pressão normaliza. O que é realmente correto fazer??? Agora, por exemplo: Acordei me sentindo muito mal, não consigo dormir, e os sintomas são terríveis! O que devo fazer?
    O que comer?
    existe algum medicamento de tratamento?
    Please, me ajudem!!!
    desde já, agradeço!
    Ou algo que alivie os efeitos?
    Porfavor, preciso de ajuda…

  8. Dr. Armando Miguel Jr comenta:

    31 dezembro, 2007 @ 12:16 PM

    Flávia,
    As orientações do site são gerais. Aconselho a consultar um médico endocrinologista e fazer um acompanhamento adequado com nutricionista. Para cada caso existe uma dieta específica.

  9. Edson E Jesus comenta:

    29 janeiro, 2008 @ 4:23 PM

    Em dezembro de 2003, estava indo almoçar num restaurante da região de Cotia (onde trabalho) e de repente minha visão começou a ficar turva, minhas mãos a suarem a ficarem dormentes, imaginei que era fome, mas o pior foi quando estava na fila, simplesmente não conseguia falar e o que falava não sai (lembro de tentar pedir uma coca light e foi um desespero) como minha faleceu devido um derrame eu fiquei preocupado achando que havia sofrido um, fui num médico (tudo bem que somente em agosto de 2004), que solicitou exames chapas da cabeça e nada constatou (a não ser um desvio no septo, que é uma outra história) mas o médico não solicitou exame de sangue e nem perguntou sobre outros sintomas, somente fui identificado com crise hipoglicêmica em 2006, quando tive outra crise e o médico da firma disse o que era, de uma certa forma me senti “aliviado”, mas percebo que não é fácil, principalmente para quem adora massas, ter uma dieta sem muitos carboidratos.

  10. Jose Maria Serrão Viana comenta:

    2 março, 2008 @ 5:52 PM

    Sou diabete novato tenho 48 anos não conheço quase nada sobre atividade de um diabete, minha diabete estar 360 estou tomando insulina 20 unid pela manhã e 10 unid a noite sobre recomendações medica e não estou vendo avanço no tratamento o que fazer estou com medo.

  11. Dr. Armando Miguel Jr comenta:

    2 março, 2008 @ 8:22 PM

    José Maria,
    O governo brasileiro tem um programa de atenção aos diabéticos e hipertensos (HIPERDIA). Procure os postos de saúde da sua cidade e informe-se sobre ele.
    Neste site e no site da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Seção Conteúdo Público. O que é Diabetes? com link na página acima, tem informativos sobre o diabetes para o público em geral.

  12. Curtiz comenta:

    20 março, 2008 @ 2:33 PM

    Conheço muito sobre diabetes, porém o muito perto da monstruosidade que é a diabetes é quase nada. No entanto, minha esposa tem diabetes desde 10 anos, hj 33, passou por um transplante de rim/pancreas – Albert Einsteins, ml sucedida, houve complicações de infecção, onde resultou na retirada dos orgão. Hj ela faz hemodiálise 2ª4ªe6ª. È sofrido, mas acreditamos que um novo transplante é a cura. Sobre hipoglicemias, ela tem tido vária de diversos formatos, todas tem sido sanadas com MEL, de preferencia esquente um pouco para facilitar a ingestão. acompanhe com agua c/açucar. São em torno de 30 há 50 minutos ela volta. o correto é vermos a qdade de carboidratos q estão sendo ingeridos. isso faz a diferença.
    Sobre MEDICAMENTOS GRATIS para diabéticos, entramos com uma ação contra o estado, com advogado da OAB GRATUÍTO, detalhe importante, vá a um posto da OAB cedo, 2ª à 5ª pegar senha. salário inferior a 3 minimos. SABEMOS que é lei fornecer estes medicamentos bem como seus insumos, mas devemos lembrar, estamos no brasil.
    Há a inslina LANTUS age 24h, e ela deixa vc em estado de hipoglicemia a partir de 70, diferente das outras 35. ou seja qdo vc sentir a lingua enrrolar já abraça um doce e DEUS seja por nós. A insulina é show. duvidas sobre o tratamento e nossas experiências pode me perguntar. BOA SORTE A TODOS wilborw@gmail.com

