11 - jul
  

Osteoporose – Entendendo o metabolísmo ósseo

Categoria(s): Biogeriatria, Bioquímica, DNT, Reumatologia geriátrica




Conceitos

Colaborador : Ruy Barbosa Oliveira Neto *

* Biólogo, Pós-graduando do Curso de Saúde e Medicina Geriátrica da Metrocamp

No tecido ósseo existe uma constante atividade osteoblástica (síntese de matriz, com impregnação de íons cálcio e fosfato na mesma) e uma constante atividade osteoclástica (lise do tecido ósseo com mobilização de íons cálcio e fosfato do tecido ósseo para os líquidos corporais). A atividade osteoblástica é feita por células chamadas osteoblastos; a atividade osteoclástica, por sua vez, pelos osteoclastos.

Papel do paratormônio

O paratormônio é um hormônio produzido por 4 glândulas, chamadas paratireóides, que se localizam atrás da glândula tireoide, que fica localizada no pescoço. Um aumento na secreção de paratormônio promove, nos ossos, um aumento da atividade osteoclástica, o que transfere íons cálcio e fosfato destes tecidos para o sangue. Além disso, o paratormônio aumenta também a atividade da membrana osteocítica que, por meio de transporte ativo, transfere grande quantidade de íons cálcio dos ossos para o sangue. Ambos os eventos promovem uma elevação da calcemia.

Papel da calcitonina

tireoide
Corte histológico de uma tireóide normal 1 – células parafoliculares ou células C; 2 -folículo tireoideano, rodeado pela células tireoideanas produtoras dos hormônios tireoideanos; 3 – Substância colóide (depósito de hormônio).

A calcitonina é produzida pelas células parafoliculares ou células C da tireóide (número 1 da figura). Um aumento na secreção de calcitonina promove, nos ossos, um aumento da atividade osteoblástica. Através desta, ocorre uma maior síntese de tecido ósseo (matriz protéica), o que atrai grande quantidade de íons cálcio e fosfato do sangue para este novo tecido. Na matriz, cálcio e fosfato combinam-se entre si e com outros íons, formando os diversos sais ósseos, que são responsáveis pela rigidez do tecido ósseo. Valores de referência homens até 12 pg/mL e mulheres até 5 pg/mL.

Componentes minerais dos ossos – Os mais importantes sais ósseos são: fosfato de cálcio, carbonato de cálcio e hidroxiapatita.

O aumento da atividade osteoblástica, portanto, promove uma redução da calcemia, pois uma considerável quantidade de cálcio migra do sangue para os ossos.

Metabolísmo do cálcio

No sistema digestório – Como diariamente todos temos uma pequena perda de cálcio através da diurese, é importante que também tenhamos, pelo menos, uma reposição desta perda através de nossa alimentação. O cálcio, presente em diversos alimentos, é absorvido através da parede do intestino delgado (transporte ativo). Mas, para que ocorra uma adequada absorção se faz necessário a presença de uma substância denominada 1,25-diidroxicolecalciferol.

Formação da 1,25-diidroxicolecalciferol.

Na nossa pele existe, em abundância, um derivado do colesterol denominado 7-desidrocolesterol. Através da irradiação ultravioleta (pelos raios solares) grande parte desta substância é convertida em colecalciferol (vitamina D3). No fígado, o colecalciferol é convertido em 25-hidroxicolecalciferol. Este, nos rins, converte-se em 1,25-diidroxicolecalciferol (esta conversão também exige a presença de paratormônio).

No sistema urinário – Nos túbulos contornados distais dos nefrons há um mecanismo que reabsorve íons cálcio do lúmen tubular para o interstício, e conseqüentemente para o sangue, ao mesmo tempo em que transporta íons fosfato em sentido contrário. Na presença de paratormônio este transporte aumenta, fazendo com que mais cálcio seja reabsorvido (reduzindo a perda urinária deste íon) ao mesmo tempo em que mais íons fosfato seja excretado (aumentando a perda urinária de fosfato).

No epitélio intestinal - O 1,25 diidroxicolecalciferol ativa principalmente uma tríade de reações tais como: ativação de uma proteína fixadora de cálcio, ativação das ATPases estimuladas pelo cálcio e ativação das fosfatases alcalinas. Esses tres processos concomitantemente, somatizam e possibilitam a absorção do cálcio pelo epitélio intestinal.

