07 - fev.
  

Síndrome do intestino irritável – SII

Categoria(s): Gastroenterologia, Nutrição, Sociologia




Resenha

Summmary
Irritable bowel syndrome (IBS) is a disorder characterized most commonly by cramping, abdominal pain, bloating, constipation, and diarrhea. Some people may be unable to work, attend social events, or even travel short distances. Researchers have yet to discover any specific cause for Irritable bowel syndrome. One theory is that people who suffer from IBS have a colon that is particularly sensitive and reactive to certain foods and stress. The immune system, which fights infection, may also be involved. The diagnosed on the basis of a complete medical history that includes a careful description of symptoms and a physical examination.
Medications are an important part of relieving symptoms. Supplements or laxatives for constipation or medicines to decrease diarrhea, such as diphenoxylate and atropine (Lomotil) or loperamide (Imodium) help the treatment . An antispasmodic is commonly prescribed, which helps control colon muscle spasms and reduce abdominal pain. Antidepressants may relieve some symptoms. However, both antispasmodics and antidepressants can worsen constipation.

Aproximadamente 50% dos pacientes que procuram o geriatra com queixas digestivas sofrem de problemas funcionais, ou seja, não apresentam lesão orgânica no aparelho digestivo demonstrável pelos métodos propedêuticos atuais. Entre as doenças funcionais, a síndrome do intestino irritável (SII) é a mais freqüente. Até recentemente conhecida como síndrome do cólon irritável, a SII mereceu sua nova denominação em razão da freqüente concomitância de alterações sensoriais e motoras observadas no intestino delgado.

Trata-se de é uma desordem relacionada ao aparelho digestivo, caracterizada por dor abdominal associada a alterações do hábito intestinal, frequentemente acompanhadas de distensão abdominal e muco nas fezes. Embora a terminologia (SII) sugira alterações limitadas aos intestinos, todo o trato digestivo e inclusive órgãos extra-intestinais podem ser afetados do ponto de vista motor.

A despeito da sua enorme freqüência e de se constituir numa preocupação médica antiga, a SII representa um grande desafio para os profissionais de saúde em vista não só das dificuldades embutidas no seu diagnóstico de certeza, como também na difícil escolha do tratamento mais apropriado.

Fisiopatogenia

Admite-se atualmente que os pacientes com SII apresentariam uma suscetibilidade maior para desenvolver alterações motoras diante de vários estímulos fisiológicos e/ou emocionais. Esta hipersensibilidade visceral seria, segundo alguns autores, secundária ao estado de hipervigilância do sistema nervoso central (SNC) que, por sua vez, provocaria hiperalgesia (redução do limiar à dor com conseqüente resposta intensa e prolongada à dor) e alodinia (produção de dor através de estímulo que normalmente não a provoca). A interação entre hiperalgesia e alodinia levaria finalmente à condição de hipersensibilidade visceral.

De fato, disfunções do SNC têm sido descritas na SII, como mostra o bem elaborado trabalho com tomografia computadorizada cerebral com emissão de pósitrons (PET). Em indivíduos normais a simples expectativa de distensão retal aumentou o fluxo sangüíneo na área anterior do giro cíngulo, enquanto nos com SII houve aumento do fluxo sangüíneo somente na região pré-frontal cortical. A área anterior do giro cíngulo se relaciona com o controle endógeno de inibição da dor. A área cortical pré-frontal, por outro lado, é responsável pelo estado de vigilância e pronta resposta aos estímulos.

Além dos mecanismos acima relacionados, outros são descritos como história prévia de infecção do trato gastrointestinal, associação com deficiência de lactase, distúrbios autonômicos (disfunção adrenérgica ou colinérgica) e hormonais, além de anormalidades na flora bacteriana intestinal.

Concentrações elevadas de serotonina e mastócitos também têm sido descritas na mucosa intestinal de pacientes com SII.

Diagnóstico

Na SII, as manifestações sintomáticas costumam ser variadas. Predominam as queixas relativas ao abdome e intestinos, provável sítio de origem dos problemas. No entanto, muitos outros sintomas, digestivos ou não, podem estar associados. Entre os primeiros, as queixas dispépticas se destacam, podendo estar presentes em mais de 30% dos casos. Intolerância inespecífica a diferentes alimentos é outro achado repetitivo.

