01 - jul
  

Onicomicoses – micoses das unhas

Categoria(s): Dermatologia geriátrica, Infectologia




Painel

Colaboradora : Meire Oliveira *

* Terapêuta Ocupacional, Pós-graduanda do Curso de Saúde e Medicina Geriátrica da Metrocamp

micose

As micoses são causadas pela ação dos fungos em contato com o corpo, e aparecem em duas formas: as superficiais acometem (virilhas, pés e unhas) e as profundas podem acometer (pulmão, as mucosas e outras regiões).

Entramos em contato com os fungos a todo instante pois estes estão na natureza, se a pele está bem enxuta não causam problemas no contato, são até mesmo neutralizados pela acidez, no entanto, se a pele estiver úmida, multiplicam-se depressa. A umidade deixa a pele macia facilitando a entrada desses microrganismos nas células.

As onicomicoses (micoses das unhas) são infecções adquiridas também através de fungos e manifesta-se tanto nas unhas dos pés quanto nas unhas das mãos, no entanto, a maior incidência está nas unhas dos pés.

Esta patologia consiste na invasão do aparelho ungueal (queratina) por fungos, sendo os de maior incidência: O T. rubrum; o T. mentagrophytes var. interdigitale e o E. Flococum.

T. rubrum, é o maior invasor das unhas dos dedos dos pés;
T. mentagrophytes var. interdigitale, é de causa menos freqüente, geralmente afeta apenas a unha do dedo polegar;
E. flococum, é o de menor incidência.

Existe ainda, dois outros grupos de Dermatófitos envolvidos:
– LEVEDURAS: Espécie de Cândida (C. Albicans, C. Tropicalis e C. parapsilosis) e;
– MOFOS OU BOLOTES: Espécie de Aspergillus ( fumigatus; flavus e niger).
Esses fungos dermatófitos atuam sobre as camadas (semi) ou queratinizadas da epiderme, pêlos e unhas.

Incidência

A onicomicose é uma patologia de incidência considerável, acomete cerca de 20% da população adulta acima de 40 anos, sua incidência é maior entre mulheres devido a fatores de risco como: contaminações em salão de beleza (manicure) e maior exposição dos pés por uso de sapados abertos como sandálias e chinelos.

Já nas pessoas com idade superior aos 60 anos, cerca de 50% apresentam o problema devido a baixa imunidade, por conta de várias doenças associadas e por ingestão de diversos medicamentos que debilitam o organismo. Raros são os casos de contaminações em crianças, acredita-se que pelo rápido crescimento da unha nessa fase, dificulta-se o desenvolvimento do fungo.

Fatores predisponentes

Alguns fatores o qual chamaremos de endógenos e exógenos são predisponentes:
Endógenos:
– Endocrinopatias (Diabetes Mellitus);
– Imunopatias (Soro positivos, anêmicas, câncer e tireoidismo),
– Enfermidades vasculares periféricas;
– Idade Idosos
– Pessoas que tem pé de atleta;
– Imunosupressão por uso de medicamentos (Cortisona).
Exógenos:
– Sapatos fechados;
– Andar descalços em lugares públicos;
– Má higiene dos pés;
– Traumatismo;
– Banheiros, Piscinas, Saunas entre outros, fora ou em casa;
– Utilização de instrumentos (alicates, tesouras entre outros).

Algumas situações e exposições como vimos acima levam a uma incidência ainda maior.

Infelizmente esta patologia é na maioria das vezes vista como um problema meramente estético, no entanto, devem ser tratadas como qualquer outra patologia afinal, causa desconforto físico (dor) e psicológico interferindo no bem estar e na auto estima das pessoa acometida.

Sintomatologia

Com a invasão dos fungos e a instalação da infecção nas unhas, estas podem sofrer um espessamento, alterar forma, aparência, coloração tornam-se mais frágeis e quebradiças ou ainda, ficar endurecidas e em alguns casos descolar-se da pele do dedo.

Ainda, as onicomicoses podem não apresentam sintomas, no entanto podem deixar a aberta para outras infecções, como a erisipela (que é uma infecção bacteriana da pele).

Diagnóstico

O diagnóstico é feito na observação clínica das lesões ungueais que são características, é depois confirmado por exame micológico (do fungo) directo e cultural.

Nesse segundo exame o directo, utilizam-se substâncias que permitem identificar a presença do agente causador da infecção, já no cultural faz-se em meios de cultura especiais que visam igualmente demonstrar a presença do fungo nas lesões.

O exame histopatológico da biópsia demonstra se o fungo é realmente invasivo ou apenas comensal. É útil no diagnóstico diferencial com outras dermatopatias (doenças da pele).
A onicomicose não diagnosticada constitui uma porta de entrada para múltiplos microorganismos que, uma vez em circulação, podem determinar infecções graves.

Tratamento

A onicomicose pode ser curada desde que sejam utilizados os medicamentos e recursos adequados ao seu tratamento. O profissional a ser procurado é o dermatologista, pois este é o médico especializado neste tipo de infecção. O tratamento medicamentoso leva um certo tempo, é extremamente importante seguir corretamente a prescrição médica, afinal todos os fungos devem ser eliminados.

Também é necessário manter boas condições de higiene nas unhas, e nos ambientes que se vive. Após o tratamento, com eliminação do fungo, a unha continua o seu processo natural de crescimento, dando lugar a uma unha saudável e de boa aparência.

