14 - jun
  

Doença de Alzheimer – Tratamento medicamentoso

Categoria(s): DNT, Neurologia geriátrica, Psicologia geriátrica




Resenha

aloisO estudo Epidoso que acompanha idosos residentes na comunidade em São Paulo, mostrou que o total de casos de demência é 7,1%. E, utilizando-se critérios diagnósticos clínicos, 70% dos casos foram considerados doença de Alzheimer, 12% demência vascular e 3% demência mista. A prevalência aumentou com a idade e foi mais alta entre indivíduos com baixo nível educacional.

Considerando-se a alta prevalência da doença de Alzheimer (DA) em todo o mundo e seu péssimo prognóstico, inúmeras pesquisas têm sido desenvolvidas a fim de se conseguir novas alternativas terapêuticas.

Fisiopatogenia da DA

Embora com etiopatogenia ainda não completamente conhecida, sabe-se que o déficit cognitivo na DA decorre basicamente da deficiência do neurotransmissor acetilcolina, por sua vez decorrente da morte neuronal exacerbada em população de neurônios colinérgicos. Em vista disso, as pesquisas terapêuticas visão: aumentar a produção de acetilcolina com substâncias precursoras (colina, L-acetilcarnitina e a citicolina); drogas que inibissem a enzima de degradação da acetilcolina (Ex. donepezil, galantamina, tacrina, fisostigmina e o metrifonato).

Farmacologia

Precursores da acetilcolina – Assim, as primeiras tentativas de tratamento tinham como proposta, aumentar a produção de acetilcolina pelos neurônios sobreviventes, através da suplementação de colina, o que não produziu efeitos significativos. Outros precursores também foram utilizados, como a L-acetilcarnitina e a citicolina, porém com resultados pouco animadores, sugerindo que o problema não é a falta de precursores e sim a falta de atividade neuronal capaz de produzir acetilcolina.

Inibidores da acetil-colinesterase – Uma alternativa foi buscar drogas que inibissem a enzima de degradação da acetilcolina, a acetil-colinesterase (AchE), melhorando o aporte de acetilcolina na fenda sináptica. Atualmente, várias drogas estão disponíveis nesta linha de atuação, respaldadas por estudos clínicos controlados por placebo.

Inibidores da AChE (IAChE)

Os IAChE têm comprovada efetividade em estudos clínicos controlados por placebo, melhorando a cognição por critérios objetivos e subjetivos. Embora não revertam a progressão da doença, tendem a estabilizar o quadro cognitivo a médio prazo, diminuindo a velocidade das perdas, porém não contribuem para a cura da DA, que progride inevitavelmente. O período mínimo de tratamento com IAChE é de seis meses para a avaliação da resposta.Dependendo desta e da tolerância do paciente, o tratamento deve ser continuado, sendo que o efeito parece se manter por dois anos.

Os IAChE podem ser seletivos da AChE ou não seletivos e inibir também a butirilcolinesterase (BuChE), uma enzima que parece estar envolvida na patogênese da DA, cuja inibição pode apresentar benefícios clínicos adicionais.

Além da seletividade, essas drogas se diferenciam enquanto inibidores reversíveis, pseudo-irreversíveis e irreversíveis da AChE. Entre os IAChE seletivos temos o donepezil e a galantamina que são inibidores reversíveis. Entre os não seletivos temos a tacrina e a fisostigmina que são reversíveis e a rivastigmina que é pseudo-irreversível. Temos ainda o metrifonato, um inibidor não seletivo irreversível.

Tacrina – A primeira droga disponibilizada no mercado como IAChE foi a tacrina, que embora tenha demonstrado melhoras significativas da cognição em estudos clínicos controlados, mostrou efeitos adversos importantes, como a elevação de enzimas hepáticas (demandando controles periódicos de TGO e TGP), além de requerer várias tomadas ao dia.

A segunda geração de inibidores da acetilcolinesterase, mostrou ter bem menos toxicidade hepática e maior facilidade posológica. Os efeitos colaterais são, em geral, gastrointestinais, tipo náuseas, vômitos e diarréia, podendo também afetar o sono.

Donepezil – O donepezil, de vida média mais longa, é administrado em dose única diária de 5 mg, podendo chegar a 10 mg, se houver melhora do quadro cognitivo e o paciente não apresentar reações adversas.

