27 - mar
  

Alterações no sono do idoso: insônia, hipersonia e apnéia do sono

Categoria(s): Cuidador de idosos, Gerontologia, Neurologia geriátrica, Psicologia geriátrica




Painel

Colaboradora : Dra Mônica Cristine Jove Motti *

* Médica geriatra

inso

As alterações do sono podem ocorrer por diversos motivos, desde problemas relacionados ao próprio sono, por problemas médicos, farmacológicos, sociais e psicológicos; e em qualquer idade, entretanto observa-se um maior número de queixas pelos idosos (90%).

O idoso dorme cerca de 6 horas principalmente os que não apresentam problemas médicos, enquanto o adulto dorme de 7 a 8 horas de sono, o adolescente em torno de 8hs e a criança ainda mais de 10 a 16hs (no recém–nascido).

Os fatores que levam o idoso a apresentar a queixa de alterações no sono são:
1. diminuição da capacidade de dormir;
2. aumento dos problemas respiratórios durante o sono;
3. aumento da atividade mioclônica noturna;
4. mudanças da fase do sono;
5. perturbações neuropsiquiátricas como depressão e demência;
6. dor e limitação de mobilidade;
7. hábitos errados de sono;
8. refluxo gastroesofágico;
9. causas iatrogênicas;
10. causas ambientais adversas.

A classificação dos distúrbios do sono mais importantes para o geriatra e gerontólogo são: a Insônia, a hipersonia e a apnéia do sono.

A insônia tem por definição a dificuldade de iniciar e manter o sono,e é classificada com relação a parte do sono comprometida, sendo insônia inicial quando a pessoa custa a pegar no sono, insônia intermediária quando acorda durante a noite e a insônia final quando acorda muito cedo.

Glislason, 1993, mostrou a maior prevalência de insônia inicial em homens de 75 a 79 anos e em mulheres de 70 a 74 anos. Quando a insônia é intermediária há prevalência de 42,2% em homens entre 75 e 79 anos e 40,4% das mulheres entre 80 e 84 anos. A insônia final (despertar precoce) é de 16,7%, e o despertar ocasional é de 19,9%.

As causas de insônia são: distúrbios clínicos, psiquiátricos, do ciclo circadiano, primários do sono, problemas comportamentais, efeitos de drogas e fatores ambientais.
Em termos de gravidade, a insônia afeta mais o aspecto psíquico e social da vida, do que o biológico, entretanto os idosos tendem a sofrer acidentes.

As causas farmacológicas que levam a insônia são as metilxantinas, como a cafeína e a teofilina; as drogas simpatomiméticas como a efedrina, o álcool, os corticóides, as tiroxinas, alguns neurolépticos e antidepressivos, particularmente os modernos inibidores seletivos de recaptação da serotonina. Os anti-histamínicos e os tranqüilizantes diazepínicos podem causar efeito paradoxal nos idosos, produzindo mais insônia.

Quando as causas médicas de insônia, pode-se citar as dificuldades urinárias, doenças articulares, bursites, refluxo gastro-esofágico, dificuldades do aparelho digestivo, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Quanto as causas psicológicas têm-se o estresse mais acentuado no idoso, que leva ao estado depressivo por diversos motivos como a viuvez, perda do seu espaço social e financeiro, sentimento de abandono entre outros motivos.

Em relação a alteração psiquiátrica encontra-se a ansiedade, a depressão e a demência associada a insônia.

Causas ambientais observadas é ver televisão até tarde, ficar lendo, dormir tarde entre outros costumes.

Hipersonia é um transtorno que se manifesta pelo fato de dormir demais, ou seja por passar dormindo a maior parte que deveria estar acordado (Ballone,2002). Pode ser secundária à insônia noturna, em que o idoso acaba dormindo em excesso de dia; ou pode ser causada por: hipotireoidismo, hipoglicemia, má ventilação pulmonar nos pacientes com enfisema pulmonar, por uso de anti-histamínicos ou tranqüilizantes. Outras medicações podem levar a hipersonia como antiespamódicos, antidepressivos e barbitúricos.