Referências:

Ramos M – Onicomicoses – Diagnóstico diferencial. Dermatologia Atual 2000;6(1)27-34 [on line]

Onicomicoses – micose da unha [on line]

Tags:




Comentário integrado ao Facebook:


208 Comments »

  1. SINARA comenta:

    18 agosto, 2013 @ 1:09 AM

    JÁ USEI LOPROX, MELHORA MAS NÃO SARA. AGORA ESTOU FAZENDO UM TRATAMENTO A LASER E ESTÁ MELHORANDO MUITO. PESQUISEI E É O MAIS EFICAZ.

  2. Germana comenta:

    25 março, 2014 @ 1:55 AM

    Usem água oxigenada 10 volumes diretamente nos dedos, cortem as unhas descoladas, e coloquem a água oxigenada diretamente em cima, e esperem borbulhar, depois coloquem de novo, façam isso ao longo do dia até sentirem pinicando, o dedo latejando…qnd sentirem latejando parem. No outro dia retomem, e continuem colocando até a unha começar a crescer. Porém, ela pode descolar de novo, por isso vocês precisarão cortar tudo o que tiver açucar, fermento,café, massas ( biscoitos, pães, macarrão) e comer pelo o menos por uma semana só vegetais e carnes ( peixes, frangos, carnes, camarão), feijao, ovos, comer cebola, alho, alho poró, acelga, abobrinha, alface, etc…o fungo se alimenta de açucar a membrana celular dele é constituída de açucar, a quitina é um polímero que é açucar no final das contas, logo ele para se reproduzir vai usar o açucar! Cortem o açucar. Não tomem vitamina b12 pelo o menos por 20 dias, e prefiram uma vitamina que tem na pague menos pra vender chamada power vita queda de cabelo, essas vitaminas não interferem na síntese da candida. Eu tomei como dose de ataque 450 mg de fluconazol, no segundo dia, 300 mg, e no 3 dia mais 300 mg…150 mg após o 3 dia, até a negativação dos sintomas,os médicos receitam apenas 150 mg e é muito fraco logo o fungo vai acabar se fortalecendo e criando resistencia ao fluconazol. Eu ainda estou em fase de teste e estou vendo como irei reagir, se ele fez foi se fortalecer ou se ele realmente está enfraquecendo mesmo. Existe um medicamento chamado lufenuron, que destrói a quitina do fungo, mas eu não sei como funciona pois nunca tomei. O óleo de côco tem ácido caprílico que é um potente fungicida.

  3. ZELIA BRAZ comenta:

    24 maio, 2014 @ 12:03 AM

    CONSTATEI QUE ESTAVA COM MICOSE EM NOVEMBRO DE 2013. CONVERSEI COM A MINHA MANICURE E ELA ME DISSE QUE PROVAVELMENTE EU HAVIA PEGO DOS MEUS CACHORROS. ISSO É POSSÍVEL? EU DESCOBRI QUE ELA NÃO ESTERILIZAVA OS MATERIAIS UTILIZADOS.
    ATT
    ZELIA

  4. Zz comenta:

    16 julho, 2014 @ 5:40 AM

    Usei 2 remédios alemaes e foi tiro e queda!
    Mas ai viajei para o Brasil, e tava tudo bem…. e qdo voltei a onicomicose voltou também, mas dessa vez nao tao ruim como a 1° vez q ela veio pela lateral inflamando, e agora aparecceu no mesmo dedo na ponta da unha, no meio…
    os remédios foram:
    – Betaisodona lösung (esse é um líquido da cor de iodo e é como si fosse uma água oxigenada, para limpar a unha antes de colocar a pomada)
    – Pomada antibiótica de nome SULMYCIN Creme mit CELESTAN – V….

    Bom, foram esses 2 remédios, além de cuidar um pouco da alimentacao, e também usei o esmalte terapeutico, mas antes cerrando a unha doente….

  5. Aparecida ribeiro da silva comenta:

    2 setembro, 2014 @ 2:24 PM

    Oi,estou desesperada.Eu tinha as unhas dos pes normal.Mais pisei numa lama,de agua misturada com fezes e urina de vacas,e depois de uma semana,minhas unhas ficaram ocas,e cairam todas.E agora elas nao voltam ao normal.Elas crescem onduladas,duras,outras se esfarelam,e tem pus em baixo.por favor o que devo fazer.Me ajudem,faço qualquer coisa pra que elas voltem ao normal,morro de vergonha nao posso usar sandalias.Me ajudemmmm.

  6. Aparecida ribeiro da silva comenta:

    2 setembro, 2014 @ 2:33 PM

    Se alguem souber de algum medicamento ou para passar nas unhas entre em contato comigo pelo email:cidinha12374@gmail.com,obrigada desde ja.

  7. Bruno comenta:

    19 outubro, 2014 @ 7:13 PM

    Eu estou tomando fluconazol. Estou na 12. capsula ainda e ainda não vi resultados bons mas nota-se uma melhora bem sutil. Agora uma duvida que tenho é se durante o tratamento vc tem que ir cortando a parte afetada da unha normalmente ou vc tem que ir deixando ela crescer e ir aparando as bordas? Grato

  8. João Batista Vieira comenta:

    27 outubro, 2014 @ 6:43 PM

    estou com as unhas dos pés iguais a da foto da capa, estou tomando fluxonazol receitado pelo médico… mas um dedão esta doendo muito inchado e meio roxo… não posso nem tocar no chão… estou meio preocupado…

Deixe seu comentário aqui !