Rivastigmina – A rivastigmina, de vida média mais curta, deve ser administrada em duas tomadas ao dia, iniciando-se com comprimidos de 1,5 mg (3 mg/dia). A cada duas semanas, a dose pode ser aumentada em 1,5 mg até uma dose máxima de 6 mg duas vezes ao dia. Há estudos mostrando que a rivastigmina, por inibir também a BuChE, pode ter benefícios adicionais em termos da lentificação da progressão da doença. Mais recentemente foi lançada a galantamina, que além de inibir a acetilcolinesterase, exerce uma modulação alostérica nos receptores nicotínicos pós-sinápticos, desta forma potencializando o efeito neurotransmissor. Deve ser tomada em duas doses diárias, iniciando com 8 mg e chegando a 24 mg ao dia.

Todas as drogas, no entanto, até o momento descritas com alguma eficácia, têm efeito a curto e médio prazo, já que não tratam o processo que leva a degeneração neuronal.

Tratamento preventivo

O tratamento preventivo da DA, almeja, uma droga que melhore o prognóstico da DA, é a preservação dos neurônios ainda existentes. Uma droga com potencial preventivo, se tomada em fases pré-clínicas. Algumas substâncias se têm mostrado promissoras como neuroprotetores, é o caso do alfa-tocoferol (vitamina E) em doses elevadas (até 2000 UI/dia), assim como a selegelina (inibidor da MAO-B), que também tem atividade antioxidante. A antioxidação, no caso da DA, atua neutralizando o processo de desgaste celular por estresse oxidativo, que leva, em última instância, à morte neuronal por apoptose (suicídio celular).

Outras vitaminas e fitoterápicos (por exemplo: Gingko-biloba), com efeito antioxidante, estão sendo estudados quanto ao potencial de neuroproteção.

O uso de antiinflamatórios não hormonais, assim como de estrogênio, parece proteger contra a DA, por razões ainda não totalmente esclarecidas.

Referências:

Brucki, S.M.D.; Bertolucci, P.H.F.; Okamoto, I.H.; Macedo, M.B.M.; Toniolo Neto, J.; Ramos, L.R. Consortium to Establish a Registry for Alzheimer’s Disease. I. Aspectos epidemiológicos. Arquivos de Neuropsiquiatria 1994; 52 (sup.):pp.99.

Brucki, S. M. D. Curso clínico da Doença de Alzheimer. In: Forlenza, O. V & Caramelli, P. Neuropsiquiatria geriátrica, São Paulo, Atheneu, P.119-28, 2000.

Tags: , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


28 Comentários »

  1. Mônica Cristine Jovê Motti comenta:

    14 junho, 2007 @ 4:00 PM

    Muitas vezes o quadro de DA vem acompanhado de delírio e alucinações e devem ser medicados com antipsicóticos.Os exemplos são: haloperidol,tioridazida,periciazida e os neurolépticos atípicos( Clozapina,risperidona e olanzapina).
    Distúrbios psicóticos e agitação , além de depressão, insônia e ansiedade, podem ser agravarados pelo déficit colinérgico da DA e o uso de anticolinesterásicos podem melhorar o comportamento.
    A depressão é muito freqüênte na DA e a escolha do antidepressivo deve levar em conta os seus efeitos colaterais e principalmente o seu efeito anticolinérgico. Exemplos : fluoxetina, paroxetina, sertralina e citalopram.
    Já no caso da apatia, pode não responder ao antidepressivo, eventualmente pode-se usar psicoestimulantes como o metilfenidrato ou dextroanfetamina.
    Sempre que possível , medidas simples e não farmacológicas devem fazer parte do tratamento, procurando evitar os efeitos colaterais dos psicofármacos.

    Bibliografia: Brucki, Sonia M.D. e Nitrini,Ricardo, Demencias Irreversíveis; Atualizações Diagnósticas e Terapêuticas em Geriatria, cap.43,pag:406-407.

  2. antonio comenta:

    5 janeiro, 2008 @ 12:47 PM

    ola.
    sou uma pessoa que estou a procura de ajuda ,pois meu pai possui DA e gostaria
    de saber se existe algum orgão que possa nos auxiliar em relação ao DA..