  13. Michelle comenta:

    15 abril, 2008 @ 12:12 PM

    tenho 31anos tenho hipoclecemia tenho horas de picos e as vezes mesmo apos comer demora para parar de tremer , tremo muito e minha presão vive lá embaixo

  14. Iracema comenta:

    1 maio, 2008 @ 9:02 PM

    Ola! Eu fui ao um médico de Neurologia, levei ums exames que havia feito e ele comentou que eu tenho Hipoglicemia, porem recomendou que eu viesse a ter uma consulta com especialista na area. Mais como eu nao tenho plano de saude esta dificil de eu ir ao um médico nesta area.
    tenho que ficar na fila de espera com os meus exames ja prontos,
    Então sendo assim, eu peço uma ajuda de vocês, o que tenho que fazer para me prevenir?
    quais são as alimentaçâo corretas?
    o Adocil ZERO CAL é prejudicial?
    Porque eu soube que o ZERO CAL não é recomendado. mais eu estou usando.
    Falam que ele tem muito açucar.
    E engorda.
    Tem algum remédio em que eu posso tomar?
    Os meus resultados são:
    1- 51,00 mg/dl
    2 – 31,80 uIU/ml
    3 – 41,90uIU/ ml
    Por favor se alguém consegue me ajudar, entre em contato no meu e-mail.
    preciso de uma orientação URGENTE…..
    Estou sem nenhum mendicamento ou alimentação correta. mais o que estou fazendo é cortando todo o meu açucar, mais tb não sei se isso esta correto ou não
    agradeço desde já

    IRACEMA

  15. George Roiz comenta:

    9 maio, 2008 @ 8:07 PM

    Gostei muito do artigo, mas o que buscava não achei, qual a porcentagem de hipoglicemicos não diabeticos?, ou seja, aqueles que tem hipoglicemia de jejum. Estou precisando dessa informação, muito obrigado.

  16. jonathas comenta:

    11 maio, 2008 @ 8:01 AM

    tenho o contrário da diabetes, o meu açucar é baixo, 55, 65, é um inferno, qunado baixa mais, a minha pressão cai também, já cheguei a cair e bater minha cebaça no ônibus, isso causa muitos danos, pois tenho crise de transtorno do panico e aí minha pressão sobe bruscamente, mas nas crises hipoglicemicas ela baixa bastante.

  17. Maria Paula leiite comenta:

    11 maio, 2008 @ 2:43 PM

    ooi ,
    tenho diabetes a 14 anos , e nunca fui muito preoculpada com isso !
    Esse últimos dias pra mim tem sidos estranhos porque eu tive uma convulção e não sabia
    porque !
    Depois de ler isso percebi !
    E tambem descobri que tive um na casa da minh amiga e não sabia , não me lembrava ,ela
    me conto isso depois que outra amiga minha tambem conto !

    Mais esse texto me “mostro” muita coisa ! :))

    Maria Paula Leite 14 anos !

  18. camila martins comenta:

    23 junho, 2008 @ 2:37 PM

    Olá…
    Adorei o artigo,
    Minha mãe esta sofrendo deste transtorno horrivel, so que não sabiamos ao certo o que era. Com o estudo do seu artigo agora temos certeza de que se trata de Hipoglicemia.
    Muito obrigada e iremos procurar um medico com estrama urgencia para ela …

  19. Roberta comenta:

    17 julho, 2008 @ 5:20 PM

    Boa tarde,
    a alguns anos, descobri que eu tinha hipoglicimia e não fiz tratamento, hoje fiz um teste de glicose em um glicosimetro e a porcentagem foi 88%, gostaria de saber se esta baixa??? Obrigada

  20. Eucimar comenta:

    5 agosto, 2008 @ 5:06 PM

    tenho 31 anos e descubrir que sou hipoclecemica estou muito assustada porque sinto todos os sintomas

  21. francisco comenta:

    4 dezembro, 2008 @ 11:04 PM

    meu irmão tentou suicidio essa semana e fez uso de rivotril, fluoxetina e carbamazepina vo, mas encontrei um frasco de insulina regular do lado do dorpo, eu faço uso de insulina e na ampola que me restava não havia mais de 1 ml, encontrei tambem u frasco de adezetacil 400mg, hoje ele está internado numa uti, e os medicos dizem que a lesão crebral, pois encontrei ele no chao caido sem saber exatamente quanto tempo estava lá, deve ser no minimo umas 6 horas, está em ventolaçao mecanica em uma uti, e fazendo uso de noradrenalina a 20 ml/h, e quando ele foi levado pelo samu, chegou na emergencia com 10mg/dl de dextro, por favor me responda, qual o prognostico é ruim, quais as opossivei areas afetadas???

  22. Ronaldo Oliveira comenta:

    6 outubro, 2009 @ 10:33 PM

    Muito bom o texto. Moro em Portugal e decidi ir embora com minha familia para o Brasil pois não confio no sistema de saúde daqui. Minha filha tem 11 anos e tem diabete tipo 1 e teve hoje uma convulsão, foi horrível, ela expeliu sangue pela boca, penso que seja por ter mordido a língua. Mas como cheguei hoje de férias do Brasil fiquei sabendo que na semana passada também teve uma convulsão. Minha esposa é muito atenciosa em relação ao tratamento da hipo e hiper. Mas não estamos conseguindo controlar as glicemias, que tanto fica abaixo dos 30 como acima dos 600. Sei que é bastante perigoso e daí a iniciativa de voltar ao Brasil, onde ela já vem sendo acompanhada.
    Gostaria de saber se com sequências de convulsões ela poderá ter alguma lesão cerebral. E se com 11 anos ela pode ou deve fazer um transplante de pancreas ou se não é aconselhável tal cirurgia.
    Obrigado!

  23. cleber comenta:

    13 dezembro, 2009 @ 11:52 AM

    minha cunhada passou mal, e ela tem diabetes então ela teve uma crise convusiva como devo proceder em um momento desse?

  24. carmo comenta:

    29 dezembro, 2009 @ 9:04 AM

    Tenho uma cunhada com problemas de diabete, pressão alta, problemas cardio vascular, perna inchada com pontos pretos sendo que a perna e pé já se igualarão. parece-me que a Dra. Terezinha é especialista na área não tenho endereço dela parece que é da faculdade de medicina do ABC gostaria de algum comentário.

  25. Lig Ribeiro comenta:

    8 janeiro, 2010 @ 5:32 PM

    Olá boa noite, tenho crises de hipoglicemia e não sou diabética..
    Estou procurando artigos sobre o assunto e não encontro…
    Alguém pode me ajudar?
    Isso pode ser sinal de diabetes no futuro???
    Na familia de minha mãe muitas pessoas são diabeticas e isso me preocupa..
    tenho 41 anos e tenho crises de hipoglicemia já a uns 5 anos…
    Espero uma resposta… boa noite…

  26. annielly comenta:

    3 fevereiro, 2010 @ 7:07 PM

    bom eu tenho hipo…a mais ou menos 5anos…..e nunca cuiddei…antes eu sentia tonturas coisas basicas sabe

    mais a mais ou menos 5 meses eu ando tendo tipo de crises com mta tontura….ortes dores no peito…falta de ar….formigamento em todo o corpo olhos bocas mãos pés…e nesse periodo partes do meu corpo paralisa e não cosigo mexer….tem vezes q desmaio de tanta falta de ar…e qdo isso passa eu fiko com mta dor de cabeça
    isso eh por causa da hipo?
    é muito perigoso?
    como eu faço pra não passar mais por isso?

    obrigada pela atençaõ

    beijos

  27. Lig Ribeiro comenta:

    4 fevereiro, 2010 @ 1:31 PM

    OI algum medico(a) pode nos ajudar???
    esperamos e agradecemos…

  28. Cleuza comenta:

    13 agosto, 2010 @ 2:26 AM

    Geralmente gosto de dormir apos o almoco e as vezes qdo acordo,la’vem os sintomas da hipoglicemia,sudorese,palpitacaoes,fraqueza.Logo coloco alguma coisa doce na boca ,procuro me sentar,vou respirando calmamente ate passar.Gostaria de saber ,se estou alimentada,pq vem a crise/Obrigada…..