Apnéia do sono é muito comum em idosos, onde observa-se uma parada respiratória durante o período do sono, levando a vários despertares breves e repetidos. Pode estar relacionada a depressão, a cefaléia, prejuízo de memória na demência e ao excesso de sonolência diurna. A apnéia do sono é obstrutiva, determina sonolência diurna, tem freqüência de 43% no idoso, mais comum na 3ª e 4ª décadas de vida, no sexo masculino, em obesos, e caracteriza-se por roncos.

O Tratamento dos distúrbios do sono visa orientar o paciente quanto a higiene para dormir, desde os horários regulares, o silêncio no quarto, evitar bebidas alcoólicas, o café antes de dormir, evitar o estresse, evitar muito tempo na cama durante o dia, procurar fazer atividades físicas, reduzir o tabagismo.Tratar as doenças adequadamente como a depressão, a demência e a ansiedade, procurar o tratamento adequado para as demais doenças clínicas, afinal ninguém consegue dormir com dor por exemplo.

O tratamento farmacológico específico para as alterações do sono do idoso que visam melhorar a quantidade e a qualidade do sono, onde são citados os benzodiazepínicos (mais usadas com efeitos indesejados para os idosos); os antidepressivos tricíclicos (melhor a nortriptilina que a amitriptilina, pois tem menos efeitos anticolinérgicos); o zolpidem (hipnótico não benzodiazepínico) atua sobre os distúrbios do sono; a ciclopirolona e a melatonina (hormônio) ainda em estudo.

Conclusão: As alterações do sono do idoso merecem uma atenção especial, não só por levar o idoso a perigos como tontura e quedas, mas sim, principalmente pelas alterações na qualidade de vida desse idoso, e pelo estresse que leva ao cuidador e a família.

Referências:

CAMARA,V.D. e CAMARA,W.S.,Distúrbios do Sono no Idoso, Tratado de Geriatria e Gerontologia,Ed. Guanabara Koogan AS: cap22, pg 192-195,2002.

BALLONE,G.J., Transtornos do Sono em Idosos, PsiqWeb [on line]

Tags: , , , , , , , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


19 Comentários »

  1. Luciana Nunes de Freitas comenta:

    23 outubro, 2007 @ 5:06 PM

    É a primeira vez que entrei neste site para pesquisa: gostei muito. Sou profissional de saúde; as dúvidas que eu tinha foram esclarecidas; e os outros temas abordados acrescentam e são muito interessantes…

    Continuem assim! Vocês estão de parabéns!!!

  2. Dáyrton Raulino Moreira comenta:

    3 abril, 2008 @ 2:08 AM

    Muito bem escrito e o melhor com base no Tratado de Geriatria e Gerontologia, o que torna o texto uma ótima ferramenta no estudo da Geriatria.

  3. Teresinha Maria de Jesus comenta:

    3 fevereiro, 2009 @ 10:05 PM

    Estou pesquisando este site pela primeira vez. Meu interesse foi devido a necessidade de conhecer mais sobre alteração no meu exame de antiperoxidase tireoideana-anticorpos. Gostei bastante e fiquei mais esclarecida sobre o assunto. Grata pela ajuda, ok?

  4. Teresinha Maria de Jesus comenta:

    3 fevereiro, 2009 @ 10:09 PM

    Estou pesquisando este site pelo interesse de conhecer mais sobre alteração no meu exame de: antiperoxidase tireoideana-anticorpos. Gostei bastante e fiquei mais esclarecida sobre o assunto. Grata pela ajuda, ok?

  5. Ana Lucia comenta:

    5 junho, 2009 @ 4:05 PM

    Na verdade eu gostaria de um esclarecimento. É saudavel um idoso, com 73 anos, sentir muito sono, dormir muito inclusive com barulho por perto tanto de dia como a noite, sentado ou deitado, sem uso de medicamentos? ou pode ser um problema de saúde? Aguardarei o retorno o mais breve possível e desde já agradeço.