  3. vagner soares fraga comenta:

    27 maio, 2008 @ 12:11 PM

    MINHA MÃE TEM ALZHEIMER preciso de ajuda , gostaria de saber se a falta de B 12
    pode causar DEMÊNCIA ela não foi ainda diagnosticada como ALZHEIMER mas sim
    como DEMÊNCIA VASCULAR SENIL mas os sintomas são muito parecidos com ALZHEIMER ela sempre foi vegetariana e tem 76 anos será que injeção de B12 pelo
    menos ajudaria ela fez exame da CARÓTIDA e deu uma obstrução parcial ela também
    teve MICRO-DERRAMES me enviem material . . .
    Desde já obrigado

    Vagner .

  4. viviane comenta:

    31 outubro, 2008 @ 7:56 AM

    Gostaria de saber se no Brasil , existe um genérico com a fórmula do Aricept , que é o donepezil hydrochloride?

  5. eliane comenta:

    2 janeiro, 2009 @ 8:06 AM

    Gostaria de saber se existe um generico para a rivastigmina, pois é um medicamento que custa muito caro

  6. Glaudio comenta:

    29 janeiro, 2009 @ 11:03 AM

    eliane, nao existe generico do rivastigmina, mas sim, um programa do laboratorio novartis, detentor da marca exelon, valemaisaude, onde o paciente obtem descontos de até 40% no preço á vista. fale com seu medico. http://www.valemaisaude.com.br

  7. Sueli comenta:

    21 fevereiro, 2009 @ 6:48 PM

    Elaine, Rivastigmina pode ser obtido gratuitamente pelo SUS. Procure informação na Secretaria Estadual de Saúde ou com seu médico.

  8. NILTON ALMEIDA comenta:

    1 abril, 2009 @ 7:05 PM

    BOA NOITE, MINHA MÃE TEM ALZHEIMER 68 ANOS.
    ALGUEM PODE ME DIZER SE HA ALGUMA NOVIDADE EM QUESTÃO DE PESQUISA A RESPEITO DA DOENÇA DE ALZHEIMER.

    MUITO OBRIGADO..

  9. Mati comenta:

    11 maio, 2009 @ 11:58 AM

    os estudos deviam ser escritos e comentados em lingagem mais fácil para nós leigos, qual deve ser o tratamento ideal para a prevenção do ALZHEIMER?

  10. Lakshmi Saboia comenta:

    12 maio, 2009 @ 9:49 PM

    Estive pesquisando sobre os medicamentos que minha avó toma e os que estão disponíveis no mercado e fiquei na dúvida se a prescrição dela é a mais indicada. Ela toma, concomitantemente, alois e exelon patch, ambos medicamentos para doença de alzheimer, sendo os princípios ativos o cloridrato de memantina e o rivastigmina. Em artigos médicos tenho visto citações de outras substâncias com o objetivo de melhorar o processo cognitivo, como o modafinil, donepezil, ritalina. O que, de fato, é o mais indicado? Alguém poderia me auxiliar?

  11. Neto Pontes comenta:

    30 maio, 2009 @ 8:15 PM

    Queria mais informações sobre o Alzaimer,sabe minha mãe tem 86 anos a pouco mais de um anos que percebemos, a doença,e o medico receitou Exelon,mas o remedio começou a debilitala,voltemos ao médico,e o mesmo trocou o para respiridona,parece que ela deu uma melhorada, sera que este remedio ajuda,outra coisa alzhaimer não seria o que se diziam antigamente que a pessoa estava caduca,porque as vezes ela fala sozinha,ve pessoas chama a mãe e o marido que ja morreram,esquece dos filhos não lembrar os nomes e isso mesmo

  12. Dr. Armando Miguel Jr comenta:

    31 maio, 2009 @ 8:41 AM

    Vejas as página no site sobre demência – perguntas e respostas.

  13. Patricia comenta:

    16 junho, 2009 @ 8:05 AM

    Gostaria de saber sobre essa medicação donepezil. Se existe no mercado e como posso adquirir?