  29. Lig Ribeiro comenta:

    14 agosto, 2010 @ 9:03 PM

    Será que alguem pode nos auxiliar?
    Será que alguém interessa por esse assuntos?
    A gente acessa, escreve duvidas, espera respostas, espera alguma dica, e ninguém se manifesta.
    Desde já agradeço. boa noite.

  30. lovecy comenta:

    4 outubro, 2010 @ 11:23 AM

    neste fim de semana passei mal. Acordei com fraquezq e minhas perna estava pesada parecia q estava cansada, fiz a mamadeira do nenem dei alel e voltei para lava-la.Qdo chegei na cozinha so me lembro de sentar numa cadeira junto a mesa nao lembro de mais nada . falam q tive convulsoes fiquei se repulchando erolei a lingua q tiverao q enfiar o dedo na boca para pucha-la isso foi as 7:00 hs da manha foi começar conhecer as pessoas era 8:30 para 9:00 hs.

    a unica coisa que sei que tem duas semanas estou fazendo regime, so como saladas e carnes no almoço no jantar so um sheike
    sera que e diabe baixa.

  31. Kleber William comenta:

    14 outubro, 2010 @ 8:20 PM

    Olá meu nome é Kleber e minha mãe é diabética, e lhe foi receitada 27 unidades de insulina pela manhã e 12 a noite e além da insulina, ela toma o comprimido Metformina, um comprimido depois do café e depois da janta. Eu pelo pouco conhecimento que tenho, estou achando as doses muito altas, e ontem (14/10/2010) a noite ela sentiu a língua dormente.
    Quero saber o que eu devo saber, ela está sobre orientação médica da Unidade Básica de Saúde do meu bairro, quero saber o que vcs me aconselham?

    Obrigado!

  32. Rafaela dos santos souza comenta:

    6 setembro, 2011 @ 9:23 PM

    Olá minha mae e minha tia é diabetica. só o que mim preocupa é as crise que tia tem, quando baixa ela fica mau, é normal? o que devo fazer?

  33. vanessa maria pinto comenta:

    6 outubro, 2011 @ 9:21 PM

    tenho uma filha de 1 ano e 6 meses e eu venho notando que ela tem ums tremores logo apos ela acordar e so passa depois que ela come e se ela nao comer demora a passar isso pode ser hipoglicemia??? e isso e hereditario????

  34. rodrigo comenta:

    9 novembro, 2011 @ 4:20 PM

    Olá boa tarde a todos..tenho 31 anos a a uma semana descobri q tenho hipoglicemia e colesterol alto, tenho a muito tempo ja,tonturas falta de consentração falta d ar sensção d desmaio. a minha médica me passou uma dieta pra poder baixar os niveis..mais é muito rigorosa e não consigo seguir..pois ela cortou : pão ,arroz,feijão,bolachas.leite , açucares..todo q é carbo ela tirou…só quer q como frutas saladas e carnes brancas grelhadas…alguem q ja passou ou passa por isso tem alguma sugestão ai doq eu possa comer? e será q cortar tudo não é um pouco radical d mais? por favor me informem,me ajudem..pois ja sou magro e estou imagrecendo muito..grato.

  35. raquel comenta:

    24 janeiro, 2012 @ 9:09 AM

    ola tenho muitas duvidas sobre o q sinto,pois esses medicos de posto de saude nao gosta de responder perguntas q os pacientes deles tem, deveriam ser diferentes, eu tomo medicacao; metformina 2 capsulas por dia de 850 mg e glicamim 5mg,sinvastatina 20mg sempre depois das refeicoes mas as vezes nao sinto fome queria saber se posso tomar apos fazer algum lanche nao tenho muita fome desde ja agradeco. beijos

  36. sol comenta:

    31 agosto, 2012 @ 10:19 AM

    O medico me receitou glicamin 5 ml mas comecei a sentir
    tremedeiras, tonturas, fraqueza e quando faço o destro não
    es
    ta oxilando um dia alta e no outro baixa 60.