Conclusão

Portanto, para que ocorra uma boa absorção de cálcio através de nosso sistema digestório, é necessário que: o cálcio esteja presente no alimento (DIETA). não haja falta de vitamina D3 em nosso organismo (para isso é necessária a exposição do corpo aos raios solares ou uma alimentação rica em fontes desta vitamina), a presença do hormônio paratormônio (para que ocorra a conversão de 25-hidroxicolecalciferol em 1,25-diidroxicolecalciferol).

A concentração de cálcio no plasma e seus efeitos no organismo

Mais de 99% do cálcio presente em nosso corpo se encontra depositado em tecidos como ossos e dentes. Sendo assim, o cálcio na forma iônica dissolvida em nosso plasma corresponde a menos de 1% do total de cálcio que possuímos. É muito importante que o nível de cálcio plasmático se mantenha dentro do normal (valor de referência entre 8,4 e 10,2 mg/dL).

Hipercalcemia – Em uma situação de hipercalcemia as membranas das células excitáveis se tornam menos permeáveis ao sódio, o que reduz a excitabilidade da mesma, como conseqüência, ocorre uma hipotonia muscular esquelética generalizada. E no músculo cardíaco ocorre um aumento da força contrátil durante a sístole ou mesmo uma parada cardíaca, devido à redução da excitabilidade das fibras de His-Purkinje.

* A hipercalcemia pode ser causada por: hiperparatireoidísmo primário, neoplasias com envolvimento ósseo, particularmente câncer de mama, pulmões e rins, e no mieloma múltiplo. Pode ser vista na tirotoxicose, acromegalia, intoxicação pela vitamina D, excesso de antiácidos e na fase diurética da necrose tubular aguda.

Hipocalcemia – Em uma situação de hipocalcemia, ao contrário, as membranas celulares se tornam excessivamente permeáveis aos íons sódio. O aumento na permeabilidade ao sódio torna as membranas mais excitáveis, assim, os músculos esqueléticos se tornam mais hipertônicos, podendo ocorrer inclusive uma manifestação de tetania (hipocalcêmica). O músculo cardíaco se contrai com menos força.

* Os valores diminuídos do cálcio ocorre no hipoparatireoidísmo primário ou pós cirurgia da tireoide, na deficiência da vitamina D, insuficiência renal crônica, pancreatite aguda, acidose crônica, hipoalbuminemia e hipofunção hipofisária.

Controle da Calcemia – Quando o nível plasmático de cálcio se torna abaixo do normal, as paratireóides aumentam a secreção de paratormônio, este faz com que a calcemia aumente, retornando ao normal. Quando o nível plasmático de cálcio se torna acima do normal, as células parafoliculares da tireóide aumentam a secreção de calcitonina, esta faz com que a calcemia se reduza, retornando ao normal.

Referências:

GHORAYEB, N., BARROS,T. O Exercício. ed. Atheneu, 1999. Pg. 387

GUEDES, D.P., GUEDES, J.E.R.P., Controle do peso corporal: Composição corporal, atividade física e nutrição .ed. Midiograf, 1998. Pg.157

MAZZEO, R.S., CAVANAGH, P., EVANS, W.J., FIATARONE, M.ª, HAGBERG,J., MCAULEY, E., STSRIZE I.J., Exercícios e atividade física para pessoas idosas. Revista Atividade Física e Saúde, v.3, nº.1, p.48-78,1998

NAGIER, M.D.N., ESTORF, M.D.I., Seu corpo de A a Z: Guia prático de exercícios de recuperação e conservação. Rio de Janeiro, 1988. Pg.228-233

NIEMAN, D.C., Exercício e saúde: Como se prevenir de doenças usando o exercício como seu medicamento, ed. Manole, 1999. Pg. 105-118

NUNER, J.F., FERNANDES, J.A., Influência da ginástica localizada sobre a densidade óssea em mulheres de meia idade. Revista Atividade Física e Saúde, v.2, nº.3, p.14-21,1997

OURIQUES, E.P.M., FERNANDES, J.A., Atividade física na terceira idade: uma forma de previnir a osteoporose? Revista Atividade Física e Saúde, v.2, nº.1, p.53-68,1997

PINTO, R.M.A., CHIAPETA, S.M.S.V., O cálcio, o estrogênio e a atividade física na intervenção da osteoporose em mulheres no climatério. Revista Mineira de Educação Física, v.3, nº.1, p.05-16, 1995