Queixas extra-intestinais também são comuns e englobam distúrbios sexuais, disfunções urinárias, cefaléia, alterações do apetite, fibromialgia, lombalgia e alterações do sono. Ademais, a maioria destes pacientes manifesta evidentes distúrbios na área psicológica, tais como ansiedade, depressão, distúrbios somatoformes etc. Em decorrência desta última, resulta a amplificação do sentido negativo de situações desfavoráveis, como certos eventos da vida, do tipo separação, morte etc.; redução do limiar de sensibilidade a estímulos mecânicos, e percepção anormal de fatos normais, como as contrações intestinais do período inter-refeições.

Recentemente, estabeleceu-se um consenso para o diagnóstico da SII conhecido como critérios de Roma II.

Tratamento

A concepção hoje dominante é a de que a melhor forma de contornar estes obstáculos reside na maneira de entender a doença. Para isto, faz-se necessário vê-la e abordá-la de uma forma abrangente, nas suas múltiplas faces, valorizando indistintamente a participação e interação de fatores biológicos e psicossociais no processo de deflagração e manutenção desta síndrome. Por fatores biológicos são entendidos desde a herança genética até as alterações da motilidade intestinal e da sensibilidade visceral. Por psicossociais, entende-se todo o conjunto de fatos atuando ao longo da vida do indivíduo e envolvendo aspectos ambientais, culturais e psicológicos.

Nas doenças funcionais, diagnóstico e tratamento se entrelaçam intimamente, visto que a fase de diagnóstico já é em si parte integrante do tratamento propriamente dito. Uma boa relação estabelecida entre médico e doente, a confiança adquirida por este naquele, muitas vezes já atua como remédio eficaz. Detalhes como uma entrevista inicial cuidadosa, um exame físico consciencioso podem exercer um poderoso efeito no desdobramento do tratamento a ser realizado. Por estas razões, quadros mais leves de SII são algumas vezes resolvidos sem a necessidade de qualquer medicamento. O simples esclarecimento de dúvidas, a explicação da natureza e do prognóstico dos sintomas experimentados, restauram no portador de SII a sensação de bem-estar e o controle sobre seus desconfortos. Em outros casos, no entanto, isto não é suficiente e se faz necessária a introdução de medidas complementares que variarão em função do sintoma dominante do quadro clínico, isto é, constipação, diarréia ou dor.

Quando a constipação é a manifestação principal, a primeira providência é reforçar o conteúdo de fibras da dieta, isto significa fornecer uma cota diária de 20 a 25g. Esta deverá ser atingida de maneira progressiva, em doses lentamente crescentes. No caso de intolerância ou resposta insatisfatória ao uso de fibra, uma segunda opção são os produtos denominados formadores de bolo fecal, dos quais os mais populares são derivados do Psillium. Outra opção são os laxantes osmóticos suaves, tipo lactulose, um dissacarídeo semi-sintético inabsorvível, usado em forma de xarope.

Na SII com predomínio de diarréia, a droga a ser recomendada inicialmente é a loperamida, um agente opióide. Por não cruzar a barreira hemoliquórica, tem menos efeitos colaterais que os similares difenoxilato e codeína. Sua ação resultaria no alongamento do tempo de trânsito intestinal, melhora na absorção de água e eletrólitos e na elevação do tônus do esfíncter anal. Isto não só proporcionaria aumento na consistência das fezes, como atenuaria a urgência evacuatória e controlaria a incontinência fecal por vezes observada. Quelantes de sal biliar como a colestiramina têm também sido sugeridos no controle da diarréia, o mecanismo de ação não é claro e a literatura a respeito, escassa. Mais recentemente, o brometo de pinavério, um antagonista dos canais de cálcio, tem sido referido como agente efetivo.