  37. wellington a dos santos comenta:

    24 outubro, 2012 @ 5:51 PM

    quero muito sabe pq tem dia q acordo meio zonzo nao falo coisa com coisa tem hora q nen sei oq to fazendo mais depois de algumas horas tudo passa oq pode ser isso.uma ajuda por favor.obrigado

  38. sandra r camargo da silva comenta:

    11 dezembro, 2012 @ 9:22 AM

    estou com aglicose en 105 mg dl e de sepreucupar

  39. claudia costa comenta:

    21 fevereiro, 2013 @ 2:52 PM

    ola meu esposo é diabetico e sempre tem convulsoes só q so da a noite e nao acho normal, agra q comecou da em qualquer outra hora so q quando eu estou longe dele nao acontece nada , acho muito estranho
    eu socorro ele, ele fica estranho nao reconhece nada é normal isso? e eu sinto muito medo dele depois tenho medo ate de dormi com ele eu acho muito estranho e nao quero acabar com meu casamento de quatro anos so por causa disso , eu amo ele mas nao consigo ficar perto dele apos a crise, sinto muito medo e tenho q sair da minha casa, preciso de ajuda por favor, deus abençoe.
    claudia costa

  40. Dr. Armando Miguel Jr comenta:

    21 fevereiro, 2013 @ 7:56 PM

    Claudia
    Leve-o para uma consulta com endocrinolgista e neurologista. Eles poderão interpretar os sintomas noturnos que ele está apresentando.
    Uma forma de avaliar a causa das convulsões é interna-lo e verificar como fica a glicemia durante as crise – Pode ser que um quadro de hipoglicemia ou epilepsia.
    Outra forma é fazer uma polissonografia verificando o que ocorre durante a noitge de sono.

    Boa sorte.

  41. Nildo comenta:

    2 agosto, 2013 @ 2:17 PM

    Gostaria de compartilhar com vocês minha “experiência” no assunto. Na minha família somos 3 pessoas, eu, meu irmão e minha irmã, com o caso de Hipoglicemia Reativa. Tudo começou após sermos submetidos à cirurgias na região estomacal. Minha Irma foi operada de um caso complicado de Apendicite, um ano após a cirurgia, foi submetida novamente a outra cirurgia de Apendicite, ou seja, na primeira vez não foi retirado o apêndice, ocasionado na segunda vez, um procedimento mais severo, retirando uma região maior, chagando até ao estomago. O meu irmão foi operado de Úlcera Estomacal. Meu caso é uma mistura dos dois, fui submetido às cirurgias de Apendicite e Úlcera, com intervalo de 3 anos, a 1º Apendicite e depois Úlcera. Há mais de 25 anos que sofremos com estas crises, foram anos e anos sem sabermos exatamente o que tínhamos. Fizemos exames de ‘Curva Glicêmica” etc e etc, mas os médicos nunca havia chegado a um diagnóstico, porém somente recomendavam dietas de diabéticos, sem dar um diagnóstico. Fiquei anos e anos fazendo testes com alimentos para descobrir o que exatamente causava as crises, até que descobri que a ingestão de carboidratos refinados, doces, refrigerante após um período superior a 2 ou 3 horas de uma refeição mais “pesada”, como por exemplo almoço, jantar, sempre causavam tais crises. Após o advento da internet comecei a pesquisar sobre o assunto, lendo postagem de artigos de vários médicos, juntando um comentário mais outro comentário pude perceber que o que tínhamos era a chamada “Crise de Hipoglicemia de não Diabéticos” ou “Hipoglicemia Reativa” como é tratada por muitos profissionais da área.
    Hoje sabemos como evitar, porem às vezes exageramos na dieta e temos crises, neste caso sempre ingerimos um pouco de alimento doce, exp.: um chocolate, pedaço de doce, etc, sempre dá certo.
    Quando vou a uma festa de aniversário, por exemplo, nuca como bolo, refrigerantes, docinhos, pois tenho certeza que isto vai me causar uma crise de hipoglicemia, ou seja, na maioria das vezes só vou para cantar os parabéns, mas quando tem salgadinhos aí sim, faço a festa.
    Minha dieta hoje é sempre a mesma: pela manhã só como frutas até chegar o almoço, no almoço como de tudo sem qualquer problema, inclusive sobremesas doces de qualquer natureza, refrigerantes, etc. Entre o almoço e jantar evito o máximo de ingerir qualquer coisa doce ou que contenha carboidrato refinado, como pão de queijo, biscoitos, pães, etc. No jantar, igualmente no almoço, posso comer de tudo sem problemas,
    Concluindo, nos três casos há uma correlação com a cirurgia de estômago.