RASO,V., ANDRADE, E.L., MATSUDO, S,M., MATSUDO, V.K.R., Exercícios com peso para pessoas idosas. Revista Atividade Física e Saúde, v.2, nº.4, p.17-26, 1997

Tags: , , , , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


29 Comentários »

  1. CAROL comenta:

    29 outubro, 2007 @ 8:47 PM

    Obrigada pela resposta!!! Vou passar alguns resultados, para ver se você pode me ajudar, qual especíalista devo procurar. Não tenho condições financeiras, faço as consultas pelo SUS. O primeiro exame que fiz, foi um RX de mãos e punhos, onde constou Textura óssea reduzida e logo em seguida fiz à DENSITOMETRIA ÓSSEA, com resultado de conclusão: OSTEOPENIA e em OBS: Alterações osteo-hipertróficas degenerativas alteram a mensuração densitométrica. Resultado de sangue (dosagem sérica de cálcio) foi de 9,3 mg/dl. Mas como já disse tenho dores, e o osso queima só para se tomar anagésicos…Se eu trabalhar dois dias seguidos sentada trava, minha jornada de trabalho é de 8 horas e meia andando, sou vendedora. Mais uma vez obrigada pela sua atenção e espero que com estes dados você possa me ajudar. Fique com DEUS….

  2. VALÉRIA comenta:

    11 janeiro, 2008 @ 5:39 AM

    GOSTARIA DE SABER O QUE SIGNIFICA OSTEOHIPERTROFICAS EM UM RESULTADO DE RAIO X DO JOELHO

  3. Dr. Armando Miguel Jr comenta:

    11 janeiro, 2008 @ 6:01 PM

    Carol,

    A descrição de – Alterações osteo-hipertróficas degenerativas no seu exame de densitometria óssea fala a favor da existência de osteoartrose da coluna lombar (bico de papagaio). Faça um exame radiológico da sua coluna. A sua dor lombar é disso. A osteopenia não provoca dor.

  4. Dr. Armando Miguel Jr comenta:

    11 janeiro, 2008 @ 6:03 PM

    Valéria,
    Lesões osteohipertrófica – significa aumento da massa óssea em determinado local. Geralmente, esta descrição é usada nos processos de osteoartrose (bicos de papagaio) que pode ocorrer no ossos tíbia e fíbula ou femur do joelho.

  5. Elisabete comenta:

    8 abril, 2008 @ 9:40 AM

    Bom dia,
    Fiz uma radiografia e o resultado foi ausencia de alterações osseas morfologicas e osteo-hipertroficas marginais e dedução do espeaço intervertebral em L-4-L5e L5-S1

    Aguardo
    Obrigado

  6. Pedro comenta:

    1 maio, 2008 @ 10:54 AM

    Sou estudante de enfermagem e esse trabalho exposto me ajudou muito, quero deixar expresso o meu agradecimento por sua tão valiosa colaboração à quem precisa estudar para executar uma responsavel. Obrigado!

  7. Marcus Vinicius comenta:

    31 julho, 2008 @ 7:43 PM

    Dr, boa noite.

    Fiz uma radiografia, e foi identificado uma espécie de tumor, e logo após realizei uma tomografia computadorizada no quadril direito para identificar o tumor.

    no diagnóstico do exame foi dito o seguinte:

    ” Lesão osteohipertrófica, de contornos irregulares em continuidade com a medular do aspecto interno do trocânter menor do femur direito, projetando-se inferiormente em planos musculares adjacentes ( notadamente musculatura adutora) onde associam-se areas hipoatenuantes sugerindo edemas”.

    o diagnóstico tbm incluiu o Osteocondroma.

    a minha maior preocupação é se essa lesão, ou tumor, pode ser maligno. Ha probabilidade?