A dor abdominal compõe o terceiro subtipo de sintoma predominante na SII. É provavelmente o mais inoportuno e de tratamento mais resistente dos três. É possível que nele os fatores psicossociais desempenhem um papel particularmente influente, daí a importância de que irá revestir-se no tratamento uma boa relação médico-paciente e o fluxo de informações dela emanado. Como medida medicamentosa, sugere-se o uso dos antiespasmódicos ou anticolinérgicos, cuja utilidade se amplia, quando administrados antes das refeições, visto que estas frequentemente despertam ou agravam a dor. Quando estes agentes se mostram inefetivos ou intoleráveis antidepressivos determinam efeitos satisfatórios em tempo mais curto e com a metade das doses utilizadas no tratamento dos quadros depressivos clássicos.

* Células de Kulchitsky, também conhecida como células cromafins, são células que armazenam nas suas vesículas secretórias epinefrina. Durante o estresse, o sistema nervoso sinaliza estas vesículas para secretarem o seu conteúdo (epinefrina). Seu nome deriva-se de sua habilidade de adquirir coloração marron com sais cromo. Caracteristicamente, ficam situadas na camada medular da glândula adrenal e nos paragânglios do sistema nervoso simpático, como no sistema mioentérico.

Referência:

Comite Executivo Brasileiro – Inquérito nacional sobre a síndrome do intestino irritável. GED, 19 (Supl 1):S1-S11, 2000.

Quilici FA – Síndrome do intestino irritável – Como Diagnosticar e Tratar Rev Bras. Med v.59 n.6 429-438.Jun 2002

Mourão AO, Damião C, Sipahi AM – Síndrome do intestino irritável. Rev. Bras. Med. v.59 n.12:121-127. Dez 2002.

Thompson, W.G.; Longstreth, G.F.; Drossman, D.A. et al. Functional bowel disorders and functional abdominal pain. Gut 1999; Suppl. II 45: ii 43-7.

Locke GR, Pemberton JH, Phillips SF. AGA technical review on constipation. Gastroenterol; 2000; 119(6):1766-1778.

OMGE Practice Guideline: Constipation. [on line]

Tags: , , , ,




Comentário integrado ao Facebook:


1.527 Comments »

  1. EDILSON EGITO comenta:

    15 maio, 2013 @ 11:48 AM

    PREZADA ELISÂNGELA, digo-lhe os seguintes:
    a) Realmente , toda SII , tem uma concausa, o fator Psíquico (isto signifiuca , situações, fatos, que estão gravados no INSCONSCIENTE) e que atuam no aparelho digestivo, através de um sistema de FEED-BACK. Apenas, a Medicina ainda não definiu se o problema tem estopim, início, no Intestino ou na esfera Psicológica. O Instestino é comandado pelo sistema nervoso autônomo – seus movimentos , sensibilidade, independem de nossa vontade (é o Parasimpático). São geralmente Neuroses que não estamos conscientes das mesmas. Daí a Psiquiatria ter importante papel no Tratamento da SII. !!! TUDO É ARQUIVADO NO INSCONSCIENTE (é o nosso HD).
    b) Quanto ao uso de probiótico , pode experimentá-lo. Alguns que têem SII-C se dão bem , com o simples Yakult. Ou então fazer uso de Dimeticona ou Simeticona (anti-gases). Porém quanto menos remédio se usa, claro que é melhor !!!
    Atenciosamente, Dr Edilson Egito, médico Dermatologista.

  2. sara comenta:

    18 maio, 2013 @ 5:56 PM

    Olá dr. Edilson,gostaria muito de conhece-lo pessoalmente,que cidade mora?Sou muito grata pelo seu serviço gratuito de esclarecimentos sobre sii,um grande abraço fique com Deus.

  3. EDILSON EGITO comenta:

    20 maio, 2013 @ 11:43 AM

    PREZADA SARA, sou Médico Dermatologista há 40 anos e sou Pessoense, porém fiz Especialização em São Paulo e já trabalhei por 20 anos em São Luís – Ma. Resido há 20 anos em João Pessoa; poderá conhecer-me melhor no FACEBOOk (Edilson Egito) ou no GOOGLE digitando Dr Edilson Pinheiro do Egito ou no site da SBD (www.sbd.org.br). Verá minha imagem e meu Curriculum Vitae.
    Grato por suas palavras !!! Acesse alguns artigos de Dermatologia neste nosso BLOG de SII. Procure à margem, à Direita e acima, tópicos de Medicina !!!
    Atenciosamente, Dr Edilson Egito, médico Dermatologista.