  6. tatina lispector comenta:

    2 dezembro, 2009 @ 7:48 PM

    precisei fazer um trabalho do curso de enfermagem, e pude buscar tudo neste site…
    devemos aprender mais sobre nossos idosos

  7. maria alice pinheirinho comenta:

    25 julho, 2010 @ 6:10 AM

    o meu comentario é mais um pedido de ajuda em virtude de ter a minha mae com 89 anos e há 8 dias para cá estácom muita sonolência e falta de apetite e com muita dificuldade em querer ingerir liquidos e outro tipo de comida.Será que ela está assim desde que o meu pai foi para o hospital e ela sente a falta dele
    A médica que a assiste está de férias e eu tenho medo de a levar para o hospital pois o meu pai está mal porque apanhou precisamente depois da operação ao colo do femur uma infecção pulmonar e não está nada bem. entretanto entrei neste site e apercebi-me que talvez a minha mãe esteja precismamente desidratada pelos sintomas que eu vejo nela.Gostaria de alguma ajuda.

  8. Edite comenta:

    17 setembro, 2010 @ 2:46 PM

    Meu pai tem 82 anos , vai todo ano ao médico, problemas como colesterol etc, exames de resistencia esta ok, coração ok, apesar de fumar muito, atualmente quase 1 maço/dia.
    Mas dorme muito, acorda por volta das 11:00 da manha, por volta das 14:00 já foi deitar e acorda por volta das 17:00 e vai dormir novamente por volta das 22:00.
    Isso é normal?

  9. vera lima comenta:

    8 novembro, 2010 @ 3:47 PM

    Minha mãe tem 88 anos, e dorme demais, toma remedio para dormir, dorme as 9:00 horas da noite e acorda lá pelas 11:00 da manha, sonolenta, não esta comendo bem, com dificuldade de engolir, a tare dorme a maior parte , isso já faz tres dias seguidos ,estou muito preocupada. o que fazer. se possivel me responda urgente. Obrigado

  10. cida comenta:

    15 novembro, 2010 @ 2:07 PM

    Minha mãe tem 79 anos, diabetica, hipertensa, insuficiencia renal mais ou menos 30% rins funcionando, tireoide, sente muito dor no peito que ja foi descartado problema no coração o gastro fez endoscopia nela mas disse que o esofago não esta tão inflamado assim para ela sentir essa dor forte que ate se confunde com infarto ou angina. Ultimamente não esta evacuando e desconfio que pode ser gases, pois dizem que a dor do gas preso é fortissima. Ela esta dormindo muito durante o dia e as vezes não dorme a noite seja pela dor ou não. Esta alimentando ate bem demais mas não esta evacuando e estou muito preocupada. Por favor me dê uma orientação. Obrigado.

  11. Dalva comenta:

    27 janeiro, 2011 @ 8:54 PM

    Minha mãe, tem 84 anos de idade. Ha tres anos atras ela teve dificuldades para andar por causa da coluna . ela tinha , .: Espondiloartrose lombar com protrusões discais, estenose do canal vertebral e compressão do saco dural em L3-L4 e L4-L5.Passou a andar com muita diculdade com um andador. Ela não podia fazer cirurgia por causa da idade. Depois de algum tempo, ela teve dois AVCs isquêmico, e a partir daí, não conseguiu mais andar nem de andador. Depois dos AVCs passou a falar muito pouco, talvez devido a dificuldade em pronunciar as palavras, ela é diabética, mas sempre bem controlada, sua Glicemia nunca passou de 200.Ela toma remedios pra glicemia, pressão, e anti inflamatórios, por causa da coluna. A algum tempo estamos preocupados, por que ela só quer dormir, ela dorme bem a noite, e durante o dia, a colocamos na cama das 11.00hs às 13.00hs, e depois das 16.00 às 17.00hs, para que ela não fique só sentada, por causa de escórias, mas mesmo nos momentos em que ela esta sentada, ela cochila, e quer dormir.
    Não sabemos o que fazer. Se devemos tirá-la da cama, mesmo contra a vontade dela, ou se deixamos dormir o tanto que ela quiser.
    por favor, gostaríamos de uma orientação. E saber também se é normal este excesso de sono.
    Obrigado!