  14. claudinea marta comenta:

    26 outubro, 2009 @ 3:34 PM

    Preciso de ajuda, pois minha mãe tem 77 anos, a mais ou menos 7 anos ela toamava Exelon (rivastigmina) que eu obtinha pelo SUS (respondendo a colega que perguntou acima, é possível conseguir pois, é medicamento alto custo), agora levei ela ao neurologista e ele trocou por outro medicamento “ALOIS ( cloridrato de memantina)”, mas estou percebendo que ela reclama muito de ouvido chiando e ficou muito nervosa, o médico disse que esse ALOIS é melhor, pois a rivastigmina já está ultrapassada, isso é verdade? Gostaria se possível obter respostas, pois estou pensando em trocar de médico, me ajudem! Obrigada!

  15. claudinea marta comenta:

    26 outubro, 2009 @ 3:40 PM

    Gostaria de obter ajuda, é que minha mãe que tem 77 anos tem DA, tomou rvastigmina por 7 anos e a um mês ela passou a tomar ALOIS (cloridrato de memantina), pude observar que ela piorou pois, diz que está com o ouvido chiando e ficou muito nervosa, o médico que trocou o remédio disse que a rivastigmina (EXELON), é ultrapassada. Gostaria de ajuda, não sei se levo ela em outro médico ou continuo tentando essa nova medicação! Obrigada desde já!

  16. nilton comenta:

    27 outubro, 2009 @ 5:39 AM

    Minha toma o Eranz 10mg, converse com o medico dela, ela começou com 5 mg ao dia.
    hoje em dia ela 10 mg de eranz mais 2mg de respidon ao dia, ela nao fica agitada e dorme bem…
    antes ela era bem agitada….
    Tem algum dia que ela fica agitada mas é dificil….
    Pelo que eu sei: me corriga se eu estiver errado,,,,,,
    respidon: sedativo para dormir, acalmar….sempre com receita medica…o psiquiatra é quem vai receitar ou o neurologista….
    Eranz cloridato de donepezil: Para nao avançar D.A, para o doente ter um pouco mais de qualidade de vida…..medico do SUS quem receita esse remedio….
    mas com o tempo ela avança com o remedio demora um pouco.
    sempre converse com o medico do paciente para ver qual o melhor caminho.
    Se alguem tem novidade informe por gentileza……

  17. Julia prado comenta:

    25 janeiro, 2010 @ 7:32 PM

    Minha mãe tem 64 anos e ta com DA, ela usa exelon patch de 5 e ebix 10mg, esta no começo , mas não sei se tbém se pode usar os dois medicamentos assim juntos logo no começo…..toma tbem pristiq de 50 mg pra depressao, o medico nao quis passar a rivastigmina do sus pq dá mto efeito colateral, segundo ele….

  18. Márcia Campanaro comenta:

    27 maio, 2010 @ 2:27 PM

    É muito triste essas doenaçs degenerativas iniciar a partir dos 60 anos, pois estou com 57 e me sinto extremamente jovem!
    Mesmo tendo feito histerectomia total, me sinto muito bem! Faço reposição hormonal em forma de gel, OESTROGEL, caminho, durmo no mínimo 6 a 7 horas por dia, procuro fazer dieta retirando da alimentação o exesso de doces, gorduras e sal. Estou na ativa ainda, não quero me aposentar antes do 70 anos. Trabalho com grupos de apoio às famílias carentes, faço do meu dia a dia uma coisa boa quero dizer o otimismo, a caridade e o amor por todos e por tudo me ajudam muito! Então costumo dizer aos amigos: “Vivaa vida com alegria e viverá feliz!”

  19. Augusta comenta:

    19 setembro, 2010 @ 7:20 PM

    Penso ajudar quem tb. está nesta situação.Minha mãe fez ressonãncia magnética, ultrassom de carótidas.Diagnosticou-se DEMENCIA
    VASCULAR MISTA.Ela repete o exame anualmente.Ela vem se tratando com EBIX 10 mg e excellon patch ( já passou pelo de 5- 10 e agora passou para o de 15).Levei-a em dois médicos conscientes para ter certeza do tratamento.Os dois foram de acordo que este é o melhor caminho na situação porque o EBIX ´10mg é bem tolerado por anos sem efeito colateral, o excelon patc tb. é um adesivo dessenvolvido por estudos e bem tolerado.Realmente o excelom fornecido pelo governo não tem a eficacia e nem a tolerância do EBIX ( que não é fornecido pelo governo, pois alegam que eles tem medicação para este caso), mas esqueceram que existem pesquisas que revelam coisas melhores.O médico que diz que o excellom é ultrapassado tem razão.
    Uma atitude que auxilia muito é desenvolver atividades psicopedaagógicas com nossas mães( leitura/caça palavras/completar frases/adivinhas, etc…) Eu tenho osite com o teste do relogio/e todos que os médicos fazem.Mas neste momento Ebix e Excellom patch são super indicados, só temos o incoveniente do preço.Cadastrem-se no laboratório do Excellom Patch e o preço é melhor.O Ebix sai mais em conta na drog.Pacheco ou ultrafarma- sempre é bom pesquisar.
    Vamos confiar que as pesquisas tragam mais melhorias, pois até 1990 os recursos eram minimos.Atividades cognitivas e fisicas são muito importantes.
    O melhor para todos …