  4. sara comenta:

    25 maio, 2013 @ 6:43 PM

    Dr.Edilson,que pena mora bem distante,mas estou satisfeita de conhece-lo pelo face,Ultimamente diante de muito estress venho sentindo muito tenesmo e colicas, qual o medicamento que posso tomar diariamente sem interrupção:eilixir paregorico,buscopan ou atroveran? que não vem dar muito efeito colateral

  5. EDILSON EGITO comenta:

    26 maio, 2013 @ 5:59 PM

    SARA, respondendo sua Postagem, sugiro o ATROVERAN, POIS É A BASE DE ATROPA BELLADONA (fitoterápico). O Elixir paregórico causa muito paralisia dos movimentos do Intestino e o Buscopan é antiespasmódico sintético (escopolamina).
    No mais, grato por suas palavras. Atenciosamente, Dr Edilson Egito, médico Dermatologista.

  6. EDILSON EGITO comenta:

    29 maio, 2013 @ 5:36 PM

    SARA, EM TEMPO:
    Quando citei o ATROVERAN, refiro-me ao antigo ATROVERAN GOTAS, que tenho em minha residência; só à base de Atropa Beladona. Pois, já há uma nova apresentação de ATROVERAN, DENOMINADO ATROVERAN COMPOSTO (AAS, Beladona e Papaverina). Concluindo, o bom, sem efeitos colaterais, porém mais LIGHT, é o ATROVERAN GOTAS (o antigo). Atenciosamente, Dr Edilson Egito, médico Dermatologista.
    PS – O MUNDO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA MUDA TODO DIA, POIS VISA MUITO, O LUCRO, NOVAS APRESENTAÇÕES E NOVOS PREÇOS !!!

  7. sara comenta:

    31 maio, 2013 @ 3:26 PM

    Aos colegas do foram uma dica, descobrir ontem que um conservante que contem em alguns oleos de cozinha o TBHQ pode alterar o DNA das celulas e é cancerigeno intestinal,evite comerem nas ruas fazem um esforço de comer em casa, temeperos industrializados que contem glutamato monossodico causa diarreia,so usem sal e alho,e o oleo de soja de cozinha que estou usando é concordia ele não contem o TBHQ.

  8. Maria Dalva comenta:

    18 julho, 2013 @ 2:33 PM

    Olá pessoal tenho SII, é super chato, mas tenho uma dica que tem funcionado direitinho pra mim (lembre-se cada caso é um caso, mas vale a pena tentar): Tomo de manhâ, em jejum, 1comp de Pantoprazol e 1 de Siilif em seguida tomo um copo de suco de 1 maçã com 1 folha de couve (pode variar acrescentando cenoura), com isso já consigo tomar mais tarde um café com leite (antes eu só tomava chá) e pão integral (qualquer pão branco de manhã irrita o intestino), almoço leve e no jantar uma tigela de mingau de banana verde com aveia (pode ser só de aveia, mas acho super gostoso mingau de banana verde). Mudei também o foco da doença, me cuidando mais, exercitando, me divertindo. Abraços a todos!

  9. josie comenta:

    21 julho, 2013 @ 6:19 PM

    Boa noite, Dr, maravilhoso seu Blog. Por favor me dê sua opinião: retirei a vesícula há muitos anos e desde então tenho diarreias, todos os dias várias vezes, um saco… Então comecei a usar o Questran, 01 envelope ao dia, e até deu certo por um tempo, mas agora não faz o efeito esperado. O que o Sr. acha? Eu devo aumentar a dose do Questran? O que o sr. acha da combinação 01 env Questran + 01 Tiorfan ao dia? Eu também uso Simeticona 40mg porque minha barriga faz muitoooooss barulhos, é horrível, mas o Simeticona não resolve quase nada… Meu sonho seria ir ao banheiro sem fazer um mega concerto de barulhos de gases com todo mundo da casa escutando rsrs, o Sr. acha que aumentando a dose do Simeticona resolveria esses gases barulhentos? Obrigada e desculpa a confusão de perguntas!