  8. katya comenta:

    16 novembro, 2008 @ 9:35 AM

    DR.
    bom dia, já pesquisei tudo sobre osteohipertroficas degenerativas em alguns corpor vertebrais e articulações interapofisárias, mas estou buscando agora um tratamento específico, pois aas dores são muitas e gostaria muito de voltar ao trabalho logo….poderia me dizer quais seriam o possíveis tratamentos? aguardo ansiosa, obrigada

  9. Jussara comenta:

    16 dezembro, 2008 @ 7:35 AM

    Tenho uma Amiga que no seu resultado de Densitometria deu como Conclusão sem alteração mas tem a OBS de Alterações osteo hipertroficas degenerativas e o médico falou que não deu nada . Mas ela queixa muito de dores na costa ( Coluna lombar ) . Isso realmente pode não ser nada ou devo insistir com o médico para vasculhar melhor .
    grata pela atenção

  10. Jussara comenta:

    16 dezembro, 2008 @ 7:37 AM

    Deixa eu complementar a OBS do Laudo Alteracões osteo hipertroficas alteram a mensuração da densitometria qual seria o exame a ser realizado para verificar se não há nenhum problema ou para confirmar resultado
    obrigada

  11. Viviane comenta:

    22 janeiro, 2009 @ 12:08 AM

    Bom dia.
    Doutor estou preocupada com resultado do exame de sensitometria ossea da minha mãe, primeior que a médica diz que ela tem uma doença muito grave e muito avançada e paasou um comprimido para ser tomado semanalmente. Ela tem 63 anos com quadro de diabete e pressão alta. Fez o exame no femor e coluna lombar onde aparece *estudo densitometrico sugestivo: osteoporose e nas obs: alterações osteo-hipertroficas degenetativas alteram a mensuracão densitometrica. No fêmuor aparece densidade mineral ossea (BMD) de 0,670 g/cm2 e na coluna de 0,599 / cm2. Ela tem 1,54 de altura e 77 quilos.
    No fêmur tem um quadro separados por região, Neck 5,39 cm2/3,26(BMC,gramas)/0,605(BMD,gms/cm2 0,605. Troch 9,91cm2 / 4,20 (BMC,gramas)/0,424(BMD,gm. Inter 20,11cm2 / 16,26(BMC,gramas)/0,809(BMD,gms. Total 35,40cm2 / 23,73(BMC,gramas)/0,375(BMD,gms.

  12. Lilian Ferreira comenta:

    28 setembro, 2009 @ 6:52 PM

    Realizei um ultrassom do ombro direito onde foi diagnosticado
    Reação osteohipertrófica da articulação acrômio-clavicular…
    O que poderá vir a ser?
    Obrigada!

  13. Ellen cristina comenta:

    16 dezembro, 2009 @ 11:39 AM

    Reação osteohipertrofica incipiente nas surpeficies justapostas na porção ântero-medial da articulação tibiotalar, associado a discreta delaminaçãoda cartilagem de revestimento adjacente e distenção líquida no recesso sinovial anterior da tibiotalar, sugerindo sinais de impacto anterior. o que é isso?

  14. graça comenta:

    10 janeiro, 2010 @ 8:37 AM

    qual a diferença entre osteofitose e osteohipertróficas degenerativas (se ambas são bico de papagaio?)

  15. graça comenta:

    10 janeiro, 2010 @ 8:42 AM

    então, o hemangioma, a osteofitose, o hipossinal a rotura, o abaulamento e tudo o mais que deu na minha ressonância é provocado pela glândula paratireóides?
    Estando eu com citomegalovirus e toxoplasmose, foram estes virus que provocaram tudo isso na minha coluna?

  16. ana lucia santos teixeira comenta:

    21 fevereiro, 2010 @ 5:05 PM

    o q significaREAÇOES OSTEOHIPERTROFICAS MARGINAIS ANTERO LATERALINCIPIENTENOS CORPOS VERTEBRAISDORSAIS

  17. Nanci de Queiroz comenta:

    17 março, 2010 @ 2:56 PM

    Fiz um RX do quadril direito, devido a muitas dores.

    – O que significa: discretas formações oesteohipertróficas no grande trocânter femoral e espinha ilíaca ântero-superior, compatível com entesopatia?
    – Dencificação ovalada na projeção da asa sacral direita, provável ilhota ossea?

  18. daiana bastod lima comenta:

    23 maio, 2011 @ 3:47 PM

    o que significa reação hipertrofica marginais em l1 e l2?

  19. Gilmar Fontela comenta:

    17 agosto, 2011 @ 5:46 PM

    Boa tarde:
    Fiz RX do meu joelho esquerdo e deu o seguinte resultado: Reações hipertróficas osseas marginais. Epifizárias Incipientes. Sinal de hiper pressão femoro/patelar. Grato

  20. juliana comenta:

    30 agosto, 2011 @ 7:10 PM

    Gostaria de saber o que significa: PROCESSOS DEGENERATIVOS ÓSTEO-ARTICULARES NOS OMBROS. ISSO É GRAVE? DE QUE FORMA DEVO PROCEDER? TEM REMÉDIO? TRATAMENTO?
    TENHO 43 ANOS. FICAREI MUITO AGRADECIDA SE RECEBER A INFORMAÇÃO CORRETA.