  20. veronica lima comenta:

    9 março, 2011 @ 11:43 PM

    Olá Boa noite! minha querida vó tem DA,é um sofrimento p todos ,p ela “mesmo n tendo noçao disso”, e dos q estao a sua volta. Fomos em uma geriatra q de cara fez o diagnostico, passou ressonancia, talvez mas por desencargo de conciencia né, pois no fundo todos sabiamos a respostas. Passou os devidos medicamentos ,caros por sinal, mas n surtiu o efeito q talvez esperavamos , no caso , sabemos q ela n tem mas chance de melhorar, cada dia fica pior n temos condiçoes de custear uma enfermeira, e ela a cada dia fica mas e mas agitada o remedio q a dra. passou calmante derruba emia duzia c 1 compr. mas eal continua firme e forte como pode isso? Perdeu m+ou_ uns 30 kilos e se n ficarmos junto dela n hora da refeiçao joga a comida toda fora ,e vigilancia constante e o q mas me admira é q minha vozinha era uma mulher super mega ativa por favor me ajudem!!!!!!!!!!!!!!!!! OBRIGADA.

  21. Carla comenta:

    22 agosto, 2011 @ 7:11 AM

    Como consigo os medicamentos para o meu pai, de graça ou mais barato.

  22. CLAUDINEA MARTA comenta:

    25 agosto, 2011 @ 2:16 PM

    OLÁ CARLA, NO SUS HÁ UM PROGRAMA QUE SE CHAMA: MEDICAMENTO DE ALTO CUSTO,
    VC DEVE LEVAR SEU PAI A UMA UNIDADE DO CAPS, PRÓXIMA DE VC E O MÉDICO LHE PREENCHER
    O FORMULÁRIO PARA O REMÉDIO NECESSÁRIO!!!

  23. Janaina comenta:

    7 fevereiro, 2012 @ 12:26 PM

    Quanto a Deficiencia de Vitamina B12:
    o comentário foi muito antigo então não sei se a resposta vai ajudar, mas talvez ajude outras pessoas.
    A deficiencia de vitamina B12 é uma causa importante de demencia REVERSÍVEL em idosos. Se a mãe da pessoa que postou foi sempre vegetariana e nunca repos há uma grande chance de ter uma deficiencia.
    Ácido fólico baixo também pode causar um quadro demencial; e mesmo que a paciente não fosse vegetariana vários fatores alteram absorção da mesma, como algumas medicações, gastrite, sindromes disarbsortivas, etc.
    Em suma, paciente idoso, tem que dosar, tem que repor.

  24. carlos do nascimentto comenta:

    12 julho, 2012 @ 9:52 PM

    Senhores médicos e pesquisadores, minha mãe tem 85 anos e desenvolveu o allzeimer há mais ou menos 5 anos . Com a perca do meu irmão que morava com ela, ela passou aos meus cuidados e dái por diante comecei a observar a decadencia mental. Primeira providdencia foi marcar uma tomografia computadorizada do cérebro, o medico da março HCE(hospital central do exercito) disse que a anormalidade presente era consequencia da idade e recomendou o remédio cetalopram , isso em março de 2009 pois minha mãe se achava muito agitada e custando a dormir passados seis m nova consulta com O dR. eGGLER NEUROLOGISTA , O MESMO RECEITOU EXELON 5 PATCH QUE PEDUROUPOR SEIS MESES , APOS ESSE PERIODO PASSOU PARA EXELOM10 0U 9,5 QUE TOMA ATÉ HOJE 10/0712,JUNTAMENTE COM PROLOPA 250 PARA PARKINSON , PANTOZOL 20MG PARA A BACTERIA PILORO, A DOMPRERIDONA, E PURAM 100 PARA TIREOIDE, DE NOVEMBRO DE 2011 PRÁ ELA QUE PESAVA 50 QUILOS PERDEU 10 QUILOS E O DR. WEBER QUE A ASSISTE EM NEULOROGIA NA NA POLICLINICLICA GERAL DO RIO DE JANEIRO DO FUSEX MINISTERIO DO EXERCITO E DA AREA E NEUROLOGIA DIZ QUE A MAGREZA DELA APROXIMADAMENTE 40 QUILOS SE REFERE A DOENÇA ALLZEIMER OU A AGRAVANTE DE PASSAR DA OSTEOPENIA PARA OSTEOPOROSE, ESTOU MUITO IMPRESSIONADO COM A AFINAÇÃO OU MAGREZA DA MINHA MAE OS OSSOS TÃO FININHOS, OS EXAMES ANUAIS QUE ELA FAZ NO HCE DO EXERCITO A RESPEITO DO EXAME DE SANGUE NADA INDICA DE DOENÇA APENAS O INDICE DE TIREOIDE NUM PATAMAR DE 0,4 A 5,5 INDICOU PRA O PERCENTUAL DE 0,7 QUE EU ACHEI BAIXO PARA A FUNÇAO TIREOIDINAL, APRESSAO DELA É normal12 por 8 estamos bastante intrigados debilitadae perdidos sem sabere porque ela come bem e tá tão debilitada , segundo a geriatra que atendeu domiliarmente ela está no 4 quarto estágio de allzeimer isso quer dizer que tem pouco tempo de sibrevida devido a tudo isso que relatei! esse exelon segundo pude ler no documetário de vcs o exelon estã ultrapassado! oual omelhor procedimento cloridrato de eneprezil, selegelina, galantamina , por favor me ajudem preciso salvar minha mae já soube que um cientista brasileiro vai lançar a exatinida descoberta sua no butanta por um laboratorio da hollanda , droga essa a extinida usada para diabete mellitus que renegera os neuronios perdidos e recupera totalmente a demencia do pacinete .ME AJUDEM POR FVOR . QUE DEVO MEDICAR MINHAMAE1 Carlos rio de janeiiro/BRASIL.

  25. lourival ribeiro jr comenta:

    3 novembro, 2012 @ 6:14 PM

    ola amigos estou nesta batalha e preciso muito de uma ajuda pois a minha mae tem 70 anos faz 5 anos que ela tem allzeimer…….. hoje faz 35 dias que perdi o meu pai e o estado da minha mamae piorou pois ela e apaixonada nele e era ele que cuidava dela…. se tiver algue que sabe da cura tenha misericordia de nos algum medico por favor nos ajude ela hoje esta tomando os remedi neozinne haldol5 mg me ajuda pois deus te dara em dobro …… obriga de coraçao que o sr jesus abençooe todos os que cuida destas pessoas e de sabedoria ……. obrigado e me ajuda amem

  26. Gustavo Mendes comenta:

    27 novembro, 2012 @ 7:34 PM

    Minha mãe tem 53 anos de idade e há 5 anos foi diagnosticada com Alzheimer, hoje sabe-se que o correto eh doença de lewy. Ela usou o exelon patch durante 4 anos e esse ano mudamos para o Aloís e epez.
    Ela já esta em estado avançado, quase nao levanta, muito magra, quase nao fala,nao lembra de absolutamente nada, nao entende agente e nao sabe mais se espressar, andar, tomar banho, comer sozinha e ou ir ao banheiro.
    53 anos.
    53 anos.

    Os remédios nãos fazem mais efeito. Será q nao seria melhor para-los?

  27. Luiza de Fatima Zimiani Pereira comenta:

    6 agosto, 2013 @ 12:53 PM

    gostaria de saber se encontro cloridrato de memantina gratuito

  28. iliria aquino comenta:

    28 outubro, 2013 @ 5:41 PM

    Minha mãe tem Alzheimer e eu encontrei apoio nas Reuniões da ABRAZ, lá tem psicólogos , médicos e voluntário que ajudam os cuidadores…..

Deixe seu comentário aqui !