  10. Mara comenta:

    30 julho, 2013 @ 3:01 PM

    Dr Edilson/colegas,
    alguém já ouviu falar do medicamento Iberogast pra SII ? Vi a indicação em outro grupo, a moça disse que é bastante usado lá fora pra SII, e seria “natural”

  11. Mara comenta:

    30 julho, 2013 @ 5:11 PM

    Pessoal,
    achei esse site em inglês que tem muitas dicas sobre SII, é bem completo, vale a pena dar uma olhada!
    http://ibs.about.com/

  12. Mara comenta:

    31 julho, 2013 @ 12:36 PM

    Deixei 2 comentários ontem e nenhum apareceu, alguém sabe porque?

  13. maico comenta:

    20 dezembro, 2013 @ 1:00 PM

    bando de cagão

  14. marcelo comenta:

    24 janeiro, 2014 @ 4:41 PM

    Boa tarde a todos, como vão? O fórum está parado? O que houve??

  15. rafael comenta:

    27 janeiro, 2014 @ 9:31 PM

    Pessoal eu realmente estou muito feliz após diversas tentativas com diversos medicamentos e nada da sii desaparecer… foi aí que conheci o questran light 4g que posso dizer: Salvou a minha vida!!!!! estou praticamente 100%, indo a praia, almoçando todos os dias com calma sem ter aquela preocupação de sair correndo da mesa pra ir ao banheiro. Estava mais ou menos a 2 anos sem ir a praia, pois nos finais de semana era pior, pois bebo uma cerveja e agrava a situação no dia seguinte. Uma vez passei um perrengue na praia tendo que ir no banheiro umas 10 vezes, aí que realmente criei um trauma.
    Mas esse é apenas um relato de uma pessoa que não quer se esquecer das pessoas que sofrem disso e só pq melhorei não as abandonarei…
    Tomo meio pacote em jejum pela manhã e um pela noite antes da janta. Podem acreditar, realmente FUNCIONA!!!!!!!!
    Abraços e espero ter ajudado.
    Rafael.

  16. Guilherme toledo comenta:

    4 fevereiro, 2014 @ 12:29 PM

    Ola dr Edilson,
    Li muitos posts aqui, eu tenho SII, hoje prevalece a com prisão de ventre, queria saber se existe alguma interação medicamentosa entre o NEXIUM O SIILIF O CITALOPRAM E O ALPRAZOLAM ?? o pantoprazol é melhor que o nexium ??
    Quais remedios o senhor anda tomando pra controlar a depressão ?? Obrigado desde já
    meu e-mail caso alguem queira mater contato: guiguizt@hotmail.com

  17. Idinei comenta:

    19 fevereiro, 2014 @ 11:14 AM

    Bom dia a todos, o fórum funciona ainda?

  18. Bel comenta:

    19 fevereiro, 2014 @ 4:04 PM

    Dr, eu tenho a SII, e veja que coisa, estava eu rezando nesse momento com a imagem da virgem Maria na minha frente e pedindo pela minha recuperação (sou portadora de EM e da SII), estou em surto da SSI desde do Natal quando abusei da comida, e tenho diarréia diariamente, tomo floratil e nada mas estou muito enfraquecida por causa da EM e a SSI está me debilitando ainda mais. Do nada enquanto rezava veio em minha cabeça “elixir paregorico”, fiz uma pesquisa no google e assim cheguei ao Sr nessa página! Eu faço uso de Azatioprina, Rivotril e Ranitidina (sou alérgica ao omeprazol) diariamente, posso tomar o elixir mesmo tomando essas medicações? Estou fazendo dieta há umas 3 semanas mas nada melhora a diarréia, ela não é aquosa mas é mole e acontece principalmente após as refeições. Peço sua orientação Dr, muito obrigada

  19. sara comenta:

    20 fevereiro, 2014 @ 11:25 AM

    Estou pesquisando a relação de disbiose intestinal e candidiase intestinal com sii.

  20. Mara comenta:

    10 março, 2014 @ 12:17 PM

    Oi Sara,
    Disbiose e SII são relacionados sim, e a disbiose assim como a SII não tem um diagnóstico preciso.