  42. Nildo comenta:

    2 agosto, 2013 @ 2:19 PM

    Se quizerem entrar em contato comigo fique a vontade: nildo@fiemg.com.br

  43. Nildo comenta:

    2 agosto, 2013 @ 3:05 PM

    Gostaria de compartilhar com vocês minha “experiência” no assunto. Na minha família somos 3 pessoas, eu, meu irmão e minha irmã, com o caso de Hipoglicemia Reativa. Tudo começou após sermos submetidos à cirurgias na região estomacal. Minha Irma foi operada de um caso complicado de Apendicite, um ano após a cirurgia, foi submetida novamente a outra cirurgia de Apendicite, ou seja, na primeira vez não foi retirado o apêndice, ocasionado na segunda vez, um procedimento mais severo, retirando uma região maior, chagando até ao estomago. O meu irmão foi operado de Úlcera Estomacal. Meu caso é uma mistura dos dois, fui submetido às cirurgias de Apendicite e Úlcera, com intervalo de 3 anos, a 1º Apendicite e depois Úlcera. Há mais de 25 anos que sofremos com estas crises, foram anos e anos sem sabermos exatamente o que tínhamos. Fizemos exames de ‘Curva Glicêmica” etc e etc, mas os médicos nunca havia chegado a um diagnóstico, porém somente recomendavam dietas de diabéticos, sem dar um diagnóstico. Fiquei anos e anos fazendo testes com alimentos para descobrir o que exatamente causava as crises, até que descobri que a ingestão de carboidratos refinados, doces, refrigerante após um período superior a 2 ou 3 horas de uma refeição mais “pesada”, como por exemplo almoço, jantar, sempre causavam tais crises. Após o advento da internet comecei a pesquisar sobre o assunto, lendo postagem de artigos de vários médicos, juntando um comentário mais outro comentário pude perceber que o que tínhamos era a chamada “Crise de Hipoglicemia de não Diabéticos” ou “Hipoglicemia Reativa” como é tratada por muitos profissionais da área.
    Hoje sabemos como evitar, porem às vezes exageramos na dieta e temos crises, neste caso sempre ingerimos um pouco de alimento doce, exp.: um chocolate, pedaço de doce, etc, sempre dá certo.
    Quando vou a uma festa de aniversário, por exemplo, nuca como bolo, refrigerantes, docinhos, pois tenho certeza que isto vai me causar uma crise de hipoglicemia, ou seja, na maioria das vezes só vou para cantar os parabéns, mas quando tem salgadinhos aí sim, faço a festa.
    Minha dieta hoje é sempre a mesma: pela manhã só como frutas até chegar o almoço, no almoço como de tudo sem qualquer problema, inclusive sobremesas doces de qualquer natureza, refrigerantes, etc. Entre o almoço e jantar evito o máximo de ingerir qualquer coisa doce ou que contenha carboidrato refinado, como pão de queijo, biscoitos, pães, etc. No jantar, igualmente no almoço, posso comer de tudo sem problemas,
    Concluindo, nos três casos há uma correlação com a cirurgia de estômago.

    nildo@fiemg.com.br

Deixe seu comentário aqui !