  21. sueli penha espinosa comenta:

    9 março, 2012 @ 7:58 PM

    Fiz um exame chamado radiografia da coluna dorsal
    O resultado foi desvio do eixo vertebral para a direita e sinais de reações
    osteo-hipertróficasmarginais nos corpos vertebrais D3 a D7.
    Oque significa isso?Quais os sintomas?Tem tratamento?
    Ficarei muito agradecida em receber as respostas.

  22. Pedro Cardoso comenta:

    15 janeiro, 2013 @ 8:30 PM

    Fiz um Rx do joelho esquerdo e o resultado foi:Reações osteohipertróficas em ilíaco e trocânteres do fêmur. Sinto muitas dores no joelho e na perna, isso venho acontecer após uma cirúrgia cardio vascular. Queria saber o que é isso e se tem cura? Cardoso

  23. Terezinha de Jesus comenta:

    15 janeiro, 2013 @ 8:40 PM

    Meu esposo fez uma cirúrgia cárdiovascular e já está com um ano, pois o mesmo ficou com dores fortes no joelho, pêso e inchação, fez ultrassonografia e a parte vascular deu tudo normal e o rx deu o seguinte resultado:osteohipertróficas em ´ilíaco e trocânteres do fêmur. O que é isso? Tem cura? Como éo tratamento? atenciosamente Terezinha

  24. Dr. Armando Miguel Jr comenta:

    16 janeiro, 2013 @ 8:05 PM

    Pedro.
    Esta descrição da artrose ds articulações. Também conhecida com “bico de Papagaio”. Esta leões dos osso não tem nada a ver com cirurgia cardíaca. Veja a página sobre osteoartrose no site.

  25. eliane cristine vieira comenta:

    14 março, 2013 @ 11:52 AM

    Dr.fiz um rx panoramico e o resultado veio que: textura ossea normal e pequeno desvio do eixo dorsal para esquerda.O que quer dizer isso ?.E ja fiz 2 cirurgias na coluna a primeira foi em 2011 que colocou 8 pinos,e a segunda foi em 2012,porque 2 pinos estavam soltos. E mesmo assim venho sentindo dores na coluna,perna esquerda.E sinto muitas dores tbm do meu lado esquerdo da coluna. Desde ja muito obrigado.

  26. Sandra comenta:

    29 abril, 2013 @ 5:20 PM

    Boa tarde. Fiz um RX do ombro direito e o laudo deu TEXTURA ÓSSEA REDUZIDA. o que significa? Obrigada

  27. Reginaldo silva comenta:

    25 julho, 2013 @ 8:44 AM

    Dr.fix uma ressonância do ombro direito tive o seguinte diaginostico reaçãohipertroifica acromioclavicular,com teneoedema ósseo subcondral na clavícula distal de natureza mecânica.Tendinopatia leve do supra e infraespinhais,com fissura intrassubstancialjunto a inserçaode ambos os tendões ,sem transfixação.Espessmento parietal da bolsa subcrominal/subdeltoidea ,por favor resulma pra min e,qual a gravidade do caso desde já agradeço.

  28. shirlei pereira nagel comenta:

    30 julho, 2013 @ 6:19 PM

    o que significa textura óssea reduzida ,incipientes alterações degenerativas nas articulações coxofemurais.sera q tenho osteoporose?

  29. Jeferson comenta:

    8 abril, 2014 @ 8:02 AM

    Tenho dores desde 2007 no ombro a anos , fui em um médico, pediu um raio-x , este disse era bursite, fiz fortalecimento , nada as dores continuaram.

    Fui outro médico pediu Ultrassom , este disse era pequenas rupturas tendão supra-espinhal, fiz dez sessões fisioterapia , nada cor continua.

    Fui uma médica, que achou não tem nada a ver com tendão, visto que eu não tinha limitação em movimentos, esta pediu RM.

    Fiz RM constatou Foco Alteração de sinal em T-1 T-2 na cabeça umeral, (ombro direito) interpretado como enostose/ilhota de osso denso.

    Ela pediu vinte sessões fisioterapia. O que o senhor poderia me dizer e qual tratamento ?

Deixe seu comentário aqui !