  12. lenice comenta:

    2 maio, 2011 @ 4:24 PM

    Pesquiso sempre este site pois acho série e bastante orientador.Gostaria de tirar uma duvida familiar, pois meu pai tem 85 anos não é hipertenso nem diabético, nunca fumou ou bebeu alcool, só tomo medicação para a prostatata como a unoprost, e vertix pois ele tem um pouco de labirintite de vezem quando, o problema que me preocupa é que ele passa a maior parte do dia dormindo, só levanta pra comer, e dorme sentado e vendo televisão. E dorme bem a noite apesar de roncar muito, está um pouco acima do peso mais abdomem, ele fizque não sente nada, mas reparo que sua respiração está um pouco pesada e rápida. Estou preocupada que pode ser, ele não gostamuito deir ao médico, como está lucido e deambula não temos muito o que fazer. Obrigada

  13. Sonia Regina Tamiasi comenta:

    11 novembro, 2011 @ 7:46 PM

    Estava pesquisando o porque de tanto sono em idoso e li neste site que muitos tem as mesmas dúvidas que eu, porém só consigo achar no site as perguntas e não as respostas. Vocês as enviam por e-mail, ou estou procurando errado?

    Grata,

  14. EUNICE M DE ALMEIDA comenta:

    18 janeiro, 2012 @ 9:03 PM

    MINHA MÃE ANDA DORMINDO DEMAIS,ESTOU FICANDO PREOCUPADA.A MINHA DUVIDA É A MESMA DAVERA LIMA,POR FAVOR ME RESPONDA .DESDE JÁ AGRADEÇO.

  15. Tereza Lúcia Oliveira Chagas comenta:

    25 novembro, 2012 @ 10:56 PM

    Meu pai de 78 anos dorme frequentemente pelo dia e a noite o sono é leve acorda várias vezes, faz lanche, e a minha mãe que é hipertensa fica preocupada com ele e quase não dorme. Assim como tantas pessoas, preciso de ajuda!

    Atenciosamente,

  16. Eliane Silva comenta:

    10 janeiro, 2013 @ 11:10 AM

    Na verdade eu gostaria de um esclarecimento. É saudável um idoso, com 99 anos, sentir muito sono, dormir muito inclusive com barulho por perto tanto de dia como a noite, sentado ou deitado, sem uso de medicamentos? ou pode ser um problema de saúde? Aguardarei o retorno o mais breve possível e desde já agradeço.

  17. Virginia Kulaif comenta:

    16 abril, 2013 @ 11:39 PM

    Gostaria de saber se é normal, minha mãe de 87 anos passar a noite toda acordada?
    Além disso fica fumando quase a noite toda.
    Ela tbém não costuma dormir de dia.
    Meu irmão acha normal.

  18. Prof. Dr. Armando Miguel Jr comenta:

    17 abril, 2013 @ 9:41 AM

    Não é normal.
    Leve-a a um médico geriatra.

  19. stela comenta:

    19 março, 2015 @ 12:28 AM

    Gostaria de uma orientacao, minha sogra esta com 89 anos e ha 03 sofreu uma queda e teve fratura de femur e colocou haste. Nao anda sozinha somente com andador, cadeira de rodas. Devido a dependencia em exercer atividades normais como higiene, banho alimentacao esta com acompanhante. Esta com seus exames em dia com cardilogista para controle de pressao e endocrinologista para controle da diabetes. Ocorre que como ela sempre foi independente implica com todas as cuidadoras que colocamos para ajuda-la. No meu entender esta e uma maneira de chamar atencao da familia que fica angustiada, ela arruma situacoes com as cuidadoras de criticas, acusacoes que quando falamos com ela fica de cabeca para baixo, chora fala que nao faz nada, que quer morrer porque viver na dependencia de terceiros e ruim. Com isso ate as pessoas proximas se afastaram porque ela so sabe reclamar. A minha duvida e em qual medico devo leva la para ver a necessidade de tomar al
    Gum remedio antistress e antidepressivo para pelo menos melhorar a qualidade de vida

Deixe seu comentário aqui !