  21. Danielle comenta:

    11 julho, 2014 @ 5:19 PM

    Olá.Não sei se alguém já passou por isso, mas tenho SII há uns 7 anos já e agora estou com um problema de infecção em um dente e o dentista me pediu para que eu tomasse azitromicina por três dias para a infecção, mas estou com medo que me dê mta diarréia porcausa do efeito colateral do antibiótico.Não sei o que fazer…Se tomo ou não.Se me der diarréia se é só repor a flora depois…Tomei cefalexina para infecção urinária e qdo estava no quinto dia de tratamento tive que parar porque me deu muita diarréia aquosa.Estava quase no final do tratamento.Ainda bem que não precisei tomar mais nda porque na verdade meu exame não apresentou infecção.A médica me deu mais para tratar meus sintomas que não chegaram a ser uma infecção de urina.
    Mto Obrigada.
    Danielle

  22. Cristiane Galdino de Souza comenta:

    21 agosto, 2014 @ 7:14 PM

    Boa noite! Está com dois anos que venho sentido dores do lado esquerdo da barriga, gases, digestão lenta e quando estou com o lado esquerdo da barriga muito inflamado dói o na região pélvica, dar ânsia, vômito, fraqueza e desconforto urinário. Fico muito nervosa, baixo astral, vontade de desistir de tudo pq é muito desconfortável… sinto muitas dores e tem dias que a barriga fica toda dolorida. Segundo dois médico diagnosticaram SII, fiz colonoscopia, RM, tomografia, exames de sangue, teste de intolerância a lactose, enema opaco, transito intestinal, endoscopia e somente o único que deu alterado foi o teste de intolerância a lactose. Por favor peço ajudar para saber se é realmente e a SII mesmo. Boa noite!

  23. Carlos comenta:

    24 agosto, 2014 @ 4:22 PM

    Dr. Edilson,

    Tenho SII, uso medicamentos para depressão e ansiedade. Diferentemente da maioria, tenho prisão de ventre crônica, o que piora substancialmente os sintomas da SII. Remédios para prisão de ventre (laxantes), funcionam na primeira e segunda vez que uso, depois não adiantam mais, chego a ficar duas semanas sem evacuar, ai começo a passar muito mal, e se volto a usar remédio, além de não fazer efeito, sinto sensações terríveis (dores abdominais, enjoos, tonturas, sensação de pressão baixa, aperto na cabeça como se fosse pânico), e observo que estão diretamente ligadas a não liberação dos gases, ficando com a barriga muito inchada. Já usei muitos remédios com orientação médica, além de testar formulas de ingredientes, tais como: farinha de linhaça, soja, etc., prescritas por nutricionistas.
    Na verdade, o que mais me incomoda é a prisão de ventre por períodos muito longos e a retenção dos gases.
    Pergunto: É possível que o uso da glutamina e probióticos possam resolver ou amenizar esses sintomas, especialmente fazer o intestino funcionar regularmente?

    Atenciosamente,

    Carlos,

  24. top mattresses 2014 comenta:

    18 outubro, 2014 @ 6:37 AM

    top mattresses 2014

    Síndrome do intestino irritável – SII

  25. marcelo comenta:

    19 novembro, 2014 @ 10:50 AM

    Bom dia pessoal, ninguém mais frequenta o fórum ?? O que houve ??

  26. Amlin comenta:

    17 fevereiro, 2015 @ 7:45 PM

    Dr Edilson
    Nos últimos dias, tenho ouvido falar a respeito de transplante de fezes para a cura de doenças do intestino. Pesquisei na Internet e li sobre alguns casos .Gostaria muito de saber a sua opinião sobre o novo procedimento. No meu caso, consegui encontrar um certo equilíbrio para conviver com a SII e a falta de vesícula. Mas se fosse possível a cura, seria ótimo para todos nós. Sempre agradecida pela sua atenção. Um abraço.

  27. marcelo comenta:

    3 junho, 2015 @ 10:45 AM

    Bom dia, parece que o fórum ficou desativado? por onde andam todos? e o DR. Edilson, tbm não entra mais aqui?

Deixe seu comentário aqui !